Tutorial Cinema 4D: Ajustando o ISO de câmeras para render

A iluminação de cenários e ambientes ainda é um dos temas que mais geram dúvidas em artistas 3d iniciantes, principalmente se o ambiente envolver a mistura de elementos com luz natural e artificial. Os renderizadores modernos com algoritmos sofisticados de iluminação global acabam ajudando bastante o processo, mas ainda é comum encontrar pessoas que não sabem bem o que fazer para iluminar ambientes de maneira correta ou mesmo fazer pequenos ajustes em cenários já prontos. Isso é reflexo da falta de experiência e conhecimento sobre assuntos que ajudam muito no trabalho com computação gráfica 3d.

Entre esses assuntos está o conhecimento sobre fotografia que é primordial para usar renderizadores modernos, principalmente os que são baseados em física. Sempre que me perguntam sobre cursos ou conhecimentos importantes para artistas 3d, o primeiro que recomendo é relacionado a fotografia. Como os renderizadores baseados em física utilizam parâmetros e valores reais nos ajustes das suas câmeras, os artistas acabam tendo que lidar com propriedades como:

  • ISO
  • Shutter
  • Exposure
  • Film Type

Essas são apenas algumas dessas propriedades presentes na maioria das câmeras. Com o conhecimento sobre o funcionamento desse parâmetros, um artista poderia realizar modificações na iluminação de uma cena, sem modificar nenhum parâmetro relacionado diretamente com luzes da cena.

Modificando o ISO das câmeras no Cinema 4D

O vídeo abaixo mostra o resultado dos ajustes e modificações realizados no parâmetro ISO das câmeras físicas do Cinema 4D. Com esse parâmetro ISO podemos deixar o filme a câmera mais sensível a luz. Valores altos de ISO permitem trabalhar com baixa luminosidade, pois registram variações pequenas e fracas de iluminação. Já para ambientes em que existe luz em abundância, o ideal é usar valores baixos de ISO como 100, 200 ou 400.

Esse é um exemplo bem interessante e prático de como podemos fazer ajustes e modificações em uma determinada cena, sem precisar necessariamente modificar a intensidade das luzes ou mesmo adicionar novas fontes de luz na cena. Para quem não conhecia o procedimento, a mudança de comportamento é muito interessante, pois a maioria dos artistas que não conhece essa possibilidade só trabalha pensando em adicionar ou remover pontos de luz, ou no máximo mudar a intensidade das luzes existentes.

A fotografia pode ajudar muito na configuração da iluminação de cenas em 3d!

Tutorial Blender: Usando o lock camera to view

O Blender 2.58 foi lançado alguns dias atrás com diversas correções de bugs e pequenas melhorias em termos de ferramentas, que apesar de terem sido relativamente discretas fizeram a alegria de alguns artistas 3d, sendo que estou incluso nessa lista. Uma das melhores opções que apareceram no Blender 2.58 foi a possibilidade de travar a movimentação e uma câmera apenas na 3D View em que ela está ativa. O conceito é um pouco complicado de entender sem uma demonstração visual, e foi exatamente por isso que tomei a liberdade de gravar um vídeo mostrando como o recurso funciona.

No vídeo abaixo mostro como é possível trabalhar com o recurso Lock Camera to View.

A primeira coisa que você deve estar se perguntando, é o endereço de onde fiz a cópia do modelo 3d usado no tutorial. O modelo foi copiado do BlendSwap, e caso você precise um modelo 3d para qualquer fim, até mesmo comercial, ele é um excelente repositório de material.

Bem, no vídeo você deve ter percebido o quanto o recurso de travar a visualização da câmera na viewport do Blender ajuda a controlar o enquadramento de projetos.

Os artistas mais antigos do Blender já estão até acostumados a ficar fazendo vários ajustes na cena, e modificando o enquadramento aplicando transformações na própria câmera. Com o uso desse novo recurso, podemos travar a posição da câmera em uma posição apenas, e depois ajustar o enquadramento como se fosse uma viewport normal voltada apenas para visualização, usando os controles e atalhos de zoom do Blender.

Isso deixa o processo infinitamente mais rápido, pois não é mais necessário modificar a posição da câmera para determinar o enquadramento.

É importante lembrar que esse recurso só está disponível na versão 2.58 do Blender!

Aproveitando que o assunto desse artigo é o Blender, o pessoal do portal Blender Brasil está realizando uma pesquisa para conhecer melhor os usuários do portal. Se você for leitor aqui do blog, e também visitar com freqüência o Blender Brasil, é interessante participar da pesquisa que eles estão realizando para que a administração do portal possa conhecer melhor os seus visitantes.

Essa é uma pesquisa que nunca realizei aqui no blog, e preciso fazer também, pois a coisa está grande demais e os pedidos de tutoriais e material de estudo estão se acumulando na minha caixa de entrada.

Blender 2.50: Script adiciona câmera estereoscópica

O uso de animações e vídeos usando técnicas 3d está se tornando cada vez mais comum, inclusive com crescente demanda na área do entretenimento graças ao barateamento da tecnologia. No que se refere aos softwares 3d já existem diversas ferramentas e opções para conseguir produzir animações em 3d usando técnicas simples como a estereoscopia. O Maya já dispõe de uma câmera nativa para esse propósito, gerando uma imagem renderizada para cada olho e criando a ilusão de profundidade nas imagens. Até mesmo com o Photoshop CS4 e CS5 podemos trabalhar com a técnica em imagens estáticas.

O Blender 2.49 tinha um script muito bom que adicionava uma câmera estereoscópica ao software, e esse script está em processo de atualização para a versão 2.50. Apesar de realizar uma tarefa simples, o script é muito útil para gerar o efeito 3d.

blender-camera-estereoscopica.png

Essa versão atualizada do script para câmera estereoscópica no Blender pode ser copiada nesse endereço. No mesmo local é possível fazer o download de um vídeo demonstrando como usar esse tipo de ferramenta em animação.

A câmera estereoscópica nada mais é que um conjunto de duas câmeras colocadas em paralelo e que permitem gerar imagens duplicadas, uma para cada olho. Com o uso dos famigerados óculos especiais é possível fazer a união das imagens e gerar a ilusão de profundidade.

Esse mesmo princípio pode ser gerado para qualquer ferramenta em 3d que não tenha ainda sistema de câmera semelhante.

O script em si ainda está sem nenhum recurso extra para o Blender 2.50, mas com o tempo o autor deve atualizar as opções do script e permitir controle total sobre a câmera. O mais interessante é que o Blender pode fazer a parte da câmera e também a pós-produção do vídeo com o editor de nós. Basta misturar a imagem das duas câmeras e teremos em pouco tempo um vídeo usando 3d anaglifo. Esse é aquele tipo de imagem que visualizamos com os óculos com lentes em ciano e vermelho.

O ponto negativo dessa tecnologia é que esses óculos acabam com as cores da animação, mas é uma maneira rápida e de baixo custo para produzir conteúdo em 3d.

Configurando parâmetros de câmeras para renderização em 3D

Uma das coisas que sempre comento com meus alunos é que o assunto fotografia, está diretamente relacionado com a produção de material em 3d, seja com imagens estáticas ou animação. O conhecimento de aspectos técnicos de fotografia está sempre bem evidente nas configurações das câmeras, principalmente nos renderizadores do tipo Unbiased, como o Maxwell Render, LuxRender e Indigo. Caso você esteja planejando começar a trabalhar com modelagem 3d e produção de comerciais, seria de grande ajudar estudar um pouco mais sobre fotografia antes de começar. Isso ajudará muito na criação de imagens realistas, principalmente quando o assunto é iluminação.

Caso você queira conferir um excelente guia sobre configuração de câmeras em 3d, existe um excelente artigo em inglês descrevendo o que faz cada um dos parâmetros. O autor do artigo escreveu tudo com o foco direcionado para o 3ds Max, mas é possível adaptar as explicações para qualquer software, pois os parâmetros são os mesmos.

ISO 400

Quer ver um exemplo de como isso pode ajudar?

Imagine que você está criando uma cena iluminada por diversos pontos de luz, para conseguir gerar iluminação uniforme. Ao rederizar a cena, você percebe que o ambiente está muito escuro e precisa de ajustes na iluminação. O que você faz? Ajusta as luzes ou a câmera?

A maioria das pessoas acaba editando as luzes, mas com um pequeno ajuste na câmera é possível melhorar a iluminação. Ao ajustar valores como ISO, F-Stop ou Shutter speed é possível determinar se mais luz será captada pela câmera. Por exemplo, ao editar a exposição da câmera para valores que deixem a imagem mais tempo exposta a cena, teremos inevitavelmente um render mais “iluminado”.

Mesmo que você não entenda a descrição feita pelo autor em inglês, veja as imagens comparativas dos diferentes parâmetros de render, com os valores das propriedades das câmeras devidamente alterados. Só isso já será de grande ajuda. Portanto, reforço a minha dica para que você procure estudar um pouco mais sobre fotografia e truques usados por fotógrafos para melhorar as suas imagens, pois é exatamente a mesma coisa nos ambientes criados por softwares como o Blender 3D, 3ds Max, Cinema 4D e outros.

Animação de câmera com o Blender 3D: Zoom para maior dramaticidade!

As câmeras usadas para ajustar o foco de determinar a visão dos usuários nas animações acabam sendo deixadas de lado por boa parte dos animadores, pois os mesmos só estão interessados em ajustar o movimento dos personagens e configurar hierarquias, keyframes e outros elementos mais técnicos. Com a manipulação correta da câmera é possível conseguir planos e efeitos visuais que podem atribuir mais dramaticidade em animações com personagens. Quando o projeto dispõe de um diretor de fotografia ou outra pessoa responsável pelo enquadramento e posicionamento das câmeras, a coisa fica mais fácil. Se você ainda não chegou no nível em que é possível integrar esse tipo de profissional nos seus projetos, é hora de aprender alguns truques que podem ser aplicados por você mesmo!

Assim como acontece em todos os softwares 3d, as câmeras do Blender permitem que a abertura do foco da câmera seja regulada para determinar o ângulo de visão da mesma. As câmeras com grandes ângulos de abertura acabam proporcionando tomadas mais amplas, mas que apresentam deformações nas laterais da imagem. Com ângulos muito fechados e pequenos a câmera acaba sem espaço suficiente para mostrar os elementos necessários na cena. No tutorial abaixo, é possível acompanhar um tutorial bem interessante em que um artista anima o ângulo de abertura da câmera do Blender, fazendo com que ela passe de uma grande abertura para outro valor bem mais baixo.

Depois de assistir ao tutorial, você deve ter percebido pelo vídeo que o procedimento para realizar a animação é extremamente simples, com um resultado bem interessante. O movimento aparente dos objetos no cenário é que atribui o tom dramático na cena. Com a alteração no ângulo de abertura da câmera os objetos na cena acabam tendo um movimento aparentem, que é resultado da pequena deformação que todos os elementos na cena acabam sofrendo.

O efeito sozinho pode deixar a cena com ar mais sombrio ou misterioso, mas apenas o movimento da câmera não consegue o efeito. O mesmo movimento no cenário associado a uma trilha sonora preparada para a cena em questão, pode ajudar muito na ambientação da cena. Esse tipo de zoom na câmera é muito usado no cinema, para chamar a atenção do espectador para uma determinada cena.

Se você já é usuário do Blender 3D, a reprodução da técnica será bem rápida e para os artistas que usam outros softwares 3d, basta aplicar o mesmo princípio no seu software 3d preferido para conseguir o mesmo tipo de movimento.