Problemas na renderização com o V-Ray?

O processo conhecido como renderização em softwares 3d é um dos que mais consome memória e processamento na sua execução, e podemos dizer que para renderizar alguns tipos em particular de cenas é necessário ficar longos períodos renderizando as cenas para conseguir resultados satisfatórios. Isso quando não acontecem problemas no meio da renderização como erros no render causados pelos mais variados fatores, sendo que o mais comum é as falta de memória RAM. Sim, em cenas demasiadamente complexas a falta de memória RAM no computador pode resultar em erros repentinos na renderização e perda de horas de trabalho.

Já recebi vários e-mails e perguntas pelo Twitter de usuários querendo tirar dúvidas sobre problemas relacionados a erros de render no mental ray e V-Ray. Existe alguma coisa a fazer nesses tipos de situação?

The worst blue-screen-of-death ever.

Como solucionar erros de render no 3ds Max e V-Ray?

Para os usuários do 3ds Max que utilizam o V-Ray como software para gerar as suas imagens, encontrei um excelente guia publicado pelos pessoal do Renderstuff. Eles criaram um grande tutorial em texto explicando como resolver problemas de render relacionados a falta de memória RAM no V-Ray.

  • O tutorial é muito bom e ajuda a responder as seguintes perguntas:
  • Como evitar que o 3ds Max trave devido a falta de memória RAM?
  • O que fazer quando o V-Ray parar repentinamente na renderização?
  • Como lidar com a falta de memória RAM no V-Ray?
  • Como renderizar uma cena com milhões de polígonos?
  • Como melhorar o desempenho do computador durante o render?
  • O que é o raycasting e como a aceleração do V-Ray funciona?
  • O que é o BSP tree e como a sua estrutura é organizada no V-Ray?
  • Qual a diferença entre o Raycaster dinâmico e estático?
  • Quando o V-Ray usa a paginação de memória ou o Swap?
  • Como fazer o V-Ray usar o Raycaster dinâmico?
  • O que são os V-Ray buckets?
  • Para que serve o log do V-Ray?
  • Como alterar a prioridade do render no V-Ray?
  • O que fazer quando o V-Ray travar durante o cálculo do Light Cache?
  • Como calcular a melhor quantidade do Dynamic Memory Limit?

O texto do tutorial é longo, mas vale a pena a leitura, principalmente para quem gosta de conhecer os aspectos técnicos de como funcionam softwares como o V-Ray no 3ds Max.

Exemplos de configuração para render com V-Ray

Um dos maiores desafios para as pessoas que se aventuram em usar um renderizador do tipo o V-Ray é entender diversos parâmetros de render disponíveis, e como a modificação de apenas um desses parâmetros pode influenciar de maneira positiva ou negativa o render. Para conseguir entender o que faz cada uma dessas configurações, precisamos trabalhar com a descrição de cada parâmetro ou então realizar vários renders de teste para avaliar as mudanças ocasionadas nas imagens.

Se você for usuário do V-Ray e quiser economizar algum tempo com o entendimento dos ajustes nas imagens com base nas configurações e métodos de render, encontrei um artigo que pode ajudar de maneira significativa a escolher o melhor método e configuração para o seu projeto. Ao visitar essa comparação de ajustes para renderização, será possível visualizar uma grade com várias imagens, e pequenas descrições na parte inferior.

Render-V-Ray.jpg

Essas descrições explicam os ajustes utilizados para gerar cada uma das imagens, que aproveitam os vários métodos de render do V-Ray como Light Cache, Brute Force e Irradiance Map. As descrições já comentam de maneira breve as vantagens e desvantagens de cada um dos resultados, ressaltando a velocidade com que foi gerada cada uma das imagens e também detalhes como a suavidade das sombras.

Para quem está estudando o V-Ray e não faz a menor idéia de como trabalhar e escolher os parâmetros de render, esse tipo de material é muito útil. Mas, é importante lembrar que apesar de servir como guia, você precisa fazer os seus próprios experimentos com o software, para encontrar as melhores soluções para cada projeto.

Na configuração desse tipo de projeto é difícil selecionar um conjunto de parâmetros que funcione para todos os tipos de situação.

Uma coisa que sempre gosto de fazer é renderizar um projeto e anotar na imagem usando editores, como o GIMP ou Photoshop, os parâmetros que foram usados para gerar aquela imagem. Isso serve de base para entender o efeito que cada um dos ajustes teve na imagem, principalmente no estágio em que realizamos vários testes para descobrir a melhor configuração para um projeto.

Eu recomendo a você fazer o mesmo, para ajudar nos seus estudos!

Materiais com sujeira no V-Ray para SketchUp

O objetivo da maioria dos artistas 3d é criar imagens com o máximo de realismo para apresentar espaços ou produtos que ainda não existem, sendo essa uma das tarefas dos artistas especializados em visualização para arquitetura. Uma das técnicas mais usadas para adicionar realismo em objeto 3d é a criação de pequenos defeitos nas cenas, que possam representar com clareza a intervenção humana nesses espaços. Os objetos e espaços criados em softwares 3d tem a tendência de parecerem perfeitos demais, limpos e artificiais. Ao comparar esse tipo de imagem com fotografias, em algumas situações a diferença é percebida de imediato devido a ausência de pequenos defeitos ou fenômenos óticos como granulação na imagem ou mesmo sujeira nos objetos.

Sim, a sujeira que é tão indesejada em espaços físicas é em algumas situações necessária para adicionar mais realismo em cenas 3d.

Uma das técnicas para criar sujeira em modelos 3d é no trabalho com as texturas, em que podemos editar os cantos dos objetos e pintar a sujeira necessária para conseguir o efeito desejado, e em outras situações os próprios renderizadores já possuem opções próprias para gerar sujeira.

Esse é o caso do V-Ray para o SketchUp que já dispõe de um shader próprio para gerar sujeira nos objetos renderizados com o software. Você quer aprender a criar sujeira com o V-Ray no SketchUp?

No vídeo abaixo que já é uma produção da divisão resultante da aquisição feita pela ChaosGroup da antiga ASGVIS que agora é ChaosGroup USA, podemos acompanhar a configuração de um material usando o V-Ray Dirt no SketchUp. A cena está configurada para simular a iluminação de um studio para ajudar com a demonstração usando um fundo infinito.

O processo consiste na escolha de um material do tipo White Dirt e a configuração do TexDirt, que tem duas cores básicas que precisam de ajustes. No caso uma cor preta e outra branca que controlam os níveis de sujeira no material. No vídeo o autor faz uso de tonalidades diferentes nessas cores para conseguir o efeito da sujeira.

O resultado final é bem interessante, e tirando um pouco a interface do V-Ray no SketchUp que é um pouco confusa, parecendo até mesmo que ainda está em desenvolvimento com aqueles enormes espaços entre as opções da interface, a técnica utilizada pode ser muito útil para incrementar o realismo da cena.

Materiais com iluminação no 3ds Max e V-Ray

No planejamento da iluminação de um ambiente a primeira coisa que pensamos é na distribuição de pontos de luz pelo espaço, para conseguir organizar de maneira adequada a energia emitida pelas luzes, e gerar o efeito desejado. Mas, nem sempre o uso das fontes de luz tradicionais dos softwares 3d resolvem a iluminação dos ambientes. É preciso pesquisar por meios alternativos de iluminação que não estejam relacionados diretamente com os pontos de luz. Esses métodos são chamados de alternativos, pois estão em locais que não são associados diretamente com a iluminação de objetos. Por exemplo, os materiais que conseguem emitir energia luminosa. Nesse ponto é preciso fazer uma divisão entre os que realmente conseguem gerar iluminação, e os outros que servem apenas como meio de deixar mais claros os materiais.

O último caso é conhecido como Self Illuminate, e não serve para ajudar na iluminação dos ambientes e cenas. No V-Ray dentro do 3ds Max existe um tipo de material muito útil chamado de VRayLightMtl que ajuda a gerar um efeito de iluminação em objetos. No tutorial abaixo, você pode acompanhar a criação de um material que simula uma lâmpada fluorescente com a ajuda de um material do tipo VRayLightMtl e um mapa de textura. Mas, a iluminação dessa cena é complementada com uma luz do tipo área do próprio V-Ray.

O procedimento para usar a VRayLightMtl é muito simples e requer apenas a atribuição do tipo de material ao objeto que deve emitir a luz, e a associação da textura, para conseguir as sombras um pouco mais escuras nas pontas da lâmpada, como ocorre com as fontes de luz do tipo fluorescente.

Se você quiser saber mais sobre a VRayLightMtl, visite esse endereço que lista várias configurações diferentes para o material e pode ajudar você a encontrar o melhor ajuste sua iluminação.

A maioria dos softwares e renderizadores possuem um tipo de material que emite energia luminosa como é o caso do VRayLightMtl, e você deve pesquisar no seu software preferido, como esse tipo de iluminação funciona. Entre as vantagens desse tipo de iluminação, está a associação de um perfil do tipo IES para gerar iluminação fotométrica, e conseguir efeitos realistas de iluminação.

Script ajuda a editar luzes do V-Ray no 3ds max

Os chamados renderizadores externos quando instalados junto de softwares 3d adicionam diversos recursos extras para ajudar os artistas a gerar imagens realistas, usando o mínimo possível de configuração e ajustes. Claro que isso acaba jogando muita da responsabilidade de gerar a imagem no hardware, pois será preciso recorrer a algoritmos que usam muito da CPU e GPU para simular o comportamento da luz no mundo real. Mas, alguns desses renderizadores adicionam elementos próprios como luzes e materiais, que muitas vezes acabam dando um pouco de trabalho devido a falta de algum manipulador ou recurso. Esse é o caso do V-Ray que instalado no 3ds max, acaba adicionando as chamadas V-Ray Lights que são tipos de planos que emitem luz.

Qual o problema das V-Ray Lights? Sempre que usamos esse tipo de luz no 3ds max, precisamos ficar rotacionando o plano para conseguir a orientação desejada das luzes. Se você é usuário do 3ds max e ilumina as suas cenas usando as V-Ray Lights, então o script chamado de TargetVRayLight deve chamar a sua atenção. A sua função é extremamente simples, mas pode acelerar a produtividade em projetos usando o V-Ray. Ele consegue adicionar um alvo para as V-Ray Lights, permitindo que a sua orientação seja ajustada de maneira muito semelhante ao que fazemos com luzes como a Spot.

O vídeo abaixo mostra o plugin em ação, sendo usado para ajustar a orientação das V-Ray Lights:

A instalação do script é bem simples, sendo necessário apenas copiar o arquivo do plugin dentro do diretório “””.

O uso desse tipo de luz é bem difundido entre usuários do V-Ray devido a técnica que várias pessoas conhecem, que consiste no posicionamento desse tipo de iluminação nas aberturas das cenas, principalmente quando trabalhamos em renders de interiores. Esse tipo de luz acaba jogando muita energia para dentro dos ambientes e sem complementadas com uma V-Ray Sun, permite gerar um tipo de iluminação bem realista para esse tipo de projeto. Esse esquema de iluminação é quase uma receita de bolo, que precisa de ajustes nos parâmetros do V-Ray no momento do render, mas acaba gerando bons resultados.

Com o uso do TargetVRayLight a manipulação das luzes no V-Ray deve ficar bem mais fácil e rápida no 3ds max.