Tutorial 3dsmax: Fazendo o skinning de um braço para animação

O chamado rigging é a técnica que usamos para fazer a configuração dos objetos que devem deformar os modelos 3d dentro de qualquer software. A manipulação e configuração desse Rigging é demasiadamente complexo, mas é apenas o primeiro estágio de um processo bem mais complexo e trabalhoso que é a configuração de personagens para animação. Depois que o processo de Rigging está completo, precisamos fazer a ligação da estrutura de ossos ao modelo 3d que é conhecido como Skinning. Esse processo também apresenta similaridades em vários softwares, sendo comum encontrar opções que fazem a pintura da influência diretamente nos modelos.

Esse processo tem fundamental importância devido a necessidade de determinar até que ponto o movimento de um osso deve deformar a malha 3d, para que possamos criar partes dos modelos 3d que deformam muito e outras em pouca proporção. Por exemplo, áreas que são suscetíveis a grandes deformações como cotovelos e joelhos devem receber atenção especial para evitar que os vértices se sobreponham no momento em que a animação acontece.

Para os usuários do 3dsmax que nunca usaram esse tipo de recurso, a Autodesk publicou no seu canal do Youtube dois vídeos explicativos sobre o funcionando do processo de Skinning do 3dsmax com o modificador Skin:

Os vídeos apresentam o processo de configuração de um braço humanoide para animação, e podem servir como exemplo para animadores e artistas trabalharem em outras partes dos objetos 3d além dos braços, pois a técnica é exatamente a mesma para todas as partes dos personagens.

Esse é o modificador que faz o processo de ligação entre os ossos e a malha virtual. Para fazer esses tipo de ajuste precisamos selecionar o osso que terá a influência ajustada na lista do modificador e adicionar ou remover o peso que o mesmo exerce sobre cada vértice do objeto. Nesse ponto a topologia do modelo 3d tem papel fundamental no desenvolvimento de personagens, pois pode facilitar ou transformar o processo de Skinning em um verdadeiro pesadelo para o animador, demandando inclusive a retopologia de várias partes do objeto para enquadrar melhor a animação.

Para os que ainda não se aventuraram na área de animação de personagens, essa pode ser a oportunidade que estava faltando.

Tutorial 3dsmax e VRayPattern: Criando uma floresta

O VRayPattern é uma ferramenta muito nova e que foi lançada para o público em geral faz apenas alguns dias, mas que despertou grande interesse por parte dos usuários do 3dsmax. A possibilidade de aproveitar cópias de objetos e gerar modelos 3d sem a preocupação com o carregamento do aplicativo é muito tentadora. Os artistas que já precisaram trabalhar com a representação de paisagens como florestas ou simplesmente áreas com grande densidade de povoação, devem ter percebido que a abordagem simples, baseada na representação das árvores como polígonos não dá muito resultado prático.

O problema é que esse tipo de modelo demanda muito processamento, apenas para manipular os objetos, e acaba prejudicando o resultado final. Com um pouco de experiência encontramos soluções criativas, como representar as árvores apenas com um plano, e recorrer para o uso de texturas.

A proposta do VRayPattern é exatamente eliminar esse tipo de problema, adicionando as cópias dos objetos penas quando necessário, e sem prejudicar o carregamento da cena. Se você quiser acompanhar um exemplo do VRayPattern em ação, criando a cena de uma floresta, encontrei um tutorial em vídeo de quase uma hora em que um artista aproveita o software dentro do 3dsmax 2009 para gerar esse tipo de cenário.

VRayPattern – Populating from VrayART on Vimeo.

O próprio autor do tutorial afirma no início no seu texto de apresentação, que ainda está se habituando ao funcionamento do VRayPattern, mas que já conseguiu alguns resultados interessantes.

No vídeo, podemos acompanhar a configuração da cena que faz uso de uma árvore inserida no projeto como um XREF. O autor adiciona diversos planos ao cenário que funcionam como referências para o posicionamento das árvores do VRayPattern. Durante o vídeo, as árvores são associadas aos planos para que durante o render as mesmas fiquem nos locais dos planos.

Mas, as árvores não são os únicos elementos adicionados ao projeto para simular a floresta, e para complementar o cenário o autor ainda faz uso de rochas em variados tamanhos, que também usam o VRayPattern e também grama. O resultado final não é perfeito, mas ainda assim apresenta uma leveza na manipulação e edição que impressiona.

Se você tiver interesse em aprender o funcionamento dessa nova ferramenta baseada no V-Ray, recomendo muito assistir ao vídeo. O material não tem áudio, apenas textos intermediários que explicam os procedimentos.

Plugin do 3dsmax para controlar e animar multidões

A pesquisa cientifica tem papel fundamental no desenvolvimento computação gráfica, permitindo que ferramentas aparecem do acadêmico direto para os nossos computadores, como é o caso de muitos scripts e Add-ons do próprio Blender. Mas, isso não é privilegio apenas do Blender, pois outras ferramentas também recebem excelentes contribuições de pesquisadores. Esse é o caso do estudante de Doutorado Geoff Samuel da universidade de Portsmouth, que está trabalhando numa ferramenta chamada Agent para o 3dsmax. Esse script tem função de simular e controlar multidões em animação. O uso de animações com multidões é tema comum em vários projetos de animação, devido a facilidade e recursos de hardware disponíveis hoje, até para produção caseira.

Nessa área existem ferramentas altamente especializadas,complexas e caras. Por enquanto, ainda não existem informações sobre a disponibilidade e também o preço do plugin, e até mesmo se a ferramenta será lançada de maneira gratuita. O que temos até agora é um vídeo que mostra o processo de configuração do The Agent para 3dsmax, sem detalhar o funcionamento da simulação.

Agent – Generating the masses from Geoff Samuel on Vimeo.

No vídeo o autor mostra um pouco do funcionamento e procedimentos necessários para usar o “The Agent” dentro de uma cena qualquer no 3dsmax, aproveitando personagens previamente criados. Nesse caso ele escolheu um modelo 3d composto para distribuir sobre uma superfície com o plugin. Por enquanto, ainda não temos como visualizar a ferramenta literalmente animado os objetos, pois a ferramenta ainda está em desenvolvimento.

O chamado Agent Node é o local que irá reunir todas as cópias criadas pela ferramenta, limitando a visualização e animação de maneira semelhante ao que os Domains fazem em simulações de fluidos e gases. Essa é a única parte funcionando para a ferramenta.

O fato de ser um plugin destinado a realizar algo demasiadamente complexo como animações de multidões, e ser criado por apenas uma pessoa, chamou a atenção da comunidade de usuários do 3dsmax.

Uma das ferramentas mais famosas nessa área é o Massive que foi desenvolvido pela Weta para ajudar nas filmagens da saga Senhor dos Anéis. Hoje ele é vendido como uma plataforma independente para animação de multidões, que custa quase dezoito mil dólares a licença.

Acho que novas opções devem ser bem recebidas pela comunidade de usuários do 3dsmax.

Script gratuito do 3dsmax ghostTown cria paisagens urbanas

A criação de grandes paisagens urbanas tem diversos propósitos tanto na área de animação 3d e também na visualização de projetos. Algumas vezes é necessário criar um cenário, apenas para posicionar um projeto e mostrar o mesmo dentro de paisagem urbana para contextualizar a criação, ou então o problema é gerar esse tipo de paisagem para usar como plano de fundo em animações 3d. Já participei de projetos que propunham a animação de aeronaves passando sobre cidades, em que a modelagem do cenário foi mais demorada que a criação das próprias aeronaves. Existem vários scripts e ferramentas que se propõe a ajudar nesse tipo de tarefa e no final de 2010, mais uma dessa ferramentas foi disponibilizada para os usuários do 3dsmax chamada de ghostTown.

O funcionamento do script é bem simples, mas apesar da simplicidade do funcionamento, podemos gerar resultados demasiadamente complexos e de excelente qualidade visual. A imagem abaixo demonstra o tipo de paisagem que podemos gerar usando o script.

3dsmax-ghosttown-maxscript.jpg

Como ele funciona? Depois de instalar o ghostTown, podemos gerar as paisagens com o uso de uma pequena janela de configuração disponível dentro do 3dsmax. O vídeo abaixo mostra o processo de configuração de uma paisagem com o ghostTown e permite acompanhar em detalhes os passos necessários para gerar o modelo 3d.

ghostTown 0.21 Lite from kila D on Vimeo.

O painel é composto por três botões principais que são o setup, build e rebuild. Com o primeiro botão é possível controlar o formato e divisões dentro das quadras que podem ser criadas com a ferramenta. Assim que esses limites estão escolhidos e com texturas determinadas, basta pressionar o botão build que o script gera a paisagem completa já adicionando texturas para simular as fachadas das edificações. O último botão serve para atualizar o conjunto de edificações já existente com outros tipos de texturas e configurações.

Ainda podemos escolher entre edificações com baixa quantidade de polígonos ou então alta, e ainda existe uma opção para identificar o layout das ruas que separam os blocos.

O padrão de edificação usado não é o brasileiro, mas ainda assim é muito interessante aproveitar a ferramenta para conseguir gerar paisagens.

Só funciona no 3dsmax 2011. Já mencionei que ele é gratuito?

Atualização: Para fazer o download é necessário se registrar no fórum do desenvolver.

Lançado o VRayPattern para gerar modelos com tiling

Uma das principais técnicas para gerar grandes superfícies 3d é com o uso do chamado tiling em que blocos especialmente preparados são distribuindo, usando linhas e colunas para copiar várias vezes esse objeto ou textura para gerar grandes superfícies. Antes do advento de técnicas como o mapeamento UV e pintura de texturas, esse era o procedimento principal para criar esse tipo de área. Quando o assunto é modelagem 3d, o uso de tiling está associado a ferramentas como o Array para distribuir blocos e gerar objetos mais complexos. Mas, será que poderíamos melhorar essa técnica?

Já faz algumas semanas que comentei aqui no blog sobre o VRayPattern, um tipo de plugin para o 3dsmax e o VRay para gerar modelos 3d com base em técnicas avançadas de tiling. Como funciona esse plugin? Como ele pode ajudar na modelagem 3d? Imagine a possibilidade de criar pequenos blocos como paredes, janelas e outros detalhes e distribuir esses elementos de maneira a conseguir criar uma edificação completa usando apenas tiling. Essa é a promessa do VRayPattern, e tudo com uma demanda bem pequena na memória e processamento do computador.

A imagem abaixo é um excelente exemplo do que o VRayPattern consegue fazer em termos de modelagem, pois usando os pequenos blocos demonstrados na imagem é possível gerar o modelo 3d que está no fundo.

Nesse caso o processo de modelagem 3d fica muito mais rápido e dinâmico, pois assim é necessário gerar apenas os moldes necessários para reprodução. Ainda não existem vídeos de demonstração sobre a ferramenta, mas no link disponível no início desse artigo é possível fazer o download do manual completo do VRayPattern em PDF que apresenta todo o procedimento para configurar o software. Por enquanto, apenas os usuários do 3dsmax podem aproveitar o plugin. A criação de superfícies baseadas em repetição e com superfícies curvas é um dos destaques da ferramenta.

Apesar de não ser gratuito, para alguns projetos de modelagem ou processos que permitam o uso de tiling, essa pode ser a diferença entre a conclusão de um modelo no prazo determinado, ou então fazer sobrar tempo para conseguir adicionar detalhes extras ou caprichar na renderização.