Curso sobre Animação Baseada em Física com Blender

No primeiro episódio do meu videolog comentei sobre os próximos lançamentos de cursos no EAD – Allan Brito, e para os que lembram da citação, mencionei que seriam dois os novos cursos no site. Um deles já foi anunciado e está com participantes já inscritos que é o de Rigging para personagens com o Blender. E o segundo curso seria o de Animação Baseada em Física com Blender. Hoje tenho a satisfação de avisar que o curso de Animação Baseada em Física já está com inscrições abertas, e qualquer pessoa pode começar a aprender como funcionam essas ferramentas para animação com o Blender.

O curso é voltado para pessoas que tenham interessem em animação com o Blender, principalmente as que procuram adicionar ao seu portfólio de recursos a possibilidade de trabalhar com animações baseadas em física. Por exemplo, o uso de Rigid Body Dynamics para simular uma parede desmoronando, ou mesmo chuva com o uso de partículas que colidem em uma superfície sólida.

A lista de recursos e ferramentas que são abordadas no curso incluem:

  • Rigid Body Dynamics
  • Soft Bodies
  • Partículas
  • Fluidos
  • Cloth
  • Smoke
  • Dynamic Paint
  • Campos de força

Mais detalhes e a descrição sobre as aulas do curso, podem ser encontradas diretamente na página de detalhes do curso sobre Animação Baseada em Física com Blender.

Quer uma amostra do que você vai encontrar no curso? Os vídeo abaixo mostram um exemplo de animação criada usando o sistema de Rigid Bodies, e um dos vídeos que fazem parte da primeira aula.

O processo de inscrição no curso é idêntico a todos os outros do site, e os participantes dos outros cursos no EAD – Allan Brito podem fazer a inscrição com desconto, para isso é preciso usar os botões disponíveis dentro dos outros cursos no site. Quem quiser, pode aproveitar e fazer a inscrição usando o combo junto com o curso de Animação 3D, e receber mais de 10% de desconto no valor dos dois cursos. As informações sobre o combo estão na parte inferior da página do curso sobre Animação baseada em física.

Próximas atualizações nos cursos

Estou tentando manter um ritmo de produção acelerada das aulas e até agora estou publicando uma aula por dia. Amanhã devo publicar a aula 05 do curso de modelagem para arquitetura, e novas aulas do curso de Rigging também deve ser publicadas nos próximos dias. O vídeo abaixo mostra o que está sendo preparado para a aula 04 do curso de Rigging, com a configuração de uma perna usando IK e o sistema do pé-reverso para animação.

Exemplo de animação para arquitetura usando Blender

O que faz uma pessoa escolher determinado software como sendo a sua ferramenta principal para trabalhar com modelagem 3d e render? Existem vários fatores que ajudam a definir a escolha, sendo que entre eles podemos listar a quantidade de trabalhos e projetos desenvolvidos com aquela determinada ferramenta. É por isso que sempre é interessante agrupar exemplos de bons projetos criados com softwares em especial, para exibir em palestras e apresentações.

Essa semana foi publicado na web um exemplo muito interessante de projeto para quem gostaria de trabalhar com visualização para arquitetura no Blender, mas precisava de referências sobre a produção de material para arquitetura com o software.

Animação 3D para arquitetura usando o Blender

Um estúdio chamado Realworks publicou uma série de vídeos com animações produzidas especialmente para arquitetura, e que são um ótimo exemplo do que podemos fazer com o Blender para arquitetura.

Os vídeos são os seguintes:

O material impressiona pela qualidade e também por ter sido totalmente produzido com ferramentas de código aberto e gratuitas. Então o custo de produção das animações foi totalmente voltado para o hardware usado e os artistas que trabalharam no projeto. E quem já tentou fazer alguma coisa relacionada com animação, sabe o quanto é trabalhoso criar material semelhante.

Infelizmente não tenho detalhes técnicos sobre como o material foi produzido, mas pretendo entrar em contato com o pessoal do estúdio para fazer uma pequena entrevista, e passar mais detalhes sobre a técnica de iluminação usada, e até mesmo um depoimento sobre o uso do Blender para uso em arquitetura. A minha opinião você já deve saber, mas é sempre interessante saber o que outros profissionais tem a dizer sobre a ferramenta que usamos para trabalhar.

Dica:

Quer aprender a modelar e animar para arquitetura? Se você tem interesse em realizar esse tipo de projeto, recomendo uma visita aos cursos online de modelagem para arquitetura e animação com Blender. Com o conteúdo apresentado nesses dois cursos, você pode produzir conteúdo animado para arquitetura usando o Blender, e chegar a resultados semelhantes ao que é apresentado no vídeo.

Se você usar o botão abaixo até o dia 16/01/2012, a inscrição dos dois cursos juntos pode ser feita com desconto, pelo valor de R$ 69,90. O que garante o acesso ao material por 90 dias.





Tutorial Blender: Animação usando o Dynamic Paint

O Blender 2.61 apresentou diversas novidades em termos de recursos para os artistas que usam a ferramenta para produzir animações, mas claro que o maior destaque foi o Cycles. O novo renderizador do Blender é uma das maiores evoluções na área de render do Blender desde que ele foi criado. Mas, o Cycles não é a única opção de destaque na versão 2.61, e em minha opinião logo depois do Cycles aparece o Dynamic Paint como excelente opção para criar efeitos em animações. Como qualquer ferramenta nova, o Dynamic Paint gera várias dúvidas em usuários e artistas do Blender, e para ajudar as pessoas que estavam em dúvida, resolvi produzir um tutorial sobre o assunto.

Como usar o Dynamic Paint no Blender 2.61?

O tutorial abaixo mostra o que é necessário para usar o Dynamic Paint dentro do Blender, e considera que você já tem algum conhecimento básico sobre animação. O segredo para usar o Dynamic Paint é trabalhar coisa dois tipos de objetos que são o Canvas (moldura) e o Brush (pincel).

O Dynamic Paint é uma ferramenta de animação, portanto precisamos criar um sistema em que exista movimento para ver algum tipo de modificação nos objetos. Nesse caso foi criado um plano que funciona como canvas, e depois o brush foi associado a esfera que utiliza uma curva beziér como trajetória para animação.

Como o Dynamic Paint utiliza basicamente pintura de vértices para modificar o canvas, é preciso trabalhar com uma boa quantidade de subdivisões para que o efeito do Dynamic Paint seja visível. O resultado é realmente como se a esfera fosse pintando a superfície do plano, o que abre diversas possibilidades em termos de animação. Mas, a pintura não é só o que a ferramenta pode fazer! Além da pintura, podemos trabalhar com um modo de Displace que é ótimo para simular superfícies de neve ou areia, e também um Waves.

No caso do Waves, temos um resultado semelhante ao do Pond/Wake do Maya, que pode ser conferido no vídeo abaixo:

A ferramenta é fantástica e deve ajudar bastante na criação de efeitos que antes eram possíveis apenas com uso de montagem na pós-produção.

Dica: Para quem quiser aprender a trabalhar com animação no Blender, recomendo o curso online de Animação 3D com Blender, que pode ser realizado por qualquer pessoa, sem nenhum pré-requisito. Todo o curso usa vídeos semelhantes aos existentes nesse artigo. No link você pode conferir a lista completa de vídeos e os seus respectivos tempos.

Animação com deformadores no Cinema 4D R13

O uso de sistemas baseados em simulações físicas como o Rigid Body Dynamics é uma das maneiras mais simples que temos de iniciar uma animação básica, pois é necessário apenas configurar o comportamento dos objetos 3d. Depois de configurados os comportamentos, basta iniciar a simulação para conferirmos os objetos caindo e colidindo com outros participantes da simulação, e teremos uma animação configurara da maneira rápida. Mas, os sistemas de simulação física não servem apenas para esse propósito como mostra o pessoal da Maxon em um vídeo muito interessante sobre o uso da ferramenta chamada Collision Deformer do Cinema 4D R13.

Usando o Collision Deformer do Cinema 4D

O procedimento para usar o novo Collision Deformer do Cinema 4D pode ser conferido no vídeo abaixo, que apesar de ser curto, mostra muito bem o processo completo de configuração da ferramenta.

O primeiro passo para usar o Collision Deformer é escolher a opção Collision dentro do painel de deformadores, e fazer com que o mesmo seja filho da geometria que será deformada. Na parte inferior do painel de opções ficará disponível uma opção chamada Colliders, que são os objetos que podem deformar a malha 3d. Selecione o objeto desejado e arraste o mesmo até esse campo, para que o mesmo consiga deformar objetos 3d. Uma das dicas do vídeo consiste na escolha do solver, que pode determinar a maneira com que a deformação acontece.

No tutorial o autor escolhe Inside Stretch, o que faz com que ao deslocar os objetos e causar uma colisão, o resultado será o efeito do modelo 3d sendo esticado. Esse tipo de animação seria trabalhosa de criar sem o uso desse tipo de ferramenta, e o Collision Deformer se mostrou bem rápido para deformar a malha toda. Mesmo sem dados mais concretos sobre a densidade da malha 3d e do computador usado para gravar a simulação, o resultado é bem interessante. Isso transforma a malha em algo muito parecido com tecido.

Esse é apenas um dos recursos recém-adicionados ao Cinema 4D R13 como parte do seu sistema de simulação baseada em física. Assim que tiver mais material sobre as outras ferramentas, publico os vídeos aqui no blog.

Blender 2.61 Beta e novidades em ferramentas

O Blender 2.60 foi lançado no final de Outubro e já temos o seu sucessor quase saindo do forno, pois a versão 2.61 já está disponível para download como um beta. Sim, o Blender que deve entregar aos seus usuários a versão estável do Cycles e o aguardado sistema de camera tracking está na sua versão Beta (Release Candidate?), e já pode ser copiado nesse endereço. A nomenclatura mudou um pouco, mas essa é uma versão que deve ser avaliada e testada antes de ser adotada em ambientes de produção.

Os maiores destaques dessa versão são exatamante o Cycles e o sistema de tracking de câmera, mas diversas correções de bugs e melhorias devem ser aplicados junto com a atualização.

Mas, para os que acham que depois dessa atualização não devem restar mais grandes atualizações, você está muito enganado! Para as versões futuras do Blender ainda resta muita coisa para ser lançada. Nesse artigo vou destacar duas delas que devem ser de grande ajuda para animadores. A primeira é uma atualização para o sistema de tracking de câmera que vai permitir realizar tracking de objetos no Blender.

Ao usar objetos de referência em vídeo, poderemos substituir elementos em vídeo como mostra o exemplo abaixo:

A outra atualização está relacionada com um patch chamado Particle Surface Polygonizer, que transforma os fluidos que simulam partículas em polígonos! Hoje esse tipo de simulação com base em partículas é limitada pelo uso de objetos e materiais que não representam de maneira satisfatória as superfícies dos líquidos.

O vídeo abaixo mostra um exemplo de como isso pode ajudar na simulação de fluidos:

Essas são apenas algumas das futuras atualizações que podem aparecer no Blender, e se somam a outros recursos como o já prometido B-Mesh e outros que estão ainda aguardando para fazer parte do já vasto leque de recursos do Blender.

Como começar a usar o Blender?

Se você quiser começar a usar o Blender, recomendo começar com o curso gratuito de Blender 2.5 no EAD – Allan Brito. O curso foi criado com o Blender 2.5, mas a interface e menus do 2.6 são idênticos aos da versão 2.5 e o curso pode ser aproveitado e aplicado na íntegra nessa nova versão. Esse curso é 100% online e não tem custo de inscrição.