Palestra sobre o uso do SketchUp para projetos com controle energético

No meio do ano foi organizado um grande evento sobre o SketchUp, chamado de SketchUp basecamp que envolveu e abordou o uso da ferramenta, para os mais variados propósitos. Cada uma das palestras foi gravada e publicada no Youtube, sendo que alguns dos vídeos têm até uma hora e meia de duração. Então podemos literalmente considerar isso uma palestra e não uma simples apresentação sobre o SketchUp. Entre os vários temas abordados nas apresentações, alguns deles me chamaram bastante a atenção. Como a palestra que falou sobre o uso do SketchUp, para projetos que envolvem o controle energético das edificações.

Já escrevi aqui no blog, sobre o uso de uma ferramenta chamada Energy Plus, que foi desenvolvida pelo governo americano, permitindo que o SketchUp seja usado como ferramenta auxiliar, em projetos que tenham preocupações com a eficiência energética. Se você estiver interessado em aprender como essa ferramenta funciona, em conjunto com o SketchUp, o vídeo dessa palestra em especial mostra um exemplo do funcionamento do Energy Plus.

Se você tem interesse em expandir as suas habilidades na visualização de projetos arquitetônicos, oferecendo mais que apenas uma imagem renderizada, mas um panorama sobre a eficiência do projeto. Então você deve assistir ao vídeo. Só para alertar, o material tem mais de uma hora de duração, portanto recomendo que você tenha tempo suficiente para consultar o material antes de começar a assistir.

O título da palestra é SketchUp Green Design:

A palestra está dividida em duas partes, sendo a primeira sobre a importância desse tipo de recurso em projetos de todos os níveis. Junto com a demonstração, com dados e gráficos, sobre a importância desse tipo de estudo em projetos arquitetônicos, os apresentadores mostram várias ferramentas que eles usam em conjunto com o SketchUp, para calcular a eficiência energética de uma edificação. Tudo é trabalhado com o uso de modelos 3d criados e visualizados no SketchUp.

As ferramentas apresentadas na primeira parte da palestra não se integram de maneira perfeita ao SketchUp, são na sua maioria planilhas do Excel que fazem os cálculos de eficiência energética, com base em medições nos modelos 3d do SketchUp.

Na segunda parte da apresentação, o Energy Plus é demonstrado. Caso você nunca tenha tentado usar a ferramenta, vai perceber que ela é destinada a engenheiros e cientistas, especializados nessa área. O motivo?

Simples, o Energy Plus lida basicamente com dados e pouca ou nenhuma referência visual, o que seria fantástico para um artista 3d. Para todas as pessoas que apresentei o Energy Plus, a reação foi a mesma, eles acabaram desistindo de usar a ferramenta, pela eminente dificuldade em conhecer aspectos relacionados com a manipulação e tabulação desses dados.

Quem estiver interessado em começar a trabalhar com esse tipo de serviço, agregando valor em projetos de visualização, deve assistir e estudar os assuntos abordados nessa palestra.

O material apresentado me deu uma idéia, sobre um projeto de pesquisa que sempre quis iniciar, mas não tinha ainda identificado um desafio ou projeto que me instigasse a pesquisar e procurar o desenvolvimento de uma ferramenta, envolvendo 3d e uma aplicação prática.

Durante a palestra, um dos apresentadores comenta com a platéia, o seu desenho em integrar as planilhas e ferramentas externas usadas por eles, em plugins ou scripts para o SketchUp. Isso me deu uma ótima idéia para o meu projeto de Mestrado. Sim, quero iniciar um projeto de mestrado e depois quem sabe um doutorado, mas ainda não tinha escolhido um problema para pesquisar.

Então tive a idéia de trabalhar na integração dessas equações e fórmulas, sobre controle energético, dentro do SketchUp e claro no Blender 3D. Seria fantástico, poder oferecer ferramentas de controle em ferramentas de modelagem como o SketchUp e o Blender 3D.

Seria como criar uma opção ao Ecotect da Autodesk, mas distribuído sob a licença GPL, como um plugin para o SketchUp ou um módulo/script em Python no Blender.

Eu sei, o projeto é bem complexo, mas acho que isso é que deve fazer um bom projeto de pesquisa e se analisarmos pelo lado da aplicação prática, esse projeto tem um benefício sócio-ambiental tremendo! Já pensou proporcionar a todos os estudantes de arquitetura, a possibilidade de verificar a eficiência energética dos seus projetos, ainda na faculdade?

Ainda é cedo para falar sobre o projeto, mas já comecei a reunir informações para trabalhar em um pré-projeto de pesquisa. Antes que você se pergunte, quando será o lançamento do plugin/scripts, devo lembrar que esse tipo de projeto leva em média 1 ano e meio. Portanto, na eventualidade de ser aceito em um mestrado, os resultados devem demorar um pouco para aparecer.

Até lá, você pode acompanhar o vídeo do SketchUp basecamp que mostra muitas opções interessantes, sobre o uso do SketchUp para projetos eficientes.

Autodesk compra Ecotect para brigar com Google e SketchUp?

Parece que o crescente interesse no controle ambiental e eficiência energética das edificações, vêm gerando demanda nos projetistas e profissionais que trabalham diretamente na concepção de projetos arquitetônicos. De olho nesse mercado que só tende a crescer no futuro, a Autodesk acabou de anunciar poucos dias atrás que comprou a Square One, empresa que desenvolve o Ecotect, que tem função parecida com a do SketchUp, mas com foco no conforto e eficiência ambiental das edificações.

Digo que ele tem função semelhante a do SketchUp, pelo fato da ferramenta ser destinada ao planejamento de projetos arquitetônicos, em suas fases iniciais.

Quem acompanha o Blog já há algum tempo, deve estar lembrado do Ecotect, sobre o qual eu já escrevi um artigo. Ele não é muito conhecido dentro dos meios relacionados com desenho técnico e projetos, mas agora com o devido suporte financeiro da Autodesk, muito provavelmente você vai começar a encontrar o nome da ferramenta em trabalhos e grandes projetos, quem sabe até em algum tipo de concurso.

A aquisição deve ter conseqüências semelhantes ao que aconteceu com a aquisição do MudBox, para concorrer com o ZBrush. Em poucos meses, vários recursos de treinamento e concursos de usuários, com ótimos prêmios, para impulsionar o uso.

Em que o Ecotect pode agregar as ferramentas de projeto?

Os profissionais que já usam sistema baseados em BIM, devem ganhar mais um reforço na área de visualização e planejamento térmico das edificações. Uma das funções mais legais do Ecotect é a visualização de gráficos para insolação, com simulação precisa de sombras e mapas de calor. No SketchUp até dá para fazer esse tipo de simulação, mas o Ecotect consegue gerar dados e planilhas com dados mais precisos, inclusive com previsão de transmissão térmica pelo material escolhido para a superfície.

Quer mais? Controle sobre a ventilação e circulação de ar no interior das edificações.

Acho que nada melhor que um pequeno vídeo, para demonstrar o que o software pode fazer:

Na época em que escrevi o artigo original, esse vídeo não havia sido publicado. No caso, o vídeo mostra a integração do Ecotect com o ArchiCAD.

Outro ponto importante para o Ecotect é na simulação acústica. Essa é uma área muito carente de profissionais e sistemas que consigam simular de maneira eficiente esse tipo de situação.

Ainda lembro que na época da faculdade esse tipo de teste, com acústica era praticamente uma coisa “mística”, pelo fato de não se encontrar literatura e muito menos software para esse tipo de projeto.

Ecotect: Modelagem 3D e análise de conforto ambiental e acústico

Estava ontem visitando alguns fóruns sobre modelagem 3d direcionada para arquitetura, quando encontrei comentários de vários usuários sobre uma ferramenta chamada Ecotect. Essa ferramenta é muito semelhante ao SketchUp, inclusive os usuários que estavam falando sobre o Ecotect, falavam que a crescente base de usuários da ferramenta poderia ameaçar um pouco o mercado que o SketchUp tem na modelagem de projetos arquitetônicos. Como não conhecia o Ecotect, resolvi fazer uma pesquisa no web site do desenvolvedor e se possível fazer o download de uma versão Trial ou PLE.

Ecotect - Luz solar

Para minha surpresa, a ferramenta é muito interessante e oferece muito mais ferramentas e opções para visualização de projetos arquitetônicos. Mas antes de falar sobre as vantagens e ferramentas, já vou adiantar que é uma ferramenta paga! Muito bem paga por sinal, a licença custa aproximadamente 1300 dólares.

Agora que você já sabe da parte ruim, vamos falar sobre a parte boa. A modelagem 3d é muito parecida com a do SketchUp, mas ainda assim a ferramenta da Google é mais fácil de usar. Mas a interface do Ecotect é de certa forma muito parecida com a do SketchUp, o que deixa o processo de transição fácil para quem tem alguma noção do SketchUp.

Veja esse vídeo com um exemplo de modelagem no Ecotect. Veja como o processo é muito parecido com o SketchUp.

[fusion_builder_container hundred_percent=”yes” overflow=”visible”][fusion_builder_row][fusion_builder_column type=”1_1″ background_position=”left top” background_color=”” border_size=”” border_color=”” border_style=”solid” spacing=”yes” background_image=”” background_repeat=”no-repeat” padding=”” margin_top=”0px” margin_bottom=”0px” class=”” id=”” animation_type=”” animation_speed=”0.3″ animation_direction=”left” hide_on_mobile=”no” center_content=”no” min_height=”none”][youtube]http://www.youtube.com/watch?v=-1dAyKuzh6k

Mas a modelagem é só uma parte do que faz a ferramenta. O destaque mesmo é para a parte de análise dos aspectos relacionados ao conforto ambiental e acústico do projeto. Esse é um diferencial interessante da ferramenta, a maioria das ferramentas de CAD se dedica apenas a auxiliar na construção, mas não analisa esse tipo de detalhe.

A imagem que ilustra esse artigo é um exemplo de análise incidência de luz solar em um projeto. Além de gerar dados para análise dos projetistas e arquitetos, a ferramenta também gera ilustrações para ilustrar apresentações.

Lembro que na época em que estava na faculdade não tínhamos nada parecido com isso, precisávamos fazer esse tipo de cálculo com dados e tabelas tiradas de livros. É uma pena que eu tenha encontrado uma ferramenta como essa apenas “alguns” anos depois.

Se você quiser fazer o download do Ecotect para avaliação, existe uma versão de testes disponível. Ela não tem limitação de tempo, mas não salva e nem imprime os arquivos gerados. Além disso, depois de aberta a ferramenta só funciona por duas horas consecutivas, depois é necessário fechar e abrir novamente o software.

Só para finalizar, não deixe de conferir as ferramentas gratuitas disponibilizadas pela Square One, empresa que desenvolve o Ecotect.

[/fusion_builder_column][/fusion_builder_row][/fusion_builder_container]