Tutorial Blender: Organizando projetos com o Link e o Append

A organização de projetos realizados com qualquer software 3d é de extrema importância para qualquer pessoa interessada em realmente desenvolver um ambiente otimizado de trabalho, em que é possível aproveitar objetos previamente modelados, ou mesmo materiais e texturas já configuradas em outros projetos. Isso economiza tempo no desenvolvimento do projeto e acaba até mesmo servindo como diferencial competitivo, pois você será capaz de entregar projetos complexos em menos prazo. No Blender existem duas opções no menu File que são o Link e o Append que ajudam nesse tipo de organização. Como esse tipo de opção gera muitas dúvidas em relação ao seu uso e aplicação, resolvi escrever um pequeno tutorial em vídeo mostrando como usar as duas opções para que você possa montar a sua própria biblioteca de objetos e materiais.

Agora que você assistiu ao vídeo, pode começar a usar as duas opções em seus projetos. Mas, como já havia mencionado no tutorial, muito provavelmente você já usa isso! Não é?

Deixando a brincadeira de lado, o uso do Link e do Append são de extrema importância para qualquer artista usando o Blender pois com eles podemos:

  • Trazer objetos de outros arquivos do Blender
  • Usar arquivos externos apenas como referências
  • Replicar as modificações realizadas em apenas um arquivo para vários
  • Trabalhar com repositórios de objetos 3d

Entre todos esses recursos os que mais interessam a artistas são a replicação das alterações em um arquivo, caso um objeto nesse arquivo esteja sendo usado como referência externa (Link). E também a possibilidade de criar um repositório de objetos. Basta salvar o arquivo do modelo 3d desejado, e aproveitar esse modelo fazendo um Append ou Link para o objeto dentro desse arquivo.

Se você não sabia usar a ferramenta, agora sabe!

Últimos dias para participar do sorteio dos DVDs

Hoje é o penúltimo dia para participar do sorteio de quatro DVDs do Instituto Blender que farei no começo de novembro. Para participar do sorteio, basta realizar a inscrição em qualquer um dos cursos abaixo:

Depois de realizar a inscrição, é só seguir as orientações descritas nesse endereço! Amanhã é o último dia, pois as inscrições para participar do sorteio só são consideradas até o dia 31/10/12!

Modelagem de terrenos no SketchUp

A modelagem de objetos complexos no SketchUp pode ser um grande desafio para qualquer artista 3d, pois a maneira com que o SketchUp funciona é muito mais otimizada para criação de objetos de natureza geométrica. Isso significa dizer que objetos com ângulos bem definidos e formas que lembrem um sólido geométrico são fáceis de criar com o software, mas quando o assunto são modelos 3d orgânicos a coisa fica um pouco mais complicada. Por exemplo, um artista que precise trabalhar com a modelagem de terrenos para visualização em arquitetura enfrenta um pouco de dificuldade na criação da geometria necessária para gerar esse tipo de superfície.

Um artigo muito interessante publicado na revista Landscape Architecture Magazine mostra bem como poderíamos trabalhar com a modelagem de terrenos no SketchUp, usando um plugin gratuito chamado de tools on a surface.

Modelagem de terrenos no SketchUp

Esse plugin é muito útil para a criação de terrenos, pois nos oferece a liberdade de criar superfícies com base em geometria importada de outros softwares. As situações em que o tools on a surface podem ser úteis são as mais diversas. Um artista 3d que importa arquivos DWG para seu projeto no SketchUp, pode encontrar um modelo 3d do terrenos totalmente deformado e cheio de pequenas faces. Dependendo do seu computador, isso pode muitas vezes inviabilizar o processo de edição do projeto como um todo.

Com o tools on a surface, o artista realiza um procedimento que é conhecido em outros softwares 3d como retopologia, em que uma nova superfície é criada com base em objetos já existentes. Os objetos existentes funcionam como uma espécie de guia, e a modelagem é realizada usando a sua estrutura como base.

Mesmo com o artigo estando em inglês, a leitura do mesmo é muito interessante, pois é a exata aplicação das ferramentas de modelagem do SketchUp para a criação de topografia.

Cursos de modelagem com SketchUp para arquitetura

Para todos que gostariam de aprender a trabalhar com modelagem no SketchUp para arquitetura, envolvendo tanto a criação de objetos como paredes, janelas, telhados e até mesmo terrenos. No EAD – Allan Brito você encontra dois cursos sobre o SketchUp que são:

O primeiro curso apresenta as ferramentas do SketchUp para modelagem 3d tradicional, e no segundo curso você aprende como usar e instalar plugins gratuitos para o SketchUp que adicionam inúmeras opções avançadas de modelagem, para criar elementos semelhantes ao terreno apresentado nesse artigo.

Seminário gratuito sobre V-Ray RT e 3dsmax

Os softwares especializados em renderizar imagens oriundos de ferramentas 3d com o uso de GPUs são a tendência mais forte no segmento de computação gráfica, e muito em breve teremos em praticamente todos os softwares a opção de usar ao menos uma opção híbrida com a CPU e a GPU trabalhando juntos para gerar as imagens. As vantagens desse tipo de tecnologia são as mais diversas, mas podemos destacar a velocidade com quer as imagens são geradas, devido a grande quantidade de núcleos disponíves em algumas placas de vídeo modernas. Por exemplo, alguns modelos de GeForce contam com mais de 500 núcleos!

Entre as ferramentas que já trabalham com renderização por GPU, podemos destacar nesse meio o V-Ray RT que trabalha muito bem em conjunto com o 3dsmax. Apesar do 3dsmax dispor nativamente do iray, que é um renderizador semelhante em termos de propósito ao V-Ray RT, mas que utiliza opções “semelhantes” ao mental ray.

Se você é usuário do 3dsmax e gostaria de conhecer um pouco mais sobre o V-Ray RT, recomendo assistir ao vídeo indicado nesse artigo que é um seminário gratuito sobre o funcionamento do software. Como o vídeo foi gravado com base em uma palestra, a qualidade do áudio não é das melhores, mas acredito que pode ser de grande ajuda para quem não conhece a tecnologia.

Com o uso do V-Ray RT é possível trabalhar praticamente em tempo real na manipulação de objetos 3d criados com o 3dsmax. Esse é até o motivo pelo qual o software recebe o sufixo de RT que significa real time.

Esses softwares estão evoluindo muito nos últimos meses, e já podemos dizer que é possível aproveitar os recursos do render por GPU de maneira semelhante ao que existe nos renderizadores “tradicionais”. É importante ressaltar a evolução dos software, pois logo no começo era complicado usar essas ferramentas pois estavam faltando recursos e shaders importantes para gerar imagens realistas. Hoje a oferta de recursos está muito mair, inclusive com outros softwares concorrendo com o V-Ray RT nessa área como é o caso do Octane Render, Indigo e outros softwares comerciais que são compatíveis com o 3dsmax e também renderizam imagens usando a GPU.

Modelagem 3d no SketchUp e renderização no Blender Cycles?

O SketchUp e o Blender são duas das melhores ferramentas gratuitas para se trabalhar com modelagem 3d, mas ambas apresentam objetivos bem distintos do ponto de vista da produção. O Blender é uma suíte 3d destinada a fazer praticamente tudo dentro do ambiente de produção, e o SketchUp acaba ficando mais dedicado ao uso no mercado de visualização para arquitetura. Mas, uma coisa que poucos usuários percebem é que o SketchUp pode trabalhar muito bem junto com o SketchUp para suprir uma das maiores deficiências do software que é a renderização realista.

É perfeitamente possível instalar renderizadores no SketchUp como o V-Ray ou Maxwell Render para conseguir efeitos realistas impressionantes, mas tudo isso exige a compra desses softwares que não são gratuitos. Ainda existem opções de renderização gratuita para o SketchUp, mas a grande maioria não oferece suporte a recursos de visualização avançada. Nos últimos meses o Blender recebeu um recurso que pode ser de grande ajuda para usuários do SketchUp. Esse recurso se chama Cycles!

O novo renderizador do Blender é capaz de gerar imagens muito realistas, sendo inclusive capaz de gerar imagens e animações com apoio de tecnologias modernas, como é o caso da aceleração por GPU.

A melhoria no suporte a importação de arquivos COLLADA no Blender ajudou muito nesse tipo de integração. Quer aprender como funciona? Podemos criar uma cena simples de exemplo no SketchUp como a que aparece na imagem a seguir.

sketchUp-Blender-Cycles-01.png

A cena no SketchUp deve ser exportada para o formato COLLADA, usando a extensão dae. Isso pode ser feito no menu Arquivo -> Exportar modelo 3d e depois escolha a opção dae.

No Blender, podemos importar de maneira nativa os arquivos do SketchUp usando a opção import no menu File.

sketchUp-Blender-Cycles-02.png

Repare que o modelo 3d criado no SketchUp acabou sendo enviado de maneira integral para o Blender.

sketchUp-Blender-Cycles-03.png

Agora, só precisamos configurar o Cycles de maneira correta, para renderizar a cena usando uma luz do tipo Sun.

sketchUp-Blender-Cycles-04.png

O resultado poderia ficar muito melhor com o uso de texturas e outros elementos, mas serviu para provar que os dois softwares podem trabalhar muito bem juntos. Mesmo que os modelos 3d sejam criados integralmente no SketchUp, podemos usar o Blender que é totalmente gratuito para renderizar as cenas usando técnicas realistas.

Curso de renderização avançada com Blender Cycles: Aula 07 disponível

O curso sobre renderização avançada usando Blender Cycles recebeu mais uma atualização, e agora a aula 07 já está disponível para os participantes do curso. Essa aula foi inspirada por uma demanda comum de várias pessoas que estão inscritas no curso, e que não estavam conseguindo encontrar a melhor maneira de configurar a renderização e a iluminação no Cycles para cenas externas. Para as cenas internas já foi apresentado um método de iluminação na aula 03, mas até agora a iluminação externa não havia sido abordada.

Por esse motivo, acabei preparando o material dessa aula 07 explicando vários conceitos e características importantes para ajustar as luzes externas, principalmente no uso da luz do tipo Sun do Blender. Essa luz é suportada pelo Cycles, mas só conseguimos bons efeitos de sombra com o ajuste do parâmetro size da luz.

Nessa aula 07, explico o processo completo de configuração de uma cena para simular a iluminação do sol, e aproveito para realizar a aplicação prática de alguns conceitos abordados na aula sobre texturas. O resultado é a iluminação apresentada na imagem que ilustra esse artigo.

curso-blender-cycles-luz-sol.jpg

Essa seria pela contagem normal a última aula do curso, mas ainda pretendo produzir mais uma aula apresentando um pequeno projeto de visualização voltado para produtos, que será a base para explicação de conceitos relacionados aos ajustes no render do Cycles.

Portanto, o curso ainda não acabou! Falta mais uma aula para terminar.

Últimos dias para participar do sorteio do EAD – Allan Brito

Já aproveitando esse artigo sobre a atualização do curso sobre Cycls, gostaria de lembrar que estamos nos últimos dias para participar do sorteio de 4 DVDs do Instituto Blender no EAD – Allan Brito. Para participar, você deve se inscrever até o dia 31/10 em qualquer um desses cursos:

Cada inscrição dá direito a um “cupom” virtual para participar do sorteio, mas só para quem seguir as instruções descritas nas regras do sorteio. Se você pretendia participar, restam apenas poucos dias para que a sua inscrição possa ser realizada e a mensagem no Twitter publicada!