Guias para composição na câmera do Blender

Na semana passada publiquei aqui no blog um artigo em que comentava sobre o uso de técnicas próprias para composição baseadas em fotografia, e aplicadas em softwares 3d. Naquele artigo em particular o texto era direcionado para uso no 3ds Max, pois com ele é possível editar os valores dos campos Camera Safe e Action Safe da câmera para conseguir montar a composição. A técnica é conhecida como regra dos terços, e funciona de maneira simples, delimitando a imagem que a câmera foca em três partes iguais na horizontal e vertical, resultando em um tipo de grade. O uso dos cantos do quadrado central ajudam a posicionar elementos importantes na sua renderização em pontos de interesse, melhorando a composição de maneira geral no seu projeto.

O uso dessa técnica no Blender era possível, mas exigia o uso de artifícios ou truques para adicionar essas linhas de composição posteriormente na câmera. No artigo da semana passada o leitor Adeyvison, chamou a minha atenção para um novo recurso do Blender 2.58 que já adiciona esse tipo de linha guia para composição diretamente na câmera.

Para mostrar o funcionamento desse recurso, tomei a liberdade de gravar um pequeno tutorial em vídeo que mostra a configuração das guias em uma câmera. O processo como um todo é extremamente simples!

Só para deixar bem claro, o recurso é novo no Blender 2.58 e os artistas usando versões anteriores do Blender não devem encontrar essa opção nas câmeras.

Assim que você seleciona uma câmera no Blender, é possível acionar o painel de opções da câmera chamado de Object Data. Quando temos uma câmera selecionada o Object Data exibe apenas opções para essa câmera, e na parte inferior do painel encontramos o Composition Guides. Nesse campo encontramos todas as opções de guias para composição na câmera do Blender, e assim que escolhemos uma dessas opções as linhas correspondentes a técnica de composição escolhida aparecem na visão da câmera.

O processo fica muito mais simples dessa forma e você como artista 3d deve usar esse procedimento para o máximo de imagens e projetos que puder. Esse tipo de guia ajuda a posicionar os elementos do seu projeto em lugares que destacam mais a cena. Agora você não tem mais desculpas para não caprichar nas composições das suas cenas no Blender!

Tutorial Blender: Usando o lock camera to view

O Blender 2.58 foi lançado alguns dias atrás com diversas correções de bugs e pequenas melhorias em termos de ferramentas, que apesar de terem sido relativamente discretas fizeram a alegria de alguns artistas 3d, sendo que estou incluso nessa lista. Uma das melhores opções que apareceram no Blender 2.58 foi a possibilidade de travar a movimentação e uma câmera apenas na 3D View em que ela está ativa. O conceito é um pouco complicado de entender sem uma demonstração visual, e foi exatamente por isso que tomei a liberdade de gravar um vídeo mostrando como o recurso funciona.

No vídeo abaixo mostro como é possível trabalhar com o recurso Lock Camera to View.

A primeira coisa que você deve estar se perguntando, é o endereço de onde fiz a cópia do modelo 3d usado no tutorial. O modelo foi copiado do BlendSwap, e caso você precise um modelo 3d para qualquer fim, até mesmo comercial, ele é um excelente repositório de material.

Bem, no vídeo você deve ter percebido o quanto o recurso de travar a visualização da câmera na viewport do Blender ajuda a controlar o enquadramento de projetos.

Os artistas mais antigos do Blender já estão até acostumados a ficar fazendo vários ajustes na cena, e modificando o enquadramento aplicando transformações na própria câmera. Com o uso desse novo recurso, podemos travar a posição da câmera em uma posição apenas, e depois ajustar o enquadramento como se fosse uma viewport normal voltada apenas para visualização, usando os controles e atalhos de zoom do Blender.

Isso deixa o processo infinitamente mais rápido, pois não é mais necessário modificar a posição da câmera para determinar o enquadramento.

É importante lembrar que esse recurso só está disponível na versão 2.58 do Blender!

Aproveitando que o assunto desse artigo é o Blender, o pessoal do portal Blender Brasil está realizando uma pesquisa para conhecer melhor os usuários do portal. Se você for leitor aqui do blog, e também visitar com freqüência o Blender Brasil, é interessante participar da pesquisa que eles estão realizando para que a administração do portal possa conhecer melhor os seus visitantes.

Essa é uma pesquisa que nunca realizei aqui no blog, e preciso fazer também, pois a coisa está grande demais e os pedidos de tutoriais e material de estudo estão se acumulando na minha caixa de entrada.

Usando o novo Inset Polygon do Blender 2.58

Na semana passada o Blender recebeu mais uma atualização para a versão 2.58 e está ainda mais estável e mais recomendado para aplicação em projetos e grande porte, e para comprovar isso basta uma visita a extensa lista de problemas que forram corrigidos nessa versão. Além das correções de problemas que são necessárias para a evolução do software, algumas novas ferramentas foram adicionadas ao Blender. Uma dessas ferramentas é na verdade um Add-on que acompanha o Blender e deve ajudar bastante na modelagem de alguns tipos de objetos. Esse Add-on é chamado de Polygon Inset e ajuda a criar os chamados Insets em modelos 3d.

Mas, o que são esses Insets?

Um Inset é a cópia paralela de uma face que é criada usando uma escala ligeiramente menor do que a face original. Isso pode ser feito no Blender usando uma combinação simples de extrude e escala, mas são necessários alguns atalhos de teclado para que a mesma seja realizada. Com o uso do Add-on o processo fica muito mais rápido.

Para mostrar como esse novo Add-on funciona, tomei a liberdade de gravar um pequeno tutorial em vídeo, que na verdade é apenas uma demonstração mesmo de como você pode habilitar o Add-on para usar nos seus modelos 3d.

O processo é bem simples, e envolve o acesso ao painel de preferências do Blender e a escolha do Add-on Polygon Inset na lista de Add-ons. Quando essa opção está ligada, ao entrar no modo de edição do Blender com um objeto do tipo Mesh selecionado, teremos uma opção chamada Inset na barra de ferramentas da 3D View. Para usar essa opção, você deve selecionar uma face em qualquer objeto e pressionar esse botão para criar o Inset.

Depois de pressionar o botão, precisamos escolher algumas opções do Add-on que são:

  • Amount: Distância entre a cópia da face criada pelo Inset e a face original.
  • Height: Se a cópia da face precisar ficar em altura diferente da original, aqui escolhemos o quanto essa cópia precise ser deslocada.
  • Region: Quando marcamos essa opção, você pode aplicar o Inset em grupos e faces.

Com esse novo Add-on o Blender ganha mais versatilidade na modelagem poligonal, mas ainda é necessário muito desenvolvimento para melhorar o Inset, e para perceber os problemas gerados pela ferramenta, avance o vídeo até o final e veja o resultado da aplicação do Inset em duas faces perpendiculares.

Blender 2.58 disponível para download

A Fundação Blender anunciou hoje a disponibilidade imediata para download do Blender 2.58, que é a segunda versão estável lançada dentro da série 2.5. Esse é mais um marco para os usuários do Blender que já estão agora bem mais acostumados com a nova interface e ferramentas, mas nunca se cansam em conferir as novidades de cada versão. O Blender 2.58 pode ser copiado de maneira gratuita como é de costume, usando esse endereço que leva até a página de downloads da Fundação Blender. Mas, o que podemos conferir de novidades nesse novo Blender? Assim como o mapa de desenvolvimento do Blender aponta, as versões posteriores ao 2.57 tem como foco a correção de bugs provenientes do desenvolvimento da versão 2.5. Portanto, o log de atualizações da versão 2.58, que é imenso, está repleto de correções e algumas poucas novidades.

blender-2.58.png

Entre as novidades listadas no log para o Blender 2.58 podemos destacar:

  • Warp Modifier: Esse modificador consegue deformar um objeto usando como referência dois pontos. Os dois pontos funcionam como se fosse o início e final da deformação, sendo que podemos controlar a intensidade da deformação usando curvas.
  • Render Baking: As ferramentas para fazer Render Baking estão muito mais poderosas e flexíveis, com a possibilidade de manipular modelos 3d com vários níveis de subdivisão.
  • Empty Images Display: Os Emptys do Blender agora podem ser representados por imagens, o que abre diversas possibilidades para criação de controles e ajustes de estruturas como Rigs. Os Emptys são objetos invisíveis usados como referência para controles e pontos pivô.
  • Sculpting: Melhorias no sistema de escultura do Blender permitem que modificadores que alterem a malha 3d agora fiquem visíveis na escultura.
  • Mesh Inset (Addon): O Add-on que adiciona a opção de Inset na modelagem 3d agora acompanha a instalação oficial do Blender 2.58!

Camera Locking: Podemos alterar a posição da câmera como se estivéssemos trabalhando com uma 3D View.

Essas são algumas das novidades do Blender 2.58 que se somam as inúmeras correções de bugs reportados pelos usuários, e para conhecer o resto das novidades, recomendo uma visita ao log completo que pode ser acessado aqui. Para quem estava esperando por alguma coisa relacionada com o Cycles, ainda não foi dessa vez!