Blender usando nós para editar animação e dados

Os softwares que trabalham com modelagem 3d e animação acabam precisando gerenciar projetos com grande quantidade de dados, e complexos esquemas de duplicação e outros elementos. Com o tempo, esses projetos acabam ficando difíceis de organizar e atualizar. Isso é bem simples de perceber quando temos grande número de modificadores aplicados no mesmo objeto, junto com materiais e texturas. Uma simples alteração em qualquer modificador, acaba demandando alterações nos materiais e mapeamento UV. Como resolver esse tipo de problema?

Uma solução interessante é o uso de sistemas baseados em nós, como é o caso do Houdini 3D que já permite trabalhar basicamente com esses objetos para organizar e gerenciar toda a cena. Sim, podemos criar elementos e inclusive fazer a gestão de modificadores e outros elementos. É uma das soluções mais poderosas em termos de combinação de fatores e possibilidade. Se você usou o sistema para criar materiais, texturas ou composição no Blender sabe o poder dos nós.

Para alavancar ainda mais o uso desse tipo de elemento no Blender, um desenvolvedor está trabalhando na expansão dos nós do Blender para que os mesmos possam ser usados em objetos ou animação. O vídeo abaixo mostra uma demonstração do sistema em ação:

Data set processing from Lukas Toenne on Vimeo.

Podemos acompanhar dois exemplos no vídeo que são a manipulação de um Grid sendo animado com um modificador do tipo Wave. Depois disso temos um sistema de partículas também sendo controlado com campos de força aproveitando os nós.

Esse tipo de solução deve permitir inúmeras combinações para animação e criação de cenas complexas.

Imagine a gestão de efeitos especiais com grande quantidade de parâmetros como as partículas, combinados com outros elementos. Isso deve permitir que possamos criar animações complexas de maneira mais rápida, dependendo apenas da sua criatividade e organização dos nós.

Junto com outros projetos ainda experimentais do Blender, esse tipo de melhoria deve fazer com que versões futuras do Blender fiquem ainda mais atraentes para artistas 3d interessados em trabalhar com grandes projetos. Ainda é cedo para dizer quando esse tipo de ferramenta estará disponível e estável para a maioria dos artistas e usuários, mas já é animador saber que algo assim está sendo criado.

Usando SourceBinder para criar 3D interativo para web com Papervision 3D

Os profissionais que trabalham com computação gráfica 3d acabam direcionando a sua atuação profissional para a área publicitária, ou produção de conteúdo visual para cinema e TV. Mas, ainda existe um campo vasto e praticamente inexplorado para artistas 3d que é a internet. A produção de conteúdo 3d para internet ainda está apenas começando e pode apresentar diversas oportunidades em termos de projetos e criação. O Blender 3d até tentou se estabelecer como plataforma de criação 3d para a web com o seu plugin que permitia executar conteúdo 3d, diretamente no navegador. Mas, a aposta na tecnologia acabou levando a NaN a falência, pois ainda era cedo para basear a sua produção nesse tipo de tecnologia. Isso já tem mais de dez anos!

Hoje o cenário em termos tecnológicos e velocidade de banda na internet são completamente diferentes e um dos grandes responsáveis pela disseminação da web 3d é o Flash Player. Já existem diversas bibliotecas de classes e ferramentas que permitem criar conteúdo 3D compatível com o ambiente do Flash Player, que está presente em praticamente todos os computadores com acesso a internet. Um desses módulos mais famosos é o Papervision 3D que é um conjunto de classes personalizadas, capaz de manipular objetos em 3D e até mesmo animar modelos complexos modelados no Blender 3D ou outro software capaz de exportar objetos no formato COLLADA.

Nesse semestre, comecei a ministrar aulas sobre o Papervision para criação de conteúdo 3D para web integrado em aplicativos multimídia. No curso foi possível perceber um dos principais problemas relacionados ao Papervision que é o conhecimento e configuração das classes. Se você quiser fazer um teste com um ambiente de configuração visual do Papervision, recomendo consultar o SourceBinder que trabalha com um sistema de nós para configurar bibliotecas externas para o Flash. O software é capaz de fazer animações e simulações usando diversas bibliotecas para web, inclusive com simulações físicas!

Quer ver um exemplo? O vídeo abaixo mostra o software criando um ambiente 3d que simula o comportamento de Rigid Bodies com a aplicação do Papervision 3D e do JiglibFlash. O resultado é um ambiente interativo que é semelhante a um jogo 3d, mas que pode ser associado a qualquer navegador que suporte o Flash Player.

Physics made with SourceBinder using JiglibFlash and Papervision from Balazs Serenyi on Vimeo.

Quem conhece o funcionamento de um sistema baseado em nós, vai encontrar muita facilidade em usar o SourceBinder. Todo o processo de criação é visual e não requer conhecimentos em programação ou ActionScript para aplicar os comportamentos nos objetos.

No vídeo é possível acompanhar a criação de um pequeno muro formado por vários cubos. Esses cubos recebem propriedades de Rigid Body para reagir com colisões e também com a gravidade. No final do vídeo podemos acompanhar a criação de um objeto de maior massa, que acaba deslocando todos os objetos no cenário.

Para quem ainda está com dúvidas sobre a área de atuação no mercado de computação gráfica 3d, esse é um excelente caminho a seguir.