Blender 2.64

O Blender 2.64 estava em desenvolvimento já faz um bom tempo, e suas versões de teste, Release Candidates começaram a aparecer algumas semanas atrás mostrando algumas das novidades que estavam por vir. Mas, finalmente a espera terminou, pois a versão estável do Blender 2.64 já está disponível para download. Essa é uma das versões que teve o maior intervalo entre os períodos de desenvolvimento, pois foram alguns meses entre o 2.63 e o 2.64, mas a quantidade de novos recursos compensou a espera pelo lançamento.

Essa versão do Blender foi resultado do trabalho realizado pela equipe do projeto Mango, que acabou resultando no curta Tears of Steel que está fazendo muito sucesso na web, e gerando um excelente feedback para o Blender como ferramenta, e consequentemente para todos que utilizam o software para fins profissionais.

blender-264.jpeg

Como essa versão acabou sendo focada no projeto Mango, as novidades do Blender 2.64 estão um pouco concentradas na parte de efeitos visuais e tracking, que foi muito exigida para a montagem e produção do Tears of Steel. Mas, isso não é tudo, pois existem outras novidades que inclusive já foram abordadas aqui no Blog em tutoriais já publicados.

Por exemplo, o novo modificador Skin que permite criar modelos 3d volumétricos e também trabalhar com a criação de esqueletos de maneira automática.

Ainda existem as melhorias no Blender Cycles, em que luzes do tipo Spot agora são suportadas e novos nodes para trabalhar com iluminação e ajustes para a cena como o Falloff. O tutorial abaixo mostra um pouco desses recursos ainda nas versões de teste do Blender.

Ainda existem outras ferramentas como o incrível Add-on Cell Fracture e muitos outros novos recursos, que podem ser conferidos nesse endereço em que está a lista com todas as melhorias e novos recursos do Blender 2.64.

Sorteio de DVDs do projeto Tears of Steel e treinamentos com Blender

E não custa lembrar que para promover o lançamento do projeto Tears of Steel, estou sorteando entre os participantes dos cursos no EAD – Allan Brito que se inscreverem em qualquer curso nesse mês de outubro, dois DVDs do Tears of Steel que por sinal são pacotes formados por 4 discos, e fora isso mais dois DVDs de treinamento do instituto Blender.

Para conhecer as regras e saber mais sobre o sorteio, visite esse endereço com o anuncio do sorteio.

Retrospectiva do Tears of Steel: Projeto Mango

É amanhã o esperado dia em que o projeto Mango será lançado para a comunidade de usuários do Blender e o público em geral. Depois de aguardar vários meses e acompanhar o desenvolvimento das ferramentas criadas especialmente para resolver os desafios propostos para esse projeto, é chegado o momento de conferir o resultado final. O dia 26 de setembro marca o lançamento para o público do Tears or Steel em diversos canais e formatos, permitindo que todos possam assistir ao curta metragem da melhor maneira possível. Claro que a maneira mais fácil de assistir, é pelo canal do Youtube da Fundação Blender ou do projeto Mango que devem ser os hubs centrais de visualização do projeto.

Para celebrar a data, resolvi escrever esse artigo que lista um pouco da história e objetivos do projeto, pois nem sempre todos os usuários e artistas que usam o Blender conhecem a história e motivações que levam a equipe da Fundação Blender a trabalhar nesses projetos, que são incívelmente complexos de realizar, principalmente com orçamentos limitados.

Antes de continuar, esse é o trailer do Tears of Steel que dá uma excelenge idéia do que aguardar para amanhã:

O projeto com nome código de Mango é a quinta iniciativa de produção aberta do Instituto Blender, que é o braço da Fundação dedicado a trabalhar nesse tipo de produção. Podemos resumir os objetivos desse tipo de projeto em:

  • Promover a criação de material profissional com o Blender
  • Desenvolver ferramentas para o Blender que ajudem a resolver problemas pontuais de produção
  • Promover o Blender como ferramenta viável para ambientes de produção

Em cada um dos projetos abertos o Blender acaba dando saltos consideráveis em algumas áreas, como já aconteceu em projetos passados na área de animação, modelagem e produção de jogos. Isso acontece devido ao trabalho da equipe que fica dedicada a produção, e para ajudar aos artistas acaba desenvolvendo novas ferramentas ou melhorando outras opções que já existem dentro do Blender. Nesse projeto em particular o foco eram efeitos especiais e a criação de ferramentas para mesclar vídeo gravado com material 3d. Dessa iniciativa surgiram as ferramentas de Tracking de câmera que são um dos assuntos mais desejados pelos usuários do Blender.

Mas, como todo esse processo é financiado? O Blender não é gratuito?

Existe uma boa quantidade de usuários do Blender que não consegue entender como um software gratuito pode conseguir os recursos financeiros para criar projetos desse tipo. Só para termos uma idéia de como é caro esse tipo de projeto, podemos usar uma declaração feita pelo Ton Roosendaal em um artigo em que o custo do Big Buck Bunny é estimado em 150.000,00 Euros! Essa é uma declaração rara de encontrar, mas que mostra como os custos de produção são altos.

Esse valor alto é angariado por meio de doações e patrocínio de empresas, e da pré-venda dos DVDs com o projeto. Sim, é perfeitamente possível conseguir chegar nesse valor com a pré-venda dos DVDs. Antes mesmo que o projeto tenha início, a Fundação começa a venda dos DVDs. As pessoas que adquirem o DVD na pré-venda ainda possuem o incentivo de ter os nomes inclusos nos créditos do projeto como colaborador na pré-venda. Mas, não é só isso! Os DVDs são entregues com o conteúdo produzido pelo projeto, além dos arquivos fontes e todo o material usado na produção. E junto ainda podemos conferir tutoriais e material produzido pela equipe. É um material muito rico para quem está interessado em aprender como fazer algo semelhante.

Os valores angariados com as vendas dos DVDs e patrocínios, é usado para cobrir os custos com equipamentos e salários dos artistas e desenvolvedores que ficam no Instituto Blender durante o período da produção.

Então, amanhã você vai assistir ao resultado desse projeto que depois de vários meses em desenvolvimento e do esforço coletivo, tanto da equipe como dos usuários que financiaram o projeto, em um case fantástico de crowdfunding resultará tanto no Tears of Steel como no Blender 2.64!

Novidades do Blender 2.64: Luzes spot no Cycles e Falloff

A versão 2.64 do Blender está trazendo inúmeras novidades para os usuários do Blender, e muitas dessas novas ferramentas e opções são oriundas do projeto Mango que resultou no curta metragem “Tears of Steel”. As ferramentas adicionadas ao Blender nesse estágio tem relação direta com o projeto Mango, e protanto acabam sendo direcionada para a área de efeitos e composição, que foram algumas das áreas mais usadas no projeto. Mas, isso não quer dizer que outras partes do Blender ficaram de fora da lista de atualizações, como já mostrei na semana passada com um tutorial sobre o novo modificador Skin do Blender. Hoje quero mostrar algumas das novidades do Blender 2.64 relacionada com o Blender Cycles.

O Cycles é um renderizador recém adicionado ao Blender que tem como objetivo modernizar a parte de render do software, oferecendo algoritmos avançados na parte de iluminação, materiais e efeitos com o Blender. Um dos grandes diferenciais do Cycles é o suporte ao render por meio de GPU, que é fantástico para quem dispõe do hardware compatível, como é o caso das placas GeForce GTX da série 400 ou superior.

Entre as novidades do Cycles para o Blender 2.64, podemos destacar duas delas que são abordadas no vídeo abaixo que são:

  • Suporte a luzes do tipo Spot
  • Novo node com valores de Falloff

Assista ao vídeo para conhecer as novidades do Cycles:

Se você gostar do tutorial, o que acha de avaliar ele? Use o “joinha” do Youtube ou coloque nos seus favoritos! Isso ajuda na divulgação do tutorial.

O suporte as luzes do tipo Spot deve flexibilizar um pouco o tipo de iluminação criada com o Cycles, pois até o Blender 2.63 o uso de luzes do tipo Spot era interpretado pelo Blender como uma luz pontual. É importante lembrar que o altoritmo do Path Tracing “não gosta” de luzes pontuais, sendo mais indicado sempre o uso de luzes com grande área. A outra novidade é o node do tipo Falloff que permite controlar a intensidade da energia luminosa emitida por qualquer luz no Cycles. Existem diversos tipos de controle disponíveis, sendo necessário apenas ligar o node a entrada Strenght da fonte de luz.

Curso sobre renderização avançada com Blender Cycles

Assim que a versão estável do Cycles for disponibilizada para download, devo adicionar essas mesmas informações ao curso de renderização avançada com Blender Cycles do EAD – Allan Brito, que já está na sua sexta aula, com quase todas as aulas devidamente publicadas. Se você quiser aprender mais sobre o funcionamento do Cycles e configurar texturas, materiais e iluminação no novo renderizador do Blender, recomendo a visita a página de detalhes do curso.

Projeto Mango: Tears of Steel teaser

O projeto Mango é o novo open movie em produção pelo Instituto Blender e que já foi tema do episódio 01 e 02 do meu videolog. Se você ainda não assistiu a nenhum dos episódios do videolog, eu recomendo que assista para conhecer melhor a história dos projetos open movie e também a filosofia desses projetos, e como a contribuição para cada um dos projetos acaba ajudando no desenvolvimento do Blender.

Mas, voltando a falar sobre o projeto Mango, esse nome é apenas um codinome usado enquanto a equipe não escolhe um título em definitivo, coisa que aconteceu nos últimos dias. O projeto Mango irá gerar o curta chamado “Tears of Steel” que seria algo como lágrimas de aço em tradução direta.

E junto com a definição do nome, a equipe preparou também um teaser mostrando algumas cenas já finalizadas! O vídeo abaixo é o teaser de Tears of Steel.

Como deve ter ficado claro pelo teor e material apresentado no vídeo, o projeto Mango tem como objetivo mostrar a capacidade do Blender em se tornar uma ferramenta para produção de efeitos especiais, tracking de câmera e composição entre material filmado e elementos virtuais. Para conseguir esse tipo de resultado a equipe está trabalhando muito nas ferramentas e elementos do Blender, necessários para conseguir gerar efeitos como os vistos no teaser.

É importante ressaltar também que apenas o Blender está sendo usado para todos os estágios da produção, seja para a criação de elementos 3d e render, pintura de texturas e até mesmo na edição e montagem do vídeo. Sim, o Blender possui um editor de vídeo integrado capaz de fazer cortes, montagens e até mesmo trabalhar com títulos.

Agora só temos que ter um pouco mais de paciência e aguardar, pois nos próximos dias devem ser disponibilizadas mais novidades relacionadas ao desenvolvimento do Blender e do projeto Mango, pois a versão 2.64 já está no forno quase pronta para receber uma versão estável.

E não esqueça de assistir aos videologs e se gostar, avalie no Youtube e deixe um “joinha”! Estou já planejando o terceiro episódio, para tentar finalmente manter pelo menos um vídeo por semana.