Tutoriais sobre animação com fluidos no Maya e Blender

As animações baseadas em física são sempre um grande desafio para qualquer animador 3d, pois existem conhecimento sobre ferramentas como partículas para conseguir trabalhar de maneira satisfatória com a alta demanda de processamento e detalhes que uma simulação desse tipo exige. E seguindo a nossa política de final de ano, em que estamos relembrando alguns dos melhores tutoriais e artigos publicados aqui no allanbrito.com ao longo de 2012, e também no final de 2011, é o momento de relembrar como trabalhar com algumas opções relacionadas com fluidos no Maya e no Blender.

O primeiro tutorial aborda o funcionamento de um recurso muito interessante do Maya que é a dupla Pond e Wake, que trabalham em conjunto para simular superfícies de fluidos e assim gerar animações bem interessantes de líquios em grandes áreas. O tutorial é um pouco antigo, mas ainda é últil para os animadores interessados no Maya. Se você já assistiu e não lembra, é o momento de relembrar como trabalhar com o Wake e Pond no Maya.

O Maya é uma ferramenta extremamente poderosa para trabalhar com fluidos, mas isso não significa que o Blender também não possa gerar simulações de fluidos! Sim, podemos trabalhar com fluidos no Blender usando diversos tipos diferentes de ferramentas. Existe uma específica para fluidos, mas também podemos trabalhar com simulações usando partículas. No vídeo a seguir você aprende como gerar uma simulação de fluidos usando partículas no Blender para criar algo semelhante a uma pequena explosão.

O mais interessante das simulações de fluidos é que podemos aplicar materiais semelhantes a fumaça e conseguir efeitos bem parecidos. Isso acontece devido ao fato das fórmulas matemáticas que controlam fluidos e gases serem as mesmas!

Para aprender mais sobre simulações de fluidos com o Blender, recomendo uma visita ao curso sobre animação baseada em física com Blender em que abordo o funcionamento de partículas e fluidos usando diversos outros exemplos, inclusive abordando o funcionamento do Dynamic Paint que tem uma função muito parecida com a do Pond e Wake do Maya. Ainda não tenho cursos para o Maya, mas estou estudando começar a oferecer alguns cursos na área em 2013, mas isso é assunto para o futuro.

Novas aulas sobre Blender Cycles e Animação com partículas

Os cursos do EAD – Allan Brito receberam duas atualizações importantes hoje durante o dia. O primeiro curso que recebeu novos vídeos foi o de animação baseada em física com Blender, que tinha vídeos pendentes na aula 03. Essa aula aborda a animação com partículas no Blender, e como podemos usar essas partículas para criar movimento e dinâmica realista em objetos. Os últimos vídeos da aula três mostram como usar o sistema de simulação de partículas para criar animações que se comportam como fluidos. Na verdade são as partículas que se comportam como fluidos, e nos vídeos dessa aula você aprende a trabalhar com esse tipo de animação.

O exercício final da aula 03 pode ser visualizado no vídeo abaixo, em que é criado um sistema em que as partículas caem sobre uma rampa que direciona o fluxo o recipiente maior posicionado no final da estrutura.

Os dois sistemas são configurados de maneira a agir de modo independente. E para encerrar a aula, os participantes do curso aprendem a trabalhar com as partículas do Blender no modo Keyed, em que podemos controlar a trajetória das partículas.

O outro curso que recebeu atualização foi o sobre Blender Cycles: Renderização Avançada. Esse curso já está na sua segunda versão e todos os vídeos estão sendo produzidos novamente, inclusive com temáticas diferentes. A segunda aula do novo curso aborda a criação da cena abaixo:

aula02Cycles-500.jpg

Essa cena simula um ambiente de estúdio com uma forte fonte de luz lateral. E junto com a iluminação da cena, são configurados os materiais para os objetos que fazem parte da imagem como a cerâmica que está aplicada em cada vaso. Toda a cena é modelada desde o princípio e configurada no Cycles.

No final você já aprende a trabalhar com o render do Cycles para gerar uma imagem com 1000 samples, para conseguir imagens com menos granulação.

Só para lembrar, essa é só a segunda aula, ainda teremos muitos exemplos e exercícios interessantes sobre render com o Cycles nas outras aulas.

Ficou interessado? Para se inscrever nos cursos você pode usar os botões de inscrição disponíveis nas páginas de detalhes dos cursos:

Amanhã seguem as atualizações nos cursos com novas aulas para os cursos de modelagem para arquitetura com SketchUp, Materiais e texturas com Blender e possivelmente um novo curso!

Guia para aprender a usar fluidos e fumaça no Blender

A criação de animações baseadas em física podem ser um excelente recurso em aulas rápidas sobre animação 3d, para proporcionar aos artistas iniciantes a possibilidade de trabalhar com animação 3d apenas configurando alguns poucos valores. Posso afirmar isso com certa propriedade, pois venho usando o recurso já faz um tempo. Sempre que preciso ministrar uma oficina rápida sobre animação 3d usando o Blender, acabo direcionado o assunto e os exercícios para criação de movimento com base em Rigid Bodies, Partículas e fluidos. Os resultados são animadores, pois o pessoal consegue criar movimento em objetos de maneira muito rápida.

Já tentei outra abordagem, mas sem muito sucesso. O uso de hierarquias e principalmente bones acaba complicando o processo, principalmente quando o curso é rápido. Até mesmo animadores mais experientes acabam se atrapalhando um pouco quando precisam criar estruturas complexas em hierarquia e configurar pesos para vértices em polígonos usando bones.

Guia para aprender a usar fluidos e fumaça no Blender

Se você ainda não teve a coragem de se aventurar no mundo das simulações de fluidos com o Blender, para criar animações de maneira “rápida”, recomendo assistir ao vídeo abaixo que aborda em pouco mais de 3 minutos, os conceitos principais da simulação de fluidos no Blender.

O material ajuda a vencer a principal barreira na criação de animações com base em física, que é o entendimento do que faz cada um dos parâmetros das simulações. Nesse tipo de situação, apenas explicar o efeito que cada um dos ajustes acaba tendo na animação pode não ser suficiente, e visualizar o que acontece é muito melhor do que apenas ler a descrição do efeito.

Junto com esse material sobre animação com fluidos, você também pode conferir esse outro vídeo do mesmo autor, que mostra o funcionamento de um dos tipos de simulação que mais consome recursos do computador, que é a simulação de fumaça. Algumas das minhas experiências mais demoradas de render para animação foram com cenas envolvendo o uso de fumaça.

Isso vai economizar bastante em testes de renderização, pois já saberemos antecipadamente o que fazer para conseguir o efeito desejado na animação com fumaça.

Tutorial Blender: Animação com partículas e fluidos

As simulações físicas em animação 3d são uma excelente maneira de começar a trabalhar com animação, pois muito do seu processo e dinâmica é executado de maneira procedural e não precisa de intervenção do usuário. Isso significa que pessoas sem grandes conhecimentos em animação 3d podem muito bem começar a trabalhar com animação baseada em física apenas escolhendo um pequeno conjunto de parâmetros. No Blender podemos trabalhar com um tipo especial de simulação baseada em física que cria animações de fluidos baseados em polígonos ou então usando partículas. Caso você nunca tenha trabalhado com animação de partículas no Blender com o intuito de criar fluidos, o tutorial que apresento nesse artigo deve ser de grande ajuda.

Animação com partículas e fluidos no Blender

As animações baseadas em partículas no Blender para simular fluidos são mais flexíveis em termos de manipulação do que as que criam polígonos, pois os polígonos requerem uma grande quantidade de pré-processamento para que os fluidos sejam criados com níveis aceitáveis de qualidade e realismo. No caso das partículas é necessário um pouco de pré-processamento, mas a dinâmica é mais ágil.

No tutorial os passos apresentados para criar uma simulação de fluidos é bem simples e consiste na criação de uma cena composta por dois planos, sendo um deles o obstáculo para as partículas e o outro o emissor. No caso do obstáculo a única configuração necessária para o objeto é a associação do objeto como tendo a propriedade Collision habilitada e o fator do damping marcado como sendo 1. Isso fará com que as partículas ao colidir com o plano não fiquem pulando.

O próximo passo é a configuração do emissor das partículas que deve receber os ajustes de sempre das partículas como o início, fim, duração e quantidade de partículas. Depois é preciso alterar o modo de física das partículas de Newtonian para Fluid. Só isso já basta para alterar o comportamento das partículas, mas alguns ajustes extras como o tamanho das partículas, os subframes de interação e a influência do tamanho na dinâmica dos fluidos podem fazer muita diferença na maneira com que as partículas se comportam.

Resultado da animação com fluidos e partículas no Blender

No final a animação resultante apresenta uma dinâmica simples de fluidos, mas se aumentarmos de maneira considerável a quantidade das partículas, podemos criar animações bem interessantes como a que é exibida no vídeo abaixo.

Tutorial Blender: Usando os Quick Effect Operators

O Blender 2.57 está quase pronto para trazer as todos os usuários e artistas as ferramentas da versão 2.5 sem o rótulo beta, significando um software estável para usar em seus projetos. Junto com o Blender 2.57 foi apresentada uma nova maneira de adicionar efeitos em objetos dentro do Blender, que são os chamados Quick Effect Operators. A função do Quick Effect Operators é bem simples, sendo responsáveis pela aplicação rápida de efeitos como fumaça, pelos e fluidos. Para quem já teve a oportunidade de usar algum desses efeitos no Blender, sabe que em todos os casos é necessário adicionar vários objetos para gerar o efeito. Por exemplo, para criar fluidos é preciso gerar um objeto que será o domínio e outro que será o fluido.

Com o uso dos Quick Operators, podemos evitar esse tipo de trabalho e criar esses efeitos de maneira rápida. Como funciona? O vídeo abaixo que gravei usando a versão 2.57 RC2 do Blender mostra o funcionamento desses operadores.

Para usar os operadores, basta selecionar um objeto qualquer na 3D View e com a barra de espaço acionar o campo de busca do Blender. Assim que o campo de buscar estiver habilitado, podemos digitar:

  • Make smoke
  • Make fluid
  • Make fur

Para gerar um dos respectivos efeitos. Todos os efeitos são adicionados de maneira automática, o que faz necessário a alteração de parâmetros para ajustar as características de todos esses efeitos. A idéia é interessante e provavelmente será expandida em futuras atualizações do Blender, permitindo o uso desse tipo de operador com mais ferramentas. Por exemplo, elementos complexos usando outros tipos de simulação como o Softbody ou mesmo Cloth poderiam entrar na lista dos Quick Effect Operators. Já pensou modelar um objeto e usar um possível operador Make cloth? As possibilidades para esse tipo de atalho são bem vastas!

O Blender 2.57 deve ser lançado nos próximos dias na sua versão estável! Você pode fazer o download dele nesse endereço.

Esse vídeo marca o meu retorno a gravação de tutoriais com o Blender, que estavam paradas desde a metade do ano passado. Já faz um tempo que o equipamento usado para gravar esses vídeos estava com problema, mas agora fiz os upgrades e posso retornar a gravar tutoriais em vídeo sobre Blender e outros softwares.