Download gratuito de mapas HDRI para render externo

As técnicas usadas para adicionar iluminação em cenários são as mais variadas, e envolvem tanto truques de cenário como a aplicação de iluminação utilizando imagens. Entre os truques que podemos utilizar para adicionar iluminação em cenários está a criação de estruturas que distribuem os pontos de luz sobre os objetos do cenário, criando domos de luzes do tipo Spot, ou então a distribuição de luzes do tipo ponto em anéis.

Entre todos esses métodos o que oferece o maior nível de realismo para representação de cenários é a aplicação de mapas HDRI. Esses mapas são imagens esféricas que podem ser aplicadas como texturas no ambiente do modelo 3d. A vantagem desse tipo de mapa é que a imagem consegue armazenar a energia luminosa do lugar no momento em que a foto foi capturada.

Ao aplicar essa imagem em um cenário virtual, podemos reproduzir de maneira realista o ambiente capturado. Em muitas produções de filmes e comerciais, as equipes de efeitos capturam fotografias nesse formato dos cenários, para conseguir mesclar melhor a iluminação natural com objetos gerados em computador.

Caso você queira fazer o download de alguns mapas em HDRI de maneira totalmente gratuita, o web site VizPeople está disponibilizando para download gratuito dez mapas em alta resolução (6000×2900) de mapas HDRI para cenários externos.

download-hdri-gratuito.jpg

O material pode ser copiado e usado em projetos que não tenham fins comerciais, o que deixa livre o uso para estudantes e pessoas interessadas apenas em praticar com esses mapas.

Aproveite a visita ao VizPeople e faça o download de imagens do tipo Cutout de pessoas para aplicação em projetos de renderiação.

Qual o melhor renderizador externo para o Blender 3D?

Os artistas e profissionais que almejam trabalhar com a visualização de projetos arquitetônicos ou produtos usando softwares como o Blender 3D, passam pelo mesmo tipo de dúvida que os artistas do 3ds Max, Maya e outros. A quantidade de renderizadores externos disponíveis para cada ferramenta é grande, sendo muitas vezes motivo de impasse na finalização de um projeto. Na semana passada um artigo na BlenderNation, mencionou um estudo realizado por um artista chamado Gupta, em que diversas opções de renderização para o Blender 3D foram testadas, comparando qualidade e tempo de render.

O artigo em si pode ser copiado e os resultados ajudam um pouco na escolha de opções como o YafaRay e LuxRender. Qual o melhor entre eles? E o Kerkythea? Sunflow? Todos eles são excelentes renderizadores, mas em minha opinião você deveria se restringir ao uso do LuxRender e YafaRay para seus projetos no Blender 3D.

House View 1

Assim como acontece com as comparações entre ferramentas como o V-Ray e Maxwell Render, que tem propósitos e maneiras de manipular a renderização bem diferentes, o mesmo acontece com o YafaRay e LuxRender com a separação entre renderizadores do tipo biased e unbiased. Qual a diferença?

  • YafaRay – Biased: O renderizador YafaRay é conhecido como biased por usar algoritmos que simulam a maneira com que a luz se comporta no mundo real. Esses truques podem em algumas vezes sacrificar a qualidade e realismo das imagens, em prol da velocidade e eficiência do render. O que podem gerar imagens de maneira mais rápida, mas com um nível de realismo um pouco menor.
  • LuxRender – Unbiased: Aqui temos um renderizador do tipo Unbiased que usa algoritmos que simulam o comportamento real da luz no mundo real. O resultado é um render extremamente realista e com representação de materiais e reflexões fiéis ao que acontece no mundo real também. O problema é que esse realismo exige um alto preço que é o tempo de render mais longo.

Nesse caso a melhor opção é integrar ambas as ferramentas no seu processo de produção, escolhendo cada uma das opções de acordo com as necessidades de cada projeto. Por exemplo, um projeto que exija a criação de imagens internas com alto nível de realismo são adequadas para renderização com o LuxRender. Já os projetos de imagens externas são excelentes para render com o YafaRay, pois o balanço entre qualidade e tempo de render é o melhor nesse tipo de projeto.

Novidades sobre o Arnold Render

Na área de computação gráfica existem alguns softwares que também ficam em desenvolvimento por longos períodos de tempo, até que um dia finalmente retornam para disponibilidade como uma ferramenta comercial. Esse é o caso de um renderizador chamado Arnold Render, que deve ser familiar para os usuários de softwares 3d que estão acompanhando notícias e lançamentos desde o começo da década. Sim, lembro bem que o Arnold foi anunciado no final dos anos 90 ainda como uma ferramenta em desenvolvimento e que *em breve* teria uma versão comercial lançada, com integração pronta para o 3ds Max, Maya, LightWave e outros.

Um renderizador chamado Messiah Render incorporou parte dos algoritmos usados pelo Arnold, sendo comercializado como uma ferramenta externa aos softwares citados no parágrafo anterior. Bem, ao que parece o Arnold Render voltou a aparecer em listas de discussão do Softimage XSI com alguns testes preliminares de uma possível versão comercial do renderizador. Quem está dando suporte ao desenvolvimento do renderizador é a Sony Pictures Imageworks, que está aproveitando o renderizador em alguns dos seus projetos envolvendo efeitos especiais. Para mostrar como o renderizador é rápido e suporta recursos avançados, os testes fizeram comparações entre renders produzidos pelo Mental Ray e pelo Arnold.

render-3d-mental-ray-arnold-b

No link indicado é possível conferir diversas imagens com os respectivos tempos de render, o que é realmente impressionante é que na maioria dos casos as cenas renderizadas com o Arnold foram geradas em apenas 25% do tempo necessário com o Mental Ray, o que é uma façanha e tanto. Mas, como a ferramenta ainda está em desenvolvimento e não há sequer um web site oficial, isso significa que devem existir diversos bugs e problemas com o renderizador. Mesmo assim, as marcas alcançadas nos testes impõem respeito e devem acirrar ainda mais a competição entre os renderizadores externos. O reinado do Mental Ray no Maya está chegando ao fim com o lançamento do V-Ray para o Maya em alguns dias.

Será que o Arnold será lançado em breve? Como o software está sendo desenvolvido pela Sony Pictures é bem possível que ele acabe se transformando em algo semelhante ao que é o Marionette, a lendária ferramenta de animação usada internamente pela Pixar para criar as suas animações.

Indigo Renderer não será mais Freeware

No final de Abril, uma notícia publicada nos fóruns oficiais do Indigo Renderer pagou muitos artistas e usuários de software de surpresa. Como você já deve ter percebido, caso tenha usado o Indigo alguma vez, o software é gratuito para que você use em projetos particulares ou comerciais. Mas, ele não usa o mesmo modelo de licença aberta que o Blender 3D usa, o software é distribuído como um Freeware. Mas, como forma de manter o projeto e continuar o desenvolvimento o Indigo passará em breve para o modelo de distribuição comercial. Em poucas palavras, para usar o software você precisará comprar uma licença!

O anuncio nos fóruns do Indigo foi feito na semana passada, ainda não existem datas ou prazos para que a mudança aconteça. Mesmo assim, já podemos encontrar algumas opiniões fervorosas de usuários e artistas, principalmente os mais antigos, dizendo que se sentem traídos em contribuir com o desenvolvimento do software nos últimos anos.

O que se sabe até agora é que a empresa criada para comercializar o Indigo, chamada de Glare, promete melhorias significativas e também um grande avanço nos softwares que exportam cenas para o Indigo. O preço cogitado para a licença é de 500 Euros, sendo que uma versão gratuita para uso não comercial será disponibilizada com restrições no tamanho do render e também uma marca d'água. Para os primeiros seis meses de comercialização do software, a empresa também planeja um tipo de licença vitalícia. Pela metade do preço, você tem acesso a atualizações ilimitadas do Indigo.

Como isso pode impactar os usuários do Blender 3D? Eu uso Indigo, vou ter que comprar?

Muitas dessas perguntas foram feitas no fórum, e como sei que o Indigo é um software importante hoje na comunidade de usuários e artistas 3d usando Blender, resolvi fazer um apanhado com as respostas para as principais dúvidas.

A primeira coisa que devo comentar é que será lançada uma versão atualizada do Indigo, tipo uma versão 2.0, com o modelo de licença comercial. O que você tem hoje instalado no seu computador, não muda em nada. O modelo de licença Freeware permanece. O que não será mais possível é usar as atualizações lançadas posteriormente. Portanto, se você usa hoje o Indigo com o Blender 3D, não há necessidade para pânico. Muitos usuários estavam furiosos nos fóruns do Indigo, imaginando que seu trabalho não poderia usar o Indigo.

Para saber mais sobre essa mudança, visite esse link com a discussão nos fóruns do Indigo.

Quais as conseqüências disso para o Blender 3D? Bem, o que pode acontecer é que os usuários do Indigo podem migrar em massa para soluções como o LuxRender. Isso seria bom para o Lux, que ainda precisa de apoio e incentivo ao desenvolvimento. No médio prazo ainda acho que pouca coisa deva mudar, principalmente para quem já está acostumado com o um workflow integrando o Indigo.

Antes que você também fique decepcionado com a mudança nas regras de uso do Indigo, lembre que isso sempre foi uma possibilidade. Como o software não é aberto, o detentor do código fonte tem todo o direito de fazer isso. O que acho sobre isso? Acredito que o autor está no direito dele, manter esse tipo de software não é fácil. Só acho que ele tem uma tarefa dura pela frente, pois o Indigo passará a competir diretamente com o Maxwell Render e Fry Render. Em termos de recursos e facilidade de uso, o Indigo ainda está bem atrás em comparação aos softwares comerciais.

Tutorial de Radiosidade com Blender 3D e YafaRay

A radiosidade é uma das diversas técnicas usadas para melhorar a iluminação em ambientes 3d, inclusive é um método de representar a luz que não é muito usado hoje nos diversos renderizadores comerciais V-Ray, Mental Ray e outros. No Blender 3D a radiosidade é mais utilizada para adicionar cores em vértices para projetos que usam render em tempo real na Game Engine. A configuração de uma cena com radiosidade no Blender 3D apresenta algumas particularidades, como a necessidade de um objeto do tipo Mesh que emita energia luminosa na cena. Sim, a maneira com que a radiosidade funciona exige que criemos um objeto que emita luz.

Caso você queira aprender a técnica necessária para reproduzir a iluminação com radiosidade com o Blender 3D, usando o YafaRay para renderizar a cena, o tutorial abaixo mostra a técnica necessária para criar uma simulação dessa maneira. No YafaRay existe uma opção chamada Meshlight que permite aos objetos emitir energia luminosa na cena.

O tutorial está disponível em 720p e também pode ser uma excelente introdução a renderização com o YafaRay com o Blender 3D.

O objetivo do vídeo é criar uma cena em que o cubo com várias faces fragmentadas, apresenta cores e níveis de iluminação diferentes. Para isso será necessário transformar as faces dos objetos em entidades independentes, assim será possível editar e ajustar de maneira mais fácil os materiais. Na modelagem da cena o procedimento é exatamente o mesmo que usamos normalmente no Blender 3d.

No momento da renderização é que usamos as opções de iluminação global do YafaRay, para determinar que os objetos devem emitir luz. Você deve escolher o script que faz a integração entre o Blender 3D e YafaRay. Assim que o YafaRay for acionado, você deve acessar a opção Object/Light/Camera e pressionar o botão “Enable Mesh Light”. Apenas se esse botão estiver pressionado é que os objetos podem ser habilitados para emitir energia luminosa. Podemos escolher opções como a cor da luz e também a intensidade.

Esse procedimento é realizado para cada um dos objetos que emite luz na cena. Depois que está tudo configurado na parte de materiais e objetos que emitem luz, o próximo passo é determinar o método de renderização usado na cena. No YafaRay existem vários métodos, sendo que nesse em particular o autor usou Pathtracing.

Pronto! Agora é só acionar o render e a cena será gerada com os objetos coloridos na cena emitindo energia luminosa. O efeito é exatamente o mesmo que a radiosidade cria em renderizações.