Renderizador gratuito para o SketchUp: LuxRender!

O SketchUp é uma ferramenta excelente para modelagem 3d e visualização rápida de projetos arquitetônicos, mas se existe uma área em que o mesmo deixa a desejar é na renderização. Hoje em dia existem diversas soluções comerciais para solucionar esse tipo de deficiência que abrangem opções famosas como o V-Ray, amplamente usado em conjunto com o 3ds Max para visualização arquitetônica ou mesmo opções igualmente poderosas como o Maxwell Render, FryRender e Indigo Render. Todos eles são capazes de gerar imagens realistas e solucionar as deficiências do SketchUp na renderização de projetos.

Uma coisa que falta para completar o conjunto de ferramentas do SketchUp para permitir mais flexibilidade e liberdade, para artistas do SketchUp é o suporte de algum renderizador de código aberto. Caso o artista quisesse renderizar o projeto desenvolvido totalmente no SketchUp em ferramentas como o YafaRay ou LuxRender, o mesmo precisava de uma ponte para enviar os arquivos. Nesse caso o Blender poderia ser usado para enviar os arquivos para o renderizador. Isso está para mudar, pois um usuário Italiano do LuxRender está trabalhando no primeiro script que integra o SketchUp com o LuxRender. O script ainda está nas suas fases preliminares de desenvolvimento, mas já é possível usar o mesmo para renderizar cenas simples.

Caso você queira fazer o download do script para SketchUp chamado SU2LUX, visite esse endereço que leva diretamente aos fóruns de usuários do LuxRender.

Até o presente momento nem todos os recursos e ferramentas do LuxRender estão disponíveis no script, mesmo assim o feito é de grande ajuda para os usuários do SketchUp, pois vai permitir usar os recursos avançados de render disponíveis no LuxRender para gerar imagens realistas. O mais notório desses recursos é o seu conjunto de algoritmos avançados de renderização como o Metropolis Light Transport. A qualidade da imagem é muito semelhante em realismo ao que conseguimos com o Maxwell Render, FryRender ou Indigo.

A vantegem é que o LuxRender é de código aberto e totalmente gratuito para uso inclusive comercial das imagens geradas com o software. Se você é usuário do SketchUp e queria uma opção gratuita de render realista, as imagens geradas com o LuxRender devem ser mais que suficientes para satisfazer suas expectativas. É importante fazer o download do LuxRender também, pois ele é necessário para gerar imagens com o script.

Ainda essa semana publico um tutorial sobre como instalar e usar o LuxRender com o SketchUp.

Blender 3d 2.50 terá modelos prontos para animação com Armatures

A configuração de personagens em 3d sempre é um grande desafio para qualquer artista, mesmo os mais experientes acabam tento um pouco de dificuldade e trabalho manual até encontrar os melhores ajustes para relacionar os ossos com as deformações necessárias. Nesse quesito o item mais desejado por animadores menos experientes são os modelos prontos de animação. Nas minhas aulas sobre animação 3d com o 3ds Max os alunos ficam muito animados quando mostro o funcionamento do Biped, pois eles conseguem criar e movimentar personagens 3d em pouquíssimo tempo. No Blender 3D 2.49 esse tipo de modelo não existe, mas no desenvolvimento do 2.50 usado no projeto Durian está sendo criado o Meta-ring template que tem como propósito acelerar a configuração de personagens.

Em termos comparativos o sistema não funciona como o Biped do 3ds Max, mas apresenta diversas facilidades para configurar personagens 3d. O vídeo abaixo mostra um exemplo de como essa ferramenta pode ajudar na criação de personagens em 3d. No painel de Armatures agora existe um menu com diversas opções para transformar bones genéricos em estruturas com finalidades próprias. Por exemplo, agora existem opções para:

  • leg biped generic
  • leg quadruped generic

Ao selecionar essas opções e aplicar em bones do Blender, os objetos assumem as propriedades de pernas para personagens bípedes ou quadrúpedes. O vídeo abaixo demonstra os templates do Blender aplicados em mãos de personagens.

No vídeo é possível perceber como o processo de configuração de uma mão com seus diversos dedos e bones, acaba ficando bem mais simples com o uso do template chamado de finger curl. Antes desse tipo de ferramenta seria necessário ajustar quase que individualmente os diversos bones da mão.Antes que você tente encontrar esse tipo de ferramenta no Blender 3d 2.50 Alpha 0 é importante lembrar que esse tipo de material ainda está em desenvolvimento, sendo usado no projeto Durian e provavelmente deve apresentar pequenos bugs e problemas. Ele não está disponível no Alpha 0!

O melhor é aguardar pelo progresso no desenvolvimento e esperar pela versão estável do software para poder fazer os testes no 2.5. Para projetos de animação mais sérios o melhor mesmo é esperar pelo lançamento do Blender 2.60 no final do projeto Durian.

Renderização volumétrica com Blender 3D e LuxRender

A renderização de volumetria ou efeitos atmosféricos sempre é um problema, assim como os efeitos necessários para gerar ambientes aquáticos como comentei em artigo publicado ontem aqui no blog. Esse tipo de efeito pode ser gerado no Blender 3D com uma opção presente nas luzes do tipo Spot que é o Halo. Ao acionar essa opção na luz, podemos “visualizar” os raios de luz com uma espécie de neblina que representa muito bem a volumetria. Quando o projeto envolve o uso de renderizadores externos como o LuxRender ou YafaRay, o procedimento para gerar esse tipo de efeito muda significativamente.

No caso do LuxRender é um pouco complicado de começar a trabalhar com esse tipo de efeito, pois até mesmo na documentação do software existem poucas informações ou procedimentos sobre o funcionamento desse tipo de opção. Um usuário do LuxRender publicou um pequeno estudo nos fóruns do LuxRender com uma cena de teste e os procedimentos necessários para gerar o efeito. O resultado do efeito pode ser conferido na imagem abaixo, que foi incluída na Wiki do LuxRender:

tutorial-render-volumetria-luxrender-blender-3d.jpg

O procedimento para criar esse tipo de efeito no LuxRender envolve alguns pequenos truques. O primeiro é a criação de m sólido geométrico que precisa ser configurado com um material chamado boundvolume, que define a área em que a emissão do volume deve acontecer. O funcionamento é semelhante ao Domain usado nas simulações de fluidos.

No exemplo disponibilizado pelo usuário ele criou um cubo que envolve o volume completo da cena para que o efeito seja gerado apenas dentro do volume. Pelos testes que consegui fazer em outras cenas, percebi que esse mesmo volume gera uma pequena neblina na sua área. A interação com os raios de luz é que marca a trajetória dos pontos de luz na cena.

Além disso, ainda é preciso alterar o Integrer usado para renderizar a cena, pois apenas com as opções Path e Directlight é que a criação de volumes funciona. Essa é uma limitação da versão 0.61 do LuxRender que já está nos planos dos desenvolvedores para correções na atualização para o LuxRender 0.7. Recomendo que você faça o download da cena disponível nos fóruns e estude as configurações. O efeito é muito interessante, mas deixa o render ainda mais lento do que já é no LuxRender, portanto é necessário cuidado ao adotar esse tipo de efeito em projetos importantes.

Evolução da interface do Blender 3D

A evolução das interface e das ferramentas do Blender 3D nos últimos anos é impressionante e mostra os avanços conseguidos pela equipe e desenvolvedores, que com muito esforço trabalharam para chegar até a última reformulação dessa interface. Depois de uma conversa com alguns colegas e alunos dos meus cursos sobre computação gráfica, percebi que muitos deles nunca tiveram a oportunidade de usar ou conhecer as interfaces passadas do Blender 3D, para perceber como tudo mudou. A primeira vez que tentei usar o Blender 3D foi na versão 2.04, em que literalmente abri o software e depois de alguns minutos desisti de entender o funcionamento do mesmo. Apenas algumas semanas depois foi que realmente pesquisei e comecei a trabalhar e estudar com mais empenho a maneira com que o Blender funciona.

Desde esse dia fui deixando gradativamente de usar o 3ds Max como minha principal ferramenta 3d, para adotar apenas o Blender 3D nos projetos. Como ainda tenho algumas dessas versões mais antigas e a própria fundação disponibiliza nesse endereço, praticamente todas as versões anteriores do Blender para consulta e download, resolvi fazer um pequeno vídeo demonstrando a evolução das interfaces.

Como fica claro pelo vídeo em questão a evolução da interface “espartana” do Blender 3D 1.60 até o que vemos no final do vídeo, com a versão 2.50 Alpha 0 é impressionante e perfaz diversas pequenas melhorias que são complementadas pelos lançamentos intermediários.

Naquela época era complicado e trabalhos realizar operações simples de modelagem 3d, como a restrição de movimentos dos objetos ao receber algum tipo de transformação como escala ou rotação. Essa era uma das funções destinadas ao botão do meio do mouse, que junto do grid funcionava para modelar com mais precisão.

Repare que os famosos modos Object, Edit e muitos outros não estavam agrupados em seletores de fácil localização na interface, mas em botões espalhados sobre uma Header montada sobre ou abaixo da 3D View ou painel de botões. Com o tempo, a interface foi ganhando mais retoques e ferramentas mais sofisticadas como os modificadores. Basta fazer uma rápida comparação com o número de modificadores disponíveis na versão 2.

O vídeo em si não tem como objetivo mostrar o funcionamento da ferramenta, apenas demonstrar o quanto já foi melhorado e aprimorado nos últimos anos, e que deve culminar com o lançamento do Blender 2.60 no final desse ano. Agora é só esperar!

Concurso Blender Brasil de modelagem e renderização: Eco Design

O portal Blender Brasil está lançando essa semana o seu segundo concurso de idéias oficial para promover o uso do Blender 3D, envolvendo um tema muito relevante dentro do contexto do aquecimento global. Dessa vez os organizadores decidiram investir no tema Eco Design para trazer uma reflexão sobre o tema e instigar os artistas 3d a criar imagens estáticas, mostrando os efeitos que nossos atos podem ter no aquecimento global. O processo de criação de material para o concurso é bem simples, o que possibilita a usuários iniciantes e avançados participar de maneira semelhante. É necessário visitar esse endereço nos fóruns do Blender Brasil, para abrir um tópico com o seu nome e projeto, que deve ser usado para publicar as imagens e textos demonstrando o seu avanço no concurso.

O vencedor do concurso leva um exemplar do livro Blender 3D Guia do Usuário oferecido pela Editora Novatec, que é a principal patrocinadora do concurso. Ainda não está na lista oficial de prêmios, mas ofereci uma cópia dos livros Blender 3D Architecture, Buildings, and Scenery e Blender 3D 2.49 Incredible Machines como forma de aumentar o incentivo para participar do concurso de idéias.

É muito importante visitar o link com a descrição do concurso nos fóruns do Blender Brasil para ler por completo todas as regras e restrições, principalmente no que se refere ao uso de softwares extras além do Blender 3D e também ao aproveitamento de texturas ou modelos 3d que não foram criados pelo autor do projeto. Na verdade, o uso desse tipo de material é restrito e pode implicar na sua eliminação do concurso.

Ficou interessado?

Caso você tenha interesse em participar do concurso, o mais importante a fazer agora é escolher bem o projeto que deve ser iniciado, assim como encaixar o cenário ou modelo 3d dentro do contexto do concurso. A escolha do projeto é muito importante nessa fase, antes de começar a trabalhar com o Blender 3D. Mesmo que você já tenha um personagem futurista estilo exterminador do futuro, seria muito querer relacionar o mesmo com Eco Design dizendo que as baterias dele são recicláveis.

É hora de pesquisar e encontrar imagens ou objetos que possam representar bem o tema proposto. Por exemplo, uma imagem que mostre ambientes aproveitando da melhor maneira possível a luz do sol, economizando energia:

Mazzali:

Outro exemplo seria o design de um veículos realmente ecológico:

Ecoprodructs Exhibition 2006 (Tokyo)

Tudo vai depender da sua imaginação e se o projeto estiver contextualizado na realidade Brasileira, acho que ganha muitos pontos com o pessoal envolvido na votação.

O projeto também pode seguir uma linha mais de denunciar os vários processos que envolvem a emissão de gás carbônico:

Svartsengi

As possibilidades são as mais variadas! Essas imagens são apenas algumas das idéias que eu mesmo poderia considerar ao entrar nesse tipo de concurso.

Agora é só colocar a imaginação para funcionar e começar o seu próprio projeto. O concurso se encerra em Fevereiro de 2010.