Tutorial Blender: Configurando materiais em wireframe com Add-ons

A apresentação do objetos 3d modelados em softwares como Blender, 3ds Max, Maya e outras ferramentas pode ser feita de várias maneiras. Sempre que é preciso apresentar a estrutura do objeto para fins de avaliação do modelo 3d, é interessante fazer uma renderização expondo o wireframe do objeto 3d. Em algumas ferramentas 3d existem até mesmo materiais próprios para esse tipo de render, mas no caso do Blender é preciso fazer alguns pequenos ajustes nos materiais para conseguir o efeito e exibir as linhas do arame na imagem.

O truque é bem simples e consiste na criação de dois objetos idênticos com materiais diferentes aplicados, sendo que um deles é configurado como sendo do tipo Wire. Com o ajuste do parâmetro Z Offset, conseguimos o efeito do render em arame.

Como configurar materiais em wireframe no Blender?

Mas, para as pessoas que precisam realizar esse tipo de configuração de maneira constante, existe um Add-on que pode ajudar bastante no processo. O script se chama Setup Wire Materials e deixa todo o processo de configuração do material em arame automatizado.

Para mostrar como o script funciona, montei um pequeno tutorial em vídeo que demonstra a configuração e uso do Setup Wire Materials no Blender 2.61.

A parte interessante desse script é que ele também permite criar estruturas em arame para uso com o Blender Cycles. Esse parâmetro Z Offset dos materiais não existe no Cycles, e para contornar o problema o script cria uma cópia do objeto selecionado e cria uma estrutura volumétrica usando as arestas do modelo 3d como base. O resultado é que podemos criar um render em arame com o Cycles. Mas, cuidado ao usar essa opção pois ela pode deixar o sistema muito lento. Já tentei usar a criação de estruturas para o Cycles com modelos complexos, e de quatro tentativas apenas em uma delas o computador não travou.

Antes de escolher essa opção é interessante salvar o projeto, ou para os que gostam de viver perigosamente, deixe para salvar apenas depois que a estrutura estiver pronta.

Dica:

Caso você queira aprender a usar o Blender para trabalhar com animação e modelagem, recomendo uma visita ao EAD – Allan Brito. Lá você poderá realizar um curso online gratuito de Blender básico, e também pode prosseguir com seus estudos em outros cursos intermediários e avançados sobre o Blender.

Produzindo uma imagem realista com o Blender 3D

O Blender 3D até pouco tempo atrás, ficava de fora das relações de softwares usados para criar modelos e renderizações realistas. Pelo simples fato de não existirem muitos artistas, que usavam o software e submetiam suas criações para comunidades de usuários e artistas 3d como a CG Society ou Evermotion. Essa última comunidade, sempre foi dedicada à promoção do 3ds Max e do V-Ray como plataformas para renderização de cenas realistas para visualização arquitetônica. Mas, com o crescimento do Blender 3D como ferramenta, as coisas estão mudando rapidamente.

Para exemplificar como é possível encontrar trabalhos de qualidade como o Blender, sendo exibidos em várias comunidades de artistas 3d, visite esse endereço que leva até um making of para a imagem que ilustra esse artigo. A imagem foi totalmente produzida e renderizada com o Blender 3D, usando apenas o seu renderizador interno. Nenhum tipo de artifício ou render externo foi usado para ajudar na sensação de realismo.

blender3d-imagem-realista

A imagem se chama “15 minutos de glória”, em que o ratinho tenta aparecer sobre um palco para ter seus breves 15 minutos de fama.

O artigo que descreve o processo de criação dessa imagem não é muito detalhado, mas apresenta algumas dicas interessantes e mostra como o autor usou de maneira inteligente, as ferramentas certas do Blender para conseguir finalizar o projeto. A parte de modelagem foi praticamente toda realizada usando modelagem poligonal, tanto para o microfone como para o rato 3d.

Uma das partes mais detalhadas do artigo fala sobre a criação do material que simula os pêlos do rato. A mistura e composição do material que dá realismo ao personagem é uma mistura de textura com materiais procedurais.

Agora, o segredo mesmo para a sensação de realismo na imagem é o sistema de iluminação, em conjunto com a organização dos nós na página. Na última página do making of, podemos conferir o esquema completo de iluminação usado pelo artista, que trabalha com a velha e boa organização de luzes com base em cor e intensidade, conhecido por muitos como fakeosity. A habilidade artística para iluminar uma cena é fundamental nesses casos.

Depois ainda é possível conferir a configuração dos nós, usados para fazer a pós-produção da imagem. Mesmo não sendo um tutorial detalhado, só o fato do Blender 3D ser usado para criar esse tipo de imagem, já mostra uma evolução em termos de aceitação na comunidade de artistas 3d.

Quero agradecer ao leitor José Eduardo, pela dica enviada pelo formulário de contato.

Como criar metal escovado no LightWave usando nodes?

Alguns tipos de materiais em 3d constituem grande desafio para os artistas, principalmente pela complexidade com que suas superfícies são representadas. Assim como os parâmetros de renderização, configurar os materiais e texturas de um modelo 3d não atrai tanta atenção nos artistas iniciantes, como a modelagem. Por isso é fácil encontrar modelos 3d extremamente detalhados, mas com trabalho de materiais e texturas que deixa muito a desejar. Um desses materiais complexos é o chamado metal escovado, que junto com o vidro jateado é um desafio e tanto para alguns artistas, pela dificuldade técnica que alguns softwares impõem na elaboração desses materiais.

Navegando pelos fóruns da Newtek, descobri um ótimo tutorial produzido para usuários do LightWave, que mostra o processo completo de configuração de materiais do tipo metal escovado, usando apenas o node editor do LightWave. O tutorial está todo em vídeo, com 23 MB que podem ser copiados nesse link.

Quem pode se aproveitar esse tutorial? Todos os artistas 3d que usam softwares com sistema de nodes podem tentar adaptar a técnica para a sua própria ferramenta. Por exemplo, o Blender 3D e o Maya dispõem desse sistema e podem facilmente reproduzir o material, tudo que você precisa fazer e seguir as mesmas ligações criadas pelo autor.

Depois de uma breve configuração do ambiente, o autor mostra como adicionar vários nós e criar a superfície de metal escovado. Na verdade ele usa um truque, misturando texturas procedurais e outros artifícios na iluminação para reproduzir o efeito.

A solução não é definitiva, o próprio autor comenta no início do vídeo que ele usou uma técnica que pode muito bem ser alterada e os resultados obtidos por seqüência diferentes de comandos e nós. Mesmo assim, vale pelo conhecimento na elaboração do material, que é complexo! Quem já tentou fazer sabe o que estou falando.

Sempre que mostro esse tipo de desafio em aula, acabo mostrando dois caminhos bem distintos para a solução do material:

  • Texturas: Aplicar uma imagem para representar o material
  • Procedural: Usar a textura procedural do próprio software

A primeira opção é a que se mostra de menor desempenho e interação com a especularidade do material, além de demandar mapas para texturas com tamanho razoável. Na segunda opção, os materiais procedurais gerados pelos nós são ótimos para tudo, pois economizam recursos na renderização e não dependem da resolução do mapa de textura. A interação com a especularidade e reflexões do ambiente é perfeita.

Quem usa o Blender 3D, pode fazer o download de dois exemplos de cenas já configuradas com materiais semelhantes a metal, não escovado, mas de tipologia muito semelhante nesse arquivo com materiais do tipo Anisotropic, esse é o outro arquivo.