Adobe Flash CS4 agora com opções para efeitos 3d nativos!

A integração entre os ambientes 3d e a internet, nunca foi tarefa fácil para os artistas 3d que recebiam como tarefa a criação de web sites baseados em 3d. A melhor solução sempre foi um web site híbrido, que usava o Adobe Flash como base para apresentar imagens renderizadas em seqüência, para simular a apresentação de um vídeo. Com o advento do vídeo em Flash, muita coisa melhorou, mas mesmo assim ainda é necessária uma conexão de internet razoável, para que o acesso ao web site seja feito em velocidade razoável.

Ainda hoje recebo muitos e-mails, aqui pelo formulário de contato, de artistas que precisam criar algum tipo de projeto ou trabalho, que faça a integração de material criado em softwares como o Blender 3D, 3ds Max ou Maya com o Flash.

A boa notícia para esses artistas é que o recém lançado Flash CS4, apresenta varias melhorias e ferramentas que começam a permitir o uso nativo de opções 3D.

82n6145.tmp

Assim como já mostrei aqui no Blog na última semana, os softwares da Adobe começam a mostrar cada vez mais uma tendência natural a adotar ferramentas e opções voltadas a ambientes 3d. Um dos exemplos mais notórios disso é o Adobe Photoshop CS4 Extended.

Bem, para demonstrar algumas dessas novidades e ferramentas do Flash CS4, encontrei um vídeo de demonstração criado pela equipe do Lynda.com, que mostra as opções para editar vetores em 3D.

Como você pode perceber no vídeo, agora temos eixos de edição para Movieclips que premitem manipular os objetos nos eixos X, Y e Z. Acho que com isso, podemos começar a chamar o Flash CS4 de uma ferramenta 2.5D, assim como o After Effects.

Outra opção que vai fazer a alegria de quem trabalha com animação de personagens é a opção de adicionar bones, em objetos. Isso mesmo! Agora existe uma opção muito semelhante ao que existe em softwares 3d, para deformar modelos 3d e criar animação.

Já tinha falado sobre essa ferramenta aqui no Blog também, mas não havia nenhuma confirmação até o lançamento da versão CS4 que ela seria realmente disponibilizada.

Quer ver como funciona? Esse vídeo demonstra muito bem o funcionamento dessa nova ferramenta:

Ainda tem mais, para que você tenha uma idéia da sofisticação do sistema, ele aceita até mesmo cinemática inversa. Se você trabalha com animação de personagens ou charges, essas novas opções devem facilitar em muito os eu trabalho.

Caso você queira saber mais sobre o Adobe Flash CS4, visite esse endereço no web site da própria Adobe para conhecer mais sobre as novas ferramentas, com vídeos de demonstração produzidos pela própria Adobe.

Em minha opinião, essa é uma atualização fantástica para todos que trabalham com animação, muito diferente do Flash CS3, em que um dos maiores destaques era a programação em ActionScript.

Blender 3D – GameKit disponível para consulta em espanhol

Como você deve estar sabendo, o Blender 3d recebeu enormes melhorias na parte relacionada com o desenvolvimento de jogos, a sua Game Engine melhorou muito. Para coroar essa melhoria, a Fundação Blender está investindo na atualização de um dos únicos manuais sobre essa parte do Blender; o Blender GameKit. Assim que a atualização foi anunciada, o material antigo que foi produzido para o Blender 2.25 foi disponibilizado na internet para download gratuito. Um grupo de artistas 3d que falam espanhol, está traduzindo o material para espanhol e agora disponibilizaram os nove primeiros capítulos para consulta gratuita na internet.

O material em língua inglesa é muito bom, mas a barreira da língua ainda é um entrave para muitas pessoas. Esse material em espanhol ajuda aos usuários de língua portuguesa também, mesmo não sendo nossa língua nativa, o espanhol é mais fácil de entender, para os usuários que tem dificuldade no inglês.

Caso você queira conferir o material, visite esse link para acessar a tradução do Blender Gamekit.

Blender 3D - Gamekit

Se você nunca conferiu o conteúdo do Gamekit, compilei uma pequena lista com os capítulos do livro, para que você possa ter uma idéia do que encontrar no material. A lista dá uma ótima impressão sobre o que é posível aprender no material.

  • Apresentação
  • Orientações gerais sobre o Gamekit
  • Introdução a Game Engine
  • Conceitos básicos de Blender 3D
  • Modelando um cenário
  • Adicionando objetos de outras cenas
  • Criando seu próprio jogo
  • Interatividade
  • Controle de câmera na animação
  • Luzes em tempo real (ainda sem tradução)
  • Animação de objetos (ainda sem tradução)
  • Finalizando as cenas (ainda sem tradução)
  • Adicionando som no jogo (ainda sem tradução)
  • Encerramento (ainda sem tradução)

Como já mencionei antes, todos os tutoriais estão referenciando o Blender 2.25, mas mesmo estando desatualizado o material é uma ótima fonte de informação sobre o desenvolvimento de jogos com o Blender 3D.

Aos que não usam o Blender, saibam que a Game Engine dele é um dos seus diferenciais, permitindo que artistas 3d possam criar animações interativas e jogos, sem a necessidade de usar sequer uma linha de código. Tudo é feito direto na interface, com os blocos de lógica.

Quer conhecer como funciona? Basta fazer o download do Blender, para testar. Além dos benéficos em produtividade, o Blender ainda é gratuito! Portanto, não custa fazer um teste para avaliar.

O Gamekit original pode ser copiado aqui.

Tutoriais de modelagem poligonal para jogos com o 3ds Max

Quando o assunto é modelagem 3d, nem sempre a solução mais simples é a melhor. Eu disse que nem sempre é, pois como mostram os tutoriais muito bem elaborados de um artista chamado Andrei Ichim, às vezes a solução mais simples se aplica de maneira muito eficiente em modelos 3d. O artista mantém um ótimo web site, com seu portfólio de modelagem 3d muito bem elaborado e completo e para as pessoas que quiserem tentar aprender um pouco mais, sobre o processo de criação desses objetos, ele disponibiliza vários vídeos, com tutoriais de modelagem no 3ds Max.

Os vídeos podem ser de grande utilidade para qualquer pessoa interessada em trabalhar com modelagem 3d para jogos, pois a técnica usada na modelagem lembra em muito a otimização que é necessária, nesse tipo de modelo para economizar no número de polígonos.

Para assistir aos tutoriais e visualizar o portfólio de modelagem do artista, visite o link indicado. No total são 17 tutoriais em vídeo, muito bem detalhados.

Os vídeos estão com a velocidade levemente acelerada, para permitir que os arquivos dos tutoriais fiquem mais otimizados para a internet, mas é perfeitamente possível reproduzir os modelos 3d no 3ds Max ou qualquer outra ferramenta, que trabalhem com modelagem com subdivisão. Por exemplo, se você for usuário do Maya ou Blender 3D, pode tentar criar os mesmos modelos 3d sem maiores problemas.

O trabalho de modelagem realizado para jogos é muito interessante, pela atenção constante que os artistas precisam ficar de olho no modelo 3d e na contagem de polígonos. Esse é um dos exercícios mais interessantes e válidos, para aulas sobre modelagem 3d. Você passa um modelo 3d e pede para que os alunos reproduzam o modelo sem nenhum tipo de restrição. Depois que todos eles terminam o exercício, solicito o mesmo objeto, mas com um número restrito de polígonos.

O resultado? A primeira sensação é de confiança, que depois é substituída por uma grave preocupação e decepção por perceber que não é tão fácil assim. Esse tipo de desafio é que molda artistas mais preparados para o mercado de trabalho.

Quem nunca trabalhou com modelagem para jogos, podem aprender muito sobre o processo nos vídeos.

Qual é o software 3D mais rápido? Estudo faz comparação entre Maya, Softimage e 3ds Max.

Aqui vamos nós falar sobre comparações entre ferramentas 3d novamente, sendo que aqui o objetivo é analisar a performance de três softwares, em quesitos relacionados com desempenho frente a cenas complexas e pesadas, assim como alguns itens de hardware mais atuais, como processadores de múltiplos núcleos. Às vezes, recebo um e-mail de algum artista em dúvida, sobre o desempenho da sua ferramenta 3d depois de fazer um upgrade de software, achando que as suas ferramentas deveriam ser mais rápidas. Isso é muito comum, quando os sistemas de 64 bits entram em cena, com o Vista 64 e softwares já otimizados para esse tipo de sistema.

O segredo de tudo é o software, mais especificamente a ferramenta 3d. Esse ponto é tão importante hoje, que muitas empresas já usam esse tipo de recurso como diferencial, como é o caso da Maxon que divulga o seu Cinema 4D 11, como sendo uma das únicas aplicações 3D que usam “todos” os 64 bits do Mac Os X Leopard.

Bem, vamos voltar ao assunto do artigo. Caso você seja usuário do 3ds Max, Maya ou Softimage o estudo que vou divulgar aqui no Blog é do interesse de todos esses artistas. O estudo foi realizado por um centro de pesquisas chamado Jon Peddie Research (JPR). A pesquisa foi realizada em parceria com a Softimage, que provavelmente queria fazer uma comparação do seu software com as ferramentas da Autodesk.

3D Simulation

Visite esse link para fazer o download do arquivo PDF e das cenas usadas para o teste de desempenho.

Se você está fazendo uma pesquisa científica ou trabalho acadêmico, relacionado com computação gráfica, o material pode ser de grande auxílio, como referência sobre desempenho de hardware em softwares 3d e computação gráfica de alto desempenho.

Os itens testados na pesquisa foram os seguintes:

  • Renderização
  • Shaders personalizados
  • Processadores com múltiplos núcleos
  • Uso de memória em sistemas de 64 bits

Para testar esses itens, os pesquisadores selecionaram algumas cenas complexas, que apresentavam algumas características distintas, como grande quantidade de polígonos, partículas e outros itens que demandam muitos recursos do hardware.

Alguns critérios para os testes com os softwares também foram estabelecidos, como:

  • Apenas o aplicativo testado estava aberto no momento do teste
  • Todas as animações eram executadas em 24 quadros por segundo
  • Os modelos eram abertos em modo wireframe, para evitar a influência da GPU

Quem ganhou? Na média dos testes o Softimage XSI foi o vencedor.

Mesmo sendo uma pesquisa feita em parceria com a Softimage, o que pode comprometer um pouco a imparcialidade, esse tipo de pesquisa até explica alguns movimentos na indústria de computação gráfica, na migração de sistemas da Autodesk para o Softimage XSI.

Faça o download do estudo, assim como os modelos usados para o teste e tire suas próprias conclusões.

Uma coisa que esse tipo de ferramenta não consegue, e que o Blender 3D por ser de código aberto pode fazer, é possuir versões otimizadas para determinados tipos de hardware. Visite o graphicall.org e você encontra versões do software próprias para processadores mais recentes e mais antigos.

Tutorial SketchUp: Como modelar uma escada helicoidal?

Assim como na modelagem de personagens, um dos itens mais complexos de criar são as orelhas e detalhes e detalhes como dedos dos pés e mãos, a modelagem de projetos arquitetônicos também apresenta alguns objetos, que são o “terror” dos modeladores iniciantes. Entre esses itens, podemos citar as aberturas com esquadrias complexas e as escadas helicoidais. Esse tipo de escada é difícil de desenhar até mesmo em projetos 2d, e nos ambientes 3d eles envolvem geralmente o uso de várias ferramentas e transformações, para a sua criação.

Para projetos que envolvem a criação de escadas helicoidais, alguns softwares como ArchiCAD ou AutoCAD voltado à arquitetura, apresentam ferramentas próprias para criar esse tipo de modelo, mas nos softwares destinados à visualização como o Blender 3D, SketchUp ou 3ds Max, esse modelo precisa ser criado manualmente na maioria das vezes.

Caso você seja usuário do SketchUp e precise criar esse tipo de modelo, existem dois vídeos bem completos sobre modelagem de escadas disponíveis no Youtube, que mostram muito bem o processo completo de modelagem. Para quem nunca modelou esse tipo de objeto, vai perceber pelos vídeos que na modelagem de projeto arquitetônicos, o mais importante é a organização e posicionamento dos elementos e não a topologia. Repare nos vídeos que as ferramentas de divisão e cópia do SketchUp literalmente salvam muito do tempo gasto para a modelagem.

O primeiro vídeo é esse, ele não aborda a modelagem de escadas helicoidais, mas apresenta as ferramentas e técnicas necessárias para criar esse tipo de escada no segundo vídeo.

Se você já for usuário do SketchUp, não deve ter dificuldades em reproduzir a técnica, mesmo com o vídeo sendo narrado em inglês. As ferramentas que eu apresentador usa são as comuns do SketchUp:

  • Push Pull
  • Follow Me
  • Copiar

Um aspecto importante dos tutoriais é à entrada de dados pela caixa de informações, que fica no canto inferior direito da interface. Por exemplo, quando o apresentador precisa modelar alguma coisa com precisão, ele simplesmente digita o valor no teclado e pressiona ENTER, para que o objeto seja criado com aquele tamanho. Isso serve para fazer copias múltiplas também, para isso é só digitar “10x” durante a cópia para que o SketchUp faça dez cópias de um objeto. A mesma coisa pode ser usada para preencher o espaço entre dois objetos, com o comando “10/”, por exemplo.

Agora o tutorial que mostra o processo de modelagem para a escada helicoidal.

Pronto! Agora você já sabe como criar esse modelo de escada. Claro que existem outros métodos para modelar esse tipo de objeto, mas com esse exemplo você já pode começar a tentar criar elementos mais avançados no SketchUp. Só tente criar uma escada que seja transitável por pessoas, pois com aquela altura em relação ao forro, qualquer pessoa que tente passar pela escada, vai bater a cabeça.

Não entendeu? Assista ao segundo vídeo novamente!