Tutorial 3ds Max: Criando uma animação com interação entre obejtos 3D

Os exemplos em que visualizamos objetos em animação isolados nos cenários são simples de criar e reproduzir, pois os seus movimentos são únicos e não geram nenhum tipo de reação entre elementos secundários do cenário. Por exemplo, ao animar uma esfera que gira e se desloca pelo ambiente de maneira isolada, a nossa única preocupação é com a trajetória da esfera e a maneira com que o objeto gira ao longo do seu movimento. Mas, ao adicionar outros elementos como esferas secundárias e obstáculos ao longo do cenário, a dinâmica dos movimentos fica bem mais complicada e difícil de manipular. Para isso é que existem os módulos de física como o Reactor do 3ds Max. Esses módulos de física conseguem calcular e considerar as colisões entre diferentes objetos, para gerar animações secundárias.

Com uma boa noção dessas animações secundárias é possível trabalhar em projetos envolvendo a interação e animação de reações entre objetos. O vídeo abaixo mostra muito bem um exemplo desse tipo de interação em que uma flecha atinge um baú, fazendo com que o mesmo se desloque com o impacto e ainda solte pequenos fragmentos, exatamente no local em que a flecha colide com o objeto.

Caso você queira aprender a criar esse tipo de animação no 3ds Max, o autor do vídeo elaborou uma série de vídeos demonstrando todo o procedimento necessário para criar essa mesma animação.

No vídeo é possível aprender alguns pequenos truques que o artista usa para criar os efeitos e movimentos no impacto, como o movimento flexível que a flecha faz ao penetrar no baú. Para o efeito de torção o autor usa o modificador Bend do 3ds Max que permite fazer esse tipo de deformação de maneira simples, mas não antes de adicionar subdivisões no modelo da flecha de maneira a permitir esse tipo de deformação.

Mesmo sem os modelos 3d usados no tutorial, recomendo que você adote objetos simples como um cubo em conjunto com um cilindro, simulando o uso da flecha e baú. Seguindo os passos mostrados no vídeo e configurando os objetos de acordo com os exemplos, fica bem simples de criar a animação. Como o material está disponível em 720p fica fácil acompanhar os detalhes e menus usados pelo autor no tutorial.

Tutorial 3ds Max: Modelando uma toalha com Cloth e MPD no FryRender

Os projetos de visualização 3d envolvendo 3ds Max ou qualquer outra ferramenta 3d, requer que os artistas trabalhem na criação ou localização de elementos e objetos para compor os cenários. Alguns desses elementos são simples de encontrar, mas outros demandam mais trabalho de edição, especialmente no que se refere as texturas. Um exemplo clássico disso é a representação de banheiros, ou outros ambientes com grande quantidade de tecidos espalhados pelo cenário. Apesar de ser um objeto do nosso cotidiano, a natureza do tecido usado nas toalhas fazem com que o objeto seja particularmente difícil de criar em 3D.

Caso você seja usuário do 3ds Max e queira aprender uma técnica muito útil para modelar esse tipo de objeto, usando o Cloth do Reactor, existe um tutorial que explica em detalhes o procedimento para criar o modelo 3d de uma toalha com o auxílio do Reactor, nesse endereço. Além da modelagem em si, o tutorial aborda a criação do material para a toalha no FryRender de maneira que a toalha fique como essa:

tutorial-3ds-max-render-mpd.jpg

Esse resultado realista é uma combinação da qualidade no render do FryRender e a técnica usada para elaborar a textura da toalha. O FryRender é um renderizador que usa métodos Unbiased para gerar suas imagens, ficando na mesma “família” que o Indigo Renderer e Maxwell Render. Nesse caso é usado um recurso do FryRender chamado de MPD – Micro Poly Displacement, que é uma técnica extremamente poderosa para criar pequenas deformações nas superfícies com base em texturas.

É uma derivação das texturas do tipo Displacement, mas com o objetivo de criar deformações minúsculas na superfície do objeto, como é o caso do material da toalha. No tutorial que está dividido em duas partes, podemos conferir o processo de configuração de texturas usando Micro Poly Displacement. Para as pessoas que nunca usaram esse tipo de recurso é uma excelente demonstração de como isso pode ser útil para representação de superfícies com pequenos detalhes.

Um dos mais notórios renderizadores que suportam esse tipo de textura é o RenderMan, com as suas diversas derivações. Por exemplo, podemos usar Micro Poly Displacements no Blender 3D com o renderizador Aqsis.

Tutorial 3ds Max: Criando animações usando o Cloth do Reactor

Os princípios de funcionamento para a maioria dos softwares 3d é muito semelhante em termos de processo de criação e renderização de material 3d. Mas, em alguns casos podemos ter disparidades bem grandes, principalmente no que se refere a softwares incorporados de outras empresas em ferramentas como o 3ds Max. O Reactor do 3ds Max é um desses exemplos, que adiciona possibilidades de animação com propriedades físicas a praticamente qualquer elementos 3d no seu ambiente. O Reactor antigamente era vendido de maneira separada ao 3ds Max e foi incorporado pela Autodesk ao software, para proporcionar aos seus usuários as ferramentas de simulação física que conhecemos hoje.

Entre as diversas opções do Reactor estão as simulações com Rigid Bodies, Soft Body e o Cloth. Caso você nunca tenha usado o 3ds Max ou esteja começando a usar o software, encontrei essa semana um ótimo tutorial introdutório ao funcionamento da simulação de tecidos com o Cloth do Reactor para simular tecidos.

O funcionamento do Reactor é baseado na criação de pequenos objetos que representam as propriedades físicas dos modelos 3d, que são os pequenos ícones azuis que o autor do tutorial adiciona na Viewport do 3ds Max. Os tutorias estão divididos em duas partes, sendo ambos os vídeos disponíveis em alta resolução. No primeiro tutorial aprendemos os procedimentos para criar um plano com razoável quantidade de subdivisões, e converter esse objeto em um tecido.

Logo no início do vídeo, o autor faz uma introdução bem rápida ao gerenciamento da interface do 3ds Max, mas logo depois já começa a trabalhar com o Cloth.

No segundo vídeo a coisa fica um pouco mais complicada, com a simulação de pequenas tiras de tecido coladas em um determinado objeto e não mais um tecido que cai sobre outro objeto 3d. Nesse caso é necessário misturar um pouco de simulações como o Rigid Body com o Cloth para criar o efeito.

Os tutoriais são básicos e lidam apenas com modelos 3d simples, acessíveis a usuários e artistas com pouca ou nenhuma experiência com criação de objetos mais complexos. Se você pretende usar o 3ds Max para criar animações usando personagens 3d, esse tipo de recurso vai ajudar muito no processo de desenvolvimento de animações com mais detalhes como roupas. A melhor parte é que toda a interação pode ser armazenada como keyframes para animação.

Quebrando modelos 3d no 3ds Max com Reactor e ProCutter

Os tutoriais e exercícios que envolvem a destruição ou explosão de objetos em 3d têm grande impacto nos animadores e artistas iniciantes, pois ao que parece esse tipo de interação com os objetos desperta muito interesse. Se você também gosta desse tipo de animação, deve saber que parte mais delicada na criação de qualquer tipo de animação que despedace objetos é a chamada fragmentação. Os objetos em 3d são construídos na maioria das vezes como um bloco único, ou vários blocos de tamanho médio. Para que uma animação simulando uma explosão possa ser realizada, o primeiro passo é trabalhar na fragmentação. No 3ds Max existe uma ferramenta especializada nesse tipo de tarefa que se chama ProCutter.

O uso do ProCutter e um sistema de interação baseado em física como o Reactor, pode gerar efeitos muito interessantes em animação, como a fragmentação de uma parede de tijolos que é atingida por algum tipo de projétil. O tutorial abaixo mostra exatamente os procedimentos para criar esse tipo de simulação em detalhes. Na verdade não é apenas um tutorial, mas quatro vídeos que são a seqüência de ações e passos necessários para modelar a parede, configurar a fragmentação e animar usando o Reactor.

Já no primeiro vídeo é possível entender a vantagem em usar o ProCutter, quando o artista cria um plano que serve como referência para a separação de um Box em dois objetos. O funcionamento e configuração do ProCutter é bem parecido com o Boolean. Para cortar um objeto é necessário apenas aplicar o ProCutter no modelo 3d e clicar no botão Pick Cutter Object, para escolher o objeto que deve cortar o modelo 3d.

Os dois primeiros vídeos abordam apenas o funcionamento do ProCutter e os procedimentos para segmentar o modelo 3d. Nos dois últimos vídeos é possível acompanhar a configuração de um Helper do Reactor chamado de Fracture, responsável pela animação dos segmentos do muro. Esse é um elemento do Reactor que ajuda a simular fragmentações em modelos 3d já divididos em pequenos pedaços. Os segmentos dos objetos se comportam de maneira idêntica a um Rigid Body, com detecção de colisões e reações a forças como a gravidade.

Esse é um excelente exemplo de animação interativa avançada no 3ds Max, pois usa diversos elementos e técnicas para simular movimentos de objetos que seriam difíceis de conseguir sem o uso do Reactor.