Tutorial básico sobre animação com fluidos no RealFlow

A criação de animações envolvendo fluidos é uma tarefa que exige muito do artista 3d, e também do equipamento envolvido na simulação, pois esse tipo de animação requer uma boa dose de pré-processamento para gerar a malha 3d que representa o fluido, para depois conseguir trabalhar na configuração de materiais e outros detalhes do fluido. Nesse campo de animação, o mercado é bem diversificado em termos de opções de softwares especializados em criar fluidos. Até pouco tempo atrás, as suítes 3d tinham poucas opções para trabalhar com animações de fluidos, e apareceram softwares que trabalham em paralelo as suítes 3d que se especializaram na simulação de fluidos.

Um desses softwares é o RealFlow, que é responsável por muitas das animações de fluidos que encontramos no mercado publicitário e também em efeitos para o cinema.

Como é que o RealFlow funciona?

Caso você queira conhecer o funcionamento do RealFlow, o vídeo abaixo é um excelente início para artistas interessados no software, pois mostra os passos necessários para gerar uma animação com fluidos simples.

No vídeo podemos acompanhar os já tradicionais elementos existentes nesse tipo de simulação, que são:

  • Objeto que funciona como obstáculo para a simulação
  • Objeto que é o emissor dos fluidos
  • Campo de força do tipo gravidade

Todos esses elementos reunidos na simulação permitem gerar os fluidos baseados em algo muito parecido com polígonos. Como a base é semelhante aos polígonos, podemos melhorar a resolução dos fluidos usando um seletor de resolução. No próprio vídeo o autor do tutorial melhora a suavização do fluido usando esse tipo de parâmetro para melhorar os fluidos.

O desafio desse tipo de animação é a parte do pré-processamento do fluido que é necessário para conseguir o resultado desejado em animação.

Esse tipo de software não é barato, e com o RealFlow a coisa não é muito diferente. Para quem quiser testar o RealFlow é possível fazer o download de uma versão de testes no site oficial do software, que funciona por 30 dias com algumas restrições. E para os que realmente estão pensando em comprar o software, existe uma versão educacional que é paga e funciona por um ano. Pode parecer caro a princípio, mas em algumas situações o investimento pode valer a pena.

Fluidos baseados em partículas no Blender 2.5

Com o lançamento do Blender 2.57 vários novos recursos e ferramentas foram adicionados ao software, sendo que alguns desses recursos são melhorias para ferramentas já existentes. Por exemplo, o sistema de partículas do Blender finalmente recebeu um novo modo de física que estava em desenvolvimento já faz mais de um ano, que é a possibilidade de fazer as partículas se comportarem como fluidos. Sim, agora as partículas do Blender 2.57 podem ter comportamentos físicos que simulam a fluidez e dinâmica de fluidos, permitindo ainda mais flexibilidade para criar animações com partículas.

Mas, como funciona esse novo sistema de partículas?

Caso você ainda não tenha usado esse novo sistema de partículas, um artista chamado Gottfried Hofmann, produziu um pequeno tutorial em vídeo muito interessante que mostra o básico do sistema de partículas se comportando como fluidos. O tutorial mostra o processo de configuração das partículas, para fazer com que as mesmas desçam por um plano, e realizem colisões com um modelo formado por duas frases.

O vídeo é esse:

Tutorial: Intoduction to Particle Fluids in Blender from Gottfried Hofmann on Vimeo.

Apesar da narração do vídeo estar em inglês, o procedimento apresentado pelo artista é relativamente simples de seguir e não deve ser problema, mesmo que você não entenda nada do que ele está falando.

No vídeo podemos acompanhar a criação do sistema de partículas que fica exatamente acima das palavras que estão no centro do enquadramento da câmera, que são os emissores das partículas.

O procedimento para habilitar o comportamento das partículas como fluidos é bem simples, bastando acionar a opção Fluid na aba Physics das partículas, como mostra o vídeo. Quando fazemos isso, as partículas passam a se comportar como fluidos no Blender.

O autor do video noa explica o funcionamento de todos os parâmetros das partículas quando as mesmas se comportam como fluidos, mas se você quiser uma excelente referencia sobre esses parâmetros, resgatei um artigo que o Farsthary escreveu já faz um ano, em que ele demostra vários desses parâmetros com imagens. Para conhecer esses parâmetros das partículas no Blender 2.57, visite esse link.

Agora que você já conhece o procedimento para criar partículas que se comportam como fluidos, basta criar alguns pequenos vídeos de teste com partículas e colisões.