Mais de 400 tutoriais gratuitos sobre o Softimage XSI

Um dos softwares que sempre aparecem nos pedidos de tutoriais e material educacional nas mensagens do blog, e pelo Twitter é o Softimage. Como são poucas as pessoas que utilizam essa ferramenta no Brasil, quantidade de tutoriais e material de apoio é bem pequena. Até mesmo em língua inglesa a quantidade de material relacionada com Softimage é significativamente menor se comparado com o Maya, 3ds max e outros. Mas, hoje vou recomendar um conjunto de materiais de estudo para o Softimage XSI que deve deixar qualquer usuário interessado no software ocupado por várias horas!

O recurso foi disponibilizado nos fóruns de usuários do Softimage XSI por um usuário chamado AceMastermind, que relacionou uma lista com dezenas, para não dizer centenas de tutoriais para Softimage XSI. Pela minha contagem parcial dos materias, o número total passa de 400 tutoriais! O vídeo abaixo é apenas um desses tutoriais disponíveis que aborda modelagem poligonal no Softimage XSI.

Quais são as áreas abordadas nesse conjunto de tutoriais? A lista abaixo mostra um pouco do que você vai encontrar na lista:

  • Modelagem 3d
  • Manipulação de objetos
  • Componentes
  • Modelagem geral
  • Modificadores e deformadores
  • Superfícies e curvas
  • Ferramentas de transformação de objetos
  • Texturas
  • Texturas e edição de camadas
  • Animação
  • Transformações
  • Misturando animações
  • Usando clipes de vídeo
  • Animação do tipo Morph
  • Adicionando som
  • Usando constraints
  • Esqueletos e cinemática inversa
  • Processo de Skinning
  • Criando esqueletos de personagens
  • Kit de desenvolvimento de personagens
  • Animações com deformações
  • Configurações de animação
  • Simulações físicas
  • Usando Rigid Body
  • Exemplos de Rigid Body
  • Criando cabelos para personagens
  • Exemplos de cabelo
  • Otimizando cabelos
  • Introdução ao sistema de partículas
  • Conceitos de partículas
  • Exemplos de partículas
  • Renderização
  • Técnicas de renderização
  • Criando efeitos com gradientes
  • Usando filtros
  • Adicionando mapas de bump
  • Iluminação
  • Usando Final Gathering
  • Entendendo render em camadas
  • Usando render em camadas
  • Aplicando antialiasing
  • Usando motion blur
  • Mapas de displacement

Só para ressaltar que essa é uma lista com os tópicos principais abordados no conjunto de tutoriais, em que para cada tema existem entre 5 e 12 vídeos. Se você queira aprender a usar o Softimage XSI e nunca teve a oportunidade, esses vídeos devem ajudar bastante! Os vídeos faziam parte de um treinamento comercial do Softimage que foi disponibilizado de maneira gratuita pela própria empresa que desenvolveu o material.

Lagoa Multiphysics promete simulações realistas no Softimage

A animação usando simulações físicas sempre delegada para plugins ou softwares especializados devido a sua complexidade e competência em resolver problemas complexos, que seriam incrivelmente trabalhosos de criar usando apenas técnicas tradicionais de animação. Esse sempre foi o legado dos plugins que a cada dia ficam mais sofisticados. O 3dsmax é uma das ferramentas que apresenta a maior quantidade de plugins para esse tipo de animação com destaque para Fume FX e o Krakatoa que permitem criar animações complexas e com grande apelo visual. Outro sistema que oferece grandes possibilidades para a simulação física em animação é o Softimage com o seu incrível e poderoso sistema ICE.

Um sistema de simulação física para o Softimage que usa o ICE foi apresentado essa semana e deixou muita gente de queixo caído. A qualidade e complexidade das animações, sem mencionar a variedade de simulações, acaba transformando esse software em um dos mais promissores na área de efeitos baseados em física. O seu nome é Lagoa Multiphysics e uma demo em vídeo mostra em imagens o que acabei de descrever com palavras:

Lagoa Multiphysics 1.0 – Teaser from Thiago Costa on Vimeo.

O software ainda não está disponível para download ou sequer foi lançado, mas podemos acompanhar recursos avançados como materiais granulados com diferentes índices de fricção, fluidos com densidades variadas, estruturas elásticas e muito mais.

Mas, afinal o que é esse ICE? Para quem não está acostumado a usar o Softimage a plataforma ICE (Acrônimo para Interactive Creative Environment) é uma plataforma que permite expandir o Softimage usando nada mais que uma estrutura de nós. É a tendência de todos das suítes de computação gráfica 3d oferecer esse tipo de sistema, pois ele permite criar sistemas complexos e escalonáveis para projetos de animação e visualização.

Mesmo sem a popularização do Softimage aqui no Brasil a plataforma ICE é muito bem conceituada entre artistas especializados em efeitos especiais, e principalmente no mercado publicitário pela sua flexibilidade.

O autor do Lagoa Multiphysics se chama Thiago Costa e mesmo sem maiores informações sobre o sistema no seu web site pessoal, lá é possível conferir vários dos seus trabalhos usando o Softimage ICE. É uma excelente fonte de informações para usuários do Softimage e também para quem estuda a produção de animações 3d.

Autodesk Softimage XSI: Tutorial completo de modelagem 3d por subdivisão

A técnica mais simples que podemos usar para trabalhar com modelagem 3d é a chamada subdivisão, que consiste na criação de primitivas geométricas que devem ser transformadas e deformadas para criar objetos mais complexos. Isso se aplica a praticamente qualquer tipo de topologia ou elemento 3d, desde objetos orgânicos até os mais geométricos. Quais transformações são essas? Sempre que me refiro as transformações que um objeto 3d pode receber, estou falando sobre translação, rotação e escala. Essas são as três operações básicas da modelagem 3d, base para qualquer tipo de modelagem.

Para exemplificar o poder que esse tipo de modelagem com princípios simples e práticos pode ter nas mão de um artista paciente, encontrei um tutorial em vídeo que mostra o processo de criação de um objeto futurista no Autodesk Softimage, usando basicamente esse conjunto de técnicas. O mais interessante do vídeo é que a mesma técnica pode ser reproduzida em qualquer software 3d, pois a grande maioria dos softwares suporta a técnica, diferente de tutoriais que abordam o uso de NURBS.

Só existe um pequeno detalhe em relação ao tutorial que você deveria saber antes, é que o mesmo tem uma hora e meia de duração. Isso mesmo, é possível acompanhar a modelagem 3d no Softimage em detalhes nesse vídeo.

Poligon modelleme – Autodesk Softimage XSI from Emre Şan on Vimeo.

Outro detalhe interessante em relação ao vídeo é que o artista manipula tudo usando apenas uma tablet e um mouse 3d, que é aquele dispositivo com um cilindro na qual é possível determinar ângulos de visão e a inclinação da câmera. Se tem uma coisa que particularmente nunca consegui fazer foi manipular softwares 3d usando tablets, mesmo nos locais em que ministro aulas e que dispõe desses dispositivos em todos os computadores para uso no 3ds Max, acabo levando meu próprio mouse.

No que diz respeito ao tutorial e os métodos usados para construir o modelo 3d, podemos observar que ao longo de todo o processo o autor usa basicamente as mesmas técnicas para construir o modelo, repetindo o processo de maneira levemente diferente para conseguir variações na topologia. Mas, no final é tudo baseado em modelagem por subdivisão. Esse é um excelente exercício de modelagem para usuários que ainda estão aprendendo um software 3d, ou pretendem tentar aprender outra ferramenta. Basta seguir as transformações realizadas nas primitivas e aplicar os extrudes nos locais em que o autor do vídeo indicar.

Criando flechas animadas usando partículas no Softimage XSI ICE

O sistema de partículas de um software 3d é uma das partes mais versáteis e úteis em termos de animação, qualquer que seja o software usado. Nos softwares que já permitem o controle procedural das partículas como o Softimage XSI e o Houdini, as possibilidades de configuração e animação com esses sistemas são ainda maiores. Quando um projeto de animação requer que o artista crie cenas em que múltiplos objetos estão se movendo no cenário, como um conjunto de flechas disparadas na mesma direção, o sistema de partículas pode ajudar em muito.

No tutorial abaixo é possível acompanhar o procedimento e passos necessários para criar uma animação usando partículas, que simulam várias flechas em movimento. A animação que o artista do vídeo está criando é um pouco mais complicada, pois são flechas flamejantes e que interagem com efeitos atmosféricos. O vídeo está em alta resolução e dividido em duas partes.

A primeira parte do vídeo mostra o artista configurando o sistema de partículas para que o mesmo use instâncias de um modelo 3d no cenário, nesse caso o modelo 3d de uma flecha. Você vai perceber que a maioria das opções e ajustes usados no Softimage XSI estão presentes em outros softwares, como os ajustes do objeto emissor e os controles para velocidade, quantidade e força das partículas. Boa parte do processo é ajustada usando nós, o que deixa a fase de ajuste bem diferente para quem não está acostumado.

Mesmo assim, é interessante acompanhar a interação visual dos parâmetros resultando na animação das partículas.

XSI 7 ICE : Flaming Arrows Part 1 from Steven Caron on Vimeo.

A segunda parte do tutorial é dedicada ao ajuste e criação dos efeitos que acompanham o sistema de partículas. Nesse caso, as flechas que são animadas pelo Softimage deixam um pequeno rastro ao configurar o seu movimento ao longo da trajetória. Isso é efeito adicionando elementos como fumaça e interação com luzes no ambiente.

XSI 7 ICE : Flaming Arrows Part 2 from Steven Caron on Vimeo.

Se você não está acostumado com o uso de sistemas baseados em nós, a organização desse tipo de animação e efeito usando esse tipo de recurso pode parecer mais confuso e difícil que o velho menu cheio de parâmetros. Mas, com esse tipo de recurso, é possível ter uma interface mais limpa e que use apenas os nós com parâmetros usados na cena. Sem mencionar o fato que tudo é procedural, e pode abranger uma quantidade quase ilimitada de combinações para criar efeitos.

Mesmo que você não entenda a narração em inglês, é possível entender o que está acontecendo no vídeo se os nomes dos nós usados forem associados ao que acontece na cena. Para isso, qualquer experiência com softwares 3d é necessária.

Como fazer a configuração de um avião para animação no Autodesk Softimage XSI?

Agora que a Softimage já pertence à Autodesk, resolvi adicionar no título a nova denominação da ferramenta de modelagem e animação, que provavelmente irá se chamar Autodesk Softimage XSI. Bem, esse vídeo que vou indicar hoje é relacionado com o Softimage, ele não é bem um tutorial, mas sim uma visão geral sobre a configuração de um avião, com todas as suas partes móveis preparadas para participar de uma animação.

Esse é um tipo de objeto que demanda grande esforço e poder de observação dos artistas 3d, pois ele tem vários pequenos detalhes, que precisam ser observados e reproduzidos no software 3d, para produzir um resultado verossímil na animação. Caso você nunca tenha tido a oportunidade de analisar um objeto como esses, recomendo assistir com calma o vídeo, pois será possível perceber com clareza o quanto é difícil e trabalhosa a atividade do animador.

O vídeo é esse:


XSI Rigging an Aircraft from Paul Donaghy on Vimeo.

Como você pode perceber, o autor do vídeo apenas explica o funcionamento do seu veículo com as configurações prontas para animação. Mesmo que você não tenha entendido bem a explicação, pelo fato da narração estar em inglês, o artista usa basicamente três ferramentas e opções, disponíveis em praticamente todos os softwares 3d para configurar o avião:

  • Relacionamentos em hierarquia
  • Constraints
  • Ajustes e posicionamento dos pontos centrais (pivots)

Todas essas ferramentas aliadas com o uso de objetos auxiliares, também chamados de Dummys ou Emptys no 3ds Max e Blender 3D respectivamente, ajudam muito na configuração do veículo para animação. O mérito desse tipo de trabalho está mais na percepção de como o veículo funciona e não no conhecimento técnico do software.

Por exemplo, repare no detalhe exibido no início do vídeo, em que o autor demonstra os controles que inclinam as hélices dos motores, ou na parte final do vídeo, em que o trem de pouso tem partes móveis, como a suspensão que é animada usando cinemática inversa.

Isso mostra a importância da pesquisa e da chamada pré-produção em que é necessário pesquisar e conhecer os detalhes, desse tipo de movimento e comportamento dos veículos. Caso contrário, apenas o conhecimento técnico na ferramenta 3d não seria capaz de produzir esse tipo de animação.

O vídeo também é um ótimo exemplo de como o trabalho de um bom animador é mais valorizado que o de modelagem. Muitas vezes a modelagem é o caminho mais fácil para começar a trabalhar com computação gráfica, mas apenas com desafios e configurações complexas como essa é que o seu trabalho pode sim, chamar a atenção.

Então, como sugestão, use o vídeo como exemplo e tente reproduzir os movimentos mostrados na demonstração e usando o seu software 3d preferido, crie os mesmos controles. Esse será um ótimo exercício para praticar configuração de veículos e animação mecânica.