Download gratuito para 3ds Max e iray: Cena de estúdio

A situação mais simples em que precisamos utilizar softwares 3d é na criação de imagens estáticas para apresentar algum tipo de produto ou objeto. Nesse tipo de situação é necessário modelar em 3d determinado tipo de objeto, e depois da aplicação de materiais, texturas e iluminação o objeto é posicionado em ambientes abstratos para que seja possível a sua visualização sem nenhum tipo de interferência visual. O cenário mais usado nesse tipo de situação é um ambiente que simula o espaço de um estúdio fotográfico, em que temos um plano de fundo branco ou cinza e grandes planos de luz posicionados nas laterais da cena.

Esse tipo de cena é a mais indicada para apresentar objetos, pois permite visualizar o mesmo sem interferências e os planos de luz acabam garantindo reflexões nos materiais do tipo vidro, plástico ou metal. O resultado é na maioria das vezes agradável e permite até a criação de “templates” dessas cenas que funcionam realmente como ambientes de estúdio. O artista pode trabalhar na modelagem 3d em arquivos independentes, e depois importar o mesmo para a cena já preparada para renderização em estúdio.

No meu caso, sempre tenho uma cena como essas preparada para receber modelos 3d criados nos mais variados formatos, muitos deles inclusive foram criados com base em tutoriais apresentados aqui no blog.

Se você é usuário do 3ds Max e renderiza seus projetos com o iray, a boa notícia é que o artista Jeff Patton publicou no seu site uma cena preparada para render em estúdio, usando o iray. Sim, a cena pode ser copiada de maneira totalmente gratuita no seu blog e usada para adicionar modelos 3d para apresentação de produtos.

3ds-max-iray-download-studio.jpg

Quer fazer a sua própria cena? O procedimento é simples, e requer apenas que você monte o plano de fundo usando um plano abstrato e posicione luzes com grandes dimensões, mesmo que o seu renderizador ou software 3d não tenha a capacidade de usar Mesh Lights uma luz do tipo área já resolve a situação.

Esse é o tipo de cena que devemos sempre possuir para apresentar objetos 3d independente do software ou plataforma usada para render.

Tutorial sobre render com iray no 3ds Max

A escolha de um renderizador para o 3ds Max que não seja o tradicional Scanline render que já acompanha o software desde as suas primeiras versões pode ser uma tarefa complicada para qualquer artista, pois o ecossistema de renders externos compatíveis com o 3ds Max é muito grande e variado. Entre os principais destaques desse ecossistema podemos apontar o V-Ray como um dos mais usados para o mercado de visualização e design, que está ganhando cada vez mais espaço no segmento de animações para cinema e jogos, devido a sua qualidade e velocidade.

Mas, será que é realmente necessário procurar um render externo para o 3ds Max? A Autodesk incorporou a sua suíte de produção 3d o mental ray alguns anos atrás, e agora está com o iRay, que seria algo como um mental ray que pode usar tanto GPUs como CPUs para render, e trabalham com algoritmos do tipo unbiased. Isso permite utilizar vários aspectos físicos da luz e gerar imagens de excelente nível de realismo, e de maneira rápida com o aproveitamento de GPUs.

Tutorial sobre render com o iray

Mas, como funciona o iray? Ele é realmente bom para trabalhar com renderização no 3ds Max? Se você é usuário das versões mais recentes do 3ds Max e gostaria de conhecer um pouco mais sobre o iray, encontrei uma apresentação que deve interessar principalmente aos artistas envolvidos com visualização par arquitetura.

No vídeo abaixo o artista Shane Griffith e George Matos passam mais de uma hora, sim uma hora inteira, apresentando recursos e material sobre o iray, inclusive mostrando a aplicação e configuração da iluminação no iray para ambientes internos em arquitetura.

Portanto, para quem está interessado em aprender o funcionamento desse renderizador que já está incorporado de maneira gratuita do 3ds Max, o material é mais que indicado!

Isso faz pensar o motivo pelo qual muita gente acaba evitando os renderizadores que já acompanham o 3ds Max e partam para soluções de terceiros. Todos esses renders possuem pontos positivos e negativos, podendo gerar excelentes resultados nas mãos de um artista habilidoso. O que você precisa fazer, é escolher um desses softwares e se dedicar ao estudo e prática de um deles, para depois expandir sua gama de conhecimentos para outros renderizadores.

Script ajuda a renderizar cenas com o iray no 3ds max

Um dos destaques do 3ds max 2012 é a disponibilidade nativa do iray para renderizar cenas usando o poder das modernas GPUs para acelerar a renderização. O iray apareceu ainda no 3ds max 2011 como um adendo disponível apenas para os assinantes do serviço de atualizações da Autodesk para o 3ds max, e aparece como um dos renderizadores nativos para o 3ds max 2012 junto com o mental ray. Mas, o iray pode ser um pouco trabalhoso de usar no início para os usuários que não estão muito acostumados com o seu processo de configuração. Na verdade, o que tenho escutado de muitos usuários que adotam o iray é que o mesmo é muito simplório em termos de opções de configuração.

Por exemplo, quando escolhemos o mental ray como render para uma cena, o resultado é que temos uma infinidade de opções a disposição.

Para expandir esse tipo de controle de opções para o iray, podemos utilizar um script muito interessante para os artistas que tem o 3ds max 2012 e 2011 com o iray, que é o iray Manager. Esse é um script gratuito que caso seja instalado, permite controlar diversos aspectos do render no software.

irayManagerV1.4.jpg

Por exemplo, com o uso desse script podemos selecionar o uso apenas de CPU ou GPU na renderização, e até mesmo a quantidade de núcleos que será usada para gerar a imagem. Para aprender a trabalhar e até mesmo instalar esse script no 3ds max, recomendo uma visita a esse tutorial sobre o iray Manager que foi publicado recentemente no CG Cookie.

Essas não são as únicas opções disponíveis dentro do script, em que também é possível controlar o background da cena, adicionando novas cores e até mesmo ajustando um recurso disponível apenas para os usuários do 3ds max 2012 que é o Matte Ground. O recurso adiciona um plano como base de toda a cena, mesmo que o nosso modelo 3d esteja “flutuando” no espaço e sem nenhum tipo de superfície como base.

Os artistas que estão usando o iray para renderizar suas cenas devem gostar bastante dessa ferramenta, pois ela permite controles interessantes sobre o renderizador. Já mencionei que o script é gratuito?

Exemplos de render com iray usando GPU

A transição entre a renderização baseada em CPU para a que uso GPU parece que ainda irá ser motivo para dúvidas e questionamentos por parte de artistas e profissionais. Os softwares especializados em usar apenas GPU como base para renderização está se proliferando cada vez mais, e até mesmo suítes gráficas como o 3ds max está começando a incorporar na sua versão 2012 o iray, que é uma espécie de versão do mental ray que usa GPU para acelerar a renderização. Já tive vários alunos e colegas me questionando sobre o ganho de velocidade desses softwares quando usados em conjunto com uma boa placa de vídeo.

Esse mesmo tipo de dúvida é enviada para artistas que já divulgaram projetos usando esse tipo de ferramenta, e para ajudar a elucidar essas dúvidas, principalmente no que diz respeito aos recursos disponíveis em softwares como o iray, um artista chamado Jeff Patton publicou um artigo muito elucidativo, mostrando exemplos de materiais renderizados com o iray. Todas as renderizações usaram resolução fixa de 1200 por 1200 pixels, e variam entre 3 e 4 minutos.

iray-exemplo.jpg

Essas imagens renderizadas mostram como o nível de flexibilidade e recursos do iray já permite trabalhar com praticamente qualquer tipo de projeto, assim como acontece com o mental ray no 3ds max. Por exemplo, opções avançadas como materiais usando diversos tipos de reflexões e até mesmo displacement maps.

O artigo é muito interessante por mostrar para muitos usuários que ainda não sabem muito bem se devem investir no iray. Claro que os materiais são apenas o pretexto para conseguir explicar as vantagens do iray, pois o software é forte mesmo na sua solução hibrida. Se você nunca teve oportunidade de usar o iray, recomendo visitar esse artigo que explica o funcionamento do iray dentro do 3ds max, apresentando o método de configuração do iray com uma placa de vídeo dedicada para jogos, que é a GTX 570.

Para os que estão procurando soluções mais acessíveis de render por GPU, recomendo uma consulta a softwares como o Octane Render ou LuxRender. O primeiro é um render totalmente baseado em GPU quem tem custo acessível, e o LuxRender na sua versão 0.8 irá suportar render por GPU.

Demonstração de Render por GPU com iRay no 3ds max

O quanto uma renderização pode ser acelerada se usarmos uma placa de vídeo dedicada para jogos em softwares como o iRay no 3ds max? O uso desse tipo de tecnologia está claramente dominando os softwares especializados em renderização, pois é possível se desprender das limitações impostas pela quantidade de núcleos da CPU e jogar o trabalho de render, que não é simples, para as dezenas e as vezes centenas de núcleos da GPU. Esse é o caso da placa GeForce GTX 570 da NVidia que apesar do foco em jogos, pode ajudar bastante quando o assunto é renderização. A placa possui nada mais que 480 núcleos CUDA que podem ser aproveitados para renderização.

O vídeo abaixo é uma demonstração simples do uso dessa tecnologia em softwares como o iRay rodando no 3ds max, que é uma versão do mental ray híbrida que pode aproveitar os núcleos de uma GPU para acelerar consideravelmente o render.

O modelo 3d usado para a demonstração é uma moto Ducati com boa quantidade de detalhes e também texturas e materiais com configurações avançadas, apresentando reflexões e efeitos óticos avançados.

Uma das coisas que podemos perceber com o vídeo é que o processo inicial pode demorar apenas alguns segundos para que uma imagem seja exibida, mas depois que ela aparece o refinamento progressivo consegue exibir a imagem do render em poucos minutos. O processo dá muita carga na placa de video, aumentando consideravelmente a temperatura do dispositivo, fato comum em placas dedicadas a jogos.

Será que vale a pena usar uma placa dedicada para jogos em aplicações profissionais? A única coisa que justifica o uso desse tipo de dispositivo em softwares profissionais é o custo, que é inegavelmente menor que uma placa profissional. Se você ainda não teve a oportunidade, recomendo que leia a entrevista sobre hardware para computação gráfica, em que um especialista em equipamentos para render e 3d, comenta sobre o uso de placas de vídeo para jogos em softwares 3d profissionais.

A tendência desse tipo de aplicação em softwares 3d irá fazer com que todos precisem de placas com múltiplos núcleos no futuro, fazendo com que até equipamentos mais simples demandem de centenas de núcleos para renderizar projetos. E você, já trocou a sua placa de vídeo?