Tutorial 137: Usando camadas de ajustes no Photoshop

A manipulação de imagens e fotografias em softwares como o Photoshop são muitas vezes simples de realizar e executar para usuários que conhecem bem a ferramenta, e até mesmo para os menos experientes. Mas, existem alguns procedimentos que alteram a composição das imagens de maneira irreversível, prejudicando uma possível reversão das edições no futuro e potencialmente complicando a vida de qualquer artista digital. É por isso que sempre é interessante realizar procedimentos para manter cópias de segurança dos arquivos fonte ou então encontrar maneiras de preservar a base de pixels usada para a edição.

Uma das melhores práticas nesse sentido para o uso cotidiano do Photoshop é a aplicação dos chamados Adjustment Layers ou camadas de ajustes em tradução direta. Você já usou esse recurso do Photoshop? Caso nunca tenha usado, preparei um tutorial em vídeo mostrando como o recurso funciona e as vantagens em investir nesse tipo de ferramenta do Photoshop.

Como você pode perceber pelo tutorial, o recurso das camadas de ajustes preserva muitas características dos pixels originais da imagem, permitindo que você aplique ferramentas e alterações nas imagens, e possa no futuro reverter essas edições para ter acesso aos pixels sem alterações. Isso é uma tremenda ajuda para as pessoas que não costumam fazer cópias de segurança dos arquivos quando retira os mesmos dos cartões das máquinas fotográficas, ou os designers que montam layouts complexos em PSD e depois se arrependem de alguma edição aplicada no início do processo criativo.

Quando usamos esse tipo de camada para fazer ajustes em imagens, você estará realizando o que é chamado por muitos de edição não-destrutiva. Esse é um tipo de edição muito desejada por ambientes corporativos, pois é possível reverter o produto final para as imagens originais a qualquer momento.
Gostou do vídeo? Não esqueça de deixar a sua avaliação no Youtube e também assinar o meu canal para ser avisado sobre novos tutoriais e vídeos publicados lá. Para aprender mais sobre Photoshop, recomendo visitar o EAD – Allan Brito para conhecer os cursos online de Photoshop disponíveis no site, inclusive um básico que é totalmente gratuito.

Tutorial Photoshop CC: Usando os objetos inteligentes

A manipulação de imagens em softwares como o Photoshop pode ser algo muito perigoso do ponto de vista da preservação dos pixels de uma imagem. Já presenciei por mais de uma vez pessoas literalmente editando imagens saídas diretamente da câmera, sem fazer nenhum tipo de cópia de segurança e alterar tamanhos no photoshop e depois salvar o arquivo em formatos como o PNG ou JPG que não preservam as camadas ou histórico de alterações. É um atentado a qualquer boa prática do ponto de vista de uso de softwares com o Photoshop. O primeiro tutorial Photoshop CC é exatamente sobre um recurso que pode ajudar muito na preservação dos pixels de uma imagem que precisa ser constantemente alterada!

Tutorial Photoshop CC - Objetos inteligentes

Tutorial Photoshop CC – Objetos inteligentes

O Photoshop possui uma categoria de objetos chamados de “objetos inteligentes” que ajudam na preservação dos pixels de uma imagem. Quer saber como funcionam os objetos inteligentes? O vídeo a seguir mostra como funcionam esses objetos inteligentes, e o vídeo como um todo marca a volta da sequência dos tutoriais em vídeo aqui do blog! O Tutorial Photoshop CC – Objetos inteligentes pode ser conferido a seguir:

Gostou do vídeo? O que acha de avaliar ou comentar? Ainda não é assinante do meu canal no Youtube? Assine aqui para receber antes que todos as atualizações.

Como você pode perceber pelo tutorial, o uso desses objetos inteligentes ajuda muito na preservação dos pixels, principalmente nos casos em que você precisa transformas diversas vezes a mesma imagem. Sempre que ministro algum curso sobre photoshop, acabo passando pela situação de ter que explicar como é que a ferramenta de transformação livre pode ser danosa quando usada sem cuidado. E você não quer passar pela situação de destruir uma imagem e quando perceber que a mesma está comprometida de maneira irreparável!

Só para lembrar e reforçar o pedido de que se você gostou do tutorial Photoshop CC – Objetos inteligentes, avalie o mesmo no Youtube e deixe o seu comentário, pois isso ajuda na divulgação do vídeo para outros usuários do Photoshop CC.

Aprendendo mais sobre Photoshop

Quer começar a usar o Photoshop para seus projetos de manipulação de imagem? Recomendo uma visita ao EAD – Allan Brito para conhecer o curso básico de Photoshop, que é totalmente gratuito. Ao total são cinco aulas que ajudam você a entender os princípios básicos de como funciona o Photoshop e a sua interface.

Com quantas camadas se faz um efeito especial?

Nos softwares de efeitos especiais e composição, pensar na organização dos elementos em camadas é fundamental! Isso por salvar algumas horas de render e ajudar na conclusão de alguns projetos em tempo muito menor. Você lembra-se do artigo sobre o projeto Lighthouse? Ele tem um ótimo exemplo de composição de múltiplos elementos em animação 3d. Um dos maiores desafios para quem está aprendendo a trabalhar com vídeo e animação é raciocinar em camadas. Sempre que posso mostro para meus alunos alguns vídeos, que mostram o processo de criação de algumas cenas e a quantidade total de camadas usadas para criar o efeito desejado.

Caso você também não tenha ainda essa “visão” da quantidade de camadas necessárias para criar uma determinada cena, encontrei um ótimo vídeo que mostra vários efeitos, e as camadas usadas para criar os trechos de vídeo!

NCCA Projects Breakdown from Cheng Yi Chien on Vimeo.

Esse vídeo pode inclusive ser copiado, caso você seja usuário registrado do Vimeo. Estou falando do arquivo MOV, com 80 MB!

Bem, voltando ao assunto do artigo. Depois de assistir ao vídeo, espero que tenha ficado mais clara a quantidade de camadas e separações que o artista usou para criar cada cena. Em algumas delas, como o vídeo em que uma mão é representada por partículas, o número de camadas é exageradamente alto! Mas imagine tentar ajustar todos os parâmetros e características das partículas em apenas um render?

Podemos listar as vantagens de usar várias camadas de render, ou os chamados passes:

  • Ajustes individuais para cada propriedade
  • Render mais rápido nos testes
  • Caso seja necessário refazer um dos parâmetros, será necessário renderizar apenas uma propriedade da cena
  • Alguns efeitos realizados por renderizadores externos, como luzes volumétricas e reflexões complexas podem ser substituídos por camadas especiais

Esses são apenas alguns dos motivos para usar camadas de composição.

Mesmo assim você ainda acha que não consegue? Faça o seguinte então, selecione uma cena simples e faça testes! Uma das melhores maneiras de aprender é tentando. Selecione uma cena e comece tentando simular a especularidade das superfícies. Depois você pode passar para propriedades mais complexas e quem sabe até arranhar uma composição com nós!

Blender 3D: Atualização no novo gerenciador de camadas

Todos estão esperando pelas novidades do aguardado Blender 2.46, ou como algumas pessoas estão chamado essa próxima versão como “Peach Blender”, algumas ferramentas ainda não entraram no SVN e provavelmente não devem fazer parte desse lançamento, mesmo que sejam extremamente úteis. Por exemplo, o novo sistema de gerenciamento de camadas (layers) ainda está em fase experimental. Por isso, precisamos ainda fazer o download de uma versão experimental da ferramenta, no graphicall.org para poder testar. Essa semana, mais uma atualização da ferramenta foi lançada, mas pouco mudou.

Para mostrar como funciona essa nova opção de gerenciamento de camadas, resolvi dedicar o meu vídeo da semana para a ferramenta.

[fusion_builder_container hundred_percent=”yes” overflow=”visible”][fusion_builder_row][fusion_builder_column type=”1_1″ background_position=”left top” background_color=”” border_size=”” border_color=”” border_style=”solid” spacing=”yes” background_image=”” background_repeat=”no-repeat” padding=”” margin_top=”0px” margin_bottom=”0px” class=”” id=”” animation_type=”” animation_speed=”0.3″ animation_direction=”left” hide_on_mobile=”no” center_content=”no” min_height=”none”][youtube]http://www.youtube.com/watch?v=F_9Pjfvt9B8

Interessante não é?

Agora aqui estão algumas informações importantes:

Esse tipo de ferramenta coloca funções parecidas a de uma ferramenta CAD no Blender, quem trabalha com maquetes eletrônicas ou qualquer projeto que envolve uma quantidade razoável de objetos, sabe o quanto é importante ter controle sobre a visualização dos mesmos.

Quando preciso trabalhar em algum projeto completo, com uma grande quantidade de objetos as camadas às vezes acabam atrapalhando mais que ajudando. Principalmente quando você esquece em qual camada um determinado objeto está. Com esse novo sistema de gerenciamento, aquela prática comum de ficar ligando e desligando as camadas, até que apareça a camada em que um objeto está, ficará no passado.

Mas não se anime muito, provavelmente só veremos essa ferramenta no Blender 2.50, ou versão posterior. Esse gerenciador ainda não entrou no SVN.

Fora esse vídeo, estou trabalhando em um tutorial para mostrar o novo sistema para simular roupas do Blender, que já está disponível no SVN. Esse sistema é um pouco diferente do que estávamos acostumados, ao menos no web site oficial do desenvolvedor, tínhamos a impressão que esse sistema seria um modificador. Mas para nossa surpresa ele apareceu como uma ferramenta, junto com as partículas e softbodies.

Para quem não agüenta esperar, pode conferir algumas das mudanças para o Blender 2.46 no release notes que está sendo preparado na Blender Wiki. Sim, para se preparar para o próximo lançamento uma lista com as novidades e os respectivos links para páginas que falam sobre as ferramentas está em desenvolvimento! Para acessar a lista na Blender Wiki, visite esse link.

Mas lembre; a lista ainda está em construção.

[/fusion_builder_column][/fusion_builder_row][/fusion_builder_container]