Aplicativo gratuito Adobe Comp CC ajuda no design digital

Uma boa parte dos projetos de design acabam surgindo nos mais inusitados lugares, até mesmo como pedaços de guardanapo podem servir de moldura para um rascunho rápido. Mas, apesar de ser totalmente a favor de trabalhar com guardanapos e uma caneta, pois estão disponíveis na maioria dos lugares que visitamos, o uso da tecnologia pode ajudar de maneira significativa na elaboração de novas idéias. Foi pensando nesse tipo de situação que a Adobe lançou o seu aplicativo para iPad chamado de Comp CC. A idéia do Comp é servir como uma moldura inicial para projetos que devem ser concretizados depois em softwares como o Photoshop, InDesign ou Illustrator.

Adobe Comp CC

A ferramenta é gratuita e funciona de maneira extremamente simples, permitindo a qualquer pessoa usando a tela do iPad adicionar formas geométricas e outras estruturas que podem compor os seguintes projetos:

  • Livros digitais
  • Banners
  • Material publicitário
  • Ilustrações

Um dos segredos do Adobe Comp é permitir que usando o drive do Creative Cloud o usuário pode enviar o seu design diretamente para um software com o InDesign para começar a diagramação final de um livro ou apostila. Dentro desse software final é possível aproveitar o layout criado no aplicativo e partir para o produto final.

Já fiz o download do aplicativo para testar e até o momento tenho gostado da experiência, mas ainda existem alguns pontos de melhoria. O principal é a ausência de versões para Android, e apenas se você for assinante do Creative Cloud e possuir um iPad pode usar o Comp.

Design de livros digitais para iPad

Entre os pontos positivos que achei no Comp é a possibilidade de começar os layouts que pretendo usar no InDesign para criar livros digitais nele! O esboço das páginas é criado direto no aplicativo, e depois de concluído posso continuar a adicionar texto e imagens nas páginas do InDesign.

Quer aprender a criar livros digitais usando o Adobe InDesign? Recomendo visitar o EAD – Allan Brito e conferir o curso sobre design de livros digitais com InDesign que mostra todo o processo de criação e configuração desses livros, resultando em publicações no formato EPUB. No final do curso você será capaz de criar os seus próprios livros.

Currículo criativo – 30 exemplos gratuitos

O uso de currículos não é a melhor maneira de conseguir trabalho dentro do mundo da computação gráfica, em que geralmente um bom portfólio vale muito mais do que títulos acadêmicos e técnicos. Se você é produtor de conteúdo dificilmente irá procurar trabalho, e sim buscar mercados para os seus produtos oriundos da sua arte digital. Mas, ainda assim é válido algumas vezes aplicar a sua criatividade na criação de portfólios e currículos que sejam ao mesmo tempo criativos e mostrem o seu potencial como produtor de material gráfico de qualidade. O documento oriundo dessa aplicação poderia até mesmo ser chamado de currículo criativo!

E nesse caso não importa se a arte é 3d ou 2d, o resultado final acaba testemunhando a seu favor, ou em alguns casos contra. Para garantir que você não cometa nenhum deslize na construção de um currículo criativo, encontrei uma lista com ótimos exemplos de pessoas que criaram o seu próprio currículo criativo.

Currículo criativo – Exemplos

A coleção que mostra exemplos para criação de um currículo criativo foi organizada pelo web site chamado Bashooka.

Currículo criativo

Os exemplos apresentados no web site são bem variados e mostram designs minimalistas e outros que parecem verdadeiros infográficos! Mas, o ponto principal de todos os exemplos é que tudo é voltado para demonstrar que dependendo da área para a qual você está se candidatando, é perfeitamente aceitável colocar um pouco do seu talento no currículo criativo. Por exemplo, observe o caso do currículo em que um artista e ilustrador criou o seu currículo em forma de uma história em quadrinhos.

Quer começar a fazer o seu currículo? A minha recomendação é pelo uso de softwares gratuitos que possam ajudar você no projeto, e nesse sentido a dupla Inkscape e GIMP podem ser de grande ajuda. Ambos são softwares gráficos de código aberto e gratuitos que podem ser a ferramenta que faltava para criar o seu currículo criativo e conseguir aquela vaga de trabalho que você tanto queria.

Mas, não deixe de investir no seu portfólio, pois é ele que garante a conquista da vaga. Já participei de várias seleções para diversos projetos no papel de selecionar a equipe, e o que fazia a diferença na maioria dos casos é o portfólio! Se a pessoa tiver um bom portfólio e somados a uma graduação, é vaga garantida na certa.

Guia gratuito sobre impressão

No passado o trabalho computação gráfica estava muito relacionado com a impressão de documentos em grandes formatos, e até mesmo a criação de material voltado para esse formato. Com o passar do tempo as coisas mudam em todos os mercados, e na computação gráfica a coisa está se voltando cada vez mais para o meio eletrônico seja no vídeo, web sites e os recentes livros eletrônicos. Isso era tão forte na área de computação gráfica, que chegou uma época em que as pessoas se diziam especializados em computação gráfica apenas pelo fato de trabalhar com impressão em softwares como o Corel Draw. Mas, apesar da perda de mercado estar reduzindo a importância da impressão como objetivo final de projetos de computação gráfica, ainda é preciso trabalhar eventualmente com esse tipo de mídia.

Para as pessoas que já trabalham com esse tipo de mídia, ou então, para quem quiser estudar um pouco mais os detalhes da impressão usando os softwares da Adobe, a empresa lançou um guia gratuito para download sobre como imprimir usando os seus softwares do pacote CS 5 e CS 5.5.

Guia-Impressao.jpg

O material passa pela parte básica da impressão como a escolha dos perfis de cores e detalhes técnicos dos softwares abordados, como a organização das camadas e a manipulação de vetores e bitmaps.

Os softwares abordados nesse guia são:

  • Adobe InDesign CS5
  • Adobe Photoshop CS5
  • Adobe Illustrator CS5

A impressão em cada um dos softwares é abordada dentro do seu próprio contexto. Por exemplo, no caso do InDesign aprendemos os detalhes sobre a criação de documentos eletrônicos como e-books e revistas, já no Illustrator é descrito o processo de criação de peças publicitárias baseadas em ilustração vetorial. E o Photoshop aborda a manipulação de fotografias e imagens baseadas em bitmaps.

Esse tipo de documento é importante para aprender os detalhes sobre como configurar documentos e preparar projetos para impressão. Ainda está um pouco longe de detalhar os possíveis problemas que enfrentamos com as diversas configurações e ajustes de cada gráfica rápida, como os inconvenientes de como algumas pessoas nessas gráficas acabam inadvertidamente mudam os documentos, ou as cores não são impressas de maneira fidedigna ao documento, mas é uma excelente referência inicial para quem só está acostumado a gerar arquivos PDF, SWF, MOV e outros formatos eletrônicos.

Ferramenta ajuda a tirar medidas no Inkscape

Entre as ferramentas gráficas que são distribuídas usando uma licença livre, o Inkscape é em minha opinião a melhor opção para ilustração vetorial pelo conjunto de ferramentas e a capacidade de criar desenhos e ilustrações complexas, usando técnicas e procedimentos semelhantes ao Illustrator e o Corel Draw. Esses dois últimos softwares são as opções mais usadas pelos profissionais que desejam trabalhar com ilustração, devido a facilidade em encontrar materiais de treinamento e pela cultura já existente de trabalhar com ambos os softwares. É até difícil encontrar pessoas usando outros softwares 2d para ilustração, mesmo que sejam proprietários.

Já faz um bom tempo que não escrevo nada relacionado com o Inkscape e hoje estou mencionando o software novamente, pois encontrei um vídeo com um recurso que deve aparecer em breve para o Inkscape, e sendo essa opção muito interessante, achei que poderia despertar o interesse de outros artistas em usar o software. A ferramenta da qual estou falando é a measurement tool, e nem adianta procurar na sua última versão do Inkscape, pois ela ainda não está disponível.

O vídeo abaixo mostra um pouco do funcionamento dessa ferramenta dentro do Inkscape:

No vídeo podemos perceber como esse tipo de ferramenta será útil, e poderemos medir praticamente qualquer coisa em uma ilustração vetorial. Mas, você pode estar se perguntando: quem poderia querer medir alguma coisa em ilustrações? Muita gente!

Os softwares de ilustração vetorial são muito usados para gerar desenhos em escala, e o Inkscape por oferecer opções de ilustração bem versáteis, pode acabar se tornando uma opção interessante para que usa softwares de CAD. Sim, uma ilustração em escala e proporcional as medidas reais, poderia muito bem ser mensurada com essa ferramenta e desenvolvida de maneira bem simples dentro do próprio Inkscape.

O desenvolvimento do Inkscape é chamado de lento para muitas pessoas, o que afasta muitos usuários em potencial. Mas, é inegável que as contribuições dos desenvolvedores nas últimas versões do Inkscape deixaram o software muito mais amigável para quem procura substituir ferramentas como o Illustrator e o Corel Draw. Sempre que tenho a necessidade de criar uma ilustração vetorial para usar no Blender ou mesmo compor uma prancha para impressão usando renderizações, recorro ao Inkscape.

Já mencionei que o Inkscape é totalmente gratuito, assim como o Blender?

Guia de ilustração com Adobe Illustrator usando curvas

O mundo não gira em torno apenas de ferramentas e softwares para animação 3d e modelagem, e sempre acaba surgindo a oportunidade de usar ferramentas de ilustração 2d, mesmo que seja para planejar alguma coisa que acontecerá em ferramentas 3d como um cenário. Nas últimas semanas tenho usado bastante o Illustrator nas minhas aulas devido a novos conteúdos que estou abordando nesse semestre, e como gosto de passar links com referências para meus alunos, resolvi compartilhar um pequeno guia sobre ilustração que encontrei já faz alguns dias. O guia descreve em detalhes o funcionamento da ferramenta conhecida como Pen tool do Adobe Illustrator.

Essa ferramenta é uma das mais importantes do Illustrator, pois é com ela que iniciamos a grande maioria das curvas bézier. As chamadas curvas bézier são a base de qualquer software que utilize vetores para ilustração, pois é com essas curvas formadas por pontos e alças de controle que podemos moldar praticamente qualquer forma.

O guia mostra o diversos aspectos do funcionamento dessa ferramenta no Illustrator, desde o significado dos ícones que aparecem quando pressionamos determinadas teclas do teclado até mesmo opções como a parte de seleção e ajustes, quando a curva já está criada.

guia-illustrator-curvas.jpg

Outro ponto interessante é a manipulação e composição de curvas usando linhas já existentes. Por exemplo, podemos acompanhar os procedimentos para aparar as linhas e curvas usando o mouse, e também a finalização de segmentos de curvas usando retas ou arcos.

As dicas são complementadas na parte inferior do artigo por um pequeno exercício que propõe o desenho da palavra VECTOR usando apenas a Pen Tool. O mais interessante, é que você encontra orientações precisas sobre os pontos que devem ser acionados, para conseguir elaborar a tarefa.

No final, uma pequena lista com quatro dicas valiosas que podem ajudar a todos que precisam realizar ilustrações em ferramentas como o Illustrator. Se você precisa trabalhar com ilustração 2d no Illustrator, recomendo ler com cuidado esse guia, pois você pode aprender alguma coisa nova e melhorar o seu processo de criação.

Como disse no início do artigo, o mundo não gira apenas em torno de ferramentas 3d sofisticadas, mas também acaba exigindo conhecimentos em ferramentas 2d como o Illustrator, Corel Draw e outras. Se você não conhece bem o funcionamento da Pen Tool, recomendo ler esse guia que ensina muito bem o seu funcionamento.