Tutorial 139 – Blender 2.70: Novidades na interface

As novas versões do Blender sempre trazem novidades e pequenos ajustes em ferramentas e novos recursos para seus usuários e artistas 3d. Mas, o Blender 2.70 trouxe muito mais do que atualizações em ferramentas, e começou um processo longo e meticuloso de refinamento da sua interface. Sim, algumas mudanças estão sendo realizadas na interface, mas nada que chegue perto das propostas apresentadas no decorrer do ano passado, em que o Andrew Price sugeriu que poderíamos ter algo como uma interface ribbon no Blender. As alterações realizadas na versão 2.70 foram na sua maioria estéticas, e ajudam no uso cotidiano do software, e principalmente devem auxiliar os novos usuários do Blender.

Mas, o que exatamente mudou? Para ajudar você a entender algumas dessas alterações, gravei um tutorial em vídeo explicando o funcionamento dos novos recursos da interface, e também apontando os lugares em que foram feitos os ajustes.

O local com a alteração mais evidente foi a barra de ferramentas, que ganhou uma segmentação por abas e agora possui grupos de opções. Por exemplo, existe uma aba apenas para criação de objetos que será de grande ajuda para novos usuários que não queiram usar o velho e bom SHIFT+A ou o menu Add na parte superior da interface. As ferramentas de física, grease pencil, animação e outros ganharam todos uma aba própria.

Além das abas na barra de ferramentas as caixas de texto que permitem editar parâmetros de propriedades tem agora alinhamentos bem distintos, em que o valor é posicionado na direita e o nome da propriedade na esquerda. Se quisermos ajustar múltiplos valores, é possível fazer uma seleção múltipla de valores e editar todos ao mesmo tempo.

Entre as alterações e novidades relacionadas com transformação de objetos, a mais interessante foi a possibilidade de usar expressões. Agora é possível usar uma expressão matemática para fazer ajustes de translação, rotação e escala.

Esse foi apenas o primeiro vídeo com as novidades do Blender 2.70, e nos próximos dias devo lançar muitos outros sobre o Blender e outros softwares no meu canal no Youtube. Quer ser avisado sempre que um novo tutorial ou vídeo estiver disponível? O que acha de assinar o canal?

Aprendendo a usar o Blender

Ficou interessado em aprender a usar o Blender? No EAD – Allan Brito você encontra uma grande quantidade de cursos online sobre Blender:

Você pode sempre começar pelo curso básico gratuito de Blender para conhecer a metodologia.

 

Palestra e análise sobre usabilidade da interface do Blender 3D

Na conferência Blender 2008, a palestra que foi apresentada logo depois da abertura foi a do William Reynish, sobre interface do Blender em comparação com outros softwares 3d e os principais conceitos de usabilidade de softwares. A interface do Blender é um assunto extremamente controverso, mais ou menos da mesma maneira que a interface do Gimp. Para algumas pessoas ela é perfeita, mas para outros é confusa e atrapalha o início dos trabalhos para usuários menos experientes.

A palestra começa fazendo uma análise sobre as vantagens e compara a interface do Blender com ferramentas comerciais como o Modo 302, Apple Motion e o Photoshop CS4. Sim, até o pessoal da Adobe se inspirou em alguns conceitos usados na interface do Blender para reformular a maneira com que o Photoshop trabalha. Não acredito que a inspiração da Adobe tenha sido o Blender, mas o conceito usado na interface foi o mesmo.

Ainda na primeira parte da palestra, um ponto importante é levantado sobre o Blender; ele foi criado para ser a ferramenta de animação da NaN, por isso os conceitos de usabilidade e facilidade de uso não se aplicam a ele. Seria mais ou menos, como se a Pixar disponibilizasse para o público o seu Marionette. A ferramenta é feita para servir aos propósitos da empresa e não aos usuários de maneira geral.

Depois disso aparecem as vantagens do Blender:

  • Interface modulada, livre de janelas
  • Alto nível de personalização

Esses conceitos foram “copiados” pelas ferramentas comerciais citadas no início do artigo.

Agora, a parte que deve interessar a maioria dos usuários é a sugestão feita para a interface do Blender 2.50. Sim, é apenas uma sugestão, mas já nos deixa animados em ver uma concepção artística do que pode vir a ser o Blender 2.50.

A proposta se baseia na correção de alguns dos problemas da interface atual do Blender, que é a falta de organização e posicionamento de alguns elementos na interface. Por exemplo, as propriedades e os controles para algumas ferramentas estão espalhados por vários menus e muitas vezes, isso pode atrapalhar usuários com menos experiência.

Uma das propostas é fazer desaparecer o painel de botões, sendo que ele será substituído por um painel de propriedades, semelhante ao que é exibido na imagem que ilustra esse artigo. Esse novo painel reuniria as principais propriedades dos objetos selecionados, para facilitar o processo de edição.

Caso você tenha interessem em estudar o design de interfaces de softwares 3d, recomendo o download essa palestras, principalmente para as pessoas que estão escrevendo trabalhos acadêmicos sobre usabilidade de software ou computação gráfica, a interface do Blender pode ser um ótimo tema para sua monografia ou artigo. Para fazer o download dos vídeos, visite esse endereço.

Esse artigo é parte da cobertura sobre a conferência, amanhã continuo falando sobre mais apresentações.