Biblioteca de materiais para o Blender Cycles

O Blender Cycles é um renderizador que está em constante evolução, e apesar de ainda não estar completo e com recursos que o equiparem a opções de código aberto como o YafaRay ou LuxRender, já podemos criar imagens de excelente qualidade usando o software. E como acontece na maioria dos renderizadores, estava no momento de orgaizar uma base de conhecimento sobre o Cycles, principalmente no que se refere a materiais e texturas procedurais. A medida que os usuários e artistas começam a usar a ferramenta, surgem configurações prontas que podemos replicar nos mais variados projetos usando o Cycles.

Para ajudar nesse tipo de repositório, um artista chamado Meta-androcto está organizando nos fóruns BlenderAartists uma grande coleção de materiais criados usando o Cycles para distribuição posterior de maneira gratuita, usando a estrutura do já consagrado BlendSwap.

Biblioteca de materiais com Blender Cycles

A idéia é adicionar diversos materiais já prontos dentro desse repositório em categorias como:

  • Metais
  • Pedras
  • Vidro
  • Metais preciosos
  • Tecidos

Se você já criou algum desses materiais e gostaria de contribuir com essa coleção, basta visitar o endereço indicado e publicar o seu material. Esse tipo de repositório de informações deve ajudar de maneira significativa, principalmente as pessoas que não tem muita experiência com o Cycles.

Claro que a melhor opção é sempre criar os seus próprios materiais, e o repositório pode ser útil para o aprendizado também, pois será possível usar as informações como ponto de partida para criar materiais derivados, ou então como referência para criar novos efeitos em superfícies.

Caso você nunca tenha criado materiais com o Cycles, o grande desafio para quem não tem experiência com o Blender e gostaria de começar a elaborar materiais, é que boa parte do poder e flexibilidade do renderizador aparece quando usamos o Node Editor do Blender para configurar esses materiais. E quem nunca usou o Node Editor pode ficar um pouco intimidado em começar a configurar os primeiros materiais, mas garanto que isso é algo temporário, e assim que você criar os primeiros materiais, os próximos são muito mais fáceis de conceber!

Curso sobre renderização avançada com Blender Cycles

Se você quiser aprender a utilizar o Blender Cycles para renderização, recomendo uma visita a página do curso sobre renderização avançada com Blender Cycles. Nesse curso, você aprende a usar o Cycles para gerar imagens realistas usando o novo renderizador do Blender.

Resultado do sorteio no EAD – Allan Brito

No início de outubro fiz o anuncio de um sorteio aqui no blog que tinha como objetivo recompensar os participantes dos cursos que estou oferecendo no EAD – Allan Brito. Para participar do sorteio era bem simples, bastava fazer a inscrição em qualquer um dos cursos oferecidos no EAD – Allan Brito, e depois publicar uma mensagem no Twitter com a seguinte frase:

@allan_brito Quero ganhar o livro Blender 3D – Jogos e Animações ou o DVD Blenderella do EAD – Allan Brito goo.gl/SPVyA #b3d

Com isso você já garantia a participação no sorteio, lembrando que era necessário fazer a inscrição em um desses cursos:

As inscrições no curso básico de Blender não contavam para a participação no sorteio. Depois de reunir todas as mensagens das pessoas que se fizeram a inscrição e publicaram a mensagem, já tenho os dois ganhadores do sorteio! Esses são os ganhadores:

O sorteio foi realizado ontem no final da tarde e fiz uso do random.org para sortear os nomes de uma lista de participantes. Parabéns aos dois ganhadores! Essa semana estou entrando em contato com ambos para providenciar o envio dos seus prêmios. Agradeço a todos pela participação, e aos que não foram contemplados, podem ficar tranquilos que esse não foi o último sorteio do EAD – Allan Brito!

Como você deve ter lido nos meus últimos artigos e pelo Twitter, os cursos online tiveram um atraso no mês de outubro devido a uma viagem que precisei fazer, mas já estou organizando o material que tinha gravado e produzindo novos vídeos. Essa semana termino o curso de Blender Cycles que está com duas aulas pendentes, e pretendo abrir as inscrições de dois novos cursos de Blender. Um sobre modelagem para arquitetura e outro de rigging.

O curso de rigging é um pedido antigo dos participantes dos cursos que pretendo viabilizar argora em novembro e também o de modelagem para arquitetura. Junto desses dois cursos tenho o curso básico de SketchUp, que deveria ter sido disponibilizado ainda em setembro, mas também atrasou! São três cursos começando juntos essa semana! Parece que o final do ano será bem movimentado.

Aula 05 do curso de Blender Cycles e versão 2.60!

Depois de alguns dias afastado aqui do blog devido a uma viagem para fora do país, estou retornando as atualizações diárias de conteúdo. Entre as minhas pendências com os leitores aqui do blog, estava à atualização das últimas aulas do curso de renderização avançada com Blender Cycles, que acabou de receber a sua quinta aula, abordando o uso de texturas no novo render do Blender. Como ficava complicado encontrar um lugar bom para gravar as aulas estando em viagem, acabei optando por esperar até estar no quartel general em casa, para conseguir fazer as gravações com boa qualidade e calma.

O meu cronograma agora aponta para a publicação de todas as aulas desse curso até o dia 07/11! Só faltam duas aulas.

Blender2.60.png

Essa viagem foi bastante oportuna para enriquecer as atualizações do blog, pois adquiri uma licença do pacote Production Premium CS5.5 da Adobe, e agora estou munido de versões Full do Flash, After Effects , Illustrator, Photoshop e Premiere. Isso significa que poderei escrever e produzir tutoriais sobre essas ferramentas com mais tranquilidade, e depender menos de vídeos em inglês para ilustrar meus artigos.

O pacote tinha como objetivo outro projeto que estou para iniciar, mas será muito útil para produção de conteúdos aqui no blog! Portanto, aguardem por muitas novidades em relação aos softwares da Adobe.

O Blender recebeu uma atualização já anunciada aqui no blog, e agora está na sua versão 2.60 com muitas novidades, e para os usuários que migraram para a versão 2.5, a boa notícia é que toda a interface e funcionamento do software foram mantidos em relação à nova interface. Isso significa dizer que o Blender 2.60 é totalmente compatível com a versão 2.5x, sem a necessidade de nenhum tipo de guia ou adaptação à nova interface.

Ainda estamos sem o Cycles e algumas das novidades para a próxima versão, como o sistema de tracking de câmera, mas é apenas questão de tempo até que a versão 2.61 seja lançada e essas novidades estejam disponíveis para todos os usuários em versões estáveis!

Agradeço a todos os que enviaram mensagens perguntando sobre as atualizações no blog, e quero avisar que estou retornando hoje com motivação e muitos textos acumulados para publicação!

Guia sobre renderização e V-Ray

O uso de ferramentas que ajudam ou facilitam a vida de profissionais e artistas para gerar imagens realistas, sempre foi prática comum na computação gráfica. A grande maioria dos profissionais não se importa muito em usar softwares diferentes ou conjuntos de ferramentas, contanto que as opções escolhidas proporcionem o maior grau de qualidade com o mínimo de tempo para o render. Nos casos em que é possível investir largas quantias financeiras em softwares, esse tipo de mentalidade é bastante aceitável. Entre as soluções de render que mais atraem usuários em busca do equilíbrio entre qualidade e render, o V-Ray é um dos mais visados, principalmente no mercado de visualização para arquitetura. Mas, a sua fama se espalha até mesmo em empresas de renome como o estúdio Blur.

Basta conferir essa entrevista com Kevin Margo que foi supervisor de computação gráfica no trailer de Firefall. A animação produzida pelo estúdio Blur fez uso do V-Ray para materiais e diversos outros elementos da produção, que segundo o Kevin Margo, impressionou a todos no estúdio devido a rapidez com que as imagens eram geradas, sem perder a qualidade.

Será que a animação ficou boa? O vídeo abaixo mostra o resultado:

Assim como acontece com todos os projetos em que o estúdio Blur se envolve, o resultado é impressionante em termos visuais e também técnicos.

Esse tipo de resultado se deve ao uso do software ou o talento das pessoas envolvidas no projeto? Claro que o conhecimento técnico e a habilidade artística da equipe são fundamentais, mas o software ajuda com recursos disponíveis para gerar imagens mais rápidas ou com algoritmos avançados.

Se você nunca uso ou teve a oportunidade de testar o V-Ray, encontrei um texto interessante sobre o software que faz referência ao seu uso como opção de render para diversas plataformas. O texto é intitulado de “O que é o V-Ray? Como funciona e sua evolução?“. Claro que tomei a liberdade de traduzir o título, pois o texto original está em inglês. Caso você não goste ou tenha dificuldades de ler em inglês, sempre temos a opção do Google Translator que resulta em algo até compreensível.

int_kitchen

O texto é interessante devido a abordagem do autor que comenta sobre o surgimento do V-Ray como ferramenta auxiliar para o 3dsmax ainda nos anos 90, e a sua posterior expansão. E para explicar a evolução do software de uma abordagem voltada apenas para o uso de CPU e a recente evolução para as GPUs, acaba explicando muitos conceitos relacionados com computação gráfica como Render e geração de imagens. Esse guia sobre renderização com o V-Ray deve ajudar muitas pessoas a conhecer mais sobre o software. Essa é uma realidade para muitos artistas, pois o V-Ray já se desprendeu do 3dsmax faz tempo, estando disponível para Cinema 4D, Maya, Blender e muitos outros softwares.

Simulando a luz do dia com 3dsmax e mental ray

Nas diversas etapas de preparação e desenvolvimento de um projeto de animação ou criação de imagens estáticas com softwares 3d, a iluminação dos ambientes é vista por várias pessoas como a chave para conseguir uma boa imagem. Isso pode ser encarado como verdade, mas está longe de ser o único fator que determina a qualidade visual de uma imagem em 3d. Como parte de um conjunto maior a iluminação serve para atribuir contexto e dar vida a uma imagem gerada em ambiente frio e sem vida que é o computador.

O tipo mais comum de iluminação que podemos trabalhar para projetos 3d é a simulação da luz do dia. Muitas pessoas preferem recorrer a técnicas avançadas de iluminação para trabalhar com projetos de simulação da luz do dia. Caso você não tenha trabalhado com esse tipo de iluminação ou esteja aprendendo a trabalhar com luzes em 3d, encontrei dois tutoriais que devem ajudar muitas pessoas. Os vídeos mostram a preparação da mesma cena para render usando o tradicional scanline render do 3dsmax e depois o mesmo projeto com o mental ray.

A parte interessante do render usando scanline é que o autor mostra diversos gráficos e dicas sobre o funcionamento das luzes do 3dsmax, e quais delas se aplicam melhor a simulação da luz solar.

Para resolver o problema da iluminação externa a melhor solução é realmente usar um Array de luzes com intensidade bem reduzida, que gera um excelente efeito de iluminação global usando poucos recursos de hardware. Esse sistema e interessante também por ser universal e funcionar em praticamente qualquer software 3d.

Já no segundo vídeo podemos acompanhar a mesma cena sendo que agora com a ajuda do mental ray e recursos avançados de iluminação. A quantidade de pontos de luz é drasticamente reduzida nesse caso, fazendo com que o usuário precise apenas de um ponto de luz na cena.

Com o mental ray renderizando a cena o autor do vídeo pode fazer uso dos materiais próprios do mental ray como o Arch & Design e mapas do tipo HDRI para ajudar na iluminação. No final temos uma imagem com resultado bem semelhante ao que foi conseguido usando apenas luzes tradicionais do 3dsmax.