Animação de câmera com 3dsmax: Criando o bullet-time

O domínio do movimento realizado pela câmera em qualquer animação 3d é de fundamental importância, e pode muito bem ser fator determinante para a execução de uma seqüência no projeto. No final dos anos 90 tivemos a criação literal do efeito chamado de bullet-time, introduzido no filme Matrix em que o movimento é congelado no tempo, e a câmera faz um movimento em orbita ao redor do objeto ou personagem foco da ação. Depois do filme o recurso foi amplamente usado em comerciais e vídeos musicais para incrementar a ação. Nos softwares 3d esse tipo de efeito é relativamente simples de reproduzir, pois como temos o controle total sobre os quadros da animação, é perfeitamente possível ajustar os tempos para gerar a pausa no movimento.

Caso você nunca tenha realizado esse tipo de efeito em seus projetos, encontrei um vídeo que mostra de maneira simples o processo necessário para criar o bullet-time usando o 3dsmax como referência. Na verdade, o processo não faz uso de nenhum recurso especial do 3dsmax, apenas o posicionamento dos quadros-chave da animação e o movimento da câmera para os objetos.

O vídeo é esse:


3Ds Max Animacion avanzada

A animação do projeto envolve uma colisão entre dois carros em movimento, e quando um dos veículos está começando a capotar devido ao impacto, o animador congela o movimento e faz a câmera se mover ao redor dos elementos. Para esse tipo de animação o artista responsável deve ter o cuidado de posicionar a câmera em pontos estratégicos ao longo da cena, para conseguir o efeito de uma órbita ao redor da cena. Isso dará o efeito do bullet-time.

Assim como aconteceu com o tutorial de modelagem que publiquei aqui no blog ontem, esse mesmo vídeo pode ser aproveitado em diferentes ferramentas 3d. O processo de ajuste de quadros-chave é bem semelhante em todos os softwares, o que facilita a adaptação da técnica.

Repare como a pausa na dinâmica da cena e o movimento da câmera, acabam potencializando a mensagem dramática de uma simples colisão. No caso do filme Matrix, o bullet-time não congelava o movimento, mas fazia com que as coisas fossem executadas em câmera lenta.

Como animar qualquer coisa no Blender 2.50?

Uma das áreas que sofreu a maior quantidade de atualizações no Blender 2.50 foi a relacionada com animação, pois agora existem diversas ferramentas adicionais e opções para trabalhar com objetos em movimento. Entre as diversas melhorias no 2.50 está a possibilidade de animar qualquer coisa relacionada ao projeto. Sim, a mesma coisa que usuários do 3ds Max, Maya e outros softwares já usam para trabalhar seus projetos de animação agora está disponível no Blender. Por exemplo, no 3ds Max ao acionar o botão de animação e fazer ajustes em parâmetros de um modificador ou qualquer coisa na interface, essas alterações geram keyframes.

Isso é identificado com a marcação do parâmetro com uma pequena linha vermelha na interface. Isso agora também é possível no Blender2.50. Como funciona esse tipo de animação? Para mostrar o funcionamento desse novo recurso do Blender 2.50, resolvi produzir um pequeno tutorial em vídeo que apresenta o procedimento necessário para animar os parâmetros de um modificador. Se você é usuário antigo do Blender, deve saber que algumas animações com modificadores são difíceis de criar ou demandam o uso de truques. Por exemplo, a animação com o modificador simple deform que agrega deformações com Bend, Taper e Twist.

No vídeo abaixo você vai aprender como criar esse tipo de animação. Além de abordar o uso desse tipo de recurso no Blender 2.50, essa é a minha primeira tentativa em gravar tutoriais em FullHD com o Blender. Sim, esse tutorial está disponível no Youtube em FullHD (1080p).

O truque é bem simples e envolve apenas a inserção de um keyframe diretamente sobre o parâmetro que deve ser animado. Para fazer isso basta posicionar o cursor do mouse sobre o valor que deve ser animado e pressionar a tecla i. Isso adiciona um keyframe ao parâmetro exatamente no frame em que a animação estiver estacionada. Na interface do Blender nada vai acontecer, mas no editor de curvas uma nova curva de animação aparece. Com essa nova curva será possível trabalhar com a animação do modificador.

Esse tipo de ferramenta abre inúmeras possibilidades de animação para o Blender 3D, transformando qualquer parâmetro do software passível de receber keyframes. Até as versões 2.4x era necessário usar truques como Hooks ou Lattices para conseguir esse tipo de efeito, mas agora as ferramentas nativas de animação fazem todo o trabalho.

Espero que os keyframes se apliquem aos parâmetros dos scripts em Python. Isso sim seria fantástico!

Só para lembrar, o Blender 2.50 ainda está em desenvolvimento e deve ser lançado só no segundo semestre desse ano. Sendo assim, você deve fazer o download das versões de teste e usar o software por sua conta e risco. A interface e ferramentas podem sofrer modificações até o lançamento oficial.

Dicas básicas de animação com keyframes no 3ds Max

O primeiro passo para quem está querendo aprender animação 3D é o trabalho com keyframes. Antes de partir para a edição de curvas, pricípios de animação e outros, é necessário dominar os keyframes. Um keyframe, ou quadro-chave é usado para marcar posições chave de um objeto ao longo do tempo. Por exemplo, caso um animador precise criar uma animação em que um objeto se desloque em linha reta sobre um plano, basta criar dois keyframes em posições diferentes no espaço 3D e em frames diferentes.

Para os usuários do 3ds Max, o tutorial abaixo mostra muito bem o funcionamento básico dos keyframes, e as formas de adicionar e gerenciar esses quadros para criar animações. O vídeo é ideal para quem está começando a estudar animação, pois apresenta os elementos necessários para trabalhar com keyframes.

Como é possível perceber, o autor utilizar uma tecla na interface do 3ds Max chamada Auto-Key, que consegue adicionar keyframes de maneira automática nos objetos selecionados. Agora, antes de começar a criar uma animação é importante prestar atenção a seqüência de ações necessárias para que a animação seja criada. Repara que antes de posicionar o objeto na posição desejada, o autor do vídeo muda a posição do frame em que ele quer adicionar o keyframe.

Por exemplo, para fazer o objeto se mover de um lado para o outro, basta acionar o Auto-key e depois posicionar o objeto no ponto de partida de animação, depois você move o marcador do tempo até a posição final e por último desloca o objeto até a posição desejada no espaço 3d. Algumas pessoas ainda se atrapalham um pouco com essa ordem de ações e acabam perdendo o controle sobre a animação. Se alguma coisa de errado acontecer, repare que nos pontos em que existem keyframes, fica sendo exibido um pequeno quadrado vermelho que destaca a existência de mudanças no objeto.

Algumas dicas valiosas para trabalhar com animação no 3ds Max, que o vídeo não comenta:

  • Para excluir um keyframe, basta clicar sobre a marcação do keyframe na timeline e acionar o delete no teclado;
  • O primeiro keyframe não precisa ser adicionado com transformações no objeto, você precisa apenas clicar com o botão direito do mouse sobre a timeline e acionar a opção Set Key.
  • Para deslocar a posição de um keyframe é só clicar sobre ele na timeline, e com o botão do mouse pressionado arraste o keyframe até a nova posição.

Pronto! Agora você já sabe um pouco mais sobre os keyframes no 3ds Max, e pode começar a fazer as suas animações. Os princípios usados pelo 3ds Max são os mesmos para todos os softwares 3d, portanto é possível reaproveitar o conhecimento em outros softwares.

Tutorial Adobe After Effects: Controle de animação com curvas

Quer um bom exemplo de como as ferramentas de animação, principalmente o editor de curvas pode ser útil até mesmo no Adobe After Effects? Uma das coisas que sempre falo para meus alunos, é que todos os softwares que lidam com animação, seja ele uma ferramenta 3d ou um software especialização em composição como o After Effects, usam as mesmas bases e conceitos. E quase sempre é mais importante dominar o conceito, para poder se adaptar de maneira rápida a qualquer software de animação.

Uma dessas ferramentas, que é muito conhecida dos animadores 3d é o editor de curvas. Com esse tipo de ferramenta, podemos fazer ajustes finos na velocidade e seqüência da animação, permitindo controle total por parte do artista, em termos de tempo e posicionamento dos keyframes.

O tutorial abaixo mostra uma animação extremamente simples no After Effects, mas usa o movimento do texto, para mostrar como é possível usar um editor de curva, muito semelhante ao existente em ferramentas 3d, para controlar a velocidade da animação.


Velocity Control in After Effects Tutorial from Go Media on Vimeo.

O vídeo é muito interessante para quem está começando a usar o After Effects também, pois mostra uma das animações mais simples de executar no software. Nas minhas primeiras aulas, na época em que ministrava aulas de composição e efeitos com o After Effects com certa freqüência, usava exemplos parecidos com esse nas primeiras aulas, para mostrar aos alunos a parte básica da timeline, que é um pouco confusa para algumas pessoas. Mas, com prática e paciência você acaba se acostumando.

No tutorial, o autor cria um layer de texto em que adiciona uma palavra. Essa mesma palavra recebe uma animação de movimento com dois keyframes. A princípio essa animação tem velocidade constante, mas o autor adiciona um pouco de Ease, para que o movimento seja mais lento no início e no final da trajetória.

Depois que o efeito de Ease é adicionado, o vídeo mostra como acionar o editor de curvas do After Effects, em que o artista pode ajustar da maneira que achar melhor, usando a curva da animação o tempo. Nesse caso, ele configura o movimento para começar com grande velocidade e ir parando aos poucos. Para incrementar o efeito, ainda é adicionado um Motion Blur ao texto.

Se você já estudou um pouco sobre animação e motion design, deve saber que o controle do tempo em animação é fundamental, e pode ser o segredo para a produção de um bom vídeo. Portanto, conhecer esse tipo de ferramenta, para quem quiser se especializar na área é muito importante!