AutoCAD pode receber simulações físicas com Nucleus do Maya

A utilização de recursos para criação de animações baseadas em física sempre foi um diferencial para a maioria dos softwares, e nas chamadas suítes 3d isso é praticamente obrigatório. Todas as ferramentas que trabalham com animação 3d de maneira generalista oferecem meios para gerar simulações de Rigid Body Dynamics, Fluidos ou Soft Bodies. Mas, já pensou usar isso em softwares de CAD como o AutoCAD? Esse é um dos projetos que estão em desenvolvimento no Autodesk Labs como prova de que esse tipo de sistema pode ser útil no design de elementos para projetos.

O sistema adotado pela Autodesk é nada mais que o Nucleus, que é a base dos sistemas de física do Maya. Se você já teve curiosidade de usar o Maya e testou sua parte de simulações baseadas em física, deve ter percebido que existem duas versões do sistema de partículas, fluidos e vários tipos diferentes de módulos para animação. Existem as particles e as nParticles. A letra “n” identifica exatamente o uso do módulo Nucleus.

AutoCAD usando física para realizar design de objetos

O resultado dessa aplicação? O vídeo abaixo mostra bem o resultado do uso desse tipo de tecnologia para ajudar a criar elementos visuais. No caso de áreas como design de produto, será possível adicionar aos modelos 3d criados no AutoCAD, elementos como tecidos e outras tipologias que possam receber deformações com base em física.

No vídeo é possível assistir a simulação de tecidos, usando uma tecnologia muito parecida com que é usada no nCloth do Maya.

O resultado desse tipo de tecnologia dentro do AutoCAD apresenta inúmeras possibilidades de design para qualquer tipo de profissional, que demande trabalhar com elementos realistas. Por exemplo, o design de mobiliário no AutoCAD deve receber uma boa melhoria na visualização, com a possibilidade de trabalhar na simulação de tecidos e outros elementos, adicionando realismo as peças em 3D.

Como conseguir esse tipo de tecnologia para testar? Aos interessados em testar o AutoCAD com simulações baseadas em física, será preciso uma visita ao site do Nucleus no Autodesk Labs. Depois de se cadastrar e fazer o download, você pode aproveitar o recurso de maneira gratuita até Abril de 2012.

Exercício de animação com física no Blender

Nas últimas semanas publiquei aqui no blog um pequeno estudo de animação que produzi com base no exercício que realizei para os participantes do curso de Animação 3D com Blender. O exercício o objetivo de passar uma esfera entre vários braços robóticos, que permitem exercitar conhecimentos em áreas do Blender como hierarquias, constraints e drivers. Toda a animação é controlada por uma série de pequenos cubos localizados na parte superior de cada braço.Desde que montei essa seqüência de animação, queria adicionar algum tipo de modificação na cena para incluir efeitos baseados em física. Foi nesse intuito que renderizei outra versão da animação, em que aplico alguns efeitos físicos do Blender na esfera.

A lista de efeitos teve que ser encurtada para liberar o computador em que a animação estava sendo produzida, pois caso contrário já começaria a sofrer atrasos em outros projetos. Os efeitos usados nessa animação foram:

  • Vidro com raytracing
  • Partículas simulando cabelos e física
  • Fumaça (Smoke)
  • Partículas com Halo

Todos esses efeitos foram adicionados usando praticamente os seus ajustes padrão, sem grandes modificações. O único que mereceu atenção especial foi a fumaça, que inclusive foi um dos grandes problemas dessa animação. De maneira geral os trechos de animação demoravam em torno de 20-30 minutos para renderizar em 720p. O trecho com fumaça levou sozinho 4 dias! Claro que o render era interrompido esporadicamente, mas o computador ficava renderizando a maior parte do dia.

Esse atraso no render da fumaça me fez desistir de criar alguma coisa envolvendo fluidos para adicionar nessa animação.

Se você quiser tentar criar animações com fumaça como essa, recomendo alguns cuidados especiais para conseguir gerar o seu vídeo de maneira eficiente:

  • Planeje muito bem o uso da fumaça, para evitar longos tempos de render e cálculos das partículas. Só use quando for realmente necessário;
  • Lembre que tanto a fumaça como as partículas precisam de pré-processamento. Será preciso armazenar a simulação em Cache;
  • No domínio da fumaça é preciso adicionar um material do tipo Volume com uma textura Voxel Data.

Com essa última dica você será capaz de renderizar e visualizar a fumaça no Blender. Fico imaginando como ficariam esses efeitos físicos renderizados como o Blender Cycles?

Estudo sobre placas de vídeo profissisonais para 3D

A quantidade de dúvidas relacionadas a escolha de hardware especializado para projetos de computação gráfica que envolvem renderização são bem freqüentes aqui no blog. Sempre estou recebendo mensagens pelo formulário de contato e Twitter em que pessoas me questionam sobre placas de vídeo, softwares e configurações de maneira geral. Além das perguntas diretas pelo formulário de contato, você pode procurar também esse fórum especializado em hardware para computação gráfica, que estou inclusive participando ativamente. Lá você pode encontrar várias duvidas de artistas sobre hardware que foram devida mente respondidas por mim, e também por outras pessoas que trabalham com renderização.

ATI FirePro V8800

Mas, se você quiser ler um artigo muito interessante sobre performance de placas de vídeo profissionais, encontrei um texto excelente que coloca a prova em diversas situações alguns dos destaques na área de GPU tanto da NVidia como da ATI.

Qual a melhor placa de vídeo para computação gráfica 3d?

O artigo foi escrito no início do mês, e trás uma excelente comparação entre alguns dos pesos pesados da área de GPUs profissionais.

Entre as placas testadas estão as seguintes:

  • FirePro V5900
  • FirePro V7900
  • Quadro 2000
  • Quadro 4000
  • Quadro 5000
  • Quadro 6000

Todas essas placas são boas opções para trabalhar profissionalmente com 3d, mas como é o desempenho em softwares específicos? No artigo você encontra informações extremamente importantes e comparações de performance em ferramentas como 3ds Max, Maya, Softimage, Mudbox, Lightwave, Cinema 4D, Modo e iray.

Quer saber a conclusão do artigo? Se você não quiser ler o estudo completo com todos os dados comparativos, vou passar já o resultado da comparação. Segundo o autor do estudo, as placas da NVidia levam pequena vantagem sobre as da ATI. Mas, é feita uma ressalva sobre os softwares usados no teste. Se você reparar bem nos dados comparativos, em alguns softwares as placas da ATI foram mais rápidas. Portanto, a escolha da placa de vídeo deve ser condicionada também pelo software que será usado no seu cotidiano.

Para quem estava em dúvida sobre placas de vídeo, recomendo muito a leitura desse artigo, para conseguir descobrir qual a melhor placa de vídeo para cada software citado no estudo.

Blender 2.60 RC1 disponível para download

Esse semana os usuários do Blender receberam uma excelente notícia, pois foi anunciado que a versão Release Candidate do Blender 2.6 estaria disponível para download, e hoje essa versão preliminar do Blender já pode ser copiada para fins de teste! O Blender já está deixando a série 2.5 para trás e começando um novo estágio de desenvolvimento com a série 2.6! Como a versão 2.5 trouxe uma grande revolução na interface do software, o pessoal acabou se concentrando mais nos recursos nessa nova leva de ferramentas e deixou de lado as mudanças estéticas para a interface.

Isso significa dizer que o Blender 2.6 será igual ao 2.5 em termos de interface, e isso é excelente para todos que estão estudando o software, pois o material de treinamento e tutoriais relacionados ao Blender 2.5 podem ser aproveitados na íntegra para a versão 2.6.

Como fazer o download do Blender 2.6 RC1?

Para fazer o download do Blender 2.6 RC1 é necessário visitar esse endereço, e escolher entre as diversas opções de download, adequadas a sistemas operacionais diferentes. Só para lembrar que as versões do tipo Release Candidates devem ser usadas com cautela, pois elas são destinadas a avaliação do software para encontrar possíveis bugs ou problemas nas novas ferramentas.

blender-mango-project.jpg

Project Mango – Um dos próximos projetos do Instituto Blender.

E quais novas ferramentas fazem parte do Blender 2.6? A lista abaixo mostra algumas das novas ferramentas, sendo uma boa parte oriunda do projeto Google Summer of Code 2011.

  • Suporte a 3D audio
  • Melhorias na tradução da interface do Blender
  • Node Editor com melhorias na edição e gerenciamento dos nós
  • Melhorias no sistema de animação
  • Propriedades do Texture face movidas para os materiais
  • Weight Painting com novas opções e ferramentas
  • Suporte aprimorado ao formato COLLADA
  • Modificador VertexGroup
  • Novo FFMpeg 0.8.2 para render de vídeo

Algumas das ferramentas de maior destaque nos últimos tempos ainda ficam de fora do Blender 2.60, sendo postergados para a versão 2.61 que está prevista para o mês de dezembro. Quais ferramentas são essas? O novo renderizador chamado de Cycles e o sistema de câmera tracking do Blender.

A previsão de lançamento do Blender 2.60 é o próximo dia 15 de Outubro, e assim que souber de alguma coisa relacionada com o seu lançamento, aviso aqui no Blog.

Já aproveitando a notícia, caso você já queira ir aprendendo como o novo renderizador Blender Cycles funciona, é possível participar do curso de renderização avançada com Cycles, nesse endereço.

Plugin ajuda a modelar telhados no SketchUp

Na modelagem 3d para arquitetura, encontramos diversos tipos de elementos qe agregam grande nível de dificuldade na sua concepção, tanto no que concerne a sua representação real como na virtual. Estou me referindo aos telhados e as suas disposições complexas em vários tipos de projeto. Quando recebemos esse tipo de elemento como parte da modelagem 3d em qualquer software, precisamos utilizar alguns pequenos truques para conseguir reproduzir de maneira fiel as inclinações e conjuntos de elementos existentes nessas superfícies.

Em ferramentas 3d especializadas na modelagem para arquitetura a coisa fica um pouco mais fácil, mas ainda é possível facilitar de vez a vida de artistas 3d especializados na visualização de projetos com plugins. No caso do SketchUp existe um plugin chamado Roof Creation que é indispensável na criação desse tipo de elemento.

Criando telhados no SketchUp com o Roof Creation

Já falei sobre plugins para criação de telhados no SketchUp, mas como foi publicada mais uma pequena demonstração do funcionamento desse plugin, resolvi fazer a recomendação do seu uso novamente.

O procedimento para usar o plugin é bem simples, e consiste na seleção das bordas das áreas que correspondem aos limites do telhado. Ao acionar a ferramenta, aparece o menu de opções do Roof Creation, e dependendo das opções que escolhermos, o telhado é criado de maneira automática nas superfícies.

No web site do plugin, existem vários modelos de telhados de exemplo para download no formato PDF, para ajudar na nomenclatura em inglês.

Uma das opções mais interessantes do plugin Roof Creation para o SketchUp, é a possibilidade de criar não só as superfícies e planos que formam as águas dos telhados, mas de adicionar telhas! Sim, podemos solicitar que o plugin faça o cálculo de distribuição de telhas dos mais variados tipos nas superfícies do telhado. Para quem já ficou um bom tempo editando e aplicando transformações e ferramentas como o Boolean para conseguir “moldar” as telhas em um telhado de maneira perfeita, esse tipo de ferramenta ajuda bastante.

O Instant Roof está disponível em duas versões, sendo uma delas totalmente gratuita e outra versão PRO. O esquema é bem parecido com o que já encontramos no SketchUp, em que a versão gratuita funciona bem, mas os recursos que fazem a diferença estão mesmo disponíveis na versão PRO. Ainda assim, recomendo o download da versão gratuita, pois ajuda muito no processo de criação e modelagem para arquitetura.