Tecnologia de animação facial gratuita para estudantes

A animação facial é sempre um dos estágios que geram a maior quantidade de trabalho em equipes especializadas em animação 3d. Com uma animação facial de qualidade é possível fazer com que os personagens de qualquer história passem emoções e representem exatamente o que se espera do roteiro de uma boa história. Mas, como você já deve ter percebido, caso assista a muitas animações em 3d, a animação facial é talvez uma das partes mais complexas e difíceis de executar dentro de qualquer projeto, pois lida com inúmeras variações minúsculas de movimento nos rostos dos personagens, o que representa grande desafio para qualquer animador 3d.

É devido a essa dificuldade que muitas equipes acabam recorrendo a sistemas de captura de movimento para representar expressões faciais, devido a facilidade e rapidez com que esse tipo de sistema pode configurar uma boa animação fácil. O lado negativo desse tipo de solução é o custo, que geralmente é muito maior do que o que seria empregado em sistemas de animação tradicional. O que fica caro nesse tipo de sistema são os equipamentos e softwares necessários para conseguir capturar e processar captura de movimento para animações faciais.

Mas, como estamos na época de um dos maiores eventos do mundo para profissionais de computação gráfica que são as olimpíadas é a Siggraph que ocorre esse ano em Los Angeles, muitas empresas especializadas na área fazem promoções e lançamentos de produtos na feira, e a Faceware technologies que é uma empresa especializada em sistemas para captura e movimento para animação facial anunciou um novo programa de incentivo ao uso de suas tecnologias por parte de estudantes. Para ter acesso ao material, a instituição em que você estuda precisa entrar em contato com a Faceware e solicitar a inscrição no programa. A página com o anúncio oficial pode ser conferida nesse endereço.

O primeiro projeto que já faz uso da tecnologia da Faceware também foi exibido, e totalmente criado por estudantes dentro de um período de apenas 4 semanas, o que é bem impressionante. O projeto se chama Stina and the Wolf.

Stina & the Wolf – test shot from Stina & the Wolf on Vimeo.

Se você é estudante e gostaria que a sua instituição fosse uma das participantes desse programa educacional, é interessante entrar em contato com o coordenador do seu curso, pois ele pode fazer o contato com a Faceware.

Referências gratuitas para animação de personagens

A criação de animações envolvendo personagens nunca é tarefa fácil ou rápida, pois envolve uma gama variada de informações e muito trabalho manual, dependendo da tecnologia escolhida para gerar os movimentos. Agora, seja com o uso de tecnologias 2D ou 3D, um bom animador sabe que são necessárias referências para conseguir bons resultados na dinâmica dos movimentos, principalmente para as pessoas que não possuem tanta prática com animação. Nas minhas aulas sobre animação, sempre passo referências relacionadas a movimento para meus alunos, pois assim eles podem copiar boa parte da dinâmica existente em vídeos e depois adicionar o seu toque pessoal como animadores.

Caso você também queira começar a criar animações usando referências, descobri essa semana uma excelente fonte de informações direcionada especialmente para artistas envolvidos com animação de seres humanos. Um canal no Youtube agrega diversas animações de pessoas nas mais variadas situações, e disponibiliza um pequeno trecho de vídeo, suficiente para que possamos adicionar como plano de fundo na viewport ou 3d view, e copiar o movimento.

O vídeo abaixo é um dos exemplos disponíveis nessa coleção:

Esse tipo de solução é mais genérica, pois não tem nenhum tipo de movimento preparado exclusivamente para um projeto. Para os casos em que é necessário trabalhar com movimentos mais complexos como a luta entre dois personagens, ou mesmo uma performance de dança, seria mais interessante partir para a captura de movimento.

A diferença de utilizar a captura de movimento para projetos de animação, ou trabalhar com os tradicionais keyframes, é que no caso da captura teremos o trabalho de filtrar e adaptar os arquivos da captura no personagem e principalmente fazer a captura. Dependendo da tecnologia e equipamentos escolhidos, o custo da captura pode ser exorbitante!

Se você está com o orçamento baixo para o seu projeto de animação, existe sempre a possibilidade de utilizar uma câmera de celular posicionada de maneira estratégica em qualquer cenário, para gravar os seus movimentos em vídeo. O mesmo vídeo pode ser utilizado como referência para o seu projeto de animação, caso você não encontre nada na web.

Cursos de animação 3D e Rigging

Caso você queira aprender mais sobre animação 3D e Rigging, recomendo uma visita as páginas dos cursos de Animação 3D com Blender e Rigging de personagens com Blender. Ambos os cursos ensinam o necessário para começar a trabalhar com animação de personagens no Blender!

Inscrições abertas para o curso de animação 3d com Blender

O terceiro curso de Blender disponível no EAD – Allan Brito já está aceitando inscrições para todos os interessados em participar. Esse curso tem como tema a animação em 3d produzida com o Blender, e aborda os aspectos e ferramentas mais importantes relacionados com animação. O modelo de oferta é idêntico ao que já foi aplicado no curso Básico de Blender e o de modelagem poligonal. Para saber mais sobre o curso e realizar a inscrição, você pode acessar a página própria do curso de animação 3d com Blender, e inclusive conferir a lista completa das aulas.

Uma amostra do conteúdo do curso, pode ser conferida no vídeo abaixo, que faz parte da segunda aula, em que mostro como utilizar os Sliders da janela Graph Editor para ajudar a criar animações:

O curso em si é um pouco maior do que o de modelagem poligonal em termos de aulas, contando com três aulas a mais que o de modelagem poligonal. No total são 10 aulas divididas nos seguintes títulos:

  • Aula 01 – Animação por interpolação e keyframes
  • Aula 02 – Manipulando keyframes
  • Aula 03 – Trajetórias de animação com curvas
  • Aula 04 – Hierarquias para animação
  • Aula 05 – Usando constraints para animação
  • Aula 06 – Drivers
  • Aula 07 – Exercício de Animação – Braço robótico
  • Aula 08 – Animação por deformação com Bones
  • Aula 09 – Cinemática direta e inversa
  • Aula 10 – Renderizando animações

Nesse momento as aulas 1, 2 e 3 estão disponíveis no ambientes, e até o próximo domingo as aulas 4 e 5 ficam online. A previsão para que todo o curso esteja online é o dia 5 de Setembro. Para os que se inscreverem com antecedência, o tempo de validade da inscrição só contará do dia em que todas as aulas estiverem disponíveis. Mas, acredito que ainda deva demorar para começar a contar esse tempo de acesso, pois o curso de modelagem poligonal já está completo, e ainda não avisei aos participantes sobre início do prazo de 30 dias.

A inscrição no curso de Animação 3D é realizada mediante pagamento de uma taxa de R$ 39,90. Para os participantes do curso de modelagem poligonal, a inscrição pode ser realizada com desconto por R$ 35,90. Para fazer a inscrição com o desconto, você deve usar o link de inscrição disponível dentro do curso de modelagem poligonal.

Um ponto importante que deve ser esclarecido, é que esse curso não é específico sobre animação de personagens. Como estou recebendo muitos pedidos para um curso nesse sentido, é melhor avisar que no futuro devo produzir um específico sobre Rigging e animação para personagens, que é um assunto bem específico. O foco desse curso agora é a animação de maneira geral, e as ferramentas do Blender. Acho que os cursos até devem se complementar, pois a parte de Rigging é bem específica para personagens virtuais e animação por deformação.

A todos que realizarem a inscrição, já agradeço antecipadamente o interesse e espero que gostem do curso!

Tutorial Blender: Usando o Motion Trail para animação

Um dos Add-ons mais legais para trabalhar com animação no Blender é o Motion Trail, que na semana passada recebeu uma atualização e já está na sua terceira versão. O objetivo desse Add-on é bem simples, e consiste na criação de uma representação visual de qualquer trajetória de animação. Essa representação visual da trajetória em animação acaba sendo extremamente útil para fazer ajustes no processo como um todo, pois permite que os artistas trabalhem fazendo ajustes na animação diretamente na 3D View. Como resultado temos uma série de linhas e pontos na 3D View que mostram visualmente a animação.

Mas, como funciona esse Motion Trail?

Como sempre recebo pedidos de tutoriais, e na época em que comentei sobre a existência do Motion Trail várias pessoas entraram em contato pedindo orientações sobre como usar o Add-on, resolvi gravar um tutorial em vídeo mostrando como ele funciona. O procedimento para usar o Motion Trail é realmente simples e não requer nenhum tipo de conhecimento especial.

Versão alternativa do vídeo no Vimeo.

O primeiro passo evidentemente é fazer o download do Add-on e habilitar a ferramenta dentro do Blender, e depois disso você irá visualizar o painel de controle do Motion Trail em que podemos acionar a ferramenta com a opção “Enable Motion Trail”. Depois disso o Add-on já vai estar funcionando e poderemos trabalhar com animação.

Desse ponto em diante é tudo por conta do velho processo de posicionar o quadro da animação e adicionar keyframes com a tecla I. Para cada keyframe adicionado é criado na 3D View um ponto de referência representando a posição do objeto no tempo, e também uma linha ligando esses pontos.

O mais interessante desse Add-on é que podemos fazer quaisquer tipos de ajustes nas linhas depois que as mesmas são criadas, e com isso tudo fica mais fácil. Os pontos são uma representação da posição da animação, mas também de como podemos fazer ajustes manuais na animação. Por exemplo, e perfeitamente possível selecionar um desses pontos e depois com a tecla G deslocar o ponto usado pelo keyframe e fazer ajustes na animação como um todo.

Se você trabalha com animação no Blender, esse Add-on deve fazer parte do seu arsenal de ferramentas de ajuda na criação rápida de animações 3d!

Simulação de oceanos com Realflow

O uso de softwares e técnicas especiais para simular líquidos em grandes superfícies foi problema em quase todos os grandes projetos de animação, ou mesmo efeitos especiais. A solução para grandes estúdios e empresas especializadas em efeitos, era investir em solucoes desenvolvidas internamente e investir grandes quantias nesses softwares. Depois de certo tempo, começaram a surgir soluções baseadas em softwares especializados como o Realflow, fumefx e outros. Mas, ainda era necessário trabalhar com render de superfícies complexas e difíceis de manipular.

Sempre estou procurando informações sobre projetos que utilizam fluidos em larga escala, como forma de pesquisa para minhas aulas. Essa semana encontrei um vídeo que impressiona pela qualidade e complexidade.

O vídeo abaixo é uma animação que foi produzida e renderizada com dois softwares sendo o primeiro o Realflow e o Maxwell Render. O primeiro é especializado em simulacoes de fluidos e gases, e o renderizadores é um dos softwares que utilizam algoritmos baseados em física real para renderizar imagens. O seu sistema de render é semelhante ao LuxRender, Indigo, FryRender e outros softwares.

A simulação consiste na representação de uma embarcação que esta sofrendo bastante, pois a superfície de líquido na qual ele está, apresenta grande turbulência e ventos fortes, fazendo com que ondas atinjam em cheio o navio.

O realismo da simulação já está excelente em termos de animação e elementos. Mas, a renderizacao e finalização aplicada pelo Maxwell Render adiciona outro nível de realismo a cena. Como o render é baseado em física real, a iluminação gerada no vídeo é de boa qualidade, assim como os materiais que são aplicados nas superfícies do cenário, navio e principalmente no fluido que representa o oceano.

Já o segundo vídeo que ilustra esse artigo mostra outra simulação de oceanos gerada usando o Realflow, mas dessa vez o objetivo é bem específico. Esse vídeo faz parte de um making of para o próximo filme da série das Crônicas de Nárnia.

No vídeo podemos conferir diversos exemplos de como é possível integrar material gerado com o Realflow com filmagens reais, e o uso de referências para conseguir gerar o comportamento correto do fluido para os efeitos. Até pouco tempo atrás, esse tipo de animação seria gerada usando miniaturas ou montagens em animação manual.