Autodesk Softimage XSI: Tutorial completo de modelagem 3d por subdivisão

A técnica mais simples que podemos usar para trabalhar com modelagem 3d é a chamada subdivisão, que consiste na criação de primitivas geométricas que devem ser transformadas e deformadas para criar objetos mais complexos. Isso se aplica a praticamente qualquer tipo de topologia ou elemento 3d, desde objetos orgânicos até os mais geométricos. Quais transformações são essas? Sempre que me refiro as transformações que um objeto 3d pode receber, estou falando sobre translação, rotação e escala. Essas são as três operações básicas da modelagem 3d, base para qualquer tipo de modelagem.

Para exemplificar o poder que esse tipo de modelagem com princípios simples e práticos pode ter nas mão de um artista paciente, encontrei um tutorial em vídeo que mostra o processo de criação de um objeto futurista no Autodesk Softimage, usando basicamente esse conjunto de técnicas. O mais interessante do vídeo é que a mesma técnica pode ser reproduzida em qualquer software 3d, pois a grande maioria dos softwares suporta a técnica, diferente de tutoriais que abordam o uso de NURBS.

Só existe um pequeno detalhe em relação ao tutorial que você deveria saber antes, é que o mesmo tem uma hora e meia de duração. Isso mesmo, é possível acompanhar a modelagem 3d no Softimage em detalhes nesse vídeo.

Poligon modelleme – Autodesk Softimage XSI from Emre Şan on Vimeo.

Outro detalhe interessante em relação ao vídeo é que o artista manipula tudo usando apenas uma tablet e um mouse 3d, que é aquele dispositivo com um cilindro na qual é possível determinar ângulos de visão e a inclinação da câmera. Se tem uma coisa que particularmente nunca consegui fazer foi manipular softwares 3d usando tablets, mesmo nos locais em que ministro aulas e que dispõe desses dispositivos em todos os computadores para uso no 3ds Max, acabo levando meu próprio mouse.

No que diz respeito ao tutorial e os métodos usados para construir o modelo 3d, podemos observar que ao longo de todo o processo o autor usa basicamente as mesmas técnicas para construir o modelo, repetindo o processo de maneira levemente diferente para conseguir variações na topologia. Mas, no final é tudo baseado em modelagem por subdivisão. Esse é um excelente exercício de modelagem para usuários que ainda estão aprendendo um software 3d, ou pretendem tentar aprender outra ferramenta. Basta seguir as transformações realizadas nas primitivas e aplicar os extrudes nos locais em que o autor do vídeo indicar.

Tutorial Blender 3D: Como modelar uma coluna?

Uma das maiores dúvidas dos usuários interessados em usar o Blender 3D, principalmente as pessoas que são originárias de outras ferramentas 3d como o 3ds Max, está relacionado com as opções equivalentes entre os dois softwares. O que seria equivalente no Blender 3D ao Edit Poly? Existe um painel de modificadores? Bem, para responder esse tipo de pergunta, e também mostrar como é possível modelar uma objeto comum em representações de arquitetura clássica. Depois de visitar um tutorial em vídeo sobre a modelagem de um pilar no 3ds Max, que pode ser aplicado em vários tipos de projetos, tive a idéia de produzir um tutorial que mostre a construção de um objeto semelhante no Blender 3D.

Como você vai perceber pelo tutorial, a técnica para produzir o material no Blender 3D não é tão diferente assim do 3ds Max. O tutorial está em vídeo e pode ser assistido em 720p.

Tutorial Blender 3D: Modelando uma coluna from Allan Brito on Vimeo.

A técnica para produzir esse tipo de modelo é baseada na construção de um perfil, que deve ser copiado em torno de um eixo, para formar o modelo 3d. No Blender, esse tipo de perfil pode ser criado de maneira bem rápida, apenas com o manipulação de um plano que é copiado com a ferramenta SpinDup.

Para facilitar a criação do perfil, é interessante começar com um círculo e não diretamente com um plano. Nesse caso, a criação do círculo já auxilia com o posicionamento correto do ponto central da futura coluna, e também com o dimensionamento correto das laterais. Essa é a primeira parte da modelagem que deve ser continuada com o ajuste dos sulcos da coluna. A parte que envolve a criação dos sulcos é relativamente simples, mas deve ser tomado um cuidado especial com a criação dos edge loops, para que o modelo 3d final não acabe atrapalhando a suavização do modelo 3d.

No final, basta aplicar um Spin Dup ao modelo 3d e ter a coluna formada. Como as faces no Spin Dup são apenas copiadas, ainda é necessário remover os vértices duplicados para que o modificador subsurf seja aplicado ao modelo.

O toque final ao modelo 3d pode ser criado com os detalhes na parte superior e inferior da coluna, que pode atribuir estilos bem diferentes ao objeto 3d.

Tutorial de modelagem 3d por subdivisão com Silo 3D: Personagem completo

Alguns artistas ainda têm relutância em aceitar o fato que técnicas como a modelagem por subdivisão, podem ser reproduzidas em praticamente qualquer software 3D. Por exemplo, quando você consegue elaborar um modelo 3d usando técnicas como a modelagem baseada em extrudes e polígonos no 3ds Max, o processo de migração para softwares como o Blender 3D ou mesmo o Silo, é extremamente simples. Sempre que posso acabo defendendo isso para os meus alunos, mas alguns deles ainda acabam não acreditando.

Nessa categoria de softwares que permitem realizar modelagem 3d, entre os proprietários o Silo 3D é o que apresenta melhor relação custo benefício. Ele consegue suportar modelagem por polígonos com opções avançadas, como o uso de N-Gons nos polígonos.

Por esse motivo é que os tutoriais e dicas, sobre o uso do Silo 3D, podem ajudar em muito no entendimento e prática de outros softwares como o próprio Blender 3D e 3ds Max. Se você quiser acompanhar uma excelente seqüência de imagens que perfazem a modelagem de um personagem completo, visite o link indicado logo abaixo da imagem que ilustra esse artigo.

O material segue o processo completo de modelagem 3d de um personagem usando subdivisão. O objetivo do tutorial é criar um modelo humanóide de um robô guerreiro.

tutorial-modelagem3d-silo.jpg

O material ainda está sendo desenvolvido e faltam pequenos detalhes no modelo, mas a maior parte já pode ser conferida nesse link, que mostra a modelagem 3d passo a passo do personagem.

Para quem já está acostumado com modelagem 3d, o processo será bem familiar em termos de ferramentas, pois é tudo baseado em extrudes e manipulação de objetos como faces, arestas e vértices. Claro que existem pequenas diferenças nas ferramentas, mas como é possível visualizar muita coisa com as imagens do tutorial, podemos faclmente adaptar a técnica a outros softwares 3d.

Mesmo que não existem indicações claras de como proceder nas ferramentas do Silo, qualquer artista 3d com um pouco mais de experiência poderá o processo de criação. Tudo começa com uma primitiva geométrica, modificada com as ferramentas tradicionais de qualquer software 3d como extrude, cortes, transformações e suavização de malha.

Mas, será que o Silo 3D é viável para grandes projetos? Essa é uma pergunta que recebo com freqüência quando comento sobre o software.

Quer ver quando a opção por softwares como o Silo 3D é viável? Imagine que você precisa montar uma equipe para trabalhar em projetos de animação. Mesmo que você decida montar a plataforma de tecnologia para computação gráfica 3d, baseada apenas em softwares como 3ds Max e Maya, proprietários e de alto custo, nem todos os artistas devem ficar responsáveis por todas as tarefas no projeto. Por exemplo, algumas pessoas podem trabalhar na modelagem, enquanto outras se dedicam a animação em modelos 3d de baixa resolução.

Agora, imagine que você tem 2 artistas para trabalhar na modelagem e mais 2 para a animação. Ao invés de adquirir 4 licenças do 3ds Max ou Maya, você pode trabalhar com 2 licenças do Silo 3D para a modelagem e usar suítes 3d apenas na animação. Isso é otimização de custos! Sempre uso esse tipo de exemplo, quando um aluno me questiona sobre a viabilidade desse tipo de ferramenta. Será que não seria melhor só usar suítes 3d? Claro que não! Cada projeto e atividade apresenta as suas próprias características e ninguém quer desperdiçar recursos financeiros.