Plugin gratuito para SketchUp: Quick lathe ajuda na modelagem 3d

A ferramenta conhecida como Lathe é muito famosa entre usuários e artistas que usam softwares de modelagem 3d. O conceito é muito simples e funciona com base em um perfil que delimita uma forma, esse mesmo perfil é rotacionado ao redor de um eixo ou então de curvas, e o resultado do giro é a superfície proveniente do perfil. É algo muito parecido com um extrude em curvas, mas usando orientação bem geométrica. A maioria dos softwares possui uma ferramenta com nome de Lathe, ou ao menos alguma coisa que use o mesmo princípio mas com nome diferente como é o caso do Blender com o Spin.

Mas, ainda existem outros softwares que não trabalham com esse tipo de modelagem como é o caso do SketchUp. Mesmo sem ter a ferramenta de maneira nativa, podemos usar o Lathe por meio dos inúmeros plugins gratuitos disponíveis para o SketchUp, e um deles é o Quick Lathe. Você pode fazer o download do Quick Lathe diretamente desse endereço no SketchUcation, só lembrando que é necessário ser usuário registrado para ter acesso aos arquivos do SketchUcation.

plugin-sketchup-quick-lathe

O funcionamento do Quick Lathe no SketchUp é muito simples, e depois de instalar a ferramenta na pasta de plugins do SketchUp podemos selecionar uma face de qualquer modelo 3d, mas apenas a face sem as arestas, e acionar o Quick Lathe. O plugin fará algumas perguntas relacionadas a como deve ser realizada a modelagem e pouco depois teremos a superfície 3d criada.

Para modelagem de objetos e principalmente elementos simétricos em grandes cenas, esse tipo de plugin é de grande utilidade! Já mencionei que o Quick Lathe é totalmente gratuito?

Aprendendo mais sobre plugins no SketchUp

O SketchUp possui um verdadeiro ecossistema de plugins e ferramentas gratuitas que expandem de maneira significativa o poder do software em termos de modelagem. Caso você queira aprender mais sobre como funcionam vários desses plugins, recomendo uma visita ao curso sobre modelagem avançada com plugins no SketchUp do EAD – Allan Brito. No curso você aprende a instalar e usar alguns dos plugins mais importantes para modelagem no SketchUp.

O curso aborda apenas plugins gratuitos!

Além desse curso, você também pode conferir os cursos sobre:

Inscrições abertas para o curso de animação 3d com Blender

O terceiro curso de Blender disponível no EAD – Allan Brito já está aceitando inscrições para todos os interessados em participar. Esse curso tem como tema a animação em 3d produzida com o Blender, e aborda os aspectos e ferramentas mais importantes relacionados com animação. O modelo de oferta é idêntico ao que já foi aplicado no curso Básico de Blender e o de modelagem poligonal. Para saber mais sobre o curso e realizar a inscrição, você pode acessar a página própria do curso de animação 3d com Blender, e inclusive conferir a lista completa das aulas.

Uma amostra do conteúdo do curso, pode ser conferida no vídeo abaixo, que faz parte da segunda aula, em que mostro como utilizar os Sliders da janela Graph Editor para ajudar a criar animações:

O curso em si é um pouco maior do que o de modelagem poligonal em termos de aulas, contando com três aulas a mais que o de modelagem poligonal. No total são 10 aulas divididas nos seguintes títulos:

  • Aula 01 – Animação por interpolação e keyframes
  • Aula 02 – Manipulando keyframes
  • Aula 03 – Trajetórias de animação com curvas
  • Aula 04 – Hierarquias para animação
  • Aula 05 – Usando constraints para animação
  • Aula 06 – Drivers
  • Aula 07 – Exercício de Animação – Braço robótico
  • Aula 08 – Animação por deformação com Bones
  • Aula 09 – Cinemática direta e inversa
  • Aula 10 – Renderizando animações

Nesse momento as aulas 1, 2 e 3 estão disponíveis no ambientes, e até o próximo domingo as aulas 4 e 5 ficam online. A previsão para que todo o curso esteja online é o dia 5 de Setembro. Para os que se inscreverem com antecedência, o tempo de validade da inscrição só contará do dia em que todas as aulas estiverem disponíveis. Mas, acredito que ainda deva demorar para começar a contar esse tempo de acesso, pois o curso de modelagem poligonal já está completo, e ainda não avisei aos participantes sobre início do prazo de 30 dias.

A inscrição no curso de Animação 3D é realizada mediante pagamento de uma taxa de R$ 39,90. Para os participantes do curso de modelagem poligonal, a inscrição pode ser realizada com desconto por R$ 35,90. Para fazer a inscrição com o desconto, você deve usar o link de inscrição disponível dentro do curso de modelagem poligonal.

Um ponto importante que deve ser esclarecido, é que esse curso não é específico sobre animação de personagens. Como estou recebendo muitos pedidos para um curso nesse sentido, é melhor avisar que no futuro devo produzir um específico sobre Rigging e animação para personagens, que é um assunto bem específico. O foco desse curso agora é a animação de maneira geral, e as ferramentas do Blender. Acho que os cursos até devem se complementar, pois a parte de Rigging é bem específica para personagens virtuais e animação por deformação.

A todos que realizarem a inscrição, já agradeço antecipadamente o interesse e espero que gostem do curso!

Vetorização gratuita de arquivos na web

A vetorização de imagens é uma das tarefas mais corriqueiras no cotidiano de designers e artistas 3d também, pois muito do que precisamos modelar é proveniente de imagens em bitmap ou então fruto de brainstroms que resultam em rabiscos e esboços manuscritos. Isso gera muita demanda por vetorização em ferramentas como o Illustrator ou Inkscape, para posterior trabalho com curvas em softwares 3D. O procedimento para fazer isso é bem simples e envolve a digitalização de qualquer material e depois a importação da imagem para o software de ilustração. Algumas pessoas já trabalham direto com a ferramenta 3d, mas ainda acho mais produtivo usar um editor de vetores mais especializado.

Em algumas situações é possível usar softwares que já fazem a vetorização de maneira automatizada, rastreando as linhas nas imagens e convertendo as mesmas para formatos como SVG ou AI. Já pensou poder fazer isso usando um sistema gratuito de conversão na web? Ontem a tarde descobri um serviço chamado de Autotracer que permite o envio de arquivos do tipo Bitmap, com a promessa de conversão automática do material em formatos baseados em vetor como SVG, AI e até mesmo DXF.

toaster svg creation inkscape

Depois de fazer alguns testes aqui consegui sucesso em algumas conversões, mas outras resultaram em arquivos sem os vetores. Os problemas apareceram em arquivos no formato PNG e que não foram 100% convertidos em SVG. O mais interessante é que o SVG não está vazio, mas sem linhas visíveis. De resto, imagens escaneadas foram convertidas até de maneira satisfatória.

O que mais impressiona no serviço é que poder totalmente baseado na web, podemos até mesmo tirar uma foto com câmeras de celulares e enviar o material para o sistema. Em poucos minutos teremos o material já convertido e vetor e pronto para edições mais avançadas. Sim, esse sistema sofre do mesmo problema que a maioria das opções disponíveis para fazer vetorização: a perda da precisão.

O preço a pagar pela facilidade e velocidade, é o tempo necessário para fazer a revisão dos vetores. Se o objetivo for a modelagem 3d, a revisão se torna ainda mais importante. Como a criação de polígonos depende da maneira como as curvas são criadas, qualquer pequeno defeito pode fazer a diferença na criação da topologia.

Tutorial Photoshop: Como trabalhar com Levels?

Nos softwares de ilustração vetorial até os mais inexperientes artistas e pessoas que não tem vivência com desenho podem fazer pequenas ilustrações. Basta ter um pouco de paciência para aprender a trabalhar com curvas Bézier e ajustar a posição dos pontos para criar uma ilustração vetorial simples em ferramentas como o Adobe Illustrator ou Corel Draw. Mas, quando o software usado é especializado na edição de bitmaps ou fotos como é o caso do Photoshop, GIMP ou Pixelmator a coisa muda muito de figura. Claro que é possível fazer pequenos ajustes nas fotos, mas a pós-produção mesmo com ajustes de cores é trabalho para artistas com olho clínico.

Entre as diversas ferramentas que esses softwares oferecem para fazer ajustes nas fotografias está o Histograma que é editado pela ferramenta Levels. O que é um histograma? Essa é uma representação gráfica das partes mais escuras da imagem no lado esquerdo e das áreas claras, chamadas de highlights na direita. Como na maioria das vezes trabalhamos com a escala de cor RGB, os valores da escala correspondem ao 0 para preto e 255 para o branco. A escala está representada exatamente dessa maneira no histograma.

Com a ferramenta Levels é possível intensificar ou suavizar esses tons nas imagens.

O tutorial abaixo mostra como a ferramenta Levels do Photoshop funciona, permitindo que ajustes nas cores de uma fotografia sejam feitas de maneira individual na imagem.

Apesar de o vídeo estar em inglês, recomendo o tutorial para as pessoas que não conhecem esse tipo de ferramenta que pode salvar uma iluminação deficiente em fotos, e até mesmo melhorar renderizações em 3d sem a necessidade de renderizar novamente.

Entre as tarefas que mais exigem conhecimento sobre fotografia e composição no Photoshop, ou softwares semelhantes, é a manipulação de cores usando opções como o Levels ou as curvas. Ainda existem opções para fazer ajustes automáticos, que inclusive são mencionados no final do vídeo, mas ainda acredito que a melhor opção é trabalhar em cada canal de cor de maneira individual.

Qual a melhor maneira de aprender esse tipo de recurso? Minha sugestão é fazer diversos experimentos e observar bastante o resultado da sua composição, até encontrar o ponto certo.

Animação com curvas no Blender 3D

Você sabe como fazer a animação de uma curva em crescimento com o Blender 3D? Caso não saiba, o artista 3d argentino, Pablo Lizardo publicou no seu blog um ótimo tutorial, mostrando como fazer o efeito. O processo usado na animação é simples, para quem já usou alguma vez o 3ds Max a ferramenta é muito semelhante ao que conseguimos com o Loft. Antes de começar a falar sobre o tutorial, tanto o Loft como o BevOb do Blender, conseguem criar modelos 3d usando curvas.

Para isso são necessárias duas curvas, sendo uma para definir o caminho necessário para o objeto e outro que deve definir a forma. Por exemplo, para criar o modelo de uma corda, precisamos de uma curva que define o comprimento e formato da corda. Depois disso criamos outra curva, para definir o formato ou perfil dessa corda, como a maioria das cordas tem perfil circular, podemos criar um círculo para esse propósito.

Assim que essas formas estiverem prontas, podemos acionar a ferramenta Loft no 3ds Max ou BevOb no Blender, para criar o modelo. No Blender precisamos prestar atenção em um detalhe dos objetos, no caso os nomes dos mesmos. Pois é com os nomes que a ferramenta irá manipular os objetos e criar o modelo 3d.

Agora que você já sabe um pouco mais sobre o processo, confira esse ótimo tutorial do Pablo, ensinando como executar o processo no Blender 3D, depois ele ainda ensina como fazer uma animação, para que seja possível ter controle dinamicamente sobre o preenchimento da forma.

[fusion_builder_container hundred_percent=”yes” overflow=”visible”][fusion_builder_row][fusion_builder_column type=”1_1″ background_position=”left top” background_color=”” border_size=”” border_color=”” border_style=”solid” spacing=”yes” background_image=”” background_repeat=”no-repeat” padding=”” margin_top=”0px” margin_bottom=”0px” class=”” id=”” animation_type=”” animation_speed=”0.3″ animation_direction=”left” hide_on_mobile=”no” center_content=”no” min_height=”none”][youtube]http://www.youtube.com/watch?v=_igp7TyRGnU

O processo descrito por ele é simples, mas muito eficaz. Quando todos os elementos estão criados, ele determina que a forma do círculo deva ser o perfil da curva, depois a linha deve determinar a deformação da curva. Isso é possível com o parâmetro TaperOb do Blender. No final, ele entra no modo de edição da curva, para inverter a direção da curva e ajustar corretamente a deformação da curva.

O segredo para a animação é deformar a curva, usada para deformar o objeto. Ele primeiro alinha os vértices da curva na vertical, para depois criar um terceiro ponto. Caso você não tenha entendido, o esquema da curva ficou assim:

Esquema das curvas no Blender 3D

Quando movermos o ponto B para a esquerda ou direita, o objeto se deforma e cria o efeito desejado.

Mas como fazer a animação desse objeto? Para isso o Pablo seleciona o vértice do ponto B, depois pressiona CTRL+H para adicionar um Hook (gancho), usando como base um objeto Empty. Assim ele pode adicionar keyframes no Empty e elaborar a animação. Esse tipo de animação pode ser usado para criar visuais muito interessantes para vídeo design ou plantas em crescimento.

O artigo original do Pablo pode ser encontrado aqui. Lá ele ensina como aplicar um material interessante para a curva resultante do tutorial.

Para quem ficou perdido com a animação, estou disponibilizando para download o arquivo fonte que eu produzi, depois de ter feito os passos dessa animação aqui.

Não estranhe a diferença de ferramentas usadas na produção do tutorial. Ao que parece, o Pablo usou uma versão de testes do Blender para gravar o vídeo.

[/fusion_builder_column][/fusion_builder_row][/fusion_builder_container]