Tutorial After Effects CS4: Simulando ambientes 3D

A criação de ambientes em 3d pode ser um grande desafio para a maioria dos artistas e usuários que trabalham com softwares puramente 2d como Photoshop, Ilustrator, Premiere ou Corel Draw. É perfeitamente possível trabalhar com simulações usando truques de perspectiva, para reproduzir os ambientes e deformações características desse tipo de imagem. Com um pouco de criatividade e pequenos truques é possível criar 3d usando qualquer software. Mas, ainda existem opções de softwares intermediárias chamados de 2.5D como o After Effects que apresenta elementos para manipulação em 3d, mesmo não apresentando opções de modelagem e criação semelhantes ao 3ds max ou Blender.

O que faz o After Effects ser chamado de 2.5D é ao mesmo tempo a ausência de opções de modelagem, mas manipulação de cenários e câmeras em 3D.

No vídeo abaixo mostra um exemplo de como podemos usar os recursos existentes no After Effects para criar uma sala em 3d, mesclando animação e textos para vídeo design. Claro que o efeito é muito simplificado em relação ao que encontramos em softwares 3d nativos, mas a técnica pode ajudar significativamente os video designers e produtores de multimídia.

O segredo de tudo está na manipulação da timeline do After Effects, que apresenta uma gama enorme de opções de edição. Nesse caso a timeline passa de grande vilã do After para aliada. Entre essas opções disponíveis na timeline está a transformação de qualquer canal em 3d. Isso é feito com o uso do pequeno ícone parecido com um cubo em 3d, disponível para todos os canais do After Effects. Assim que o canal é convertido em 3d, podemos usar coordenadas em x, y e z para rotacionar e posicionar os elementos gráficos existentes na composição.

O autor do tutorial aproveita essa característica para criar diversos planos e com deformações simples e transformações, posiciona os mesmos cuidadosamente de maneira a simular um ambiente em 3d.

Depois que os planos estão posicionados, é possível trabalhar com ajustes na iluminação e até mesmo movimentos de câmera para passar a idéia de ambiente em 3d. Mesmo sem usar texturas ou técnicas avançadas de iluminação, o resultado do tutorial pode servir para criar vinhetas e montagens simulando de maneira leve e rápida o comportamento de vídeos em 3d.

A animação com texto no final atribui o aspecto final do efeito 3d simulado pelo tutorial. Nas minhas aulas sobre After Effects a simulação de ambientes em 3d, especialmente quando usávamos sistemas de partículas geravam resultados visualmente muito interessantes. Se você nunca tentou fazer esse tipo de animação com o After Effects, esse vídeo pode ser um excelente pode de partida.

Tutorial After Effects CS4: Criando uma animação submarina

Os artistas 3d que gostariam de expandir os seus conhecimentos para trabalhar com softwares de composição digital, voltado para produção de material para TV e Cinema, deveriam considerar o estudo de ferramentas como o After Effects. Em termos de edição e composição de animações para produções em DVD, o After Effects é o mais usado aqui no Brasil, pelo menos nas produtoras e estúdios que conheço, a grande maioria usa o software. A facilidade em integrar material produzido no Photoshop e Illustrator é um grande atrativo para a adoção dessa ferramenta.

Se você quiser aprender a criar um efeito bem interessante no After Effects, que resulta na representação de um ambiente submarino próprio para uso em comerciais e material publicitário, o tutorial abaixo mostra de maneira detalhada os procedimentos para criar a cena. O autor do vídeo indicado nesse artigo está seguindo um tutorial publicado no excelente AETuts, em que o procedimento realizado no vídeo é descrito em texto.

O tutorial está disponível em HD e tem aproximadamente 30 minutos de duração.

Create an Underwater Scene — After Effects Tutorial from Richard Williams on Vimeo.

Para quem nunca usou o After Effects, vale assistir o tutorial para conhecer as semelhanças e diferenças do software em relação as ferramentas 3d. Por exemplo, repare que mesmo sendo uma ferramenta destinada a produção de material em vídeo, o After Effects tem opções para simular partículas. Essas mesmas partículas são usadas no tutorial para representar as bolhas do ambiente submarino.

No geral o funcionamento do After Effects será bem familiar para os artistas acostumados com softwares de pintura, como o Photoshop e GIMP. O sistema de organização em camadas dos diversos elementos de uma composição e até mesmo os filtros. Repare que os raios de luz que simulam o cenário aquático é elaborado com uma combinação de partículas com um Radial Blur. Esse último filtro está presente em diversos softwares de edição.

Na seqüência do vídeo é possível acompanhar os ajustes em elementos de texto, para que efeitos de distorção e névoa, possam fazer com que o material esteja mais contextualizado no ambiente do projeto. A animação com texto é um dos tipos de projeto mais simples de realizar no After Effects, e no tutorial o autor faz muitos ajustes no texto para conseguir o efeito de distorção causada pela água.

Para quem não conhece o After Effects, o vídeo é uma excelente introdução ao software e para os artistas que já conhecem a ferramenta, podem acompanhar todos os passos apresentados para reproduzir esse mesmo efeito de maneira simples e rápida.

Tutorial Adobe InDesign: Visão geral do design de documentos

A criação de portfólios e documentos impressos é tão importante quanto o conhecimento sobre animação e vídeo digital. Ainda é fácil encontrar pessoas que preferem manipular um documento bem diagramado, impresso em papel de qualidade e que pode ser consultado sem o auxílio de computadores. Nesse caso, a opção em software mais usada aqui no nosso mercado é o Adobe InDesign que por muito tempo usei para diagramar material didático. Por um bom tempo também ministrei aulas de InDesign, o que me fez perceber que profissionais de computação gráfica acabam dando menos importância a esse tipo de software, muito pelo desconhecimento do que ele realmente pode fazer.

Nas minhas aulas, geralmente as aulas de InDesign começavam com a pergunta; qual a diferença entre o InDesign e o Illustrator? A maioria dos alunos não sabia, e achava que os dois softwares realizavam a mesma tarefa. Caso você também não conheça o InDesign, pode ter uma ótima idéia das suas funções com o vídeo abaixo.

O vídeo faz parte da introdução ao InDesign, no web site de treinamentos e cursos online Lynda.com. Os cursos deles são pagos, mas nesse caso o canal que é mantido por eles no Youtube, publica alguns dos vídeos disponíveis apenas para seus alunos registrados. No tutorial não é abordado nenhuma ferramenta em profundidade, mas mesmo assim o autor do vídeo faz uma ótima introdução ao InDesign com a diagramação de um documento simples.

No final do vídeo é criado um documento relativamente simples, mas que faz uso das principais ferramentas do InDesign para preenchimento de cores, posicionamento de imagens, alinhamento e distribuição de objetos.

Apesar de não apresentar esse tipo de detalhamento, o vídeo mostra de maneira rápida o processo de design de um documento no InDesign de maneira clara e simplificada. Algumas ferramentas mais avançadas ficam de fora, como o gerenciamento de páginas e criação de documentos longos como livros, mas ainda assim o vídeo é bem interessante.

Mas, afinal qual a função do InDesign? Como você pode perceber no vídeo, o InDesign é uma ferramenta destinada à diagramação de documentos baseados em texto. Ele consegue elaborar layouts para impressão e Web, como revistas e até mesmo livros. Muito do que você lê hoje em termos de revistas e periódicos é produzido no InDesign ou no QuarkXpress.

A melhor opção de código aberto e gratuita ao InDesign se chama Scribus, e pode na maioria das situações substituir o software da Adobe muito bem.