Tutorial After Effects: Removendo objetos do vídeo

Os dispositivos de captura de vídeo são muito comuns hoje em dia e com praticamente qualquer câmera moderna é possível gravar material em HD (720p). Essa grande quantidade de vídeo demanda edição, para os casos de autores mais exigentes, e em alguns casos é preciso partir para ajustes mais elaborados em softwares como o After Effects. Até pouco tempo atrás alguns tipos de ajuste como estabilização de câmera estavam restritos a ferramentas dedicadas e caras, mas hoje já temos acesso a uma gama incrível de opções para editar e produzir vídeos de qualidade profissional em pequenas produtoras.

Removendo objetos de vídeos com o After Effects

Um dos tipos de tarefa mais comuns em termos de vídeo é a remoção de elementos indesejados do vídeo, que é um dos tipos de edição mais realizados em fotografias no Photoshop. Mas, e como funciona em vídeo? Se você quiser aprender uma técnica simples e prática no After Effects o tutorial abaixo deve ser de grande ajuda. No vídeo, a autora do material ensina a usar o recurso de máscaras do After Effects e o Tracking de movimento, para fazer com que a remoção e ajustes em poucos frames sejam distribuídos pelo trecho completo do vídeo.

A técnica é relativamente simples de implementar e no caso do vídeo serve de ajuda para remoção de uma luminária que acabou sendo gravada por acidente, e apareceu depois que o fundo em Chroma Key foi removido do vídeo. Esse seria um trabalho digno da rotoscopia que é um dos tipos de tarefa mais exaustiva da edição de vídeo, pois seria necessário trabalhar em todos os frames do vídeo!

O segredo para remover esse objeto é a criação de uma máscara no After Effects que deve ser configurada de maneira a não só remover a área indesejada no vídeo, mas também seguir os movimentos do ator do vídeo, e usando o tracking do After Effects isso fica muito fácil de executar. No final temos um efeito semelhante ao que teríamos no Photoshop em fotografias com a remoção e um objeto do vídeo.

Para quem está aprendendo a trabalhar com montagem e edição de vídeo, a técnica pode vir a ser bastante útil na pós-produção. É só imaginar a economia gerada ao editar esse tipo de “erro” no software ao invés de voltar ao estúdio para gravar tudo novamente.

Tutorial Adobe After Effects: Criando uma animação simples na timeline

O Adobe After Effetcs é um dos softwares mais usados para criar peças gráficas para TV e cinema, mesclando imagens e som de maneira a criar animações sofisticadas. Mas, apesar de toda a complexidade da sua timeline e recursos disponíveis para criar movimento, é preciso saber o básico para trabalhar com o After Effects, e nesse ponto precisamos compreender o processo de animação por interpolação para depois evolir para composições mais complexas.

É exatamente com os usuários do After Effects em mente que produzi um pequeno tutorial que tem como objetivo mostrar como trabalhar com interpolação no software, e que será o primeiro de uma série sobre o After Effects.

Como criar animação com o Adobe After Effects?

O processo de animação por interpolação é relativamente simples de ativar, bastando para isso expandir os campos relativos as transformações na timeline do After Effects. O vídeo abaixo mostra como criar uma animação simples no After Effects:

A timeline do After Effects é uma das mais complexas que conheço devido a grande quantidade de informações que ela acaba exibindo, dependendo do tamanho e escala das composições. Mas, é com ela que precisamos trabalhar para criar animação. Cada objeto na composição possui uma trilha na Timeline que agrupa todas as propriedades dos elementos como as transaformações. É exatamente isso que usamos para criar a animação desse tutorial. Ao expandir as propriedades da timeline para o objeto selecionado, podemos acessar as trnaformações de posicionamento.

Nessa área existem pequenos ícones a esquerda de cada propriedade, representando um relógio, que na verdade é um cronometro. Ao pressionar esse ícone poderemos adicionar keyframes na trilha correspondente na timeline.

Isso é praticamente tudo que precisamos fazer para habilitar a animação. Os próximos passos agora envolvem o posicionamento do cursor de animação, ou playback head no ponto desejado da timeline.

Ao mover o objeto na composição um novo keyframe será adicionado de maneira automática! Se esse mesmo processo for repetido várias vezes, o resultado será uma animação.

Apesar de mostrar o resultado apenas com movimento no tutorial, o mesmo procedimento pode ser aplicado em qualquer propriedade para gerar animação com o After Effects. Como a timeline do software manteve a mesma consistência entre as versões do After Effects, você pode aplicar o mesmo princípio em versões anteriores do software como a CS3 ou CS4.

Tutorial After Effects e 3ds Max 2010: Retirando partes de um vídeo para efeitos especiais

O trabalho com vídeo digital e efeitos usando softwares como o After Effects, envolve a criação de truques para conseguir localizar pontos específicos no vídeo. Por exemplo, para conseguir mapear a superfície de um objeto ou personagem, podemos adicionar nessas superfícies pequenas marcações, que servem para auxiliar no processo de motion tracking. Esse processo é fundamental para copiar o movimento das superfícies e substituir alguma coisa no vídeo, seja um personagem ou partes dele por material gerado em computador ou mesmo outros vídeos. Mas, e quando é necessário apenas remover esses pontos do vídeo?

Se você quer aprender alguns truques usando o After Effects, o tutorial indicado nesse artigo é um excelente recurso de aprendizado, para realizar efeitos em vídeos. O objetivo é bem simples, e consiste na remoção de pequenos pontos marcados sobre a pele de uma pessoa, que foi filmada com o objetivo de adicionar motion tracking nessas regiões. Mas, depois de gravar o material editor resolveu aproveitar o material sem as marcações.

O vídeo é curto, mas é muito bem explicado e mesmo para os que não entendem a narração em inglês, basta seguir os passos apresentados no vídeo.

Track Dot Removal Tutorial from Mathew Kelly on Vimeo.

O procedimento usado para apagar elementos no vídeo é bem familiar aos usuários já acostumados com truques semelhantes no photoshop, ou outras ferramentas de edição de fotografias.  Nesse caso, o artista cria uma cópia do vídeo editado e adiciona uma espécie de máscara ao material, em que logo depois um filtro do After Effects faz com que o material fique fora de foco e se sobrepondo as marcações.

Para que essa técnica funcione é necessário usar o Motion Tracking, que movimenta de maneira sincronizada os objetos que cobrem as marcações no vídeo. Apenas esse conjunto de opções não é suficiente para conseguir um efeito convincente de substituição das marcações, sendo necessário adicionar mais filtros do After Effects para combinar os efeitos no vídeo da marcação.

Mas, e o 3ds Max 2010? Exatamente no meio do vídeo o autor apresenta outra técnica para remover essas marcações, envolvendo o uso de objetos 3d que cobrem as marcas. Esses objetos são criados no 3ds Max 2010, usando informações fornecidas pelo processo de motion tracking. Em minha opinião é melhor tentar realizar o processo todo no After Effects, mas naquele caso o objeto tinha uma rotação 3d complexa e que precisava do auxílio de algum software como o 3ds Max.

Mesmo assim, vale pelo aprendizado em integrar as duas ferramentas.

Download gratuito para Adobe After Effects CS4: Plugin Normalizer

Os recursos de manipulação de objetos 3d no After Effects ajudam muito na criação de vinhetas e animações que mesclem elementos 2d e 3d. Mas, as opções de criação com objetos 3d não apresentam recursos e ferramentas para controlar aspectos relacionados com renderização ou iluminação. O que existe é muito limitado, mas com o uso de um plugin gratuito chamdo Normalizer, podemos adicionar diversas opções de renderização e iluminação que estavam presentes apenas em softwares 3d como o Blender 3d, 3ds Max ou Maya. A melhor parte é que o plugin pode inclusive ser usado em projetos comerciais de maneira totalmente gratuita. O autor do plugin só exige que o seu nome seja citado nos créditos do projeto criado no After Effects.

Para fazer o download do plugin gratuito para o After Effects, visite esse link.

Como esse plugin funciona? A ferramenta funciona com base na manipulação de mapas normais, que são usados em softwares 3d para atribuir relevos na renderização de modelos 3d. Esse mesmo mapa é importado para a composição do After Effects de maneira que é possível adicionar pontos de luz e fazer diversos ajustes na interação do modelo 3d com a composição.

Quer ter uma boa idéia de como funciona cada um dos aspectos do plugin? Os dois vídeos abaixo são uma demonstração do plugin sendo usado para alterar a iluminação de uma estátua. Repare que os efeitos e alterações realizados pelo autor do tutorial são muito semelhantes ao que é trabalhado na maioria dos softwares 3D.

Entre os diversos recursos presentes no plugin que podemos conferir nos vídeos estão:

  • Suporte a configuração de materiais nos objetos com ajustes independentes para reflexões difusa e especular;
  • Opção para controlar aspectos da iluminação com intensidade, cor e também o efeito no sombreamento dos objetos;
  • Possibilidade de usar mapas HDRI para adicionar reflexões realistas e iluminação baseada em imagens nos objetos 3d;
  • Permite editar e modificar a transparência do objeto e alterar o Z-Buffer;
  • Ferramentas para trabalhar com materiais do tipo Toon, para criar imagens e representações estilizadas dos objetos de maneira semelhante a células de animação.

Como você pode perceber o plugin potencializa ainda mais as opções de renderização 3d do After Effects é pode ajudar muito na criação de animações avançadas, mesclando elementos 2d e 3d nas composições produzidas com o software.

Tutorial After Effects: Transformando uma imagem 2D em 3D

Os softwares chamados de 2.5D como o After Effects estão em um limiar bem próximo de um sistema 3d, mas que apresenta algumas pequenas restrições. Mesmo com essas restrições ele é mais flexível que softwares 2D, que fez com que a própria Adobe o classificasse como sendo 2.5D. Assim como acontece com outros softwares de composição, um dos diferenciais do After Effects para trabalhar com composição de imagens para vídeo é a existência de um elemento câmera na sua gama de composição. Como a câmera pode sofrer transformações de maneira semelhante ao que fazemos em softwares 3D, os vídeos e projetos no After Effects assumem níveis de complexidade bem interessantes.

Entre as capacidades do After Effects está a de transformar uma imagem estática em um ambiente pseudo 3d, com o uso de técnicas de composição e separação de elementos em camadas. Se aliarmos a isso o efeito paralaxe, o resultado final é a simulação de uma paisagem 3d derivada de uma foto ou ilustração. Veja o exemplo exibido no tutorial abaixo, em que um artista usa uma ilustração 2d de uma cidade para criar uma animação 3d com efeitos e partículas. Como a imagem mostra uma cidade em destruição, o autor do tutorial usa as ferramentas do After Effects para atribuir vários efeitos atmosféricos no cenário.

Tutorial: 2D image to 3D scene from Evan Schaible on Vimeo.

O segredo para conseguir fazer esse tipo de composição no After Effects é usar as ferramentas que o software compartilha com o Photoshop. Nesse caso seria até possível usar o próprio Photoshop para fazer a separação da imagem em várias camadas. No caso do After Effects é possível fazer as marcações usando a Pen tool para criar diferentes camadas na composição. Em termos de complexidade a seleção dos contornos preza mais pela precisão e habilidade na marcação dos objetos, pois é um trabalho de repetição.

Com as camadas separadas fica relativamente fácil adicionar sistemas de partículas saindo dos prédios, assim como pequenas explosões permeando o cenário. Essa é a parte mais trabalhosa do projeto, em que é necessário localizar e ajustar vários pontos ao longo do cenário.

No final do processo temos uma animação bem interessante e que simula muito bem um ambiente 3d, com base em uma ilustração 2d. Esse tipo de recurso é muito interessante para pessoas envolvidas com produção de material para vídeo, pois evita que o cenário precise ser modelado e animado em softwares 3d para esse tipo de tarefa.