Sony bloqueia Sintel no Youtube por violação de copyright

O que você faria caso fosse acusado de plágio em um dos seus projetos, mesmo tendo a certeza de que tudo é criação sua? A Fundação Blender passou por esse tipo de contratempo nos últimos dias, graças a um incidente no seu canal do Youtube. Um dos seus últimos projetos de animação aberta chamado de Sintel, foi bloqueado pelo Youtube devido a uma alegação de violação de direitos pela Sony. Sim, a gigante japonesa que é produtora de eletrônicos e proprietária de vários estúdios alegou que um trecho da animação Sintel estava violando os seus direitos.

Por algumas horas foi impossível assistir Sintel no Youtube, pois aparecia uma mensagem avisando sobre a possível violação. A imagem que ilustra esse artigo foi publicada na BlenderNation, e representa exatamente a situação. Essa não é a primeira vez que produtores de conteúdo independentes sofrem com o que provavelmente foi mais um caso de “falso positivo” pelo sistema de varredura digital do Youtube.

sony-blocks-sintel

Hoje a reprodução da animação já estava restaurada, mas durante o período de tempo em que o bloqueio persistia, uma boa quantidade de usuários se mobilizou para reclamar e criticar a atitude do Youtube. Isso provavelmente deve ter acelerado o processo de revisão do vídeo.

Mas, o que exatamente aconteceu?

Para quem não conhece o sistema de verificação de conteúdo do Youtube, a explicação para a existência desses contratempos é muito simples. Quem faz essas varredura é um software que compara o conteúdo dos vídeos com material fornecido pelos estúdios, e quando encontra alguma coisa suspeita o vídeo do canal é imediatamente bloqueado e marcado para revisão. A verificação humana do conteúdo é feita apenas no final do processo, o que gera essa grande quantidade de “falsos positivos” e cria esse ambiente inóspito para pequenas produtoras de conteúdo.

O mais irônico nessa situação é que a Sony usa imagens do Big Buck Bunny para divulgar televisores, sem citar a fonte. Isso é uma violação da licença creative commons. Tudo bem que o bloqueio de Sintel não é culpa da Sony e provavelmente deve ser creditado ao software de detecção do Youtube, mas não deixa de ser irritante e em certos aspectos revoltante.

Você quer ajudar o Instituto Blender a criar ainda mais animações como Sitel? Não deixe de conferir o projeto gooseberry, que inclusive está precisando da sua ajuda.

Próximos projetos do Instituto Blender: Mango e Gooseberry

O Blender é um software que melhora a cada dia com o auxílio de uma comunidade de artistas e desenvolvedores dedicados a compartilhar seus conhecimentos, e também fornecer ferramentas e software para que outras pessoas possam trabalhar. Apesar de termos essa comunidade de usuários ativa, ainda existem as iniciativas do Instituto Blender que tem como objetivo aplicar na prática o software em projetos de grande porte, para demonstrar a capacidade do software em projetos complexos como a produção de uma animação. Dessa iniciativa já surgiram as animações Elephants Dream, Big Buck Bunny e recentemente Sintel. Todo o material dessas animações é distribuído de maneira gratuita usando uma licença Creative Commons, que faz com que muitas empresas aproveitem os vídeos para demonstrar produtos relacionados com mídia. É bem comum encontrar os vídeos do instituto em TVs, Plugins e outras demonstrações relacionadas com vídeo.

Hoje foi anunciado por ninguém menos que Ton Roosendaal que o próximo projeto do Instituto terá o codinome de Mango, e será seguido por outro ainda maior chamado de Gooseberry. O modelo de desenvolvimento do Mango, que segue a tradição de receber nomes de frutas antes de ter um título, está ainda em fase embrionária e deve realmente ser iniciado com a captação de fundos em setembro desse ano.

Blender-Institute.jpg

Agora, o que chamou minha atenção é o projeto Gooseberry (também uma fruta), que segundo o comentário no Twitter será um projeto ainda mais colaborativo. O modelo que temos hoje é baseado no recrutamento de artistas ao redor do mundo, que passam alguns meses se divertindo trabalhando no Instituto, usando os fundos arrecadados na pré-venda do DVD de cada projeto. Esse modelo funcionou muito bem até Sintel e deve ser o mesmo adotado para Mango.

Mas, o Gooseberry deve expandir ainda mais o processo e segundo o Ton Roosendaal, o escopo será ainda maior! O objetivo será fazer uma animação muito mais longa que as que estamos acostumados, passando facilmente de 20 minutos. Como o Ton colocou como objetivo a criação de um Feature Film, e esse tipo de projeto tem no mínimo 40 minutos de duração, você pode imaginar a quantidade de trabalho que será necessária para concluir o projeto.

Como ele pretende resolver esse problema? A solução será usar estúdios de animação ao redor do mundo, e não apenas a equipe concentrada no Instituto Blender. Interessante, não é? Ainda é cedo para dizer quando será o início, mas o projeto está previsto para começar e terminar entre 2012 e 2014.

Tutoriais sobre Blender 2.5 de Colin Levy

O material que acompanha o DVD de Sintel é um dos melhores guias de aprendizado multimídia para o Blender 2.5, e que por enquanto ainda não foi disponibilizado na íntegra para download no webs site do projeto, mas isso é apenas questão de tempo. Enquanto você não pode conferir todo material, caso não tenha adquirido o DVD, que tal assistir aos tutoriais do Colin Levy? Mas, quem é Colin Levy? Ele é ninguém menos que o diretor de Sintel e responsável por muito do que assistimos no projeto, inclusive os ajustes no enredo. Para ajudar as pessoas que ainda estão aprendendo o Blender 2.5, ele decidiu colocar no seu web site pessoal a coletânea com todos os vídeos que acompanham o DVD de Sintel que foram de sua autoria.

Os vídeos são um conjunto de tutoriais em vídeo que mostram o funcionamento do Blender em vários aspectos, desde a explicação sobre a interface até partes mais complexas como retopologia e animação de grupos.

tutoriais-blender-25.jpg

No total podemos encontrar os 12 vídeos com os seguintes títulos:

  1. Interface e Local View
  2. Lamp Specials
  3. Parent Chain (hierarquias), OnlyRender
  4. Simplify, Open in OS
  5. Camera Switching (Alterando a câmera na animação)
  6. Lights Placement
  7. Cursor Origin, Link OB data
  8. Quick Render, Comp UI
  9. Seq. Color, Chart Addon
  10. Retopo, Projection
  11. F-Curve, Navigation
  12. Animation Groups

As explicações e o conteúdo dos tutoriais são de excelente qualidade e principalmente os usuários mais experientes do Blender devem gostar, pois os assuntos abordados em cada vídeo remetem na sua maioria a conteúdos existentes nas versões 2.4 do Blender. Portanto, se você quiser saber o que mudou em relação ao funcionamento básico do Blender na versão 2.5, usando Sintel como exemplo, recomendo assistir e copiar todos os tutoriais.

Caso você não tenha o DVD de Sintel, essa é a oportunidade de conhecer um pouco da qualidade e tratamento dado aos tutoriais existentes no conjunto com 4 discos, sendo um deles apenas para esse tipo de conteúdo.

Para em quem teve que aprender muito sobre as atualizações do Blender, enquanto estava atualizando o Blender 3D – Guia do Usuário para a quarta edição, esses vídeos seriam de grande ajuda na época. Pena que só tive acesso a eles com a chegada do DVD.

Amostra dos extras no DVD de Sintel

A produção do projeto Durian que deu origem a animação Sintel totalmente produzida usando o Blender, só foi possível graças aos usuários que acreditaram no projeto e compraram o DVD da animação ainda na fase de planejamento. Isso mesmo, as pessoas compraram o DVD, estou incluso nesse grupo, antes mesmo do projeto iniciar. Com a promessa de receber ao final do processo toda a animação e um apanhado generoso de extras com tutoriais e dicas, criadas pela própria equipe. A boa notícia para todos que estão ansiosamente aguardando pelo DVD é que os mesmos foram finalizados e o processo de reprodução já começou!

Se você estava preso dentro de uma mina nas últimas semanas, e não assistiu ainda a animação Sintel, pode fazer isso agora mesmo usando o vídeo abaixo:

Mas, como devem ser esses tutoriais? Para as pessoas que já tiveram oportunidade de adquirir os DVDs dos projetos Open Movie do Instituto Blender, a qualidade e tipo do material deve ser muito parecido. Os artistas envolvidos na produção colocam a mão na massa, e mostram algumas das técnicas que eles usaram para criar elementos para o projeto. Uma maneira de saber como os extras devem ser apresentados nos discos, é com os dois vídeos que são uma amostra do que podemos esperar no material final.

O primeiro vídeo mostra como Angela Guenette trabalhou a animação facial da personagem título da animação. Já no segundo vídeo temos Colin Levy ensinando um pouco de composição e render com o Blender.

Os dois vídeos são curtos comparados ao que podemos esperar no produto final, que tem nada mais que quatro discos! Mesmo que você não tenha condições de adquirir o DVD, o material deve ser disponibilizado para download depois de algumas semanas, pois tudo é licenciado em creative commons. A liberdade é tamanha que os personagens e materiais das animações podem até mesmo ser usadas para projetos comerciais.

Claro que o melhor mesmo é comprar uma cópia do DVD, para ajudar a financiar futuros projetos do Instituto Blender. Lembre que o Blender é gratuito, mas precisamos financiar a mão de obra responsável pelas produções. Agora é só ter um pouco mais de paciência e aguardar pela chegada dos DVDs.

Sintel disponível para download

Hoje foi um dia histórico para a comunidade de usuários do Blender, pois a aguardado projeto Durian que resultou na animação Sintel foi disponibilizada para download. Sim, depois da estréia para uma pequena platéia na segunda, agora podemos fazer o download da animação resultante de aproximadamente 17 meses de trabalho. Para quem não está lembrado, o projeto Durian foi anunciado pelo Instituto Blender em maio de 2009, e apenas nesse mês de setembro tivemos as projeções com o produto final do projeto.

Como acredito que todos devem estar curiosos para assistir a animação, nada melhor que conferir o projeto no Youtube, evitando a lentidão dos servidores em que os arquivos de vídeo estão hospedados.

Se você quiser fazer o download do vídeo em alta resolução, pode visitar o web site oficial e escolher entre diversas opções de servidores e resoluções. Só devo avisar, que o download está muito lento, resultado da divulgação e ansiedade dos usuários em conhecer o projeto.

O DVD com extras ainda não está pronto, mas assim que o mesmo for finalizado, o pessoal do Instituto deve começar a despachar o box com quatro discos, para os que fizeram a pré-compra do material. Essas pessoas estão listadas como contribuidores do projeto nos créditos. O meu nome está lá!

Quais as minhas impressões sobre Sintel? Tecnicamente o trabalho do Instituto Blender foi fantástico, ainda mais se considerarmos que o Blender usado no projeto foi desenvolvido ao longo do processo de criação. Tudo isso foi feito com uma versão ainda em Beta/Alpha. A primeira impressão é de orgulho e euforia, pois sabemos que todo o potencial do Blender, para produzir esse tipo de material envolvente, está acessível para todas as pessoas. Assim que você vai assistindo mais vezes, percebemos alguns pequenos, eu disse pequenos, problemas na animação, mas nada que comprometa a riqueza da produção. Essa é a sina de quem trabalha vendo animação todo dia, você acaba encontrando problemas até nos comerciais na TV.

Uma coisa que pode ser percebida pelo produto final quando comparamos com os planos originais, é que alguns dos objetivos do projeto Durian não foram alcançados, ou foram alterados, como a criação de um sistema que permitisse trabalhar com animações de multidões. Como o projeto pretendia trabalhar com temas épicos, esse item estava na sua lista de objetivos iniciais.

Se você é um daqueles espectadores que presta atenção em detalhes, deve ter percebido que o pessoal do instituto adicionou várias referências ao Elephants Dream e Big Buck Bunny. Você achou essas referências? Liste nos comentários as suas impressões, e referências.