RotoBezier: Rotoscopia integrada ao Blender 2.5

O Blender apresenta uma gama de ferramentas e opções de dar inveja a muitos softwares 3d, em que podemos incluir na lista de recursos um editor não-linear de vídeo, animações interativas, composição com nós só para citar os principais. Mas, ainda existe espaço para mais recursos dentro da ferramenta, que em breve deve agregar um Addon que trabalhará com rotoscopia direto na 3D View. Mas, o que é rotoscopia?

Esse é um dos processos mais trabalhosos e penosos de realizar na área de composição e edição de vídeo. Imagine a seguinte situação, você recebeu um vídeo que é composto por um ator que faz saltos aboiado por cordas. O seu trabalho será remover a corda do vídeo para que pareça que o ator está pulando sem o auxílio de nada. Em poucas palavras, a rotoscopia consiste no recorte de um determinado objeto em vídeo, que deve ser executado em todos os frames de um vídeo.

Com o Addon do Blender chamado RotoBezier vai permitir trabalhar com esse tipo de edição no Blender 2.5. O vídeo abaixo mostra muito bem o funcionamento da ferramenta na seleção de um personagem em vídeos:

O processo ganha vida devido a facilidade de animar tudo no Blender 2.5, em que podemos adicionar keyframes em praticamente tudo.

No vídeo o autor do Addon mostra como adicionar uma curva bezier que marca a forma da cabeça do personagem desejado, e com a manipulação da timeline e a adição de keyframes. O processo em si é muito simples, e consiste na deformação da curva bezier que marca a forma do personagem. Por enquanto, o Addon dispõe apenas de dois botões para adicionar e remover keyframes da curva, que é exatamente o que precisaríamos para fazer esse tipo de deformação.

Isso abre muitas possibilidades para edição e máscaras para remover elementos indesejados em vídeos, e expandir ainda mais o uso do Blender como ferramenta de composição. Caso você queira usar esse Addon de imediato, visite o graphicall.org e faça o download de alguns dos últimos builds do Blender 2.5. No futuro o Addon deve estar integrado as versões oficiais do Blender, até lé será necessário usar a opção do graphicall.

Blender usado em comercial com Nicole Kidman

Uma das melhores maneiras de conhecer a qualidade de uma ferramenta 3d é conferir alguns dos projetos produzidos com o software. Por isso, muitas das empresas que desenvolvem essas ferramentas acabam lançando os seus Showreels anualmente, selecionando os melhores projetos desenvolvidos ao redor do mundo. Ainda acho que a real diferença na maioria das vezes está na qualidade do artista, ficando o software apenas com a responsabilidade de prover o suporte necessário com ferramentas.

Já que estamos falando sobre projetos que demonstram a qualidade na produção, o Blender foi usado na produção de um comercial vinculado aqui no Brasil alguns meses atrás. O comercial apresentava um empreendimento imobiliário no Rio de Janeiro, e contou com a participação da atriz Nicole Kidman.

O culpado responsável pelo projeto foi o Teisson Fróes, artista já conhecido dos leitores aqui do blog e que produz muito do seu material com o Blender, focando o mercado publicitário. O vídeo com o comercial pode ser conferido nesse link, que leva diretamente para o portfólio do artista.

blender-comercial-tv.jpg

O Blender foi usado para a parte de modelagem 3d e animação desse comercial. Para ser mais específico, a animação é a que mostra um pequeno avião, chegando ao Rio no início do comercial. O Teisson me passou algumas informações interessantes sobre a produção:

  • As gravações com a Nicole Kidman foram realizadas em Nashville (EUA), sendo necessário criar a composição com a paisagem do RJ virtualmente. A montagem aproveitou o chroma na gravação.
  • O render das animações em que aparece o avião foi feito usando o Octane Render.

Apesar de ser um trecho bem curto de animação, acredito que a qualidade do material não deixa nada a desejar.

Esse é mais um excelente exemplo de arte de alto nível criada para o exigente mercado publicitário usando o Blender. Isso prova que unido a habilidade do artista, o Blender pode suprir as necessidades de projetos complexos e com tantas exigências de qualidade, como é o caso do material publicitário.

Caso você tenha conhecimento sobre outros vídeos e comerciais produzidos com o uso ou participação do Blender, pode enviar uma mensagem pelo formulário de contato do Blog, que ficarei feliz em divulgar.

A evolução da técnica de Chroma Key na produção de vídeo digital

Na criação de vídeos para cinema e TV é possível usar uma técnica muito antiga e que ganha retoques e melhorias ao longo dos anos, permitindo criar efeitos e composições cada vez melhores para contar histórias ou compor cenários. A técnica que me refiro aqui é o famoso Chroma Key, que é conhecida da maioria das pessoas em séries bem antigas. Quem não lembra dos seriados que encolhiam os personagens ou colocavam as pessoas em ambientes espaciais, mostrando uma borda levemente chuviscada em volta dos personagens denunciado o uso do Chorma Key? Com o tempo e a melhoria dos algoritmos de processamento e também na resolução e qualidade dos vídeos é possível criar efeitos impressionantes com Chorma Key.

O processo de produção com esse tipo de efeito é bem simples e envolve apenas alguns cuidados e planejamento criterioso da locação, ou do estúdio usado para fazer a gravação das imagens. O processo é amplamente usado em seriados para TV e filmes que pretendem economizar no uso de locações ou não tem orçamento, para construir ou isolar ruas inteiras de cidades.

No vídeo abaixo, podemos conferir diversos exemplos de produções e seriados que usam a técnica para economizar na produção, fazendo a composição de atores reais com cenários em fundo verde ou azul. O nível de sofisticação e composição é impressionante, pois os vídeos inclusive tem o ângulo e enquadramento da câmera planejados para se encaixar perfeitamente nos efeitos.

Repare que até mesmo em tomadas externas comuns o processo é utilizado para evitar levar grandes equipes para gravações externas. O plano de fundo pode ser gravado de maneira independente com uma equipe fazendo apenas a captura das imagens, sem a necessidade de levar atores e equipes de apoio para rua. Tudo fica concentrado no estúdio, para depois ter o plano de fundo adicionado na pós-produção.

A maioria dos softwares de edição não linear como o Adobe Premiere e o Final Cut da Apple permite criar esse tipo de efeito, mas o uso de softwares mais sofisticados como o Fusion, Shake e outros pode ajudar no refinamento do processo. Quando é necessário usar elementos em 3d a coisa complica um pouco mais, pois é necessário usar marcações no cenário e câmera tracking para sincronizar a câmera real com a virtual. Mas, ainda assim é perfeitamente possível e barato fazer esse tipo de efeito com os softwares e hardware disponível hoje em dia.

Autodesk Maya 2010 e 3ds Max 2010 ganham integração com MatchMover

O uso de ferramentas para mesclar elementos produzidos em softwares 3d como o Maya ou 3ds Max, sempre foi destinado a softwares que trabalhavam de maneira independente a suíte 3d, o que deixada esse tipo de produção mais cara para estúdios e artistas 3d de maneira geral. A razão para isso é bem simples, como o software usado para o procedimento era outro, seria necessário adquirir outra licença de uso para a ferramenta. A Autodesk anunciou o Maya 2010 na Siggraph e junto com ele um software chamado MatchMover acompanha de maneira gratuita o software, exatamente com esse objetivo. O MatchMover facilita o trabalho de integração entre vídeos ou imagens geradas com câmeras reais e material produzido em softwares 3d, mais especificamente o Maya 2010.

Para demonstrar o que o software é capaz de fazer em benefício de projetos complexos que usam composição entre elementos virtuais e reais, a Autodesk divulgou um vídeo tutorial mostrando o processo de integração entre as duas ferramentas. No Maya 2010 temos um modelo 3d de uma base de lançamento de foguetes, algo muito custoso de construir em escala para qualquer produção. No MatchMover temos um vídeo de uma paisagem na qual supostamente seria necessário adicionar o modelo 3d.

Se tivéssemos uma imagem estática, até que não seira tão trabalhoso, mas o problema é que a câmera está se movendo e fazendo uma sequência de movimentos no final, como se fosse seguir o lançamento do foguete.

O procedimento usado para conseguir resolver o problema é bem simples e envolve o tracking da câmera e dos pontos no vídeo, que foi importado para o MatchMover como uma sequência de imagens em JPG. Depois que é realizado o tracking da câmera a cena com as informações do movimento da câmera em relação ao conteúdo do vídeo é exportado para o Maya 2010, em que uma câmera 3D segue o mesmo movimento da câmera real alinhada com o terreno.

Assim fica bem fácil posicionar e alinhar o modelo 3d no plano em que o projeto deve estar adicionado no cenário. Ao reproduzir a animação, podemos acompanhar que o alinhamento e composição entre o modelo 3d e a cena real foi muito bem realizada.

Os usuários do 3ds Max 2010 também podem aproveitar essa mesma ferramenta de maneira gratuita, sendo que é necessário ser assinante das atualizações da Autodesk, para ter acessa a ferramenta.

Tutorial After Effects CS4: Motion tracking com o plugin Moca

O trabalho de composição e edição para vídeo pode ser extremamente complicado se o artista não dispuser das ferramentas corretas, para um determinado tipo de projeto. Uma dessas tarefas que exige softwares especializados é o chamado Motion Tracking, em que é necessário identificar um objeto no vídeo e fazer com que o software identifique os deslocamentos do mesmo no vídeo, para que a criação dos mais diversos efeitos fique mais simplificado. A maioria dos softwares que realizam Motion Tracking são baseados na identificação de pontos no vídeo, formados por grupos de pixels.

Junto com o After Effects CS4, um plugin chamado Moca ajuda na elaboração desse tipo de rastreamento no vídeo, com o uso de uma técnica inovadora em relação ao que o próprio After Effects faz. Ele faz o tracking com base em planos no vídeo e não mais em grupos de pixels.

Se você quiser aprender o funcionamento dessa ferramenta, com um ótimo exemplo que mescla o uso de material elaborado no Photoshop com After Effects, o Creative Suite podcast lançou na semana passada um tutorial que mostra os procedimentos para usar a ferramenta no After Effects CS4.

tutorial-after-effects-cs4

O vídeo é bem curto, com apenas 16 MB, mas mostra um tipo de edição que pode até mesmo ajudar na edição de projetos envolvendo material em 3d.

Imagine a seguinte situação, depois de gravar um vídeo com atores contratados e cenários preparados, você percebe que faltou adicionar um pequeno detalhe importante na cena, ou um novo patrocinador surgiu, querendo que a sua logomarca apareça em algum lugar nas paredes de um cenário. Com o material todo pronto, a solução é passar a tarefa para a pós-produção.

No tutorial o autor mostra o processo necessário, para acionar um pôster em um plano no cenário. O detalhe desafiador do projeto é que a câmera está se movendo, inclusive com aquela famosa “tremida” do operador.

Com o uso do Moca no After Effects CS4, que é um software externo ao After Effects mas que se integra perfeitamente as composições, o artista pode delimitar planos para realizar o Tracking. O processo é bem simples, basta desenhar o plano e deformar os cantos do plano, para que o software possa identificar o movimento dos pixels pertencentes àquela superfície.Quando isso está pronto, o autor do vídeo alinha o pôster criado no Photoshop com o plano identificado.

Depois, basta exportar o resultado para a composição do After Effects com o objeto e terminar o projeto.