Lançado o 3ds max 2012

A Autodesk finalmente está começando a disponibilizar para download do 3ds max 2012 para a sua base de assinantes, que estão recebendo primeiro o software. Já faz algumas semanas que publiquei aqui no blog o anuncio sobre o lançamento da versão 2012 do 3ds max, mas só agora é que o software foi oficialmente colocado a disposição de usuários para download. Além dos usuários do serviço de assinatura da Autodesk, residentes dos EUA e Canadá podem fazer o download da versão trial do 3ds max 2012 diretamente do web site da Autodesk. O filtro é feito por IP, o que impede que possamos fazer o download do software para testar, a não ser que você use algum tipo de artifício como uma VPN na América do Norte.

As novidades dessa nova versão do 3ds max são muitas, sendo que um dos destaques para os usuários acostumados a trabalhar com modelos 3d pesados é a poderosa Viewport com a tecnologia Nitrous. Essa tecnologia usa aceleração por meio de GPU para permitir a manipulação de modelos 3d de grande quantidade de polígonos de maneira rápida. Fora a eficiência na manipulação dos modelos 3d, ainda é possível aplicar diversos efeitos em tempo real diretamente na Viewport, também com o uso de aceleração de GPU.

O vídeo abaixo mostra o uso dessa nova Viewport para visualizar um modelo 3d complexo com efeitos avançados.

Mas, não é só de melhorias na Viewport que o 3ds max 2012 está baseado. A lista de novos recursos é bem extensa! Essas são alguns deles que se destacam:

  • Integração como o iRay: Novo render híbrido que usa o motor do mental ray para acelerar a criação de imagens com o uso de GPU.
  • Novas opções para animação baseada em física: Agora é possível aproveitar a tecnologia PhysiX da Nvidia para gerar animações baseadas em física, ainda mais complexas.
  • Nova biblioteca de texturas chamada Smart Substances: Aqui podemos escolher entre diversas opções de texturas e materiais para o 3ds max 2012.

Assim como aconteceu com as versões anteriores, teremos duas opções para o 3ds max:

  • 3ds max 2012: Opção completa do 3ds max destinada principalmente a criação de animação.
  • 3ds max design 2012: Focado no mercado de visualização de produtos e arquitetura, sem ferramentas de animação com deformação. Essa versão do 3ds max é um pouco mais barata que a completa.

Agora é só esperar que o 3ds max 2012 fique disponível para download para os usuários de outros países fora os EUA e Canadá, para que possamos testar o software. Já estou monitorando a área acadêmica da Autodesk, esperando pela versão educacional para atualizar o meu 3ds max 2011.

3ds max controlando o ponto pivô para animação

No processo de modelagem usando ambientes 3d, muitas vezes teremos que editar um ponto especial dos objetos chamado de ponto pivô. Em softwares 2d como o Flash esse tipo de ponto de referência é conhecido como ponto de registro, mas o efeito da sua alteração é muito parecida em termos de controle do objeto em 2d e 3d. O ponto pivô dos objetos é responsável por marcar nos modelos 3d o local em que os mesmos usam como referência para transformações de rotação. Sempre que um objeto precisa girar, é sobre o ponto pivô que essa rotação acontece.

Em alguns softwares é possível trabalhar com a posição do ponto pivô de diferentes maneiras, como no caso do Blender em que permite em alguns momentos utilizar o cursor 3d como ponto pivô. Mas, sempre que trabalhamos com animação 3d ou modelagem fazendo uso de transformações de escala, vemos a necessidade de editar a posição do ponto pivô em todos os softwares.

Para os usuários do 3ds max existe um script muito interessante que flexibiliza a manipulação e controle dos pontos pivô no software. Ao instalar e usar o Visual Pivot Placer, podemos ajustar a posição do ponto pivô usando algo muito próximo com a estrutura usada nos modificadores do tipo FFD do 3ds max. O vídeo abaixo mostra muito bem o funcionamento do script. Quando acionamos a ferramenta, teremos uma estrutura colocada ao redor do modelo 3d, em que podemos mover com o mouse mesmo o ponto pivô do objeto.

Além de usar os pontos que ficam marcados nessa forma semelhante a um FFD, podemos também para objetos do tipo Edtiable Poly, aproveitar a seleção de elementos como faces, arestas e vértices e colocar o ponto pivô centralizado com qualquer seleção desses elementos. Ainda é possível aproveitar um pequeno painel de opções que fica na parte inferior da viewport do 3ds max.

Com esse tipo de resposta visual rápida, fica muito simples trabalhar com animação fazendo uso de pontos de referência diferentes para animação. O 3ds max tem uma opção que edita o local do ponto pivô, mas essa opção é muito mais simples que a disponível nesse script. Recomendo a ferramenta para todos interessados em ter mais flexibilidade

Modelagem 3d poligonal com o 3ds max: Criando um abajur

Um dos tipos de tutorial que nunca me canso de assistir são os relacionados com a criação baseada em polígonos, pois todos os softwares 3d trabalham com esse tipo de modelagem e a possibilidade de aplicar as técnicas de um tutorial em qualquer software são muito boas. Por isso, sempre que encontro alguma coisa relacionada com modelagem desse tipo assisto, e caso seja um bom tutorial publico aqui no blog como recomendação. Na última semana mesme comecei a assistir uma série de vídeos que mostram o processo de modelagem de um Boeing 737, usando apenas modelagem poligonal. Ainda não publiquei o link, pois a sequencia de vídeos é bem longa, apresentando um total de 80 partes! Como ainda não cheguei nem na metade disso, ainda estou esperando para ter certeza se o material é bom antes de publicar.

Mas, hoje a minha recomendação é para um tutorial mais simples tanto em termos de aprofundamento de técnica como na escala, se compararmos com um Boeing. O tutorial abaixo é sobre a criação de um abajur no 3ds max 2011, usando a velha e boa modelagem poligonal.

O procedimento usado no vídeo pode ser expandido para praticamente qualquer ferramenta 3d, bastando para isso que você tenha um conhecimento mínimo sobre o funcionamento da ferramenta desejada.

O autor do vídeo começa o projeto usando uma imagem de referência colocada no plano de fundo da cena, para ajudar a controlar as proporções de todo o projeto e ajudar na modelagem. A parte básica da forma usa como ponto de partida uma primitiva geométrica, assim como acontece com todos os objetos que são criados usando modelagem poligonal, nesse caso a chamada subdivisão. O abajur começa com base em um cilindro que é deformado, para atingir a forma básica do objeto.

Com o cilindro selecionado, o processo consiste basicamente no uso de ferramentas de transformação que atribuem a forma desejada ao objeto com base na sua imagem de fundo. As ferramentas básicas de transformação nesse caso são as de mover, girar e escalonar os vértices dos polígonos.

Mesmo tendo como objeto alvo algo tão simples como um abajur, o tutorial deve ajudar aos artistas que estão querendo aprender mais sobre o processo de criação baseado em polígonos. A mesma técnica pode ser usada para modelagem do abajur em praticamente qualquer software 3d.

Comparação de performance da viewport do 3ds max 2012

Os projetos que demandam o uso de modelos com grande quantidade de polígonos podem ser o maior pesadelo de artistas 3d, pois o conjunto de software e hardware pode não se suficiente para manipular a complexidade do arquivo. Se você nunca passou por esse tipo de situação, posso garantir que é uma das experiências mais irritantes em termos de trabalho com softwares 3d. Para exemplificar esse tipo de situação, encontrei um vídeo que faz uma comparação no ganho de performance entre o 3ds max 2011 e o 3ds max 2012. O autor do vídeo faz uso de um modelo 3d extremamente pesado que é o War Machine, personagem do universo Marvel.

O modelo apresenta mais de 300 objetos e aproximadamente 3 milhões de polígonos, o que é considerável para esse tipo de personagem. Com essa quantidade de detalhes, a manipulação do personagem fica prejudicada. O início do vídeo usa o 3ds max 2011 e mostra como é difícil manipular o modelo, mesmo depois que o mesmo entra no cache da Viewport, operações como a conversão dos objetos para Editlable Poly demoram aproximadamente 5 minutos! Sim, apenas a conversão do tipo de geometria.

Aproximadamente na metade do vídeo o autor faz a troca do software para o 3ds max 2012, e o ganho de performance com a tecnologia nitrous é assustadora. O mesmo modelo 3d com aquele quantidade absurda de polígonos é carregado e atualizado quase que de maneira instantânea, e para piorar a situação o max adicionar automaticamente oclusão as sombras, gerando um efeito bem legal na Viewport. A conversão para Editable Poly também acontece praticamente de maneira instantânea!

É com esse tipo de comparação que podemos avaliar a evolução de um software.

A manipulação desse tipo de objeto é um dos desafios do trabalho em grandes projetos, pois o software acaba não conseguindo trabalhar com a quantidade de dados apresentada. Já pensou adicionar nessa cena outro personagem, para conseguir trabalhar com animações de luta ou interação entre os dois? Pior ainda seria se o objetivo fosse trabalhar com o personagem usando um cenário também baseado em geometria, por isso é que acabamos recorrendo para composição de imagens para gerar imagens com objetos muito complexos.

Vídeos e tutoriais sobre o 3ds max 2012

O lançamento do 3ds max 2012 será apenas no final desse mês, mas diversos vídeos divulgados pela própria Autodesk ajudam a mostrar um pouco mais sobre o funcionamento dessa nova versão do 3ds max, e servem como tutoriais já explicando muito do seu funcionamento. No artigo em que comentei o lançamento do software alguns dias atrás, já mostrei alguns desses vídeos que abordavam as ferramentas do 3ds max 2012, e hoje complemento esse material com novos vídeos que mostram ainda mais do software.

O conjunto de vídeos é relativamente grande, por isso organizei o material no formato de uma lista de reprodução do youtube. Os temas dos vídeos são os seguintes:

  • Viewport com o recurso Nitrous
  • Integração com o Civil View para visualização e simulação de paisagens urbanas
  • Nova opção de render integrada com o iray
  • Ferramentas de modelagem 3d aprimoradas no Graphire Tools
  • Novas opções para a janela de mapeamento UV

Entre os meus vídeos preferidos nessa nova coleção estão o que mostra mais da Viewport do 3ds max usando o recurso chamado de Nitrous, que realmente faz as os elementos ganharem vida dentro da Viewport. É de impressionar a qualidade com que materiais avançados com reflexões e outros efeitos são exibidos. No video abaixo é possível conferir o recurso no 3ds max 2012, usando um objeto que tem vários níveis diferentes de transparência. Ao orbitar o modelo é possível conferir os detalhes do objeto e os efeitos dos materiais, tudo direto na Viewport. A GPU nesse caso precisa ser muito boa para reproduzir os efeitos.

O outro vídeo que destaco nesse conjunto é o que mostra o Civil View, recurso que deve agradar muito as pessoas interessadas em usar o 3ds max 2012 para planejamento urbano. Com esse tipo de recurso, poderemos trabalhar com o uso de parâmetros para adicionar elementos como estradas e mobiliário urbano. O resultado disso é a possibilidade de trabalhar com animações e estudos de vias urbanas.

Assim que tiver mais novidades sobre o 3ds max 2012 como a disponibilidade de uma versão de testes para download, ou mesmo a versão educacional do software que é liberada pela Autodesk na sua área acadêmica, publico aqui no blog.