Tutorial After Effects CS4: Simulando ambientes 3D

A criação de ambientes em 3d pode ser um grande desafio para a maioria dos artistas e usuários que trabalham com softwares puramente 2d como Photoshop, Ilustrator, Premiere ou Corel Draw. É perfeitamente possível trabalhar com simulações usando truques de perspectiva, para reproduzir os ambientes e deformações características desse tipo de imagem. Com um pouco de criatividade e pequenos truques é possível criar 3d usando qualquer software. Mas, ainda existem opções de softwares intermediárias chamados de 2.5D como o After Effects que apresenta elementos para manipulação em 3d, mesmo não apresentando opções de modelagem e criação semelhantes ao 3ds max ou Blender.

O que faz o After Effects ser chamado de 2.5D é ao mesmo tempo a ausência de opções de modelagem, mas manipulação de cenários e câmeras em 3D.

No vídeo abaixo mostra um exemplo de como podemos usar os recursos existentes no After Effects para criar uma sala em 3d, mesclando animação e textos para vídeo design. Claro que o efeito é muito simplificado em relação ao que encontramos em softwares 3d nativos, mas a técnica pode ajudar significativamente os video designers e produtores de multimídia.

O segredo de tudo está na manipulação da timeline do After Effects, que apresenta uma gama enorme de opções de edição. Nesse caso a timeline passa de grande vilã do After para aliada. Entre essas opções disponíveis na timeline está a transformação de qualquer canal em 3d. Isso é feito com o uso do pequeno ícone parecido com um cubo em 3d, disponível para todos os canais do After Effects. Assim que o canal é convertido em 3d, podemos usar coordenadas em x, y e z para rotacionar e posicionar os elementos gráficos existentes na composição.

O autor do tutorial aproveita essa característica para criar diversos planos e com deformações simples e transformações, posiciona os mesmos cuidadosamente de maneira a simular um ambiente em 3d.

Depois que os planos estão posicionados, é possível trabalhar com ajustes na iluminação e até mesmo movimentos de câmera para passar a idéia de ambiente em 3d. Mesmo sem usar texturas ou técnicas avançadas de iluminação, o resultado do tutorial pode servir para criar vinhetas e montagens simulando de maneira leve e rápida o comportamento de vídeos em 3d.

A animação com texto no final atribui o aspecto final do efeito 3d simulado pelo tutorial. Nas minhas aulas sobre After Effects a simulação de ambientes em 3d, especialmente quando usávamos sistemas de partículas geravam resultados visualmente muito interessantes. Se você nunca tentou fazer esse tipo de animação com o After Effects, esse vídeo pode ser um excelente pode de partida.

Tutorial Adobe Premiere: Controlando o tempo de vídeos na timeline

Um recurso muito importante e útil na composição e montagem de vídeos é a manipulação dos tempos e velocidade dos clipes envolvidos. Esse tipo de edição é fácil de visualizar em programas de TV e no cinema, pois consistem em um ótimo recurso para atribuir dinamismo a uma seqüência de vídeo. Existem várias maneiras de fazer esse tipo de manipulação dos tempos, dependendo do software usado para fazer a edição. No caso do Adobe Premiere, a ferramenta usada para fazer esse tipo de edição é o Time Remapping que pode ser aplicado diretamente sobre um clipe de vídeo.

Como essa ferramenta funciona? Para saber como é possível fazer o efeito, esse tutorial mostra o funcionamento do Time Remapping no Premiere. O material está em vídeo, e faz parte de uma vasta coleção de dicas sobre edição de vídeo com o Premiere. O material é muito bom para os artistas interessados em aprender um pouco mais sobre vídeo design.

tutorial-tempo-adobe-premiere

Se você sabe adicionar efeitos e controlar parâmetros de filtros na janela Effects Controls, o processo de controle do Time Remapping será muito mais fácil. No tutorial, o autor recomenda que o controle do efeito seja feito diretamente na timeline, usando a trilha do clipe de vídeo. Essa é uma maneira extremamente dinâmica e rápida de controlar o efeito, pois é possível usar curvas para controlar a dinâmica do efeito.

Para usar essa ferramenta, é necessário acionar o Time Remapping e escolher a única opção disponível chamada de Speed. Se certifique que o botão “Show Keyframes” está acionado, nos controles específicos para essa trilha da timeline. Assim será possível usar a ferramenta Pen tool para ajustar o formato das curvas na trilha específica do clipe. Essas curvas funcionam como curvas bezier, com pontos de controle e possibilidades de criar transições usando ease in ou ease out, o que abre muitas possibilidades para efeitos.

Com todos os preparativos feitos, você pode manter a tecla CTRL pressionada e adicionar os keyframes em forma de curvas. O controle da velocidade é feito de forma gráfica, em que é possível acelerar ou reduzir a velocidade do vídeo direcionado o gráfico para a parte superior ou inferior. Como o controle foi feito usando gráficos, a dinâmica e velocidade nos ajustes pode ser realizada de maneira muito veloz!

Como será a tecnologia para edição de vídeo no futuro?

Um dos assuntos que mais me interessa é a evolução das ferramentas de edição gráfica, afinal é muito importante conhecer o funcionamento de softwares como o Adobe After Effects, 3ds Max, Maya, Blender 3D e vários outros. Mas, acredite que muito em breve as mudanças nas interfaces que usamos para nos comunicar com os computadores, devem trazer algumas mudanças de paradigma no uso de softwares 3d também. Isso já acontece um pouco na área da pintura digital, em que os artistas podem pintar diretamente no monitor, usando tablets sensíveis a uma caneta especial.

O funcionamento é muito semelhante a uma folha de papel virtual. Mesmo ainda sendo muito caro para a maioria de nós, esse tipo de tecnologia é o futuro. No momento em que a maioria dos computadores migrarem para telas sensíveis ao toque, a maioria dos softwares 3d que conhecemos irá precisa de adaptações para poder usar as novas interfaces, se bem que em minha opinião, acho que a maneira com que eles trabalham hoje é bem satisfatória. Não sei se isso é a voz da comodidade falando, mas não vejo outras maneiras de usar as mãos para criar modelos 3d. Agora, se as interfaces forem 3d, a história muda!

Bem, mas as tendências na modelagem e interação 3d ficam para outro artigo. Hoje vou indicar um vídeo que mostra algumas das ferramentas que podem estar presentes em softwares de edição de vídeo, como o Adobe After Effects e Adobe Premiere. O vídeo faz parte de uma demonstração das novas tecnologias interativas, para trabalhar com vídeo digital.

O mais interessante do vídeo, é que fica evidente que alguma coisa relacionada com interfaces sensíveis ao toque já está sendo preparada. Antes de continuar, assista ao vídeo:


Interactive Video Object Manipulation from Dan Goldman on Vimeo.

No vídeo, é possível perceber que as tecnologias estão mais inteligentes e conseguem separar e identificar personagens e objetos em movimento. Por exemplo, ao invés de usar o Motion Tracking do After Effects para seguir um veículo em movimento, o artista digital precisa apenas desenhar um retângulo na área em que ele deseja seguir. O próprio software identifica aquela parte do vídeo, e faz o tracking automaticamente.

Outra parte do vídeo, mostra como é possível usar o mouse para controlar e até mesmo editar o vídeo, usando apenas gestos. Isso vai livrar o artista de manipular apenas keyframes para trabalhar! Está vendo a integração com ferramentas de interação que não sejam o mouse?

Bem, o vídeo é apenas uma amostra de tecnologias experimentais, mas com grande potencial. O próprio apresentador do vídeo, comenta sobre a improvável disponibilidade desses recursos nos softwares da Adobe no curto prazo, mas sempre é bom conhecer o que nos espera.

Download gratuito de plugins (presets) para After Effects

Assim como acontece com o Photoshop, o After Effects pode ser incrementado com o uso de plugins, chamados no After Effects e no Adobe Premiere de presets. Existem vários desses plugins pagos e gratuitos na internet, sendo que hoje vou indicar o download de uma série fantástica de presets gratuitos para After Effects, sobre os quais eu já havia mencionado aqui no Blog, quando publiquei um tutorial sobre o ajuste do aspect ratio em vídeos na semana passada. Para aquele tutorial foi usado um dos presets gratuitos, disponíveis no Video Copilot.

A lista de presets disponíveis lá é extremamente útil, para profissionais e estudantes de motion design ou artistas 3d que precisem finalizar suas produções com o After Effects.

Essa é a lista dos presets gratuitos para After Effects com as suas respectivas funções:

  • Film Fade Transition: Esse preset adiciona na timeline do After Effects um efeito de fade in e out automaticamente, para que seja possível fazer a transião entre dois trechos de vídeo rapidamente.
  • Fast Film Grain: Aqui um excelente preset para artistas 3d, pois ele adiciona a granulação necessária para mesclar material renderizado, que geralmente tem aquele aspecto limpo e cristalino. Esse tipo de diferença evidencia a artificialidade do material renderizado. Com esse preset é possível alterar esse aspecto de maneira rápida.
  • Auto Bright Lesn Flare: O efeito gera o famoso efeito de lens flare, para transições ou na simulação do enquadramento do sol.
  • Reflexões rápidas em 3D: Aqui um efeito cujo propósito é simular o reflexo em 3d de uma imagem, sobre uma superfície. Ele funciona de maneira idêntica ao que faz o Cover Flow, no Mac Os X e nos iPods.
  • Bloom Transition: Esse efeito tira o foco e deixa a imagem com brilho mais intenso automaticamente.
  • Aspect Ratio Letterbox: No tutorial sobre alteração do aspect ratio dos vídeos, publicado na semana passada, esse foi o preset usado. Como o próprio nome diz, ele tem como objetivo ajudar na alteração da resolução do vídeo.
  • After Shake: Um dos efeitos mais usados hoje em dia, nas mais diversas produções é o balançar da câmera para passar a impressão de suspense ou insegurança. Com esse preset, você pode fazer com que o enquadramento do vídeo fique instável, simulando o tremer da câmera.
  • Gradient Gel: O preset é simples, funciona adicionando uma cor em gradiente sobre o vídeo.
  • Light sabers e Light sabers v2: Dois presets com o mesmo propósito, simular o efeito dos sabres de luz do Star Wars. Esse é um dos efeitos que mais atraem usuários para o After Effects, depois do Kamehameha! Todos os meus alunos querem fazer esses efeitos, depois que começam a usar o After Effects.
  • Frame Rate Converter: Um preset simples, seu objetivo é adaptar o framerate de um vídeo.
  • 3D Orbit Tool: Belíssimo efeito para video designers, pois o preset cria um mistura de filtros para criar um ambiente abstrato simulando texto, relâmpagos, gradientes e fumaça. Simplesmente fantástico para elaborar vinhetas!

Todos os presets são disponibilizados para download, junto de um tutorial em vídeo mostrando a sua aplicação e arquivos do próprio After Effects, para que você pode aprender como é possível usar cada um deles. Não preciso dizer que já fiz o download de todos, para usar quando tiver a que finalizar um projeto ou aula no After Effects.

Usando expressões para criar movimento no Adobe After Effects

O trabalho de composição em vídeo é muito complexo, principalmente quando a criação de uma animação envolve a integração entre imagens em movimento, com música e efeitos sonoros. A maioria dos artistas 3d não gosta de trabalhar com arquivos de áudio e até tem aversão aos softwares de edição. Nas minhas aulas de animação, um dos módulos do curso envolvia a edição e ajuste de arquivos de áudio para animação. A carga horária da disciplina era bem pequena, mas envolvia o ajuste de efeitos sonoros para animação.

Se o seu objetivo é trabalhar com motion design, você precisa dominar e adquirir experiência com a manipulação de arquivos de música.

Um tutorial muito interessante, mas um pouco antigo, mostra como deixar o processo de integração entre arquivos de áudio e vídeo, ainda mais automatizada. No After Effets é possível usar expressões, para criar efeitos personalizados na animação, de maneira muito parecida ao ActionScript do Flash. O tutorial está no web site da Adobe, e mostra o procedimento para criar um animação, que sob o controle de uma expressão, produz movimento sincronizados com um arquivo de áudio.

Add the "Offset" effect

Com isso, o artista pode se concentrar em elaborar os elementos visuais da sua cena, para que a integração e sincronia do arquivo de áudio seja totalmente automática.

Apesar de ser um pouco antigo, pois aborda o uso do After Effects 6, o tutorial mostra muito bem a integração das duas mídias e uma utilidade incontestável, para o conhecimento de algum tipo de linguagem de script por parte de artistas. Até na área de vídeo digital esse tipo de artifício pode ajudar na economia do tempo de produção de uma animação.

Caso você tenha se animado mesmo em aprender programação para a área gráfica, me permita fazer uma sugestão. Existe um sistema chamado Processing, que é destinado a artistas que queiram simular ambientes gráficos. Já falei sobre esse software aqui no Blog, em um artigo sobre o algoritmo do Ray Tracing.

Quer ver um exemplo do que é possível fazer com ele? Veja esse vídeo, que foi publicado essa semana no Vimeo:


Metamorphosis from Glenn Marshall on Vimeo.

Isso é tudo animação procedural, ou seja, o autor do vídeo transformou uma série de instruções matemáticas em animação.

Mesmo parecendo difícil, usar o Processing é bem mais fácil que aprender programação em C ou outras linguagens.