Realidade aumentada com projeções 3d em maquetes para arquitetura

O objetivo da maioria dos projeto envolvendo a produção em 3d é fazer uma apresentação dos resultados para potencializar uma venda ou conseguir participar de projetos maiores. O caminho mais simples para realizar esse tipo de apresentação é o uso da famosa seqüência de slides feitos em softwares como o PowerPoint. Apesar de ser perfeitamente possível usar ferramentas como o PowerPoint para conseguir boas apresentações, se o objetivo do projeto for causar impacto ou uma boa impressão na audiência, existem técnicas mais aprimoradas para conseguir apresentações de impacto.

Quando o assunto é apresentar projetos voltados para arquitetura, ainda existem pessoas investindo na criação de maquetes físicas, que por mais “antiquadas” que possam parecer, ainda são bem aceitas no mercado. Algumas pessoas ainda apresentam dificuldades em visualizar imagens 2d e perceber a volumetria e o espaço tridimensional de uma edificação. Por isso, um bom conjunto de apresentação é formado por imagens 3d e maquetes.

Entre essas técnicas que podem realmente chamar a atenção para a apresentação de projetos arquitetônicos está o uso de ferramentas ou dispositivos de realidade aumentada. Essa é uma técnica que já havia sido comentada aqui no blog, mas com o uso de elementos como vídeo e composição de material 3d e vídeo real. Essa semana, descobri um pequeno guia que mostra como é possível trabalhar com realidade aumentada, projetando imagens 3d sobre maquetes reais.

realidade-aumentada-arquitetura-3d-maquetes.jpg

A técnica é bem simples e envolve o uso de dois projetores e um pouco de cuidado para alinhas as superfícies dos modelos 3d com a maquete usada para a apresentação. O processo começa com o posicionamento dos projetores, usando como referência modelos 3d simples com texturas, para conseguir posicionar a projeção de maneira a ter as superfícies necessárias para fazer animações ou projetar texto.

Basta ter um pouco de imaginação, para perceber que esse tipo de apresentação pode realmente transformar uma simples maquete em pequenos displays multimídia. Por exemplo, é possível projetar imagens para simular texturas ou mesmo pequenos trechos de texto, com explicações sobre o projeto e contornos coloridos que destaquem partes da apresentação.

As possibilidades para esse tipo de apresentação são muito interessantes e baratas também, pois a maior parte do trabalho pode ser feita apenas no software 3d. Basta ter a maquete e os projetores alinhados.

18 horas de vídeos completos sobre teoria da computação gráfica 3d

Sempre que uma pessoa me pergunta os passos necessários para estudar mais a fundo os conceitos de computação gráfica, repondo com a seguinte pergunta “você gosta de matemática?”. Sim, para a infelicidade da maioria das pessoas que não gosta muito de números, trabalhar com conceitos avançados de computação gráfica, principalmente na personalização das ferramentas envolve boa dose de matemática, principalmente na parte de modelagem 3d e manipulação de vértices. Se você já tem facilidade com números, a parte lógica da programação em Python, MAXScript, MEL ou até mesmo em C não deve ser muito complicada para você.

Caso você tenha interesse, principalmente as pessoas que estão fazendo faculdade e procuram assuntos para escrever monografias ou trabalhos de conclusão, com estudos mais aprofundados sobre computação gráfica teórica, encontrei uma série de vídeos que podem ser de grande ajuda. Um professor da Universidade de Utrecht na Holanda, chamado Wolfgang Hürst, gravou e disponibilizou uma série de aulas que ele fala sobre computação gráfica.

É a parte teórica mesmo! Não espere encontrar nos vídeos, tutoriais ou dicas sobre como é possível criar modelos 3d com ferramentas como extrude, mas sim a maneira com que o extrude funciona, assim como as fórmulas e algoritmos que regem essas ferramentas.

No total são 24 vídeos, com aproximadamente 50 minutos cada um, o que corresponde a exatamente o tempo de uma aula em ambientes universitários. Portanto, se você sempre teve curiosidade para saber como é que uma aula sobre computação gráfica era ministrada, em ambientes universitários era ministrada, essa é a sua chance.

O material está todo em língua inglesa, mas se o seu objetivo é estudar e você está fazendo uma faculdade, isso faz parte da pesquisa para preparar uma boa monografia ou artigo científico. Para acessar a coleção completa, visite esse link que leva a lista de vídeos.

Essa é uma pequena lista com os temas abordados nos vídeos:

  1. Introdução
  2. Conceitos básicos de Ray tracing
  3. Vetores e curvas
  4. Curvas, superfíces e sombreamento
  5. Matrizes
  6. Transformações lineares
  7. Projeção de perspectivas
  8. Exclusão de superfícies ocultas
  9. Rasterização de triângulos e sombreamento
  10. Ray Tracing
  11. Mapeamento de texturas
  12. Radiosidade
  13. Sombras
  14. Processamento completo de gráficos

Como você pode perceber, os assuntos abordados nos tutoriais são diversos e são uma excelente aula sobre o funcionamento dos softwares 3d. Essa é a base fundamental na qual todos eles funcionam!

Quer ter uma idéia de como é organizado o conteúdo? Esse é o vídeo com a primeira aula, sendo apenas uma introdução ao módulo completo de computação gráfica.


Computer Graphics 2008, Lect. 1(1) – Organization and introduction from Wolfgang Hürst on Vimeo.

O slide título é bem sugestivo, pois o professor Hürst usa o Big Buck Bunny como exemplo, para demonstrar alguns dos conceitos de computação gráfica.

Já assisti a maioria dos vídeos, e recomendo a todos com interesse em aprender mais sobre computação gráfica.

Animações para Web com o Papervision 3D e animações científicas com Blender 3D

Depois de um pouco de atraso, aqui estão mais duas excelentes palestras ministradas na conferência Blender 2008. Caso você não lembre, estou fazendo a descrição e comentando as palestras gravadas da conferência Blender 2008, realizada em Amsterdã no final do mês de Outubro. Todos os vídeos da conferência podem ser copiados em vários formatos nesse endereço.

A primeira palestra fala sobre a aplicação do Blender 3D para a internet, com o uso da engine Papervision 3d, que permite usar a tecnologia do Flash para criar gráficos vetoriais em 3d. Esse tipo de ferramenta é extremamente importante para os profissionais de web design, interessados em aplicar modelos 3d em web sites. Mas e as novas opções 3d do Flash CS4? Não credito que o Flash CS4 seja concorrência para o Papervision, pois são produtos com objetivos bem diferentes.

A palestra sobre o Papervision foi ministrada por Bruno Maldonesi, que trabalha com a produção de conteúdo para web sites. No início da apresentação ele comenta mais sobre o que é, e como funciona o Papervision, para depois mostrar alguns exemplos de objetos 3d funcionando diretamente no Firefox.

No final da palestra, temos a melhor parte para quem quiser aprender o processo completo de integração entre as duas ferramentas. O palestrante abre o Blender 3D e mostra os passos necessários, para elaborar uma cena ou modelo 3d, e exportar esse material para o Papervision 3D, com dicas e projetos comerciais criados com essa tecnologia.

Se você tem experiência com o Flash e principalmente com o ActionScript, vai gostar de usar o Blender 3d em conjunto com o Papervision para elaborar material interativo 3d para web sites.

Agora a segunda palestra, sobre o uso de Blender 3D para visualização científica e simulação de interações moleculares. O foco dessa palestra é mais acadêmica a não tem muita aplicação no mercado de visualização, a não ser que você trabalhe com esse tipo de simulação ou em algum laboratório. Mesmo assim é muito interessante assistir as demonstrações, e visualizar alguns dos scripts em Python elaborados pelos pesquisadores para simular, as interações entre células. A palestrante se chama Monica Zoppe.

Para as pessoas interessadas em elaborar algum tipo de trabalho científico, como monografias e artigos científicos, essa pode ser uma excelente referência.

Bem, dentre as duas palestras gostei mais da que fala sobre o Papervison pela parte prática. Estou terminando de reunir minhas anotações sobre as outras palestras e amanhã, publico mais comentários sobre as outras apresentações.