Tutorial Blender 3D: Criando um ambiente espacial com asteróides em 3D

Uma das melhores maneiras de praticar a modelagem 3d e renderização de ambientes é trabalhar com composição de cenários e projetos, envolvendo diversos níveis e planos de visualização. Como forma de exercitar as habilidades nos softwares 3d, principalmente nos casos em que os artistas não possuem pouca experiência com o manejo das ferramentas 3d, o caminho indicado é escolher cenas e temas que demandem pouco trabalho de composição ou modelagem. Por exemplo, quando o tema da modelagem envolve a criação de paisagens como montanhas e vegetação, o artista tem um grande desafio que é a elaboração de topografia e elementos individuais como árvores para o cenário.

Como esse tipo de projeto pode gerar inúmeros objetos e polígonos, carregando significativamente o arquivo do projeto, o indicado é começar com cenas simples que envolvam poucos objetos no cenário, ou opções que façam uso de elementos como partículas ou instâncias. Isso é essencial para evitar problemas ou decepções com o uso intenso de recursos do computador, que pode inclusive fazer com que o artista desista do projeto pela incapacidade de manipular a cena.

Nesse ponto a criação de ambientes espaciais é excelente para o objetivo de criar cenas simples e com potencial para resultados visuais agradáveis, pois demanda poucos cuidados com a iluminação e modelagem 3d de maneira geral. Os elementos visíveis nesse tipo de cenário podem ser posicionados usando partículas ou outras técnicas para espalhar objetos no plano de fundo da cena.

Caso você seja usuário do Blender 3D, existe um tutorial detalhado e muito interessante sobre a criação de cenários espaciais com o uso de asteróides e outros elementos para simular anéis e detritos espaciais. O tutorial está em vídeo o mostra várias dicas para criar um ambiente composto por partículas simulando um cinturão de asteróides.

“Asteroid Belt” Video Tutorial (for Blender 2.49) from Konrad Haenel on Vimeo.

O foco do tutorial é mostrar como criar asteróides usando um script próprio para elaborar asteróides e rochas, próprias para esse tipo de ambiente. Na primeira parte do vídeo podemos acompanhar a elaboração do sistema de partículas que serve como base para distribuição dos asteróides. As partículas são organizadas sobre um plano curvo, simulando a borda de um sistema em anéis semelhante aos que circundam Saturno.

Assim que os asteróides estão criados na cena, podemos perceber como o processo de iluminação e composição para esse tipo de cena é simples e com apenas alguns ajustes na iluminação, podemos adicionar elementos esparsos no ambiente para somar na composição total.

Criando uma galáxia no Maya 2009

Na maioria das vezes o objetivo da modelagem 3d é criar um objeto com escala visível, mas de vez em quando podemos usar as capacidades artísticas dos softwares 3d para ampliar um pouco o objeto dos nossos projetos de modelagem. Como nesse caso em que um artista 3d usa o Maya para elaborar a imagem de uma galáxia, que é um objeto que podemos muito bem criar com sistemas de partículas em softwares 3d. Hoje, esse tipo de material envolvendo a representação de ambientes espaciais é muito solicitado por escolas e principalmente produtoras de documentários. Uma rápida consulta a programação das emissoras de TV vai mostrar que existe uma verdadeira enxurrada de programas e documentários sobre o espaço, em que na maioria das vezes é usado material gerado por softwares como Maya, Blender 3D e 3ds Max.

Como encontrei esse ótimo conjunto de tutoriais sobre o tema, achei que o mesmo será um bom exemplo e caso alguém precisasse elaborar um modelo parecido, a técnica adotada pelo artista seria uma ótima referência. Os sistemas de partículas variam muito entre os softwares, pois a maneira com que eles se comportam não é tão padronizada como no caso da modelagem 3d. Mesmo com essa pequena dificuldade técnica, com o estudo atendo do tutorial você pode adaptar as ferramentas do Maya, ligando os seus efeitos e modificações no sistema de partículas ao seu software preferido.

Os tutoriais estão divididos em três partes:

Para quem não conhece ou nunca teve a oportunidade de presenciar o sistema de partículas do Maya, vai perceber no tutorial que ele é bem flexível e permite que o artista tenha muita liberdade na criação dos objetos. Uma coisa que impressiona já no primeiro vídeo é a possibilidade de pintar as partículas na cena.

Depois que o sistema de partículas e criado na forma de uma cruz, o próximo passo e trabalhar com campos de força e efeitos que devem moldar a forma e aparência da galáxia. O sistema usado para criar o efeito de redemoinho é o conhecido vortex, que está presente na maioria dos softwares 3d que tem sistemas de partículas. As opções de configuração são diferentes, mas o campo de força está lá.

Se o seu interesse é na representação de ambientes espaciais, esses tutoriais são um bom ponto de partida. Todos eles estão disponíveis em alta resolução, o que facilita mais ainda o aprendizado.