Como organizar projetos no Photoshop, After Effects ou Illustrator

Como você faz para organizar seus projetos no Photoshop, After Effects ou Illustrator? Quando me refiro ao projeto, estou falando do arquivo fonte e todos os seus componentes. Desde o nome usado no arquivo até a organização de camadas.

Existe algum padrão? Qual organização você usa para fins de armazenamento e compartilhamento dos arquivos em grandes equipes?

Uma fonte de informação interessante para esse tipo de projeto é o Photoshop Etiquette, que apesar do nome deixar evidente que o foco é no Photoshop, você pode usar os conceitos no After Effects e illustrator.

Em que consiste esse Photoshop Etiquette? É um apanhado de dicas sobre como organizar projetos relacionados com seis temas diferentes:

  • Parte 1 – Arquivos: Como você organiza os nomes dos seus arquivos? Essa parte guia apresenta dicas sobre como atribuir nomes e guardar seus projetos. Por exemplo, escolha um nome de arquivo que identifique o estágio do projeto e um número de versão.
  • Parte 2 – Camadas: Aqui temos um tema que é ao mesmo tempo controverso e razão de discussões entre membros de equipes. Você é daqueles(as) que cria novas camadas e vai usando o nome padrão? Algo como Camada 1, Camada 2 e assim por diante? Imagine quando chegar na camada 50? Como fazer para identificar o conteúdo de cada camada?
  • Parte 3 – Assets: Essa parte aborda algumas boas práticas na gestão de recursos dentro do projeto como imagens em camadas. Por exemplo, sempre use camadas de ajuste para preservar o conteúdo das imagens.
  • Parte 4 – Fonte: Como você organiza as fontes do seu projeto? Sempre usa o mesmo tipo que os outros membros da sua equipe? É exatamente sobre a gestão de fontes que você vai encontrar informações nessa parte do guia.
  • Parte 5 – Efeitos: Diversos artistas digitais acabam destruindo seus projetos usando quantidades absurdas e desnecessárias de efeitos. Essa parte do guia apresenta algumas dicas de como manter a consistência e não extrapolar.
  • Parte 6 – Qualidade: A última parte é o controle de qualidade. Você tem um checklist do que vefiricar em cada arquivo.

Esse é apenas um resumo do que você encontra no guia de etiqueta para Photoshop, que pode ser aplicado tranquilamente também no After Effects e Illustrator.

Se você está começando ou já trabalha em grandes equipes que precisam compartilhar arquivos, recomendo muito a leitura.

Aprenda a usar Photoshop, After Effects e Illustrator

Quer aprender a trabalhar com o Photoshop, Illustrator e After Effects? No EAD – Allan Brito você encontra diversos cursos relacionados com esses softwares que podem ajudar você a criar os mais diversos tipos de projetos:

Animação de personagens com After Effects

A animação de personagens pode ser realizada de diversas formas e aproveitando ferramentas e técnicas disponíveis em softwares como Flash, After Effects e Illustrator. O After Effects é muito conhecido por ser uma ferramenta especializada na produção de efeitos e composição para vídeo, mas devido a sua facilidade na criação de movimento é o software escolhido por muitos artistas e animadores para dar vida aos seus personagens virtuais. O Flash também é uma opção viável, mas com a saída direta para vídeo e as opções avançadas para criar motion blur, e outros efeitos baseados em filtros o After Effects se torna uma opção bem competitiva. Quer aprender um pouco da técnica necessária para animação de personagens com After Effects? O artista Ryan Boyle compartilha um pouco do que ele sabe nessa área em uma série de 7 tutoriais em vídeo.

Animação de personagens com After Effects

Nos tutoriais o artista mostra um resumo do seu processo criativo no desenvolvimento da estrutura do personagem dentro do Illustrator, e posteriormente na configuração do personagem dentro do After Effects. Um dos pontos interessantes em relação ao design do personagem dentro do Illustrator, é que o artista trabalha exclusivamente com vetores, como era de se esperar no Illustrator, e como os vetores estão devidamente organizados em camadas será possível posteriormente animar cada parte do personagem de maneira independente.

Animação de personagens com After Effects

O uso de vetores também ajuda a renderizar as composições do After Effects em diferentes resoluções, sem a necessidade de refazer todo o trabalho de arte dos personagens. Por exemplo, caso seja necessário produzir a mesma animação para cinema 4K, é possível simplesmente alterar os ajustes e a animação de personagens com After Effects estará pronta para grandes formatos de vídeo.

A técnica de ilustração do tutorial é bem simples, e o personagem produzido é estilizado. Isso facilita a sua reprodução por praticamente qualquer pessoa, mesmo que você não tenha grandes habilidades artísticas.

Caso você esteja procurando qualquer material sobre animação de personagens com After Effects recomendo muito assistir a série de vídeos produzidos pelo Ryan Boyle, que além de demonstrarem a sus técnica ajudam a entender como configurar e ajustar a animação de personagens com After Effects.

Drawscript: Ferramenta gratuita ajuda no desenho de vetores com scripts

A criação de gráficos vetoriais é algo fundamental em diversos segmentos da computação gráfica, seja para uma simples ilustração que deve representar as formas e cores dos anúncios do mercado publicitário, ou então os elementos que formam a interface de um jogo. É muito mais fácil desejar os gráficos vetoriais usando ferramentas como o Adobe Illustrator ou o Corel Draw que são excelentes para artistas, mas algumas situações exigem o uso de scripts para criação desse tipo de gráfico. Por exemplo, uma interface dinâmica que use linguagens como o HTML5 com JavaScript ou ActionScript, permitem criar vetores usando coordenadas.

Uma das maiores dificuldades desse tipo de sistema de desenho é que precisamos projetar a ilustração com as coordenadas, para depois tentar fazer com que os números coincidam e as formas vetoriais perfeitas sejam criadas. Para os usuários do Adobe Illustrator a coisa pode ter ficado um pouco mais fácil!

Um programador da equipe de desenvolvimento da Adobe chamado Tom Krcha criou um script para o Adobe Illustrator chamado de Drawscript, que pode ser copiado de maneira gratuita nesse endereço. O script tem como função converter ilustrações criadas usando vetores normais no Illustrator em sistemas de coordenadas cartesianas, que facilitam muito o desenho das mesmas formas usando código.

Illustrator-Drawscript-download

O script funciona como uma extensão do Adobe Illustrator CS6 e como ainda não tenho essa versão do Illustrator (estou no CS5 ainda), infelizmente não tenho como testar a ferramenta, mas já posso dizer que o simples fato de não precisar mais ficar projetando no papel as possíveis coordenadas necessárias para desenhar usando código, já vale o esforço de fazer o download do arquivo e deixar ele separado, para o dia em que for necessário criar um jogo ou interface que demande vetores dinâmicos. Claro que, sem o Illustrator CS6 o script será inútil.

Nas minhas aulas sobre produção multimídia com Flash e ActionScript sempre tentava projetar as ilustrações dinâmicas no papel, ou usando algumas fórmulas para determinar a posição dos pontos dos objetos. Se o Illustrator CS6 estiver disponível, os meus alunos devem agradecer, mas o método antigo ainda será útil para as situações em que o script parar de funcionar, ou não tivermos a disposição o Illustrator.

Guia gratuito sobre impressão

No passado o trabalho computação gráfica estava muito relacionado com a impressão de documentos em grandes formatos, e até mesmo a criação de material voltado para esse formato. Com o passar do tempo as coisas mudam em todos os mercados, e na computação gráfica a coisa está se voltando cada vez mais para o meio eletrônico seja no vídeo, web sites e os recentes livros eletrônicos. Isso era tão forte na área de computação gráfica, que chegou uma época em que as pessoas se diziam especializados em computação gráfica apenas pelo fato de trabalhar com impressão em softwares como o Corel Draw. Mas, apesar da perda de mercado estar reduzindo a importância da impressão como objetivo final de projetos de computação gráfica, ainda é preciso trabalhar eventualmente com esse tipo de mídia.

Para as pessoas que já trabalham com esse tipo de mídia, ou então, para quem quiser estudar um pouco mais os detalhes da impressão usando os softwares da Adobe, a empresa lançou um guia gratuito para download sobre como imprimir usando os seus softwares do pacote CS 5 e CS 5.5.

Guia-Impressao.jpg

O material passa pela parte básica da impressão como a escolha dos perfis de cores e detalhes técnicos dos softwares abordados, como a organização das camadas e a manipulação de vetores e bitmaps.

Os softwares abordados nesse guia são:

  • Adobe InDesign CS5
  • Adobe Photoshop CS5
  • Adobe Illustrator CS5

A impressão em cada um dos softwares é abordada dentro do seu próprio contexto. Por exemplo, no caso do InDesign aprendemos os detalhes sobre a criação de documentos eletrônicos como e-books e revistas, já no Illustrator é descrito o processo de criação de peças publicitárias baseadas em ilustração vetorial. E o Photoshop aborda a manipulação de fotografias e imagens baseadas em bitmaps.

Esse tipo de documento é importante para aprender os detalhes sobre como configurar documentos e preparar projetos para impressão. Ainda está um pouco longe de detalhar os possíveis problemas que enfrentamos com as diversas configurações e ajustes de cada gráfica rápida, como os inconvenientes de como algumas pessoas nessas gráficas acabam inadvertidamente mudam os documentos, ou as cores não são impressas de maneira fidedigna ao documento, mas é uma excelente referência inicial para quem só está acostumado a gerar arquivos PDF, SWF, MOV e outros formatos eletrônicos.

Vetorização gratuita de arquivos na web

A vetorização de imagens é uma das tarefas mais corriqueiras no cotidiano de designers e artistas 3d também, pois muito do que precisamos modelar é proveniente de imagens em bitmap ou então fruto de brainstroms que resultam em rabiscos e esboços manuscritos. Isso gera muita demanda por vetorização em ferramentas como o Illustrator ou Inkscape, para posterior trabalho com curvas em softwares 3D. O procedimento para fazer isso é bem simples e envolve a digitalização de qualquer material e depois a importação da imagem para o software de ilustração. Algumas pessoas já trabalham direto com a ferramenta 3d, mas ainda acho mais produtivo usar um editor de vetores mais especializado.

Em algumas situações é possível usar softwares que já fazem a vetorização de maneira automatizada, rastreando as linhas nas imagens e convertendo as mesmas para formatos como SVG ou AI. Já pensou poder fazer isso usando um sistema gratuito de conversão na web? Ontem a tarde descobri um serviço chamado de Autotracer que permite o envio de arquivos do tipo Bitmap, com a promessa de conversão automática do material em formatos baseados em vetor como SVG, AI e até mesmo DXF.

toaster svg creation inkscape

Depois de fazer alguns testes aqui consegui sucesso em algumas conversões, mas outras resultaram em arquivos sem os vetores. Os problemas apareceram em arquivos no formato PNG e que não foram 100% convertidos em SVG. O mais interessante é que o SVG não está vazio, mas sem linhas visíveis. De resto, imagens escaneadas foram convertidas até de maneira satisfatória.

O que mais impressiona no serviço é que poder totalmente baseado na web, podemos até mesmo tirar uma foto com câmeras de celulares e enviar o material para o sistema. Em poucos minutos teremos o material já convertido e vetor e pronto para edições mais avançadas. Sim, esse sistema sofre do mesmo problema que a maioria das opções disponíveis para fazer vetorização: a perda da precisão.

O preço a pagar pela facilidade e velocidade, é o tempo necessário para fazer a revisão dos vetores. Se o objetivo for a modelagem 3d, a revisão se torna ainda mais importante. Como a criação de polígonos depende da maneira como as curvas são criadas, qualquer pequeno defeito pode fazer a diferença na criação da topologia.