Renderização para arquitetura no YafaRay e Blender

A renderização de projetos usando o Blender hoje em dia é algo muito mais fácil tanto com as opções existentes no próprio software e também com inúmeros outros renderizadores externos que suportam o Blender. A lista é bem extensa e envolve até mesmo opções comerciais de renderização. Apesar de existir hoje o Blender Cycles que está tomando de assalto os projetos realizados por usuários do software, ainda é possível encontrar vários outros projetos renderizados com outras aplicações. Entre as opções mais “antigas” de render com o Blender temos o YafaRay, que é uma das opções mais conhecidas em termos de render externo para os usuários mais antigos.

O primeiro renderizador externo que usei com o já longínquo Blender 2.34 foi o YafRay, que na época era escrito sem o “a” no meio, e lembro que a diferença de qualidade em termos de iluminação e resultado finais eram impressionantes. Hoje o YafaRay ainda existe e pode ser usado sem grandes problemas com o Blender 2.69. Apesar de existirem cada vez menos projetos sendo renderizados com o software, e isso fica fácil de perceber pelas poucas publicações de projetos nos fóruns tanto do Blender como do YafaRay.

Ainda acho o YafaRay uma opção poderosa para renderização, principalmente quando falamos de arquitetura. Encontrei um projeto publicado nos fóruns do YafaRay que demonstra bem o poder do software em termos de visualização para arquitetura, e a cena foi criada por um usuário do Brasil chamado rodrigo366.

O objetivo do projeto era demonstrar o resultado da visualização de um ambiente de leitura. A imagem a seguir demonstra o resultado:

Para os interessados em conhecer um pouco mais sobre o processo que levou ao render dessa cena, o autor do projeto compartilhou nos fóruns do YafaRay os ajustes usados para renderizar a cena. Como forma de melhorar a iluminação e sensação de realismo no render, o artista fez uso de um mapa HDRI para o render.

Como a maioria das pessoas acaba tendo dificuldades com os ajustes do YafaRay nas primeiras vezes em que vai utilizar a ferramenta, o simples fato de ter algum tipo de referência para começar é uma grande ajuda.

Autodesk Dragonfly: Layouts de plantas e perspectivas isométricas gratuitas

Essa semana a Autodesk publicou um sistema baseado em internet ainda experimental que pode ser do interesse de vários estudantes e profissionais ligados à arquitetura. O projeto se chama Autodesk Dragonfly, sendo um tipo de editor e visualizador de layouts para projetos de interiores em 3d e 2d, totalmente baseado em internet. O sistema funciona diretamente no navegador e pode manipular objetos de maneira semelhante ao que acontece em softwares como o 3ds Max e Blender, mas de maneira muito mais simples. Para falar a verdade ele é semelhante em muitos aspectos, ao que acontece em editores de cenários como de jogos estilo The Sims.

Como o sistema é baseado totalmente em internet, ele pode ser executado em qualquer sistema operacional como mostra essa imagem que tirei do Dragonfly rodando no Ubuntu.

autodesk_dragonfly-3d

O que é possível fazer no sistema?

Entre as diversas possibilidades de edição estão à visualização de elementos em perspectiva isométrica e em planta, com a colocação e edição de objetos e elementos arquitetônicos, como portas e mobiliário. Tudo isso é feito diretamente na interface, entre as opções a única que apresentou problemas foi a adição de móveis no modo de perspectiva isométrica. Em planta, os objetos foram adicionados sem maiores problemas.

Outro ponto interessante sobre o sistema é a possibilidade de detectar colisões nas paredes, quando estamos posicionando algo como um quadro, o próprio sistema detecta quando o objeto se aproxima de uma parede e faz as rotações e ajustes para alinhar os objetos.

Mesmo sendo uma opção sem muita flexibilidade e de estar bem distante das opções oferecidas por uma boa suíte 3d, o Dragonfly pode ser uma ótima opção para desenvolver protótipos ou idéias rápidas de projetos, principalmente quando o assunto é organizar o mobiliário em uma planta. Todos os layouts desenvolvidos no sistema são salvos no próprio Dragonfly, você pode inclusive compartilhar a sua criação com outros usuários e consultar outros layouts de diversos arquitetos ou usuários.

Se você estiver pensando em testar o Autodesk Dragonfly, saiba que ele ainda tem dois pontos negativos muito fortes:

  • Não gera imagens dos layouts! Tudo deve ser visualizado no próprio sistema;
  • Os designs podem ser impressos apenas na versão 2D em planta. Quando estamos visualizando os objetos em 3D na vista isométrica a opção de impressão fica desabilitada
  • A edição e ajuste do modelo só podem ser realizados na vista em planta

Fora esses pontos negativos, a idéia é muito interessante. Como é totalmente gratuita, vale a pena fazer um teste.

Dissertações de mestrado com aplicação na iluminação e composição 3D

Na grande maioria das indicações de tutoriais ou textos que faço aqui, me refiro a material técnico sobre 3D, escrito por artistas ou então tutoriais e análises de minha autoria. Pois hoje indicarei um tipo de material de outra natureza, pesquisas científicas! Já devo ter comentado aqui em artigos anteriores, que um dos meus objetivos esse ano é ingressar em um mestrado, mas para poder começar a pensar em algo desse gênero, preciso elaborar um pré-projeto de pesquisa. Isso envolve a busca de referências e outros trabalhos científicos, que possam estar relacionados à minha linha de pesquisa.

Trabalhos pesquisa 3D

Não preciso dizer que o meu trabalho de pesquisa envolve computação gráfica, mais especificamente o Blender! Bem, ainda é cedo para passar detalhes sobre essa pesquisa, mas posso dizer que as idéias estão surgindo.

Como parte do trabalho de pesquisa para referências, encontrei o ótimo repositório de documentos e material chamado de domínio público. Como o próprio nome diz tudo hospedado lá é de domínio público. Existe uma parte do sistema que permite pesquisar apenas dissertações e teses de mestrado, foi lá que encontrei duas dissertações de mestrado que tem aplicação direta na iluminação de cenas em 3D.

Os títulos das dissertações são:

  • Iluminação cênica com elemento modificador: A autora dessa dissertação se chama Bárbara Suassuna Bent Valeixo Mont Serrat, que fala sobre a iluminação cênica (teatro) que é extremamente útil para ambientes 3D. Devemos lembrar que o palco do cenário e o espaço 3D dos nossos softwares são idênticos em termos de iluminação. Quando retiramos todos os pontos de luz, temos a escuridão total, mas ao adicionar sistematicamente pontos de luz, o cenário vai ganhando formas. Esse é um estudo científico de como a iluminação e o seu posicionamento, podem influenciar nas emoções e valorizar os elementos existentes no palco. Se você tem pouca, ou nenhuma, experiência com iluminação esse texto é um ótimo começo. Para fazer o download, visite esse endereço. O arquivo PDF tem 93 páginas.
  • Aplicação da teoria das cores em ambientes virtuais para arquitetura e design de interiores: O nome é praticamente auto-explicativo! A autora dessa dissertação se chama Angélica Pereira Marsicano Tavares, sendo direcionada para a área de maquetes eletrônicas e simulação de projetos, antes da execução. Se você trabalha com visualização, mas não conhece muito sobre teoria de cores e as maneiras de aplicar e combinar essas cores em ambientes, pode se aproveitar das informações apresentadas nessa pesquisa. Para fazer o download do PDF, com 101 páginas, visite esse endereço.
  • Simulação computacional para projeto de iluminação em arquitetura: Mais um projeto de pesquisa envolvendo iluminação, em minha opinião um dos mais úteis para quem não conhece absolutamente nada sobre iluminação, já que primeiro apresenta aspectos físicos do comportamento da luz. Depois de apresentar esses conceitos, a autora da dissertação Sílvia Garcia Tavares, mostra a relação disso com o projeto de ambientes. Para quem quiser melhorar o seu embasamento na iluminação de ambientes, esse trabalho é ótimo. Para fazer o download do PDF com 183 páginas, visite esse endereço.

Mesmo que alguns desses trabalhos de pesquisa não tenham sido realizados, com o claro objetivo de serem utilizados em ambientes 3D, qualquer artista envolvido com Blender, 3ds Max, Maya ou qualquer suíte 3D pode se aproveitar dos dados e referências apresentados nos trabalhos. Lembre que não é só o texto apresentado que pode ajudar, visite as referências, livros indicados e outros materiais indicados nos trabalhos para aprender cada vez mais.

Leia com calma os textos, eles não são tutoriais, mas sim trabalhos científicos, com forte embasamento teórico. Você precisará ler e interpretar o material, para adaptar os conhecimentos na sua ferramenta 3D.

Obs: Será necessário se cadastrar no sistema para efetuar o download dos arquivos.