Dica sobre Blender: Temas para interface

Um dos aspectos que particularmente uso pouco em relação ao Blender é o seu gerenciador de temas, que acaba sendo útil apenas quando a interface padrão do software acaba atrapalhando uma apresentação, ou as cores escuras da interface acabam dificultando a criação de documentos usando imagens capturadas dos menus em escala de cinza. Por isso, estou escrevendo esse artigo como uma dica rápida sobre o Blender em relação ao seu gerenciador de temas. Sim, você pode fazer alterações nas cores e maneira com as tonalidade dos objetos são representados no Blender.

Para ter acesso ao gerenciador de temas, é necessário acessar a janela de preferências do Blender e procurar pelo campo Themes como mostra a figura abaixo.

Blender-temas.png

Depois o processo fica muito simples, pois o seletor de temas já apresenta várias opções prontas para uso imediato.

Blender-temas-presets.png

Entre as opções do seletor de temas podemos escolher entre as seguintes opções:

elysiun.png

Tema Elysiun

hexagon.png

Tema Hexagon

ubuntu-ambience.png

Tema Ubuntu Ambience

blender24x.png

Tema Blender 24x

backtoblack.png

Tema Back to Black

Se você não ficar satisfeito com esses esquemas de cores, pode optar por editar manualmente cada cor dos elementos da interface do Blender, diretamente a esquerda do seletor de temas existem os respectivos nomes dos elementos para cada tipo de janela. O trabalho necessário para gerar o tema é bem considerável, principalmente se você quiser deixar tudo consistente em todas as janelas.

Ainda existem os temas que não acompanham as instalações padrão do Blender, que podem ser encontrados nesse endereço. Entre essas instalações padrão encontramos opções para deixar o Blender com os esquemas de cor do ZBrush, 3ds Max, Modo e vários outros softwares de renome entre artistas 3d.

Caso você decida adotar um desses esquemas de cores diferentes para trabalhar com o Blender, recomendo ter cautela, principalmente no que diz respeito as tonalidades escolhidas para maiores planos como o fundo da 3D View. As pessoas que trabalham com esse tipo de software o dia todo podem acabar tendo o seu trabalho ou saúde influenciadas pelas tonalidades escolhidas. O material que criamos com o Blender é baseado em criação visual, e tons muito fortes podem fazer com que você perca a percepção de contraste de algumas cores.

Por exemplo, ao usar tons amarelados para grandes partes da interface podemos começar a perceber que alguns tons amarelos provenientes de renderizações tem menos saturação do que deveria, quando na verdade é o nosso olho que já está acomodado para aquela saturação. Esse é um dos motivos pelos quais a maioria dos softwares 3d acaba tendo interfaces escuras, para ajudar na percepção de cores. É preciso ter cuidado para não ficar com uma interface parecida com uma alegoria de carnaval, use o recurso com parcimônia.

Blender 2.58 disponível para download

A Fundação Blender anunciou hoje a disponibilidade imediata para download do Blender 2.58, que é a segunda versão estável lançada dentro da série 2.5. Esse é mais um marco para os usuários do Blender que já estão agora bem mais acostumados com a nova interface e ferramentas, mas nunca se cansam em conferir as novidades de cada versão. O Blender 2.58 pode ser copiado de maneira gratuita como é de costume, usando esse endereço que leva até a página de downloads da Fundação Blender. Mas, o que podemos conferir de novidades nesse novo Blender? Assim como o mapa de desenvolvimento do Blender aponta, as versões posteriores ao 2.57 tem como foco a correção de bugs provenientes do desenvolvimento da versão 2.5. Portanto, o log de atualizações da versão 2.58, que é imenso, está repleto de correções e algumas poucas novidades.

blender-2.58.png

Entre as novidades listadas no log para o Blender 2.58 podemos destacar:

  • Warp Modifier: Esse modificador consegue deformar um objeto usando como referência dois pontos. Os dois pontos funcionam como se fosse o início e final da deformação, sendo que podemos controlar a intensidade da deformação usando curvas.
  • Render Baking: As ferramentas para fazer Render Baking estão muito mais poderosas e flexíveis, com a possibilidade de manipular modelos 3d com vários níveis de subdivisão.
  • Empty Images Display: Os Emptys do Blender agora podem ser representados por imagens, o que abre diversas possibilidades para criação de controles e ajustes de estruturas como Rigs. Os Emptys são objetos invisíveis usados como referência para controles e pontos pivô.
  • Sculpting: Melhorias no sistema de escultura do Blender permitem que modificadores que alterem a malha 3d agora fiquem visíveis na escultura.
  • Mesh Inset (Addon): O Add-on que adiciona a opção de Inset na modelagem 3d agora acompanha a instalação oficial do Blender 2.58!

Camera Locking: Podemos alterar a posição da câmera como se estivéssemos trabalhando com uma 3D View.

Essas são algumas das novidades do Blender 2.58 que se somam as inúmeras correções de bugs reportados pelos usuários, e para conhecer o resto das novidades, recomendo uma visita ao log completo que pode ser acessado aqui. Para quem estava esperando por alguma coisa relacionada com o Cycles, ainda não foi dessa vez!

Download gratuito de luminária LP Centrum

Na ultima semana ore usei criar um modelo 3d para um projeto de visualização para arquitetura, a pedido de um colega que precisava de algo específico. Nesse caso foi uma luminária chamada de LP Centrum que é design de um dinamarquês chamado Kurt Norregaard. Essa luminária é excelente para ambientes com pé direito alto (jargão técnico usa para definir a distancia entre o piso e o forro). O modelo dessa luminária foi adicionado em um hall de edifício comercial, que ajudou na ambientação geral. Para ajudar qualquer pessoa que esteja interessada em usar a mesma luminária nos seus projetos, pode fazer o download da luminária LP Centrum no formato do Blender 2.57 aqui.

Como foi a modelagem dessa luminária?

O processo usado para a criação da luminária foi simples e envolveu o uso de basicamente duas ferramentas do Blender, que foram as curvas e o Spin. Para ilustrar melhor o processo, gravei um video no formato time-lapse com a modelagem.

Modeling a LP Centrum in Blender from Allan Brito on Vimeo.

Você pode acompanhar que o primeiro passo para criar essa luminária foi encontrar uma imagem com alguma vista ortogonal do objeto, que ajuda muito a determinar as proporções e tamanho da luminária.

Com a imagem posicionada, pude adicionar as curvas e ajustar a sua forma de maneira visual na própria 3d view. Como a forma dessa luminária é basicamente composta por superfícies com curvas suaves, avaliei que o uso de curvas bézier seria a melhor maneira, e mais rápida, para criar a geometria. Quando todas as curvas estavam prontas, os objetos foram convertidos em Meshs.

A conversão era necessária para conseguir usar o Spin e gerar a forma principal da luminária. Apesar de não conter a narração no video, acredito que o resultado seja simples de reproduzir, caso você tente criar novamente o mesmo modelo.

No final ainda adicionei um empty no topo da luminária que é pai da estrutura em hierarquia, usando um Parent. Essa maneira de controlar a luminária é mais pratica, pois selecionando o Empty é possível deslocar a luminária de maneira mais pratica, principalmente já do visualizamos a cena já com o enquadramento da câmera. Portanto, aproveite para adicionar a LP Centrum em qualquer projeto usando o Blender 2.57.

Bridge e Loft para o Blender 2.5 ajudam na modelagem 3d

Essa semana publiquei um artigo que recomendava o script para o Blender 2.5 chamado de Loop Tools que tem como autor Bart Crouch. A ferramenta é de extrema utilidade para qualquer pessoa que dedique seu tempo de modelagem a edição de polígonos, e muitas pessoas que postam comentários sobre o Add-on em fóruns comentam que as opções dele deveriam ser incorporadas como ferramentas padrão do Blender. Depois de navegar um pouco pela lista de projetos que o Bart Crouch havia criado para o Blender 2.5 encontrei outro script que deve agradar a muitos usuários! Existe uma ferramenta desenvolvida por ele chamada de Bridge & Loft que salvará muitas pessoas em projetos de modelagem poligonal complexa.

Se você é usuário antigo do Blender, deve lembrar da opção Bridge/Edge Loops que existia na versão 2.49 mas que não apareceu ainda no Blender 2.5. Com essa ferramenta era possível selecionar dois objeto que estivessem em paralelo e depois conectar os mesmos usando o mesmo princípio do extrude. Por exemplo, ao selecionar duas faces teríamos um sólido composto que faria a ligação entre essas duas faces selecionadas. A seleção entre dois vértices ou arestas já pode ser conectada usando a tecla F, mas entre faces a tecla não funciona.

Com a primeira parte do script será possível adicionar esse tipo de ligação entre as faces dos objetos, permitindo que a modelagem de partes simétricas fique mais rápida e sem a necessidade de aplicar transformações de escala para fazer a ligação.

bridge.jpg

Já a segunda opção é chamada de Loft e usa o mesmo conceito da ferramenta de nome homônimo no 3ds max. Para usar o Loft é necessário adicionar uma série de formas definidas por polígonos, que podem ser conectadas usando uma superfície. Na verdade, tudo é realizado com base na criação de polígonos mesmo, mas o princípio é bem parecido com o usado na criação de superfícies NURBS.

loft.jpg

Ambas as ferramentas adicionam mais flexibilidade e novas alternativas para gerar modelos 3d baseados em polígonos. Para os que procuravam por maneiras de facilitar o processo de criação no Blender, recomendo muito copiar esses Add-ons junto com o Loop Tools para turbinar a sua gama de opções para moldar polígonos.