Curso gratuito básico de Blender 2.6 disponível

Entre os diversos cursos que ofereço no EAD – Allan Brito estão alguns cursos básicos que são completamente gratuitos para todos os usuários inscritos no site, inclusive um básico de Blender. Esse curso foi o primeiro a ser lançado no EAD – Allan Brito ainda em 2011 e precedeu em algumas semanas o curso de modelagem poligonal, que já está na sua segunda versão incorporando novidades como o B-Mesh. Como estava com a prática de atualizar os cursos periodicamente ao longo dos últimos meses, resolvi gravar novos vídeos para o curso básico, e hoje todos eles foram publicados no site! Agora você já pode acessar de maneira totalmente gratuita o curso sobre Blender 2.6 Básico, que foi produzido usando a versão 2.65a! Para assistir as aulas do curso, basta fazer um cadastro no site.

O mesmo procedimento adotado para os outros cursos que sofreram atualizações foi aplicado nesse curso, em que todos os participantes do curso antigo migraram de maneira automática para o novo curso. Se você já estava inscrito no curso sobre Blender 2.5, ao visitar o EAD – Allan Brito o novo curso estará listado no seu campo meus cursos. A lista de vídeos do novo curso sofreu pequenas modificações e atualizações, inclusive com a adição de material sobre o Blender Cycles que não estava disponível sequer como Beta, quando gravei os primeiros vídeos do curso antigo.

Esses são os vídeos e aulas que formam o curso:

  • Aula 01 – Interface
  • Interface (09:53)
  • Divisões em janelas (06:31)
  • Aula 02 – Navegando em 3D
    • Atalhos para navegação em 3D (10:52)
    • Sombreamento (02:26)
  • Aula 03 – Transformações em objetos 3d
    • Seleção de objetos (05:11)
    • Transformações – Mover – Rotacionar – Escalonar (05:42)
    • Manipulador 3D (02:10)
    • Coordenadas globais e locais (05:16)
  • Aula 04 – Criação de objetos e modos de trabalho
    • Cursor 3D (03:22)
    • Criação de objetos (03:23)
    • Modos de trabalho (03:18)
    • Polígonos em 3D (05:10)
  • Aula 05 – Materiais
    • Materiais (03:30)
    • Shaders (04:05)
    • Canais de materiais (02:27)
    • Transparência (02:48)
  • Aula 06 – Animação e câmeras
    • Animação e Keyframes (08:35)
    • Autokey (02:49)
    • Câmeras (04:00)
    • Múltiplas câmeras (02:19)
  • Aula 07 – Renderização
    • Renderizadores (06:37)
    • Renderizando imagens (04:31)
    • Renderizando animações (08:25)

    A atualização desse curso era um pedido antigo, e agora você já pode conferir os novos vídeos. E depois de assistir ao curso básico, você pode continuar seus estudos com o Blender em qualquer um dos outros cursos relacionados no EAD – Allan Brito:

    Ainda precisamos do Blender 2.49b?

    Já faz um bom tempo desde que o Blender fez a sua mudança drástica da versão 2.4x para o 2.5x e hoje estamos na série relacionada ao Blender 2.6. As mudanças desse período para cá foram significativas e trouxeram muitas melhorias para todos os usuários do software tanto do ponto de vista das ferramentas usadas como na interface. O Blender era muito conhecido entre usuários de softwares 3d naquela época pela sua interface espartana, que afastava muitos usuários pelo simples fato dela ter pouco apelo visual. Com o Blender 2.5 veio uma nova interface e um software reconstruído do zero para proporcionar melhorias e mais flexibilidade como a possibilidade de adicionar keyframes em praticamente qualquer parâmetro no software, apenas para citar uma das coisas que eram difíceis de fazer nas versões antigas.

    Mas, será que mesmo com todas essas melhorias ainda é preciso recorrer ao velho e bom Blender 2.49b? Um dos pontos negativos em relação a mudança, e eles sempre existem, é a perda de compatibilidade em algumas ferramentas e scripts. As versões mais antigas possuíam, por exemplo, opções estáveis para importar arquivos DXF para o Blender, e hoje temos Add-ons para isso que ajudam muito, mas por algum motivo ainda acredito que os scripts do 2.49b se comportam melhor com arquivos mais recentes.

    Esse é um recurso muito usado por artistas 3d na área de arquitetura, pois o uso de arquivos DXF permite trazer projetos do AutoCAD para o Blender, ajudando na modelagem de projetos. É apenas um exemplo isolado, mas acredito que o Blender 2.49b ainda é útil sim em situações como essa e outras. Basta analisarmos o caso do script Capiler que apenas algumas semanas atrás foi adaptado para o Blender 2.6.

    Se você nunca sentiu falta do Blender 2.49b, pode ficar tranquilo, pois dificilmente o download do software irá ajudar você em alguma tarefa. Mas, os usuários antigos que já se “pegaram” desejando que alguma opção do Blender antigo tivesse sido adaptada para as versões recentes, pode aproveitar essa versão adicional do software como apoio. Só lembrando que ao realizar alguma coisa nas versões antigas, é possível salvar o arquivo no formato .blend e depois abrir sem grandes problemas no Blender 2.6x.

    Todas as versões do Blender podem ser copiadas de maneira gratuita nesse endereço. É muito simples copiar as versões em zip que podem ser executadas até mesmo de drives usb. Lá está inclusive a primeira versão do Blender que usei profissionalmente que é a versão 2.35.

    Cursos sobre Blender

    Se você quiser aprender a usar o Blender, recomendo conferir os cursos existentes no EAD – Allan Brito que abordam diversos aspectos interessantes relacionados com o uso do Blender. Existe um curso gratuito básico de Blender que mostra os primeiros passos no software, e depois existem outros cursos que abordam os seguintes aspectos do Blender:

    Loop Tools é atualizado para funcionar com B-Mesh

    O Blender 2.63 foi lançado com um conjunto considerável de novidades para modelagem 3d, e o destaque dessa versão fica por conta do B-Mesh que revigorou o sistema de representação e polígonos do Blender, adicionando entre outras coisas o suporte aos chamados N-Gons. E junto com o suporte as faces com mais de quatro lados, podemos agora também utilizar recursos que antes estavam disponíveis apenas por meio de Addons, dentro da interface do Blender de maneira totalmente integrada. Por exemplo, o recurso chamado de Bridge que antes ficava disponível por intermédio do Addon Loop Tools está agora incorporado ao menu Specials (Tecla W).

    Esse Addon Loop Tools era um dos mais úteis para modelagem poligonal com Blender, pois adicionava recursos excelentes como o Bridge. Depois que o Blender 2.63 foi lançado, alguns Addons deixaram de funcionar e outros corriam o risco de serem abandonados pelos seus autores, pois o B-Mesh traria a possibilidade de substituir os Addons por ferramentas nativas do Blender.

    Se você achava que o Loop Tools corria esse risco de ser descontinuado, você estava enganado! O autor do Addon publicou na semana passada nos fóruns BlenderArtists.org um aviso sobre a atualização da ferramenta para a sua versão 4.0! E as novidades para essa atualização não são poucas. O vídeo abaixo mostra um resumo sobre os recursos dessa nova versão já sendo executados no Blender 2.6 com o B-Mesh.

    Entre os recursos que mais me agradaram, o Loft é um dos que considero mais úteis para modelagem poligonal, pois permite trabalhar com perfis para criar modelos 3d poligonais.

    Para fazer o download do Loop Tools e começar a usar a ferramenta no seu Blender, basta visitar esse endereço e copiar o Addon de maneira gratuita. Mas, antes que você vá correndo fazer o download, é preciso usar uma versão bem atualizada do Blender para que o Loop Tools funcione. Isso significa que o Blender 2.63a não é suficiente para que o Addon funcione.

    Versões do Blender

    O Blender 2.63a não é a versão mais recente do Blender? É sim, a versão estável mais recente. E além dessa versão o Blender continua sendo atualizado de maneira constante, e os seus ciclos de desenvolvimento são identificados pela sua revisão (Revision). Por exemplo, ao visitar o graphicall.org para fazer o download de uma versão do Blender, você vai perceber que existe um sufixo chamado rev junto com um número de cinco casas do tipo 38771.

    Depois que a versão estável é lançada, o Blender continua recebendo contribuições dos seus desenvolvedores ao redor do mundo, e você pode fazer o download de uma versão mais atualizada do Blender compilando uma versão diretamente do Blender, ou então fazendo o download de uma versão já compilada diretamente do graphicall.org.

    Em qual versão funciona o Loop Tools?

    Essa explicação sobre as revisões do Blender era necessária para que você possa usar o Addon Loop Tools. O script só funciona com versões do Blender superiores a 46803, o que significa: se você instalar a ferramenta no Blender 2.63a (rev 46461) o mesmo não vai funcionar!

    É muito trabalho? Concordo, mas os benefícios para a modelagem poligonal são inquestináveis.