After Effects CS5: Rotoscopia com o Rotobrush

Uma das tarefas mais difíceis e trabalhosas para quem usa softwares como o After Effects ou outro que faça edição e montagem de vídeo é a chamada rotoscopia. Essa é uma atividade presente na maioria dos filmes ou produções que não usam montagens digitais. Esse tipo de efeito é muito usado no cinema para remover objetos do vídeo, como as cordas que sustentam um ator durante o voo, ou mesmo para editar o cenário no fundo e trocar a imagem por outra composição. O segredo para fazer a rotoscopia é separar a imagem em camadas, usando uma técnica semelhante ao que usamos no Photoshop ou GIMP. A figura é selecionada e separada do plano de fundo. O problema de fazer isso em vídeo é que existem inúmeros quadros para fazer isso, e os objetos ou personagens estão em movimento.

Dizem que o trabalho de rotoscopia é próprio para pessoas com muita paciência.

O After Effects CS5 deve ajudar significativamente o trabalho de rotoscopia com a apresentação de um recurso chamado Rotobrush. É uma opção que promete fazer o trabalho de rotoscopia em vídeo de maneira automatizada. O vídeo abaixo mostra um exemplo de como a ferramenta funciona no recém lançado After Effects CS5:

No tutorial em vídeo o autor usa o Rotobrush para separar o ator que aparece no vídeo do plano de fundo, e para isso tudo que ele precisa fazer é usar o Rotobrush do After Effects CS5 para marcar áreas da imagem, em que o ator está presente. Isso faz com que o algoritmo do Rotobrush identifique de maneira automática a presença do ator e vá criando uma linha de contorno em volta dele. O mais impressionante é que a ferramenta replica a seleção para todos os quadros de um vídeo.

Depois que o ator está devidamente selecionado e marcado em todos os quadros, basta fazer a remoção do plano de fundo. Se a seleção não ficar perfeita, sempre é possível fazer ajustes e melhorar a seleção do personagem.

Esse é um tipo de recurso que deve agradar muitos usuários e principalmente os especialistas em rotoscopia. Mas, deve ter algumas limitações na descoberta e identificação de padrões mais complexos. Já pensou se o personagem estiver envolve em neblina, ou mesmo na chuva? Será que o Rotobrush do After Effects CS5 resolveria esse tipo de seleção? Assim que puder fazer o download do software, faço os testes e publico aqui no blog.

Tutorial Adobe Premiere: Como criar animações com base em fotografias?

A primeira coisa que todas as pessoas interessadas em trabalhar com vídeo digital quer fazer é trabalhar nas suas próprias produções. Um dos exercícios que sempre faço nas minhas aulas sobre produção de vídeo é a criação de animações do tipo stop-motion. Para trabalhar com esse tipo de animação você precisa apenas de uma máquina fotográfica digital é um pouco de imaginação. Mas, para transformar esse tipo de imagem em vídeos compatíveis com os displays e modernos monitores de alta definição, é necessário tomar cuidados com os ajustes e características do vídeo e da trilha de áudio, caso você decida usar uma na sua animação.

Para exemplificar o procedimento necessário para criar uma animação assim no Adobe Premiere, um artista de vídeo digital chamado Craig Baldwing publicou no seu blog um ótimo tutorial, mostrando como é possível criar animações no Premiere, usando como base seqüências de fotografia.

premiere-pro-animacao-tutorial.jpg

No final do tutorial você vai ter uma excelente idéia de como produzir uma animação em Full HD, com nítidos 1920 por 1080 pixels de resolução.

No Adobe Premiere existem várias pequenas configurações no projeto que podem ao mesmo tempo, facilitar a produção das animações, como também atrapalhar o desenvolvimento do projeto. A primeira coisa que o tutorial aborda é a configuração padrão do Premiere, para a duração de cada fotografia nas seqüências de vídeo.O ajuste correto desse parâmetro é fundamental, pois pode fazer com que o movimento dos seus objetos na animação fique mais rápido ou lento.

Depois de apontar alguns ajustes na importação das imagens, o autor mostra vários atalhos e ferramentas do Adobe Premiere que podem ajudar nos ajustes da animação, como o posicionamento e alteração dos tempos do vídeo. A parte final do tutorial é de interesse dos artistas que gostariam de aprender um pouco mais sobre parâmetros de configuração de vídeos.

Por exemplo, você sabe qual é o melhor bitrate ou codec para publicar esses vídeos na internet, em web sites como o Youtube ou Vimeo? Pois, no final do tutorial o autor dá várias dicas de configuração e compactação do vídeo para que o material fique com a melhor qualidade possível, em resoluções próprias do Youtube e até mesmo em HD (1280×720).

Tutorial Adobe Premiere: Controlando o tempo de vídeos na timeline

Um recurso muito importante e útil na composição e montagem de vídeos é a manipulação dos tempos e velocidade dos clipes envolvidos. Esse tipo de edição é fácil de visualizar em programas de TV e no cinema, pois consistem em um ótimo recurso para atribuir dinamismo a uma seqüência de vídeo. Existem várias maneiras de fazer esse tipo de manipulação dos tempos, dependendo do software usado para fazer a edição. No caso do Adobe Premiere, a ferramenta usada para fazer esse tipo de edição é o Time Remapping que pode ser aplicado diretamente sobre um clipe de vídeo.

Como essa ferramenta funciona? Para saber como é possível fazer o efeito, esse tutorial mostra o funcionamento do Time Remapping no Premiere. O material está em vídeo, e faz parte de uma vasta coleção de dicas sobre edição de vídeo com o Premiere. O material é muito bom para os artistas interessados em aprender um pouco mais sobre vídeo design.

tutorial-tempo-adobe-premiere

Se você sabe adicionar efeitos e controlar parâmetros de filtros na janela Effects Controls, o processo de controle do Time Remapping será muito mais fácil. No tutorial, o autor recomenda que o controle do efeito seja feito diretamente na timeline, usando a trilha do clipe de vídeo. Essa é uma maneira extremamente dinâmica e rápida de controlar o efeito, pois é possível usar curvas para controlar a dinâmica do efeito.

Para usar essa ferramenta, é necessário acionar o Time Remapping e escolher a única opção disponível chamada de Speed. Se certifique que o botão “Show Keyframes” está acionado, nos controles específicos para essa trilha da timeline. Assim será possível usar a ferramenta Pen tool para ajustar o formato das curvas na trilha específica do clipe. Essas curvas funcionam como curvas bezier, com pontos de controle e possibilidades de criar transições usando ease in ou ease out, o que abre muitas possibilidades para efeitos.

Com todos os preparativos feitos, você pode manter a tecla CTRL pressionada e adicionar os keyframes em forma de curvas. O controle da velocidade é feito de forma gráfica, em que é possível acelerar ou reduzir a velocidade do vídeo direcionado o gráfico para a parte superior ou inferior. Como o controle foi feito usando gráficos, a dinâmica e velocidade nos ajustes pode ser realizada de maneira muito veloz!

Como será a tecnologia para edição de vídeo no futuro?

Um dos assuntos que mais me interessa é a evolução das ferramentas de edição gráfica, afinal é muito importante conhecer o funcionamento de softwares como o Adobe After Effects, 3ds Max, Maya, Blender 3D e vários outros. Mas, acredite que muito em breve as mudanças nas interfaces que usamos para nos comunicar com os computadores, devem trazer algumas mudanças de paradigma no uso de softwares 3d também. Isso já acontece um pouco na área da pintura digital, em que os artistas podem pintar diretamente no monitor, usando tablets sensíveis a uma caneta especial.

O funcionamento é muito semelhante a uma folha de papel virtual. Mesmo ainda sendo muito caro para a maioria de nós, esse tipo de tecnologia é o futuro. No momento em que a maioria dos computadores migrarem para telas sensíveis ao toque, a maioria dos softwares 3d que conhecemos irá precisa de adaptações para poder usar as novas interfaces, se bem que em minha opinião, acho que a maneira com que eles trabalham hoje é bem satisfatória. Não sei se isso é a voz da comodidade falando, mas não vejo outras maneiras de usar as mãos para criar modelos 3d. Agora, se as interfaces forem 3d, a história muda!

Bem, mas as tendências na modelagem e interação 3d ficam para outro artigo. Hoje vou indicar um vídeo que mostra algumas das ferramentas que podem estar presentes em softwares de edição de vídeo, como o Adobe After Effects e Adobe Premiere. O vídeo faz parte de uma demonstração das novas tecnologias interativas, para trabalhar com vídeo digital.

O mais interessante do vídeo, é que fica evidente que alguma coisa relacionada com interfaces sensíveis ao toque já está sendo preparada. Antes de continuar, assista ao vídeo:


Interactive Video Object Manipulation from Dan Goldman on Vimeo.

No vídeo, é possível perceber que as tecnologias estão mais inteligentes e conseguem separar e identificar personagens e objetos em movimento. Por exemplo, ao invés de usar o Motion Tracking do After Effects para seguir um veículo em movimento, o artista digital precisa apenas desenhar um retângulo na área em que ele deseja seguir. O próprio software identifica aquela parte do vídeo, e faz o tracking automaticamente.

Outra parte do vídeo, mostra como é possível usar o mouse para controlar e até mesmo editar o vídeo, usando apenas gestos. Isso vai livrar o artista de manipular apenas keyframes para trabalhar! Está vendo a integração com ferramentas de interação que não sejam o mouse?

Bem, o vídeo é apenas uma amostra de tecnologias experimentais, mas com grande potencial. O próprio apresentador do vídeo, comenta sobre a improvável disponibilidade desses recursos nos softwares da Adobe no curto prazo, mas sempre é bom conhecer o que nos espera.