30 texturas gratuitas de concreto para o Cinema 4D

Algumas semanas atrás compartilhamos no site uma biblioteca gratuita de texturas do tipo parquet, voltadas especificamente para o Cinema 4D. A coleção de texturas estava em excelente resolução e apresentava grande variedade de imagens são de grande ajuda para qualquer projeto de interiores.

O mesmo website que tinha compartilhado as texturas gratuita de pisos do tipo parquet, agora está oferecendo texturas de concreto no formato do Cinema 4D. Caso você seja usuário do Cinema 4D e queira aproveitar o recurso, o download é imperdível, pois a resolução e qualidade das texturas é excelente.

No total são 30 texturas de concreto em formato seamless, em que você pode trabalhar com tiling e sem bordas aparentes nas imagens. A resolução das texturas é 4k (4096 x 4096). Elas funcionam muito bem para projetos de arquitetura, animação e jogos.

Mas, infelizmente o acesso ao material para quem não trabalha com o Cinema 4D é complicado, pois as texturas estão no formato LIB4D que só pode ser aberto usando o Cinema 4D.

Mesmo que você faça o download da versão demo do software, apenas para ter acesso ao material será complicado extrair as texturas. O problema nesse tipo de situação é que a versão demo limita a extração de recursos de bibliotecas de materiais.

Então, é preciso uma versão completa do software para conseguir usar as texturas de concreto. Só com o Cinema 4D mesmo! Aviso isso para orientar os artistas que provavelmente devem fazer download da biblioteca de texturas gratuitas e não conseguem extrair o material.

Infelizmente, você precisa do Cinema 4D para aproveitar na totalidade o conteúdo.

Eventualmente os autores das texturas devem converter o material para outras plataformas, e aumentar a sua visibilidade. Pois, focando apenas no uso de uma ferramenta para compartilhar esse material, o número de artistas digitais que podem usar o conteúdo é limitado.

Aprenda a usar e editar texturas

Quer aprender a editar e usar texturas como as compartilhadas nessa coleção? No EAD – Allan Brito você encontra diversos cursos relacionados com a edição e uso de texturas para os mais diferentes projetos:

50 texturas gratuitas com pisos tipo Parquet no Cinema 4D

Entre os softwares para os quais eventualmente compartilho recursos aqui no site, um deles estava ausente já faz um bom tempo. O software que me refiro é o Cinema 4D. Sempre recendo e-mails de leitores interessados em mais material sobre o software.

Hoje compartilho uma coleção de arquivos direcionada especificamente para os artistas usando o software. Caso fosse compartilhado de forma diferente, seria um recurso incrível para outros artistas, mas a natureza do arquivo faz dele um material próprio apenas para artistas usando o Cinema 4D.

É uma coleção de 50 texturas seamless para pisos do tipo parquet. O arquivo base das texturas soma um total de quase 180 MB.

Mas, por qual motivo apenas usuários do Cinema 4D podem usar o recurso? O download é sim gratuito, mas o conteúdo está todo organizado em um formato de arquivo do tipo lib4d.

Esse é o formato usado pelo Cinema 4D para armazenar e organizar bibliotecas de materiais e recursos. Isso ajuda muito os artistas usando o software, mas torna o acesso ao material difícil para quem não possui o software.

Então, você pode fazer o download do arquivo e usar o material sem nenhuma restrição. Mas, para ter acesso aos arquivos com a coleção de texturas para pisos do tipo parquet será necessário o Cinema 4D para extrair os arquivos.

Se você inda quiser fazer o download, mesmo não tendo o Cinema 4D, fique avisado que poderá ser difícil extrair o material sem o software. Uma solução seria fazer o download da versão Demo, para conseguir extrair as imagens.

Aprendendo a usar texturas

Quer aprender a usar texturas como essas nos seus projetos relacionados com arquitetura, jogos e animação? No EAD – Allan Brito você encontra diversos cursos relacionados com a produção, uso e configuração de texturas como essas.

Os cursos abrangem diversos softwares indo do Photoshop até a Unreal Engine:

Making of das interfaces para o filme Oblivion

A quantidade de filmes e produções relacionadas com ficção-científica nos últimos tempos tem crescido de maneira vertiginosa, e muito disso se deve ao fato de hoje ser muito mais fácil criar efeitos especiais para essas produções. Sempre que um desses filmes está na fase de produção, é necessário mobilizar um pequeno exército de artistas e animadores para criar todos os elementos gráficos para as cenas, e também as interfaces para os dispositivos eletrônicos existentes nos seus respectivos universos. Essa é uma parte curiosa e que gera diversos vídeos e discussões interessantes sobre as decisões de design para cada um desses projetos. Encontrei essa semana mais um vídeo com making of das interfaces presentes no filme Oblivion.

O vídeo apresenta diversas interfaces e elementos existentes no painel de controle usado pela personagem Victoria, interpretada pela atriz Andrea Riseborough. Sem passar nenhum tipo de spoiler sobre a história para as pessoas que ainda não assistiram ao filme, a personagem opera ao longo do filme uma mesa sensível ao toque que controla vários aspectos da interação da sua personagem com o técnico de drones interpretado por Tom Cruise.

No making of podemos conferir vários aspectos desse painel e também da filmagem.

O material é uma grande montagem de pequenos trechos e animações produzidas de maneira independente e depois reunidas de forma a criar o painel de controle. O software 3d que é apresentado no vídeo é o Cinema 4D, que é muito famoso na área de produção de efeitos para comerciais e se integra de maneira esplendida com o After Effects. No After Effects CC existe até uma versão Lite do Cinema 4D acompanhando a instalação do software.

Isso não significa que apenas o Cinema 4D foi usado na produção do filme, mas que no painel de controle o software teve presença forte.

Já comentei aqui no blog em outro artigo alguns dos gráficos produzidos para o Oblivion, mas essa é a primeira vez que encontro um vídeo com making of apresentando até mesmo a interface do Cinema 4D com o material sem renderização, o que pode ser interessante para os interessados em motion graphics.

Paisagem urbana com SketchUp, Cinema 4D, Rhino e Photoshop

A visualização de projetos para arquitetura é uma área com grande demanda de profissionais e artistas trabalhando com computação gráfica 3d, e assim como existem muitas oportunidades nesse segmento, as técnicas e procedimentos necessários para gerar essas imagens também são as mais diversas. O mais tradicional é começar com um software 3d ou CAD, e usando os modelos poligonais gerados nessas ferramentas é possível adicionar texturas, iluminação e posteriormente tratar as imagens geradas em softwares de edição voltados para fotografia. Mas, apesar de ser bem conhecido e usado pelos mais diversos artistas o método admite variações dependendo da sua criatividade.

É exatamente essa pequena variação no método que pode ser conferida em um making of muito interessante publicado no evermotion, sobre a visualização de uma paisagem urbana em Moscou. O estúdio responsável pela imagem é o francês Shift Visuals.

paisagem-urbana-cinema4d-sketchup-photoshop.jpg

O que faz do processo e criação da imagem interessantes? O simples fato de três pessoas diferentes trabalharem na imagem já torna a mesma atraente para pessoas que queiram conhecer o método usado para sincronizar os trabalhos e atividades dos artistas. Essa é uma área em que não se encontram muitas pessoas que tenham habilidade para compartilhar conhecimentos e se encaixar dentro de uma “linha de montagem” como foi nesse caso.

A variedade de softwares e ferramentas também foi um dos destaques da produção que envolveu:

Os softwares foram usados pelos diferentes artistas para trabalhar na construção da cena como um todo e também no desenvolvimento de testes e estudos, que levassem ao resultado final de maneira mais fácil. Por exemplo, o SketchUp foi usado para criar a base para os modelos 3d e o posicionamento inicial da câmera. Depois o Rhino é usado para gerar os modelos 3d com grande quantidade de polígonos. E o Cinema 4D é o software escolhido para gerar a iluminação e o render final. O recurso object buffers do Cinema 4D é aproveitado para gerar arquivos PSD do Photoshop já com camadas isoladas para os objetos! Isso facilitou muito a finalização do projeto como um todo.

Apesar do artigo estar em inglês, a leitura do material é muito interessante para mostrar uma maneira diferente de gerar a imagem, pois boa parte da finalização da imagem como um todo foi feita no Photoshop e não no Cinema 4D.

Motion graphics e interfaces para o filme Oblivion

No início dessa semana publiquei aqui no blog um artigo sobre o making of dos gráficos e interfaces para o filme Tron Legacy, que foram produzidos pelo estúdio MN8. O assunto é muito interessante e nos últimos meses tenho encontrado cada vez mais material sobre o tema, e hoje compartilho novamente outro exemplo de motion graphics e interfaces para filmes, e agora para uma produção um pouco mais recente. Estou me referindo ao filme Oblivion, que ainda está sendo exibido em alguns cinemas e sendo o mesmo uma ficção-científica foi necessário criar toda uma interface e layouts de dados para ilustrar a interação dos personagens com os computadores da época.

motion-graphics-interfaces-oblivion

Um fato curioso em relação a esses gráficos é que o designer principal responsável por Oblivion é o mesmo que trabalhou em Tron Legacy, chamado Bradley Munkowitz. Qual o software usado para criar esses gráficos? A equipe de produção trabalhou basicamente com o Cinema 4D para a criação das interfaces e animações para o projeto. Aqui está um pequeno vídeo que agrega a maioria das interfaces apresentadas ao longo do filme:

O material é muito interessante para estudantes e profissionais interessados em trabalhar com esse tipo de produção, pois funciona como uma excelente referência e fonte de inspiração para criações semelhantes. O trabalho de seleção e exibição das interfaces já está feito funciona bem como fonte de informação.

Apesar do projeto ter sido desenvolvido no Cinema 4D, que por sinal é excelente para esse tipo de produção, é perfeitamente possível criar elementos semelhantes em outros softwares 3d, pois os gráficos para motion graphics como os apresentados nas interfaces do filme possuem grande enfoque na animação, e não em aspectos técnicos exclusivos de um determinado software. O que quero dizer com isso é que você pode criar elementos semelhantes usando praticamente qualquer software 3d.

Para saber mais sobre esse projeto em particular, e inclusive ler algumas descrições do que faz cada tela apresentada no vídeo, recomendo uma visita até o website do designer do filme para conferir mais explicações sobre o projeto. E se você se interessar em assistir o filme, ainda é possível encontrar o Oblivion em cartaz em alguns cinemas.