Dicas de etiqueta para usar Photoshop em design

O Photoshop é uma das ferramentas mais importantes no quesito pós-produção para qualquer coisa relacionada com imagem. E no trabalho com computação gráfica na maioria das vezes o produto final é uma imagem. A finalização de imagens em softwares como o Photosop permite salvar muito tempo de trabalho, e principalmente de renderização, pois é possível fazer ajustes em cores e até mesmo corrigir alguns tipos de problemas ou erros que passam despercebidos no processo de render.

Sempre que tenho a oportunidade de lecionar sobre o Photoshop, procuro passar algumas regras de “conduta” para otimizar o trabalho dos alunos, seja com foco em finalização para computação gráfica, ou então no design de interfaces.

Dicas de etiqueta para usar Photoshop

Para as pessoas que trabalham com o Photoshop ou gostariam de começar a trabalhar, recomendo uma visita ao excelente site que dá dicas de etiqueta para trabalhar com o Photoshop. O site se chama The Photoshop Etiquette Manifesto for Web Designers, que lista diversas dicas para facilitar e organizar o trabalho de artistas usando o Photoshop.

regras-etiqueta-photoshop.png

O direcionamento do site é para o pessoal que usa o Photoshop para criar interfaces para a web, mas as dicas são universais e podem ajudar no uso do Photoshop em outras áreas.

Por exemplo, as dicas relacionadas a organização de arquivos e projetos com o Photoshop são excelentes, como a maneira de organizar os arquivos PSD tanto no seu conteúdo, usando dependências e até mesmo na atribuição de nomes aos arquivos.

Além da parte relacionada com a organização dos arquivos, estão algumas dicas valiosas sobre o design dos projetos usando o Photoshop. Uma dessas dicas já foi comentada aqui no blog, quando mencionei a existência de uma extensão gratuita para o Photoshop que ajuda a configurar guias. A dica do site é exatamente para usar e organizar da melhor maneira possível as guias, para montar padrões de organização para a sua interface. E como muitos artistas 3d também precisam apresentar suas criações em formato de pequenas publicações, as dicas podem ajudar nesse sentido.

É possível fazer o download de um arquivo PDF com todas as dicas do site para impressão, ou então adquirir um poster pronto.

Tutorial Photoshop CS5

O lançamento do pacote CS5 da Adobe está se aproximando, e para divulgar e promover as novidades em suas novas ferramentas começam a aparecer cada vez mais vídeos sobre o Photoshop CS5 e outras ferramentas. Hoje a tarde encontrei um vídeo que demonstra muito bem um dos recursos adicionados ao Photoshop CS5 e que deve fazer valer as atualizações. A Adobe deve ter trabalhado muito nos recursos dessa atualização do Photoshop, pois segundo boatos a crise de 2009 somada as vendas fracas do Photoshop CS4 fizeram a empresa apertar os cintos, inclusive com demissões e férias coletivas.

O recurso demonstrado nesse vídeo já foi comentado aqui no blog no passado como demonstração do Photoshop CS5, mas era apenas uma demonstração da tecnologia sendo executada fora do Photoshop. Agora, o vídeo é demonstrado por Bryan O'Neil Hughes que é gerente de produto da equipe responsável pelo Photoshop na Adobe. Que recurso é esse? Ele pode ser traduzido como “Preenchimento considerando conteúdo”. Esse nome não é muito bonito, mas demonstra bem a função da ferramenta. O que ela faz?

Antes de dizer o que o recurso faz, é melhor contextutalizar a sua utilidade. Se você já usou o Photoshop ou qualquer outra ferramenta de edição, deve saber o quanto é trabalhoso remover elementos de uma imagem e remontar as partes depois. Isso é feito com a ferramenta Stamp seguida de diversas cópias de conteúdo e edições, para conseguir formar imagens que não deixem evidente que houve edição. Uma coisa que deixa evidente esse tipo de edição são as bordas em cores ou tonalidades diferentes ao redor da área editada.

Esse novo recurso do Photoshop faz com que o software identifique a imagem e tenha consciência que ao apagar um elemento da imagem, a mesma deve ser preenchida com um padrão inteligente formado pelos pixels ao redor da área editada. O vídeo abaixo demonstra bem o efeito:

O autor do vídeo usa diversas vezes o Content-Aware Fill para excluir partes da imagem que precisariam de retoques, mas o algoritmo usado no Photoshop CS5 faz o reconhecimento dos pixels na imagem e preenche tudo de maneira automática. Ao excluir uma árvore da imagem, o próprio Photoshop seleciona e preenche os pixels no plano de fundo com partes do céu. O mais impressionante disso é que a imagem não fica marcada.

A última parte do vídeo mostra uma aplicação da ferramenta no preenchimento automático de imagens panorâmicas, fazendo o Photoshop preencher os cantos de uma imagem automaticamente. Quem já teve que fazer isso manualmente, como eu, sabe o quanto esse tipo de ferramenta economiza tempo.

Quando o Photoshop CS5 será lançado? Dia 12 de Abril.

Aqui vale lembrar uma citação de Arthur C. Clarke no seu livro 3001: A odisséia final. Ele disse: “Qualquer tecnologia suficientemente avançada é indistiguível da mágica“.

Para muita gente, isso é mágica!

Modelagem mecânica com o SketchUp e Photoshop

O SketchUp é famoso pela sua atuação na criação de modelos 3d para visualização de projetos arquitetônicos, mas na verdade qualquer objeto que possa ser representado por figuras geométrica simples, pode ser criado sem maiores problemas com a ferramenta. Esse é o caso de veículos como tanques de guerra e objetos conceituais. Existem até alguns estúdios famosos como o Massive Black que usam o SketchUp como parte do seu processo de criação, para a elaboração de veículos. Se você quiser conferir o processo de criação deles, existem dois vídeos bem interessantes publicados pelo próprio estúdio no Youtube, mostrando como criar um conceito de tanque futurista.

A primeira parte do vídeo mostra o estudo do conceito pretendido com o modelo 3d, que é realizado no Photoshop. Essa é uma parte que vai exigir um pouco de imaginação para visualizar o modelo 3d, pois o artista responsável pelo conceito trabalhou com vistas ortogonais no Photoshop e não esboços em perspectiva, que é o procedimento normal.

No segundo vídeo já podemos acompanhar com mais detalhes a modelagem e criação do veículo no SketchUp.

Se você trabalha com modelagem 3d para jogos, deve considerar usar o SketchUp para algumas tarefas, devido a sua rapidez e facilidade em trabalhar com superfícies complexas baseadas em faces. Por exemplo, na criação de modelos 3d mecânicos que precisem de vários loops e arestas, para conseguir trabalhar com detalhes, o SketchUp apresenta a vantagem de funcionar com base no desenho das arestas em si. Com outras ferramentas é necessário trabalhar com o uso de ferramentas de corte e subdivisão para conseguir o mesmo resultado.

Nos meus projetos de modelagem que envolvem a criação de objetos mecânicos, o SketchUp já me ajudou várias vezes no estudo volumétrico do modelo 3d, para decidir o melhor caminho para conseguir em ferramentas de modelagem orgânica, como o Blender 3D. A vantagem é a velocidade com que um modelo 3d conceitual pode ser criado no SketchUp.

No final do segundo vídeo, o autor da demonstração finaliza a produção da imagem no Photoshop. Isso é compreensível, pois o SketchUp não apresenta muitas opções para criar o cenário usado na composição do veículo, sem mencionar os efeitos de fumaça e poeira adicionados no Photoshop.

Tutorial Photoshop: Equalizando texturas para aplicar em softwares 3D

A seleção de texturas para aplicação em softwares 3d sempre é uma tarefa que exige muita paciência e olho clínico por parte do artista, pois demanda a seleção de imagens com qualidade e resolução suficientes para aplicação em cenas 3D. Quando o projeto exige texturas mais comuns e fáceis de localizar, basta uma visita breve a qualquer web site ou biblioteca de texturas para localizar imagens de madeira, pedra e outros. Mas, e quando não encontramos a textura necessária para o projeto? Seja pela indisponibilidade do material na biblioteca de texturas ou mesmo por alguma especificação exótica do projeto. Nesse caso a solução é pegar a máquina fotográfica e tentar tirar uma foto da superfície para aproveitar nos softwares 3d.

Se você já tentou tirar uma fotografia de superfícies irregulares para aplicação em texturas, deve ter percebido que é muito difícil conseguir acertar a iluminação e cores da imagem, principalmente se a textura for aplicada no modo “tile”. Esse é o modo em que as imagens são posicionadas uma ao lado da outra, para que uma grande superfície seja coberta com a imagem. Não é o modo mais elegante de aplicar texturas, mas é com certeza o mais rápido para alguns tipos de projeto.

Wood Texture

Como a iluminação das texturas acaba não ficando uniforme, o resultado da aplicação das mesmas no modo tile acaba deixando evidente o padrão de repetição em forma de matriz.

Caso você queira aprender uma técnica muito legal e eficiente para equalizar as cores e deixar as texturas mais suavizadas no Photoshop, recomendo a leitura desse pequeno tutorial que é destinado exatamente para esse propósito. No texto o autor explica o procedimento e ajuste dos Layers do Photoshop para aplicar uma equalização suave as imagens e acabar com texturas mais uniformes.

O tutorial foi baseado em outro texto um pouco mais complexo e que também pode ajudar no processo. Mesmo que você não use o Photoshop para ajustar as suas texturas, pode seguir os passos e filtros aplicados nas imagens para tentar reproduzir a técnica no GIMP ou outro software que edita imagens.

Se o objetivo for usar texturas baseadas em mapeamento UV, a técnica deve ser aplicada antes de trabalhar com as imagens no editor de texturas para conseguir criar o mapa completo para as superfícies. Já testei aqui o procedimento no Pixelmator e o resultado foi muito bom.