Drawscript: Ferramenta gratuita ajuda no desenho de vetores com scripts

A criação de gráficos vetoriais é algo fundamental em diversos segmentos da computação gráfica, seja para uma simples ilustração que deve representar as formas e cores dos anúncios do mercado publicitário, ou então os elementos que formam a interface de um jogo. É muito mais fácil desejar os gráficos vetoriais usando ferramentas como o Adobe Illustrator ou o Corel Draw que são excelentes para artistas, mas algumas situações exigem o uso de scripts para criação desse tipo de gráfico. Por exemplo, uma interface dinâmica que use linguagens como o HTML5 com JavaScript ou ActionScript, permitem criar vetores usando coordenadas.

Uma das maiores dificuldades desse tipo de sistema de desenho é que precisamos projetar a ilustração com as coordenadas, para depois tentar fazer com que os números coincidam e as formas vetoriais perfeitas sejam criadas. Para os usuários do Adobe Illustrator a coisa pode ter ficado um pouco mais fácil!

Um programador da equipe de desenvolvimento da Adobe chamado Tom Krcha criou um script para o Adobe Illustrator chamado de Drawscript, que pode ser copiado de maneira gratuita nesse endereço. O script tem como função converter ilustrações criadas usando vetores normais no Illustrator em sistemas de coordenadas cartesianas, que facilitam muito o desenho das mesmas formas usando código.

Illustrator-Drawscript-download

O script funciona como uma extensão do Adobe Illustrator CS6 e como ainda não tenho essa versão do Illustrator (estou no CS5 ainda), infelizmente não tenho como testar a ferramenta, mas já posso dizer que o simples fato de não precisar mais ficar projetando no papel as possíveis coordenadas necessárias para desenhar usando código, já vale o esforço de fazer o download do arquivo e deixar ele separado, para o dia em que for necessário criar um jogo ou interface que demande vetores dinâmicos. Claro que, sem o Illustrator CS6 o script será inútil.

Nas minhas aulas sobre produção multimídia com Flash e ActionScript sempre tentava projetar as ilustrações dinâmicas no papel, ou usando algumas fórmulas para determinar a posição dos pontos dos objetos. Se o Illustrator CS6 estiver disponível, os meus alunos devem agradecer, mas o método antigo ainda será útil para as situações em que o script parar de funcionar, ou não tivermos a disposição o Illustrator.

Usando o Fillet no Revit para arquitetura

A transição para novas tecnologias é sempre um desafio para a maioria dos usuários que precisam trocar de software, devido a adaptações do mercado de trabalho ou mesmo para atender demandas específicas de projetos. Isso é bem comum entre os usuários que estão acostumados a trabalhar com o AutoCAD, e precisam passar a usar softwares com tecnologias do tipo BIM como é o caso do Revit. Para facilitar o processo e não dizer que esse tipo de migração é totalmente traumática, muitos dos comandos de desenho do AutoCAD estão disponíveis no Revit como é o caso de Trim, Extend e vários outros.

Mas, alguns desses comandos do AutoCAD, apesar de estarem disponíveis no Revit, acabam ficando um pouco escondidos dentro dos painéis e opções do software. Esse é o caso do Fillet.

Como usar o Fillet no Autodesk Revit para arquitetura?

Dentro das opções de desenho do Revit o Fillet está agrupado junto com as ferramentas para criar linhas, o que pode deixar o seu acesso e localização um pouco difíceis para usuários sem experiência com o Revit. O vídeo abaixo mostra bem como usar o Fillet do Revit para finalizar paredes dentro de projetos para arquitetura.

Qual a função do Fillet no Revit?

O Fillet do Revit funciona da mesma forma que no AutoCAD, e a sua função é fazer o arremate entre duas linhas e conectar as mesmas usando um arco. Só que no Revit isso é feito com o apoio da tecnologia BIM, e portanto o fechamento e finalização da parede é feito já com as linhas paralelas e sem a necessidade de aparar arestas ou sobras das linhas, como é comum de acontecer no AutoCAD.

Para quem não conhece a tecnologia BIM, recomendo a leitura desse artigo que foi publicado aqui no blog já faz algum tempo, em que explico as vantagens de usar esse tipo de tecnologia para criar projetos para arquitetura. A tecnologia é o mais atual em termos de controle e criação inteligente de projetos, permitindo automatizar diversos estágios do desenho e planejamento.

Além do Revit existem outros softwares voltados para o mercado de arquitetura que usam a tecnologia como é o caso do ArchiCAD e do VectorWorks.

etch-a-ton: Nova ferramenta do Blender 3D, permite desenhar os ossos em 3D

O Blender 2.48 sequer fez duas semanas e mais ferramentas começam a aparecer, demonstrando que as idéias e os esforços da comunidade de usuários e desenvolvedores nunca para. Uma das ferramentas mais interessantes da versão 2.48 é o Grease Pencil, que permite a qualquer artista 3d desenhar e rabiscar sobre uma cena ou personagem, com o intuito de criar anotações ou comentários sobre qualquer elemento relevante na cena. Quem trabalha em equipe, criando animações ou cenas em 3d pode se beneficiar e muito desse tipo de ferramenta encontrada no 3ds Max também, mediante o uso de um script em MAXScript.

Outra opção do Blender envolvendo desenho na interface está em desenvolvimento e se chama etch-a-ton, sendo que o seu objeto é desenhar ossos para animação.

Para quem não tem familiaridade com animação de personagens, esses ossos são objetos que inserimos no interior dos modelos 3d, para que os mesmos possam ser deformados. O processo de configuração de personagens é uma das atividades mais trabalhosas e entediantes do processo, em que o artista precisa manipular vários desses ossos, para criar uma estrutura de controle e movimento para os personagens.

Com esse projeto chamado etch-a-ton, o processo ficará muito mais simples. O responsável pelo desenvolvimento é um usuário chamado Theeth. Ele publicou uma série de vídeos demonstrativos da ferramenta em ação nesse endereço, em que ele mesmo usa o Blender 3D com o etch-a-ton para configurar um polvo cheio de tentáculos. Esse seria um trabalho tedioso e que demandaria muito tempo de um animador, mas depois de assistir aos vídeos, fica fácil perceber os benefícios da ferramenta.

Um ponto muito legal da ferramenta é a possibilidade de editar as linhas que delimitam os ossos, podendo excluir e adicionar novos segmentos.

Outro vídeo, mostra as possibilidades para elaborar esboços, em uma estrutura muito semelhante ao que faz o SketchUp, mas ainda sem a criação de geometria. Essa é uma evolução muito bem-vinda do processo de modelagem, que pode revolucionar a maneira com que criamos modelos 3d no Blender 3D.

Claro que o objetivo não é substituir o trabalho de um animador e os ajustes necessários, para configurar movimentos e nuances em particular de um modelo 3d complexo, mas para objetos e movimentos mais simples a ferramenta é perfeita.

Se o etch-a-ton ficar pronto no médio prazo e somarmos as ferramentas ainda em desenvolvimento, como a integração com o Freestyle e o Lightcuts, tudo indica que poderemos ter um Blender 2.49, antes das mudanças propostas para o Blender 2.50.

Para assistir os vídeos, recomendo o uso do VLC Player.