Kit de desenvolvimento para personagens no LightWave 3D

A modelagem de personagens virtuais é uma das tarefas mais complexas em termos de modelagem, pois exige muito conhecimento nas ferramentas e também percepção do artista 3d para gerar resultados satisfatórios. Entre as mais variadas técnicas que podemos usar para aprender esse tipo de técnica, existe a chamada engenharia reversa, em que um artista analisa o trabalho de outra pessoa e identifica pontos chave para que o mesmo possa ser reproduzido. Para pessoas que não estão acostumadas a fazer esse tipo de coisa, pode até parecer algo pejorativo, parecido com uma cópia simples. Mas, na verdade é uma excelente maneira de analisar o trabalho de profissionais mais experientes.

Pensando nesse tipo de situação e na sua base de usuários, a Newtek lançou algumas semanas atras o chamado Kit de desenvolvimento para criaturas em 3d. Esses kits nada mais são que modelos 3d em alta resolução e com todos os recursos de texturas e iluminação, para que seus usuários possam estudar e aprender como reproduzir esse tipo de material no LightWave 3D.

A imagem abaixo mostra o exemplo do que acompanha o kit do personagem chamado de “Mutant”.

lightwave-3d-creature.jpg

Os kits podem ser copiados de maneira totalmente gratuita, mesmo por usuários que não usam o LighWave. Assim que fazemos o download do material, podemos extrair o conteúdo e acessar:

  • Modelos 3d
  • Texturas
  • Mapas em HDRI
  • Cenas com iluminação
  • Configurações de materiais especiais
  • Mapas de texturas UV

Hoje já existem dois kits disponíveis, que são compostos pelo modelo dessa imagem “Mutant” e outro de um personagem alienígena chamado de “Alien Emissary”. Com o tempo devem ser adicionados novos kits contemplando novos personagens prontos para análise e estudo.

Esse é o tipo de recurso que visa agregar mais usuários e artistas ao LightWave 3d, software que já teve participação no mercado de produção para TV e cinema mais expressiva, mas acabou perdendo espaço com o tempo para ferramentas da Autodesk. Com a sua política agressiva de aquisições, os competidores acabaram perdendo muito dos mercados para TV.

O LightWave é uma boa ferramenta de modelagem e animação, que já teve um dos melhores renders do mercado. Será que esse tipo de bondade será suficiente para atrair mais usuários?

Revista RenderOut! 12 disponível para download

A revista gratuita sobre artes digitais e computação gráfica 3d ganhou mais um número essa semana, mostrando novamente artigos e tutoriais sobre softwares 3d e a relação da arte com a computação gráfica. Essa revista é a RenderOut! que para alguns é uma excelente opção de informação, pois a revista em si é escrita toda em espanhol. Como boa parte do material relacionado a revistas nesse formato é escrita em língua inglesa, a opção do espanhol geralmente agrada as pessoas que torcem o nariz para material escrito inglês. O número 12 da revista está um pouco mais curto que o habitual, ficando com menos de 100 páginas, mas ainda assim com excelente conteúdo.

Como é costume quando esse tipo de publicação é lançada, resolvi fazer um pequeno sumário com os artigos e tutoriais disponíveis na revista. Assim você pode avaliar se vale fazer o download.

revista-gratuita-download-renderout-12.jpg

Essa é a lista:

  • Produzindo “À Espera”: O primeiro artigo aborda o processo de criação para uma imagem extremamente realista de uma criança sentada em uma cadeira. A cena foi totalmente produzida no LightWave 3D, sendo um ótimo exemplo de hiper-realismo.
  • Animação 3D no século XXI: O artigo faz um análise dos últimos avanços na animação 3d com projetos da Pixar e outros estúdios, e claro da revolução tecnológica prometida com filme Avatar.
  • Entrevista com Luis Pages: O pessoal da revista conversou com esse talentoso artista 3d da Venezuela, que já participou de equipes profissionais e projetos como Era do Gelo, Harry Porter e ajudou em Avatar.
  • Produzindo “Arquitetura Mediterrânea”: Tutorial voltado para artistas interessados em visualização de projetos arquitetônicos com o Maya. Mostra a criação de arquitetura clássica.
  • A simbologia na arte: Esse artigo faz a ligação entre os diversos símbolos e a sua relação com a arte, como o uso de runas e outros elementos.
  • Entrevista com estúdio Lightrender: Aqui temos um dos melhores artigos da revista, que conversa com o responsável por um grande estúdio de visualização espanhol, perguntando sobre as dificuldades para começar e os segredos da profissão. Imperdível para arquitetos e outros interessados em visualização.
  • Produzindo “Red Hulk”: Tutorial que mostra como criar um personagem semelhante ao Hulk, usando o 3ds Max e ZBrush.
  • História do cinema – Akira: Mais um artigo sobre a história da animação, dessa fez fazendo alusão ao clássico anime Akira.
  • Como escolher cursos de computação gráfica 3D?: Para encerrar a revista, um artigo que dá dicas para escolher um bom curso de computação gráfica.

Caso você tenha interesse em fazer o download gratuito da revista, visite esse endereço para copiar a edição de número 12 e também os números anteriores.

LightWave 3D Core: Fracasso total ou previsão do futuro?

Nas últimas semanas a Newtek, empresa responsável pelo desenvolvimento e comercialização do LightWave 3D conseguiu o que muitos publicitários e gerentes de marketing sonham fazer; criar uma campanha para divulgar um produto, que desperte interesse de consumidores fiéis e também os da concorrência. Desde que um e-mail enviado para vários usuários cadastrados no web site da Newtek, eu estou incluso nessa lista, indicando o lançamento de algo revolucionário chamado de LightWave Core, a comunidade de artistas 3d estava em polvorosa tentando descobrir do que se tratava o produto.

O mais interessante da campanha é que o web site contava com um contador regressivo, mas também com várias mensagens escondidas sobre o que seria o Core. Essas mensagens estavam em código, nas fontes usadas para o site, no código HTML do mesmo e muito mais. Uma página de login que mostrava mensagens diferentes para combinações específicas de usuário e senha. Em suma, a comunidade inteira de artistas 3d que freqüentam web sites como a CG Society estava muito curiosa para saber do que se tratava essa nova tecnologia.

Hoje, mais exatamente às 19:00 no horário de Brasília estava agendada uma palestra online, no mesmo estilo da Apple, transmitida por streaming que revelaria os “segredos” do CORE.

Resultado? O interesse da comunidade foi subestimado:

  • Web site e fóruns da Newtek fora do ar;
  • Sistema de Streaming com atraso;
  • Apresentação em vídeo com os recursos 3d é amadora;

Até agora, algumas horas depois do lançamento o web site da Newtek está instável e demorando vários minutos para carregar páginas simples. Ao que parece o frisson gerado pela campanha superou as melhores expectativas da Newtek.

Mas, afinal o que é o CORE?

O LightWave 3D CORE é a próxima geração do LightWave, que muda completamente os paradigmas em que o LightWave é desenvolvido. Por exemplo, agora o aplicativo está integrado e não existe mais o Modelador/Layout separados em duas plataformas diferentes. Ele está escrito sob um novo paradigma de desenvolvimento, fazendo com que seja mais fácil atualizar o sistema e permite adicionar recursos, como um histórico de eventos e modificadores organizados em grupos.

Algumas imagens da interface, apresentada no vídeo (clique para aumentar):

lightwave-core

Essas são algumas características do CORE:

  • Compatível com processadores de vários núcleos;
  • Utiliza a GPU
  • Multiplataforma
  • Utiliza Python como linguagem

Isso é tudo que consegui reunir até agora, pois pouco foi divulgado e os servidores ainda estão instáveis.

Agora, o mais polêmico é hardCORE membership, apresentado como parte do CORE. Os usuários compram o software por um modelo de assinatura. Você precisa desembolsar 1400 dólares para ter acesso ao software, assim como vídeos e documentação assim como:

  • Fóruns exclusivos
  • Acesso a material beta
  • Convites VIP para eventos
  • Tutoriais exclusivos

Esse tipo de comportamento, impondo um sistema de assinaturas para os usuários foi um gigantesco tiro no pé, para apresentar um software revolucionário sim, mas para os usuários do LightWave. A maioria dos recursos apresentados já estão disponíveis há um bom tempo em softwares como o 3ds Max, Maya, Softimage e Blender 3D.

A grande maioria das mensagens e comentários sobre o sistema são negativas. Sem mencionar a apresentação amadora e extremamente podre preparada pela Newtek. Até o plano de fundo do vídeo, que consegui assistir por alguns breves momentos era péssimo, parecendo um vídeo caseiro. A interface simples e os conceitos apresentados foram decepcionantes, para o tamanho do segredo e expectativa gerada em torno do software.

Mesmo antes do software ser lançado, esse já é um tremendo fracasso em termos de relação com futuros consumidores. Todo o esforço e interesse levantado pela brilhante campanha, foi perdido em pouco mais de duas horas. O que resume bem a situação é o comentário de um artista 3d frustrado em um dos fóruns que visitei; “a Autodesk teria feito a apresentação direitinho“.

Para saber mais, recomendo visitar esse endereço, em que o assunto está sendo discutido na CG Society.

Tutorial renderização com LightWave 3D: Criando o material red wax do ZBrush

O Subsurface Scattering é uma técnica avançada de renderização, que faz com que a energia luminosa se espalhe em superfícies semi-transparentes como a pele humana e materiais como cera. A maioria das superfícies e objetos com texturas mais orgânicas apresenta o subsurface scattering em algum nível. Antigamente esse efeito era muito difícil de conseguir, e apenas ferramentas especializadas podiam gerar o efeito. Hoje, a maioria dos softwares 3d apresenta esse tipo de recurso, pois o algoritmo necessário para a sua implementação nesses softwares já foi publicado e estudado em vários trabalhos acadêmicos. No caso de softwares como o Blender 3D, basta a vontade de um desenvolvedor para que o código seja transportado para a ferramenta.

Os softwares mais comerciais precisam oferece um diferencial, para não aproveitar apenas os resultados do trabalho acadêmico de algum estudante universitário. Por isso é que a maioria das empresas como a Autodesk, investe em novos e melhorados algoritmos, pois a corrida é para oferecer o render mais rápido. Em uma das últimas atualizações do LightWave, a Newtek disponibilizou algumas melhorias nas configurações do Subsurface Scattering do software.

No tutorial abaixo, um artista 3d tenta reproduzir um material específico usando os shaders disponíveis no LightWave 9.5. O exercício realizado pelo artista no tutorial é interessante, pois o mesmo está tentando reproduzir o efeito de um material com subsurface scattering. Para fazer o download, visite esse link que leva para uma página nos fóruns da Newtek, em que é possível encontrar o link para o tutorial (arquivo MOV com 30MB).

tutorial-lightwave-sss

O material que o artista gostaria de reproduzir é o famoso Red Wax do Zbrush, que é o material padrão do software. Se você já visualizou alguma imagem ou tutorial de modelagem no ZBrush, deve ter visto esse material. Ele tem um aspecto de cêra vermelha, que é uma mistura de material reflexivo com altos índices de subsurface scattering.

Mesmo que você não seja usuário do LightWave, o tutorial é muito útil para mostrar alguns dos principais parâmetros de configuração dos materiais que usam Subsurface Scattering. Por exemplo, caso você nunca tenha visualizado os efeitos das mudanças em configurações como a iluminação que é exibida na parte posterior do modelo, recomendo conferir o vídeo.

Criando texturas e normal maps para o LightWave 3D

Assim que o trabalho de um artista especializado em modelagem 3d termina, outro processo igualmente complexo mas que requer do artista mais habilidade na manipulação de imagens 2d que 3d. A criação de texturas é uma arte, que você pode dominar ou simplesmente conhecer o suficiente para ambientar seus modelos 3d. Na maioria das vezes as pessoas têm apenas o conhecimento necessário para configurar seus projetos próprios, mas algumas pessoas têm tanta habilidade com texturas, que acabam trabalhando apenas com isso, em ferramentas como o Painter ou Photoshop.

Existem até mesmo alguns softwares especializados para trabalhar com texturas, como o poderoso Body Paint 3D que consegue editar texturas diretamente sobre o corpo dos personagens 3d, até ferramentas como o Texture Maker, que é um software mais barato que o Body Paint, mas especializado em texturas de maneira geral.

Quer aprender como funciona uma dessas ferramentas? O tutorial abaixo mostra alguns aspectos básicos sobre o Texture Maker, e a sua integração com o LightWave 3D. No vídeo, o autor mostra como criar os chamados mapas normais, ou normal maps, que são muito mais poderosos que os famosos mapas de Bump. Os mapas de Bump são representados em escala de cinza, já os mapas normais podem apresentar uma variação de cor um pouco maior, com tons de magenta e lilás.

No vídeo, podemos compreender a vantagem de usar uma ferramenta especializada em trabalhar com texturas, pois foi muito rápido transformar uma fotografia simples, em um mapa normal.

Assim que o mapa está criado, o próximo passo do tutorial é mostrar o processo de configuração da textura no LightWave 3d. A configuração é simples, com as dicas mostradas no vídeo qualquer artista que esteja começando a trabalhar com o LightWave, pode em poucos cliques conseguir configurar esse tipo de textura, até mesmo com um arranjo de nós.

Na segunda parte do tutorial, o autor ainda demonstra o efeito dos mapas em um personagem 3d. Com esse tipo de textura é possível adicionar pequenos detalhes em personagens, principalmente em superfícies com escamas, como é demonstrado no exemplo do vídeo.

Mesmo não sendo uma aula completa sobre o assunto, podemos aprender um pouco mais sobre a importância desse tipo de textura e presenciar alguns exemplos reais. Sem mencionar, as dicas sobre o LightWave 3d, que o autor passa ao longo do vídeo.

Só para registrar, o software chamado Texture Maker é pago, sua versão comercial custa 99 Euros.