Como fazer a configuração de um avião para animação no Autodesk Softimage XSI?

Agora que a Softimage já pertence à Autodesk, resolvi adicionar no título a nova denominação da ferramenta de modelagem e animação, que provavelmente irá se chamar Autodesk Softimage XSI. Bem, esse vídeo que vou indicar hoje é relacionado com o Softimage, ele não é bem um tutorial, mas sim uma visão geral sobre a configuração de um avião, com todas as suas partes móveis preparadas para participar de uma animação.

Esse é um tipo de objeto que demanda grande esforço e poder de observação dos artistas 3d, pois ele tem vários pequenos detalhes, que precisam ser observados e reproduzidos no software 3d, para produzir um resultado verossímil na animação. Caso você nunca tenha tido a oportunidade de analisar um objeto como esses, recomendo assistir com calma o vídeo, pois será possível perceber com clareza o quanto é difícil e trabalhosa a atividade do animador.

O vídeo é esse:


XSI Rigging an Aircraft from Paul Donaghy on Vimeo.

Como você pode perceber, o autor do vídeo apenas explica o funcionamento do seu veículo com as configurações prontas para animação. Mesmo que você não tenha entendido bem a explicação, pelo fato da narração estar em inglês, o artista usa basicamente três ferramentas e opções, disponíveis em praticamente todos os softwares 3d para configurar o avião:

  • Relacionamentos em hierarquia
  • Constraints
  • Ajustes e posicionamento dos pontos centrais (pivots)

Todas essas ferramentas aliadas com o uso de objetos auxiliares, também chamados de Dummys ou Emptys no 3ds Max e Blender 3D respectivamente, ajudam muito na configuração do veículo para animação. O mérito desse tipo de trabalho está mais na percepção de como o veículo funciona e não no conhecimento técnico do software.

Por exemplo, repare no detalhe exibido no início do vídeo, em que o autor demonstra os controles que inclinam as hélices dos motores, ou na parte final do vídeo, em que o trem de pouso tem partes móveis, como a suspensão que é animada usando cinemática inversa.

Isso mostra a importância da pesquisa e da chamada pré-produção em que é necessário pesquisar e conhecer os detalhes, desse tipo de movimento e comportamento dos veículos. Caso contrário, apenas o conhecimento técnico na ferramenta 3d não seria capaz de produzir esse tipo de animação.

O vídeo também é um ótimo exemplo de como o trabalho de um bom animador é mais valorizado que o de modelagem. Muitas vezes a modelagem é o caminho mais fácil para começar a trabalhar com computação gráfica, mas apenas com desafios e configurações complexas como essa é que o seu trabalho pode sim, chamar a atenção.

Então, como sugestão, use o vídeo como exemplo e tente reproduzir os movimentos mostrados na demonstração e usando o seu software 3d preferido, crie os mesmos controles. Esse será um ótimo exercício para praticar configuração de veículos e animação mecânica.

Animação de máquinas com o Softimage XSI

Nem tudo em animação 3d está relacionado com personagens, existe muita coisa para se estudar e configurar na animação de cenários, câmeras e de simulações mecânicas. O trabalho de um animador que trabalha com a criação de motores e máquinas é basicamente o de configuração dos relacionamentos entre os objetos, que funciona de maneira peculiar em cada máquina. Um tutorial muito interessante, elaborado com o uso do Softimage XSI, mostra o processo e configurações necessárias para fazer a configuração de um pistão típico de motores. Como você vai perceber pelo tutorial, os modelos usados na cena são extremamente simples, mas os relacionamentos e hierarquia entre os objetos precisam ser ajustados de maneira a favorecer o movimento do conjunto.

Esse é o tutorial, que apesar de ser rápido é bem elucidativo. Para as pessoas que quiserem usar o Softimage XSI MOD, que é gratuito, essa pode ser uma ótima introdução a modelagem e conceitos básicos dos softwares.


Rigging a piston in XSi from Paul Donaghy on Vimeo.

Depois que os dois primeiros objetos do conjunto estão criados, nesse caso dois cilindros, o autor do tutorial faz pequenos ajustes nos modelos, como selecionar o centro de um deles, para que usando o Snap do Softimage o ponto central possa ser deslocado para a parte inferior do modelo 3d. Repare que as opções de edição no Softimage ficam bem visíveis e fáceis de identificar no lado direito.

O próximo passo é adicionar um objeto especial chamado Null, que é usado de maneira a auxiliar na animação. No Blender 3D existe o Empty e no 3ds Max poderia ser o Dummy. Com o objeto Null na cena, começa o verdadeiro trabalho de configuração da animação, usando constraints. Os constratints são controles especiais que limitam ou controlam o movimento de um objeto de acordo com algumas condições. Por exemplo, nesse caso o autor do tutorial usou um constraint de direção (Direction), para fazer com que o cilindro sempre fique alinhado com o eixo Y do objeto Null. Logo depois de adicionar o constraint, o autor desloca o objeto Null e o cilindro gira, de maneira que a sua direção sempre fique apontada para o Null.

Esse princípio pode ser aplicado em qualquer ferramenta 3d, tudo que você precisa fazer é adaptar os nomes das ferramentas para os eu software de trabalho. Alguns softwares podem apresentar esse contratint de direção como sendo “Look At”, que é usado para fazer com que os olhos de um personagem fiquem olhando de maneira fixa para um objeto.

Com o cilindro superior, o constraint aplicado faz com que ele permaneça sempre na mesma posição, seguindo o movimento do objeto Null.

Por último, mais um cilindro é adicionado na cena para funcionar como uma rota, impulsionada pelo pistão. O relacionamento dessa roda é todo construído com hierarquias. Quando o objeto Null é configurado como filho do cilindro menor, que é filho do cilindro maior, o conjunto todo é movimentado quando o cilindro maior gira.

E no final temos uma animação simulando um pistão! Pode parecer complicado, mas é esse tipo de conhecimento e configuração que consegue criar animações complexas e simular máquinas em qualquer software 3d.

E como já havia comentado no meio do artigo, você pode reproduzir esse exemplo em qualquer software 3d, pois os conceitos são os mesmos.