Tutorial Adobe After Effects: Criando uma animação simples na timeline

O Adobe After Effetcs é um dos softwares mais usados para criar peças gráficas para TV e cinema, mesclando imagens e som de maneira a criar animações sofisticadas. Mas, apesar de toda a complexidade da sua timeline e recursos disponíveis para criar movimento, é preciso saber o básico para trabalhar com o After Effects, e nesse ponto precisamos compreender o processo de animação por interpolação para depois evolir para composições mais complexas.

É exatamente com os usuários do After Effects em mente que produzi um pequeno tutorial que tem como objetivo mostrar como trabalhar com interpolação no software, e que será o primeiro de uma série sobre o After Effects.

Como criar animação com o Adobe After Effects?

O processo de animação por interpolação é relativamente simples de ativar, bastando para isso expandir os campos relativos as transformações na timeline do After Effects. O vídeo abaixo mostra como criar uma animação simples no After Effects:

A timeline do After Effects é uma das mais complexas que conheço devido a grande quantidade de informações que ela acaba exibindo, dependendo do tamanho e escala das composições. Mas, é com ela que precisamos trabalhar para criar animação. Cada objeto na composição possui uma trilha na Timeline que agrupa todas as propriedades dos elementos como as transaformações. É exatamente isso que usamos para criar a animação desse tutorial. Ao expandir as propriedades da timeline para o objeto selecionado, podemos acessar as trnaformações de posicionamento.

Nessa área existem pequenos ícones a esquerda de cada propriedade, representando um relógio, que na verdade é um cronometro. Ao pressionar esse ícone poderemos adicionar keyframes na trilha correspondente na timeline.

Isso é praticamente tudo que precisamos fazer para habilitar a animação. Os próximos passos agora envolvem o posicionamento do cursor de animação, ou playback head no ponto desejado da timeline.

Ao mover o objeto na composição um novo keyframe será adicionado de maneira automática! Se esse mesmo processo for repetido várias vezes, o resultado será uma animação.

Apesar de mostrar o resultado apenas com movimento no tutorial, o mesmo procedimento pode ser aplicado em qualquer propriedade para gerar animação com o After Effects. Como a timeline do software manteve a mesma consistência entre as versões do After Effects, você pode aplicar o mesmo princípio em versões anteriores do software como a CS3 ou CS4.

Tutorial After Effects CS 5.5: Estabilização de imagem e Synthesize Edges

A Adobe atualizou recentemente o seu pacote de aplicativos da família CS5 que agora possuem versões CS5.5 com melhorias e novas ferramentas. Entre as melhorias apresentadas para o After Effects estão presentes um novo sistema de estabilização de vídeo, que parece ser “a ferramenta” do momento para a maioria dos softwares que trabalham com vídeo. E posso afirmar por experiência pessoal que sem um equipamento profissional de estabilização mecânica no momento em que o vídeo está sendo capturado, é quase certeza que será necessário fazer algum tipo de estabilização por software em vídeos, principalmente se a pessoa segurando a câmera estava caminhando.

Mas, como funciona esse sistema de estabilização de vídeo? O tutorial abaixo ajuda a compreender o sistema de estabilização de vídeo do After Effects CS5.5, e vai um pouco além disso com um truque interessante para os artistas em motion graphics. Com o uso desse novo sistema do After Effects, é possível simular um efeito semelhante ao que temos no Photoshop CS5 com o seu Content Aware Edit. Essa é a ferramenta que permite fazer edições e alterações em fotografias, preservando o conteúdo de elementos nas imagens.

No vídeo é possível acompanhar o processo de estabilização de vídeo usando um efeito chamado de Warp Stabilizer que utiliza um conjunto de movimentos aplicados ao vídeo, somados com uma escala para que o vídeo com a estabilização ocupe toda a área da moldura. O processo de estabilização de vídeo não é tão complicado assim, e o autor demonstra muito bem as opções disponíveis no After Effects CS 5.5 para esse tipo de operação.

Mas, o interessante mesmo aparece na segunda parte do tutorial, em que a técnica é usada junto com uma ferramenta chamada de Synthesize Edges para conseguir remover um objeto do vídeo. É evidente que a remoção de objetos de um vídeo é algo demasiadamente complicado, e que faz a alegria dos profissionais especializados em rotoscopia. Mas, essa técnica aplicada ao vídeo até que consegue resultados razoáveis, e apenas razoáveis. No final do vídeo ainda é possível perceber alguns pequenos artefatos no vídeo que deixam transparecer que existia alguma coisa naquela região.

Mesmo assim, é interessante pensar em uma futura evolução desse tipo de ferramenta. Será que no futuro o processo será simples como usar o Stamp do Photoshop?

Tutorial After Effects: Ajustanto o tempo de vídeos com Time Remapping

O trabalho de edição e ajustes em vídeos está diretamente relacionado com o de animação 3d, pois um dos componentes principais da animação é a matéria-prima em ambas as áreas. O ajuste do tempo em que as ações acontecem é fundamental para conseguir criar movimento e passar a dinâmica necessária, seja nos cortes do vídeo como o movimento dos personagens. Algumas vezes esse trabalho de edição exige que o artista faça alterações na velocidade do movimento, muito comum em clips de vídeo montados com base em vários trechos menores. Para enfatizar uma determinada cena ou movimento, o video designer acaba fazendo com que o trecho seja exibido em câmera lenta.

Esse tipo de edição pode ser realizado em vários softwares, seja ele o Adobe Premiere ou Final Cut da Apple, mas hoje vou mostrar como isso pode ser realizado usando o After Effects da Adobe, que é muito usado para trabalhar com pós-produção de animações e vídeos comerciais também. O tutorial abaixo mostra como é possível selecionar apenas um trecho na timeline do After Effects e alterar o tempo do vídeo, para criar o efeito de câmera lenta necessária para enfatizar uma parte do vídeo.

No vídeo, o autor do tutorial precisa selecionar um trecho do vídeo e para isso ele clica com o botão direito do mouse sobre o vídeo na timeline, e no menu Time escolhe a opção Enable Time Remapping que adiciona automaticamente dois keyframes no vídeo.

Os dois keyframes adicionados a timeline são a base do processo de edição. O próximo passo depois que os keyframes estão na timeline é prolongar um pouco o tempo do vídeo, puxando a borda deste um pouco mais para a direita. Depois, que o vídeo está redimensionado é possível adicionar manualmente mais dois keyframes, sendo um no final e outro no início do vídeo. O objetivo desses keyframes é isolar a área do vídeo que deve receber a alteração no movimento. No trecho entre o segundo e terceiro keyframes teremos o vídeo sendo reproduzido em câmera lenta.

Com isso, basta fazer os ajustes necessários na posição dos keyframes na timeline do After Effects para determinar quais partes do vídeo devem ser reproduzidas com velocidades bem mais baixas que o normal.

Tutorial After Effects e 3ds Max 2010: Retirando partes de um vídeo para efeitos especiais

O trabalho com vídeo digital e efeitos usando softwares como o After Effects, envolve a criação de truques para conseguir localizar pontos específicos no vídeo. Por exemplo, para conseguir mapear a superfície de um objeto ou personagem, podemos adicionar nessas superfícies pequenas marcações, que servem para auxiliar no processo de motion tracking. Esse processo é fundamental para copiar o movimento das superfícies e substituir alguma coisa no vídeo, seja um personagem ou partes dele por material gerado em computador ou mesmo outros vídeos. Mas, e quando é necessário apenas remover esses pontos do vídeo?

Se você quer aprender alguns truques usando o After Effects, o tutorial indicado nesse artigo é um excelente recurso de aprendizado, para realizar efeitos em vídeos. O objetivo é bem simples, e consiste na remoção de pequenos pontos marcados sobre a pele de uma pessoa, que foi filmada com o objetivo de adicionar motion tracking nessas regiões. Mas, depois de gravar o material editor resolveu aproveitar o material sem as marcações.

O vídeo é curto, mas é muito bem explicado e mesmo para os que não entendem a narração em inglês, basta seguir os passos apresentados no vídeo.

Track Dot Removal Tutorial from Mathew Kelly on Vimeo.

O procedimento usado para apagar elementos no vídeo é bem familiar aos usuários já acostumados com truques semelhantes no photoshop, ou outras ferramentas de edição de fotografias.  Nesse caso, o artista cria uma cópia do vídeo editado e adiciona uma espécie de máscara ao material, em que logo depois um filtro do After Effects faz com que o material fique fora de foco e se sobrepondo as marcações.

Para que essa técnica funcione é necessário usar o Motion Tracking, que movimenta de maneira sincronizada os objetos que cobrem as marcações no vídeo. Apenas esse conjunto de opções não é suficiente para conseguir um efeito convincente de substituição das marcações, sendo necessário adicionar mais filtros do After Effects para combinar os efeitos no vídeo da marcação.

Mas, e o 3ds Max 2010? Exatamente no meio do vídeo o autor apresenta outra técnica para remover essas marcações, envolvendo o uso de objetos 3d que cobrem as marcas. Esses objetos são criados no 3ds Max 2010, usando informações fornecidas pelo processo de motion tracking. Em minha opinião é melhor tentar realizar o processo todo no After Effects, mas naquele caso o objeto tinha uma rotação 3d complexa e que precisava do auxílio de algum software como o 3ds Max.

Mesmo assim, vale pelo aprendizado em integrar as duas ferramentas.

After Effects CS4: Identificando e solucionando problemas no render de vídeos

O trabalho com vídeo digital e composição é tão desafiador quanto o de um artista 3d, principalmente pela enorme variedade de padrões e formatos de vídeo disponíveis no mercado. Sempre que ministro aulas sobre vídeo digital, acabo levando em torno de duas aulas ou quatro horas para poder explicar de maneira superficial o funcionamento e variedade dos padrões de vídeo. Em softwares como o After Effects ou Premiere, esse tipo de diversidade acaba dificultando a identificação de problemas e erros na renderização dos projetos. Se você nunca usou esses softwares, saiba que o termo renderização não é aplicado apenas em softwares 3d. Tanto no After Effects, Premiere e outros como o Final Cut, usamos a palavra renderizar para gerar o vídeo final de uma produção.

Assim como acontece na renderização de alguns projetos em 3d, podemos encontrar erros diversos na renderização de projetos em After Effects ou Premire. Isso pode ser um verdadeiro pesadelo para a maioria dos usuários, pois os erros são apresentados sempre na forma de um código numérico, e nenhuma dica sobre possíveis soluções é passada para os usuários.

After Effects error: internal verification failure, sorry! {invalid index in named group}

Caso você já tenha passado por situação semelhante, solicitar a renderização no After Effects e encontrar uma mensagem de erro. Um usuário do After Effects chamado Lutz Albrecht compilou uma lista muito interessante dos erros no After Effects. Agora, não são apenas os erros que ele lista no web site, também estão relacionados a cada código de erro as possível causas e soluções para o problema. Assim que você visitar o web site, procure na direita o código numérico do erro, ou então pelo assunto relacionado ao problema.

Por exemplo, os erros de codificação para arquivos usando MPEG estão muito bem explicados e relacionados com as soluções para erros nos codecs. Claro que as soluções muitas vezes envolvem a reinstalação dos aplicativos ou o uso de artifícios, como a alteração de algum arquivo de texto no computador. Esse tipo de recurso é indispensável para qualquer profissional envolvido com a produção freqüente de projetos no After Effects.

É uma pena que o mesmo recurso não esteja disponível para mostrar os erros do Adobe Premiere, mas quem sabe o autor não se anime a compilar outra lista.