Guia de pintura com GIMP: Criando um planeta com anéis

A criação de cenários e ambientes espaciais foi um dos motivos pelos quais comecei a me interessar por computação gráfica, ainda quando era criança. Hoje, com uma gama enorme de ferramentas e opções disponíveis para trabalhar tanto na parte de criação 3d como em ferramentas de pintura, deixa esse processo ainda mais divertido. Sempre que posso tento adicionar o tema em alguma das minhas aulas, seja com efeitos de pintura no Maya ou partículas no Blender. Caso você tenha interesse por esse tema e goste de usar ferramentas voltadas a pintura digital, encontrei um tutorial simples e rápido de executar que ensina a reproduzir planetas com anéis no GIMP.

A técnica é bem simples e consiste na aplicação de alguns filtros e pequenos truques de edição, para ter como resultado final a seguinte imagem:

tutorial-gimp.jpg

Pela complexidade e passos envolvidos, o tutorial pode ser muito útil para projetos em que você precisa reproduzir vários planetas. Nesse caso, o único requisito para gerar outros planetas é trocar a textura.

O processo é descrito em poucos passos, e consiste basicamente na utilização de uma textura indicada pelo próprio autor do tutorial. A mesma textura deve ser redimensionada e ter um filtro do tipo Blur aplicado no mínimo três vezes para conseguir suavizar as linhas na imagem.

Depois do filtro o autor recomenda aplicar um efeito de lente que dará o aspecto esférico para a imagem, lembrando que é necessário criar uma camada no plano de fundo sem nada, para que depois possamos adicionar um plano de fundo com pequenos pontos representando estrelas.

As estrelas são criadas usando outro filtro do GIMP chamado de HSV Noise que é aplicado em uma camada com preenchimento preto. Isso é feito logo antes de usarmos a ferramenta de gradiente do GIMP para gerar o efeito de iluminação e finalmente atribuir o aspecto esférico ao planeta.

Agora, o truque interessante está na criação da atmosfera em que será necessário selecionar a borda do planeta e com a opção Feather border do Border Select separar o controno do planeta para pintura com uma cor semelhante a usada na textura.

A parte mais complicada do tutorial é a criação dos anéis, envolvendo o uso do filtro Difference Clouds e Whirl and Pinch com várias transformações. Mesmo que você decida reproduzir apenas o planeta, o tutorial já será de grande utilidade em projetos que demandem esse tipo de cenário.

Outro ponto positivo é que podemos adaptar as técnicas para uso em outros softwares, como o Photoshop e Pixelmator.

Já mencionei que o GIMP é gratuito?

Amostra gratuita do DVD sobre pintura digital Chaos & Evolutions

O Instituto Blender está preparando mais um DVD de treinamento chamado Chaos & Evolutions que tem como autor David Leroy, integrante da equipe que está produzindo o projeto Durian que resultará na animação Sintel. Esse DVD é focado em aspectos artísticos e práticos do design de personagens e criaturas, essencial para que qualquer projeto de animação envolvendo personagens tenha sucesso. O material está em pré-venda na loja da Fundação Blender e deve começar a ser enviado ainda esse mês. Para que você possa ter uma idéia mais realista sobre como será esse treinamento em DVD, um vídeo de demonstração que estará no DVD foi publicado no canal da Fundação Blender no Youtube.

É um vídeo de quase 20 minutos e que mostra parte do conteúdo relacionado com design de personagens.

O autor mostra no vídeo o processo de criação e proporções relacionadas ao design de personagens virtuais, para animações ou outros projetos que envolvem personagens. A parte de design dos personagens geralmente é feita por artistas especializados, que apresentam diversos testes e estudos para um supervisor ou diretor. Sempre com base nessas imagens e conceitos é que a equipe responsável pela modelagem 3d começa a trabalhar na criação dos personagens virtuais.

No decorrer desse vídeo, podemos acompanhar como o autor começa explicando noções de anatomia e quais as melhores proporções para cada morfologia diferente de personagem. Por exemplo, como fazer com que personagens pareçam ter mais músculos que outros? Depois disso, o processo de desenho e criação desse material gráfico começa nos softwares de pintura e segue ao longo de todo o vídeo no formato timelapse. Para seguir os procedimentos e tentar criar seus próprios personagens usando essas técnicas, é extremamente recomendável usar uma tablet para ajudar no desenho e esboço dos personagens.

Se você é artista 3d e gostaria de começar a trabalhar com design conceitual de personagens, esse é o material ideal para que as habilidades necessárias para criar esses conceitos sejam trabalhados no Blender. Quando o conceito do personagem estiver pronto e bem definido, basta abrir o Blender e começar a modelar o personagem para animação ou compor uma imagem estática. O importante é que todas as decisões importantes foram tomadas na arte conceitual, acelerando significativamente a modelagem 3d.

O DVD pode ser encomendado nesse endereço. Eu já encomendei a minha cópia do DVD.

Novo DVD de treinamento do Instituto Blender: Chaos & Evolution

O Instituto Blender anunciou essa semana mais um DVD de treinamento com material voltado aos artistas que usam Blender e softwares de código aberto. Agora p tema segue uma linha mais voltada para a ilustração e desenvolvimento de personagens, principalmente para as pessoas interessadas em trabalhar com pintura. O DVD se chama Chaos & Evolution, sendo totalmente desenvolvido no GIMP e mostra os procedimentos e técnicas do artista David Revoy, um dos integrantes da equipe do projeto Durian e principal responsável pelo design dos personagens e arte conceitual do projeto.

No que se refere aos softwares utilizados é bom salientar que o material faz uso de uma versão alterada do GIMP chamada de GIMP-Painter, e uma ferramenta para esboços chamada Alchemy.

O material ainda está em pré-venda e deve fazer muito sucesso entre os artistas 3d interessados em desenvolver ainda mais suas habilidades artísticas. Esse é um ponto delicado do treinamento, pois segundo a descrição do material na página da e-shop da Fundação Blender, o autor do DVD considera que você já possui uma mesa digitalizadora especializada em pintura como as Wacom. Mesmo apoiando as iniciativas do Instituto Blender é muito importante lembrar as pessoas que pretendem comprar o DVD, que a habilidade artística pode fazer muita diferença na realização dos exercícios e projetos mostrados no DVD.

dvd-treinamento-gimp-pintura.jpg

É importante ressaltar esse tipo de aspecto do DVD que é inerente ao assunto abordado, pois a pintura requer esse tipo de conhecimento. Já vi muitas pessoas ficarem frustradas por não conseguir criar formas simples usando Photoshop ou GIMP, apenas por não ter habilidade com desenho ou ilustração.

Com mais esse treinamento o Instituto Blender chaga cada vez mais próximo dos websites que oferecem grandes bibliotecas de treinamento, especializados em animação e efeitos com ferramentas como 3ds Max, Maya e Softimage. Assim o Blender aparece como opção para um número crescente de artistas e interessados em trabalhar nessa área. Se você é usuário do Blender, e principalmente, trabalha profissionalmente com ele, a compra do DVD ajuda na manutenção do Instituto e no desenvolvimento do Blender.

Eu já vou reservar a minha cópia! O ideal seria conseguir uma mesa digitalizadora como uma Wacom Cintiq, mas pelo preço do dispositivo ainda vou ter que esperar um pouco.

Tutorial de introdução ao Terragen 2: Criando nuvens em 3D

Desde que publiquei na última semana um artigo falando sobre o lançamento do Terragen 2, algumas pessoas me solicitaram um pequeno tutorial em português, com algumas dicas de como começar a trabalhar com o software. Nesse final de semana acabei gravando um vídeo mostrando o básico sobre a interface do Terragen 2, assim como uma introdução a configuração de paisagens e efeitos atmosféricos do software. Para produzir esse tutorial, foi usada a versão gratuita do Terragen, que apresenta algumas limitações em termos de renderização, como limites para o anti-aliasing e detalhamento dos objetos no cenário, mas nada que dificulte a criação de ambientes e paisagens.

Antes de continuar, assista ao vídeo com a introdução ao Terragen:

Na parte superior da interface do Terragen, encontramos vários botões com opções para configurar a cena e adicionar efeitos e propriedades a atmosfera, iluminação, terreno, elevações e outros. Todas as vezes que você quiser editar ou adicionar elementos, use um desses botões. No menu localizado a esquerda da interface, aparecem as opções de ajuste e configuração dos elementos geométricos.

Um dos pontos interessantes para quem está conhecendo o Terragen pela primeira vez, é a quantidade de parâmetros e opções que simulam ambientes e características reais de paisagens. Por exemplo, repare no nome que cada um dos tipos de nuvens recebe. Como forma de estudar a composição climática da nossa atmosférica, os itens de configuração do software ajudam muito. Principalmente pela possibilidade de adicionar e visualizar em tempo real as alterações.

Por isso, o uso do Terragen é muito interessante para estudantes e pessoas na criação de paisagens realistas.

No tutorial é apresentada a técnica necessária para acionar nuvens volumétricas ao cenário virtual, que são uma representação em 3D das nuvens. Existem outros objetos que representam simulações das nuvens em 2D. O consumo de recursos nesse caso é bem menor, mas por outro lado à qualidade visual das nuvens é inferior ao efeito de nuvens volumétricas.

Se você quiser continuar com a criação dessa interface, recomendo que adicione algum tipo de elemento ao terreno, como elevações ou mesmo superfícies com água. O resultado do render com esse tipo de paisagem é excelente. O processo de criação para esse tipo de objeto é bem semelhante ao que fizemos para os itens da atmosfera, quando foram adicionadas as nuvens.

Sumopaint: Ferramenta gratuita de pintura online

Um termo que sempre é mencionado quando o assunto é o futuro da tecnologia é o chamado cloud computing, em que um dia todos os nossos processos e sistemas devem ser executados na internet, sem que seja necessário armazenar dados nos nossos computadores. Apesar dos recentes avanços nesse sentido para ferramentas como o Office, a área de computação gráfica ainda está muito longe de fazer parte dessa revolução. Mas, ainda assim algumas vezes nos surpreendemos com a qualidade das ferramentas online que estão sendo lançadas.

O Sumopaint é um desses ótimos exemplos de ferramenta gratuita que funciona na web. A sua função é reproduzir um ambiente de pintura digital, no melhor estilo Photoshop ou Corel Painter. Mesmo sendo gratuito e funcionar totalmente na web, a lista de recursos do Sumopaint é impressionante:

  • Pinturas organizadas em camadas
  • Camadas com suporte a efeitos de mistura
  • Efeitos de layer
  • Pincéis, formas geométricas e de desenho a mão livre
  • Ferramentas de desenho vetorial
  • Ferramentas de seleção (varinha, lasso e stamp)

Só por essa pequena lista de recursos, qualquer usuário mais experiente do Photoshop já ficaria impressionado, mas depois que você começa a usar a ferramenta é que as coisas ficam mais claras. Além de todas essas vantagens o sistema é extremamente rápido e flexível.

Esse é um vídeo de demonstração publicado pela empresa responsável pelo Sumo:

Algumas dúvidas e pontos interessantes que podem surgir em relação ao uso da ferramenta:

  • Pelo que pude perceber não há restrições no tamanho da pintura. Em um teste rápido consegui criar e trabalhar sem maiores problemas em imagens com 1920 x 1080 pixels (FullHD)
  • Depois que a ilustração estiver pronta, você pode salvar o arquivo no próprio Sumo ou fazer o download da imagem para seu computador em JPEG ou PNG
  • As imagens salvas na sua conta do Sumopaint mantêm as camadas e efeitos

A quantidade de recursos existentes na ferramenta é semelhante ao que encontrávamos em versões mais antigas do Photoshop. Para ilustrações simples e trabalhos que não exijam grandes quantidades de memória, o Sumopaint é mais que suficiente. O maior benefício será para estudantes e entusiastas de arte digital, pois com essa ferramenta é possível praticar pintura em qualquer sistema sem nenhum custo.

Talvez no futuro a empresa responsável pelo Sumopaint torne o serviço parcialmente pago, pois lá já está em uso um sistema de créditos. Você ganha créditos ao divulgar suas ilustrações entre outros usuários da comunidade, em que outras pessoas podem atribuir notas para a qualidade do trabalho. Quanto mais trabalhos de qualidade, mais créditos você ganha. Todos os usuários já começam com 1000 créditos, em que na medida em que o sistema é usado esse número vai caindo. Mesmo assim, deve demorar muito para que você os créditos de um artista acabem, cada imagem nova consome em média 5 pontos.

Eu já estou usando!