Vídeos da conferência Blender 2007 disponíveis!

Depois de muita espera a fundação Blender finalmente disponibilizou para download, os vídeos da conferência Blender 2007. Você lembra o que aconteceu com os vídeos da conferência de Nova Iorque? Apesar da notícia já ter sido publicada na BlenderNation, que por sinal foi o motivo que derrubou o servidor que estava hospedando os vídeos, acredito que esses vídeos não saiam do ar tão cedo. Pelo menos a fundação Blender deve estar preparada para o alto tráfego que isso gera. Só para você ter uma idéia, qualquer notícia com indicação de link publicada na BlenderNation pode gerar facilmente dois mil acessos em um dia.

Agora imagine duas mil pessoas fazendo download ao mesmo tempo de vídeos com 50 MB em média. O servidor precisa ser bom mesmo!

Conferência Blender 2007

Voltando aos vídeos, o número de apresentações disponíveis é praticamente igual a do material disponibilizado na conferência de NY. Ainda não tive a oportunidade de assistir a todos eles, mas com certeza é download obrigatório!

Veja algumas das palestras disponíveis:

  • Palestra de abertura com Ton Roosendaal: Como de costume o Ton faz a abertura do evento, falando um pouco sobre o que os participantes podem esperar das palestras e eventos. Ele usa novamente aquele sistema de apresentação que simula slides, mas na verdade é o Blender! Preste atenção no vídeo que você percebe.
  • Fundação e Instituto Blender – Fazendo negócios com conteúdo livre: Essa palestra tem Ton Roosendaal falando sobre a fundação e o instituto Blender.
  • Plumíferos – Claudio Andaur: Aqui temos uma palestra bem legal sobre o andamento do projeto Plumíferos, dos nossos amigos animadores Argentinos.
  • Fábrica de Criaturas – Andy Goralczyk: Esse workshop é imperdível! Caso você não conheça, o Andy é um dos mais renomados artistas que usa Blender. Ele mostra aqui alguns conceitos de criação de personagens.
  • Desenvolvimento do projeto Peach – Brecht van Lommel: Aqui temos uma breve amostra do desenvolvimento e melhorias propostas para o Blender com o projeto Peach.

Essas são apenas algumas das apresentações, visite esse link no web site oficial do Blender, para fazer o download das outras palestras. Se você não pode ir para Amsterdã, essa é a oportunidade de conhecer um pouco mais sobre o que está sendo feito com o Blender no mundo.

Tutoriais de Softimage XSI: Básico e avançado

Sempre que alguma empresa precisa começar um projeto que envolve um volume muito grande de dados em 3D, animações complexas e outros itens que demandam grande processamento e complexidade, acaba recorrendo ao Maya. Mas isso na maioria das vezes é resultado de uma pesquisa rápida de mercado, em que as pessoas acabam usando o que todos usam, simplesmente pelo fato de ser famoso e não por dados técnicos. Uma ótima opção para esses projetos, que não é muito difundido aqui no Brasil é o Softimage XSI. Essa é sem sombra de dúvida, uma das mais poderosas e flexíveis ferramentas 3D do mercado.

Não foi por acaso que o pessoal do Blur Studio abandonou o 3ds Max e migrou toda a sua produção para o Softimage recentemente. Claro que deve ter havido alguma iniciativa por parte da própria Softimage, mas de maneira geral as qualidades da ferramenta fizeram diferença também.

Tutoriais Softimage XSI

Como o Softimage não é muito famoso por aqui, encontrar tutoriais ou artigos falando sobre ele é muito complicado. Quem quiser aprender a ferramenta, pode passar por dificuldades. Se você tiver curiosidade para aprender o Softimage XSI, encontrei essa semana um conjunto praticamente completo de apresentações em vídeo, sobre a ferramenta. Essas apresentações consistem em vários tutoriais em vídeo.

Todos os vídeos podem ser acessados de maneira gratuita, por qualquer pessoa interessada. A única ressalva é que não é possível fazer o download dos mesmos, pelo menos ainda não, segundo o enunciado no próprio web site.

Os vídeos estão divididos em cinco grandes categorias:

  • Modelagem: Além da parte de modelagem, aqui são abordados aspectos básicos sobre a interface do Softimage. Se você está começando com a ferramenta, esses devem ser os primeiros vídeos que devem ser assistidos.
  • Texturas e materiais: Essa é a categoria com a menor quantidade de vídeos, mas mesmo assim podemos ter uma boa idéia de como funcionam os materiais e texturas.
  • Animação: Se você gosta de animação, vai ficar boquiaberto com a quantidade e qualidade das ferramentas de animação. Outro ponto interessante é a facilidade no uso das ferramentas.
  • Simulações físicas: Aqui são mostrados tópicos como Rigid Bodies e simulação de cabelos.
  • Renderização: Aqui temos a maior quantidade de vídeos. Mesmo que você não queira assistir aos vídeos das outras categorias, recomendo assistir os vídeos sobre render. Os conceitos e técnicas abordadas aqui podem ser aproveitados em outras ferramentas.

Como você pode ver o material é muito completo, para as pessoas que gostam de computação gráfica é um prato cheio! Um aviso; guarde o link para assistir aos vídeos com calma, pois a quantidade de material é imensa. Para assistir aos vídeos, visite esse endereço.

Gimp 2.4: Novas ferramentas e novo site

Para quem não está acompanhando as últimas notícias no mundo da computação gráfica, principalmente das ferramentas open source. O GIMP ganhou uma nova versão nas últimas semanas. Junto com a versão 2.4, o web site do Gimp foi todo reformulando, estando bem parecido com o do Blender. O layout e disposição dos elementos lembram muito o da fundação Blender.

Deixando um pouco a questão do web site, o que mudou com essa nova versão? O Gimp ganhou novas ferramentas e uma reformulação em alguns dos seus ícones e barras de ferramentas. Não consegui usar muito a ferramenta, mas seguindo o Release Log podemos identificar várias das novidades sem muito esforço.

Novo web site do Gimp

Além dos novos ícones, podemos listar as seguintes melhorias:

  • Possibilidade de escalonar os pincéis: Aqui temos uma opção para alterar o tamanho dos pincéis.
  • Ferramentas de seleção: As ferramentas de seleção do Gimp foram totalmente reformuladas. O objetivo dessa melhoria é facilitar o uso das ferramentas para usuários iniciantes.
  • Novas ferramentas de seleção: Agora é possível usar uma nova ferramenta, chamada Foreground selection tool para selecionar objetos individuais em imagens.
  • Ferramenta de alinhamento: Essa ferramenta permite alinhar objetos, de maneira semelhante ao que acontece no Inkscape.
  • Melhorias nos menus: Alguns menus foram reformulados.
  • Edição em tela cheia: Para facilitar a edição de fotografias, a edição em tela cheia foi melhorada.
  • Gerenciamento de cores: O Gimp agora proporciona suporte total a perfis de cores.
  • Novo Crop: A famosa ferramenta de corte foi melhorada, para se integrar melhor com as outras ferramentas do Gimp.
  • Melhorias na impressão: O painel de impressão foi melhorado também, com um novo painel.
  • Remoção de olhos vermelhos: Com essa ferramenta nativa, podemos remover olhos vermelhos de fotografias.
  • Edição de fotos em perspectivas: Essa é uma nova ferramenta chamada de Perspective Clone Tool, que permite copiar pixels em imagens perspectivadas. Aqui as pessoas que usam 3D podem se aproveitar, na edição de renderizações com pequenos defeitos.

Quer saber como várias dessas ferramentas funcionam? Várias dessas novidades possuem vídeos de demonstração, disponíveis no Google Vídeo.

Esse vídeo mostra um exemplo da ferramenta que remove os olhos vermelhos. Apesar de ser antigo, com o vídeo podemos ter uma idéia de como funciona a ferramenta:

[fusion_builder_container hundred_percent=”yes” overflow=”visible”][fusion_builder_row][fusion_builder_column type=”1_1″ background_position=”left top” background_color=”” border_size=”” border_color=”” border_style=”solid” spacing=”yes” background_image=”” background_repeat=”no-repeat” padding=”” margin_top=”0px” margin_bottom=”0px” class=”” id=”” animation_type=”” animation_speed=”0.3″ animation_direction=”left” hide_on_mobile=”no” center_content=”no” min_height=”none”][youtube]http://www.youtube.com/watch?v=gvv1td9gKws

Gimp – Remover olhos vermelhos

Se você quiser fazer o download do Gimp 2.4, visite o seu web site oficial. Para testar essas novas ferramentas e não deixe de assistir aos vídeos, para conhecer como funcionam as novas ferramentas.

[/fusion_builder_column][/fusion_builder_row][/fusion_builder_container]

Projeto Free2design: AutoCAD gratuito para download

O que você acha sobre os preços praticados pela Autodesk para uma licença do AutoCAD? Com certeza essa é uma barreira para qualquer profissional que trabalhe com desenho técnico. Principalmente os estudantes e profissionais recém formados, que ainda não dispõe de recursos financeiros para pagar às vezes 4 ou 5 mil reais em uma licença. Existem opções baseadas em software livre como o QCAD ou VariCAD, mas eles não são totalmente gratuitos, principalmente para os usuários do Windows. Ainda é possível compilar as ferramentas, usando o código fonte, mas isso requer conhecimento que a maioria das pessoas não tem.

Nesse último mês comecei a usar uma ferramenta muito legal, chamada de Free2Design. Esse projeto propõe a criação de uma ferramenta de CAD gratuita, para usuários do Windows. Essa é gratuita mesmo! Melhor ainda, eles reconhecem que a maioria dos usuários acaba migrando do AutoCAD. Por isso mesmo que o objetivo do projeto é literalmente clonar, no bom sentido, o AutoCAD. Digo no bom sentido, até por que uma cópia descarada poderia chamar a atenção da Autodesk para a propriedade intelectual.

O objetivo deles é deixar o Free2Design amigável para as pessoas que já estão habituadas com o AutoCAD, por isso a idéia de oferecer uma interface parecida com a ferramenta da Autodesk. Veja essa imagem da tela, a interface é muito parecida mesmo:

Free2design - AutoCAD gratuito

De cara podemos perceber uma diferença na interface. O Free2design não tem linha de comando, o que pode confundir um pouco os usuários do AutoCAD. Mas eles encontraram uma solução engenhosa para suprir essa necessidade. Sempre que um comando de desenho ou edição é acionado, um pequeno menu aparece no cante superior esquerdo da interface. Esse menu apresenta todas as opções necessárias para usar a ferramenta.

Por exemplo, quando acionamos a opção rectangle para desenhar retângulos, podemos escolher o modo de criação e a maneira de inserção dos pontos.

Se você ficou curioso para testar o Free2design, devo listra algumas considerações importantes sobre a ferramenta:

  • O arquivo para download tem aproximadamente 90 megas
  • Para usar o Free2design é necessário ser usuário registrado no web site oficial. Quando você for usar a ferramenta pela primeira vez, ele solicita um usuário e senha.
  • Assim que a ferramenta for executada ele tenta se comunicar com o servidor central para determinar se há atualizações. Se você não gosta desse tipo de comportamento, barre o acesso por um firewall.
  • Todas as ferramentas do AutoCAD estão lá como o Fillet, Chamfer, Offset, Circle, Mirror e outros. Como não existe linha de comando, eles só podem ser acionados por menus ou botões.

Estava procurando uma ferramenta de CAD gratuita? O Free2design pode ser uma ótima opção, que inclusive pode editar arquivos nos formatos DXF e DWG. Visite o web site oficial do Free2design para fazer o download.

Indigo 0.9 e Blendigo: Como instalar e usar?

O Indigo está com uma nova versão disponível, agora a ferramenta está na versão 0.9. Para quem usa o Indigo com o Blender existe também um novo Script para integração com o Blender, chamado de Blendigo. Se você usava o Indigo antigamente, deve lembrar como era feita a integração. Depois que uma cena ficava pronta no Blender, precisávamos exportar os modelos usando o Script para o formato XML. Assim que o arquivo estava pronto, era necessário acionar a renderização, pelo prompt de comando. Para pessoas que não tinham muita facilidade com esse tipo de comando, o procedimento não era muito simples. Pois esqueça tudo isso! Agora é possível iniciar a renderização direto do Blender.

Antes de mais nada é necessário fazer o download do Indigo e do Blendigo para começar. Recomendo copiar a versão do Blendigo com instalador, para facilitar o processo de instalação. Outro ponto importante, ele foi otimizado para o Blender 2.45, testei em computadores com a versão 2.44 e ele não funcionou.

Indigo e Blender

Sim! Esse modelo foi feito no Blender e renderizado no Indigo.
O autor se chama JohanJohan.

Depois que você fizer o download, descompacte o Indigo em uma pasta. Para o renderizador não é necessário instalar.

O próximo passo é instalar o Blendigo. Para fazer a instalação, execute o arquivo que você copiou. O processo é simples, precisamos apenas indicar em que pasta está localizado o Blender e o Indigo. Isso é fundamental para que a integração possa ser realizada sem problemas. Se você não fizer a indicação, será necessário acionar o Indigo manualmente para renderizar cenas.

Blendigo Instalar

Como fazer para renderizar com o Indigo? O processo é simples. Abra o Blender a crie uma nova janela de Scripts. Depois escolha na área Exporters, a opção Blendigo.

Blendigo Menu

Adicione uma lâmpada do tipo Sun, para usar como fonte de luz para a cena. O script é recheado de opções para configurar a renderização. Se você quiser apenas testar o renderizador não é necessário alterar muita coisa. Na parte superior do Script, temos as opções de configuração para a cena. Existe um menu para cada característica da cena.

Blendigo Opções e menu

Para renderizar o processo é simples. Antes de começar, recomendo trocar o tipo de lâmpada para uma Sun, que é mais compatível com o Indigo. Depois que a lâmpada correta estiver configurada, simplesmente pressione a tecla EXPORT Scene. Se tudo foi configurado corretamente, uma janela do Indigo abrirá automaticamente, com a cena sendo renderizada.

Janela do Indigo

Quando a imagem estiver satisfatória, feche a janela do Indigo e procure as imagens salvas na pasta Renders. No local em que o Indigo está instalado. Para não haver problemas na geração das imagens, recomendo que você faça uma cópia da imagem antes de fechar a janela do Indigo, copie e cole antes de fechar. Isso previne um erro comum, fechar a janela enquanto o Indigo ainda está escrevendo o arquivo, deixando a imagem corrompida, ocasionando a perda do render.

Pronto! Agora você já sabe usar a nova versão do Indigo. Assim que o tutorial sobre o Luxrender sair, você poderá fazer uma comparação para ver qual dos dois é o melhor.