Blender usado em comercial de refrigerante

O artigo em que comento o uso do Blender para a produção de um comercial com a atriz Nicole Kidman, rendeu muitos comentários no Twitter e mensagens pelo formulário de contato. É sempre animador encontrar trabalhos de qualidade desenvolvidos com o Blender, principalmente quando já conhecíamos o vídeo e não sabíamos que era o Blender a base para a produção. Hoje pela manhã recebi um e-mail do leitor ark4n, me indicando um artigo publicado na BlenderNation em agosto com um comercial produzido com o Blender, mas dessa vez na Rússia.

Esse artigo foi publicado na época em que o Blender 3D – Guia do Usuário estava sendo atualizado para a versão 2.53, o que acabou fazendo com que o material de excelente qualidade passasse despercebido aqui no Blog. Mas, graças ao lembrete do ark4an, o deslize está sendo corrigido.

O comercial apresenta uma marca de refrigerante:

Напитки «Фрутмотив» from Alexander Zubkov on Vimeo.

Junto com o comercial, podemos acompanhar um pequeno making of da produção, mostrando o processo de criação do material com o Blender.

Кратко о работе над «Фрутмотивом» from Alexander Zubkov on Vimeo.

Para os que não conseguiram identificar, a versão do Blender usada na produção desse comercial foi provavelmente a 2.49.

O vídeo da produção é bem curto, mas mostra muitas coisas interessantes sobre a gravação desse material. O primeiro ponto interessante é a existência de objetos reais que posteriormente são convertidos em elementos virtuais na composição. A pedra de gelo é referenciada com um bloco de cor azul, que é removida depois usando chroma key. Nas superfícies do balcão é possível identificar também várias marcações que são usadas para mapear a superfície usada pelo personagem. Com a adição de um plano alinhado com essas marcações é possível trabalhar com elementos virtuais perfeitamente posicionados sobre essa superfície.

A qualidade do material como um todo é excelente, e só confirma o que os usuários mais experientes na ferramenta já conhecem, que é a sua capacidade em produzir conteúdo gráfico de alto nível.

Assim como já comentei no artigo anterior, caso você conheça mais algum comercial ou material produzido com o Blender para TV ou Cinema, envie uma mensagem pelo formulário de contato ou Twitter, para que o mesmo possa ser devidamente divulgado.

Script permite criar nuvens e fumaça no Blender 2.50

A criação de efeitos atmosféricos sempre foi um problema para a maioria dos softwares 3d, tanto é que apenas nos últimos anos é que essas ferramentas ganharam capacidades e alternativas sofisticadas para simular efeitos atmosféricos. Em produções ou projetos de maior porte, a opção preferida é sempre recorrer as ferramentas especializadas nesse tipo de tarefa como o Vue ou até mesmo o Terragen. Ele tem opções e ferramentas para criar efeitos como nuvens, neblina e muitos outros de maneira rápida e com grande nível de realismo. Em pouco tempo outro software deve começar a chamar a atenção para as suas opções de simulação. Estou falando do Blender 2.50 que recebeu um script que aproveita as opções de simulação física para simular nuvens com grande nível de realismo.

O scritpt para criar nuvens com o Blender 2.50 pode ser copiado nesse endereço, em que também podemos encontrar as instruções para instalação do mesmo.

O autor do script criou um vídeo que demonstra muito bem como a ferramenta funciona:

Cloud Generation Script Tutorial from Nick Keeline on Vimeo.

O funcionamento do script é bem simples, e consiste na seleção de diversos cubos que devem ser organizados para formar o volume da área que será convertida em nuvens. Assim que todos os cubos estiverem criados, podemos acionar o script. Caso o arquivo do script seja copiado para a pasta addons do Blender 2.50, como orienta o texto no vídeo, teremos a opção de acionar o script na janela de preferências.

Depois, um botão chamado Generate Cloud deve aparecer no Toolbar na esquerda da 3D View. Com os cubos selecionados, basta acionar esse botão e o resultado será uma simulação realista de nuvens. A imagem abaixo é um exemplo exibido na página do Script e que mostra muito bem o nível de detalhamento do script para gerar esse tipo de efeito atmosférico.

script-nuvens-blender-atmosfera-250.jpg

Até pouco tempo atrás a única opção que tínhamos para criar esse tipo de elemento no Blender, era com a mistura de partículas e materiais do tipo Halo. Existe até um exemplo bem detalhado desse tipo de simulação no Blender 3D – Guia do Usuário. Com esse novo script do Blender 2.50 as simulações atmosféricas devem ficar muito mais simples e fáceis de criar.

Criando nuvens e fumaça no Blender 3D 2.50 para cenários digitais

Um dos recursos que deve ser adicionado no Blender 2.50 é a possibilidade de trabalhar com materiais especializados em criar volumetria. Esse tipo de material associado a elementos como texturas e partículas, pode ajudar muito no design de cenários e efeitos atmosféricos. Essa semana mesmo aqui no blog, comentei sobre o uso de plugins especializados no 3ds Max para fazer esse tipo de simulação de maneira realista, o artigo mencionava o plugin FumeFX. O Blender 3D já deve adicionar a sua já extensa gama de opções a possibilidade de trabalhar nativamente com volumetria.

Se você quiser aprender a criar volumes como nuvens e fogo usando as partículas do Blender 3d, existe um tutorial muito interessante e didático sobre o uso de materiais com a opção volume habilitado para criar efeitos. O vídeo não está com uma qualidade boa, mas é possível acompanhar o processo de configuração. Para tentar reproduzir o efeito, é necessário fazer o download de uma versão experimental do Blender 3d 2.50 no graphicall.org ou compilar a sua própria versão.

Blender 2.5 Point Density Volumetrics Tutorial from Nick Keeline on Vimeo.

A primeira parte do tutorial é destinada a configurar os objetos que devem representar à fumaça, nesse caso um sistema de partículas. O modelo 3d criado pelo autor do tutorial tem como objetivo criar uma grande superfície com bom nível de subdivisão e vértices para emitir partículas.

Repare que existe um cubo ao redor do sistema de partículas, que deve interagir com as partículas. Depois que as partículas estão criadas, o material criado no vídeo é associado ao cubo. No material é preciso acionar a opção Volume e adicionar um conjunto de texturas para que o efeito seja realizado. São várias texturas usadas para atribuir o efeito de volumetria. Aquela última textura que não está muito clara no vídeo se chama “Point Density”, na qual é preciso atribuir um sistema de partículas.

O último passo é criar um plano na parte inferior do cenário que deve possuir um material habilitado a receber sombras baseadas em transparência. O primeiro teste de render feito no vídeo não é muito bom, mas com alguns ajustes e a exclusão dos emissores das partículas do render final o efeito é muito bom.

Tutorial Blender 3D e Adobe After Effects: Composição de vídeo e 3D

Você já tentou usar o Blender 3D com o Adobe After Effects? Caso nunca tenta tentado, um ótimo tutorial de um artista chamado Waywardson256 mostra como fazer a integração do Blender com um vídeo de uma aranha gigante. O tutorial é muito interessante, nele não é abordado o processo de modelagem da aranha, apenas a composição. No começo do tutorial o autor fala um pouco sobre como o Blender funciona, mas no geral ele não passa dicas detalhadas sobre os comandos do Blender, na verdade os usuários que já tem uma experiência mínima com a ferramenta que podem aproveitar melhor o vídeo.

Uma coisa que você deve perceber no tutorial, o autor é um pouco atrapalhado em relação a seqüência de apresentação dos conteúdos. Em alguns momentos ele até se nega a explicar alguns conceitos! Chega até a ser engraçado, mas tirando essa parte cômica, o material é muito bom para quem nunca teve experiência com composição no Blender.

Antes de continuar, assista ao vídeo:

Agora alguns comentários sobre o tutorial:

No começo ele já mostra um ótimo exemplo da utilidade da ferramenta Movie, no menu de propriedades da 3D View. Essa opção permite adicionar um vídeo como fundo da 3D View, para que seja possível fazer uma composição. Depois que ele mostra alguns detalhes da interface e do modelo 3d, o próximo passo é configurar a câmera para que tudo seja exibido da melhor maneira possível.

A parte da câmera é especialmente importante, até porque muito do que será realizado em termos de composição depende do posicionamento correto da câmera.

Com a câmera posicionada, o autor parte para a criação do tutorial em sim, com o ajuste do modelo e dos elementos necessários para gerar o efeito da animação. Na parte 3D, ele começa com um pequeno ajuste muito importante para a composição! No vídeo existe uma parede que é plana, mas que precisa mascarar o movimento inicial da aranha gigante. Para fazer isso ele precisa criar uma superfície invisível que receba apenas sombras. Isso é feito com o uso de um cubo, se você nunca fez isso no Blender essa é a oportunidade de aprender como fazer!

A parte da animação final no Blender ele pula, considera que você já tenha os conhecimentos necessários para fazer essa parte. O Blender 3D é usado apenas para gerar a animação da aranha com o plano da parede, com as respectivas sombras projetadas.

No After Effects, o processo de composição é finalizado com alguns ajustes e posicionamento da animação e do plano de fundo em camadas. Para que o alinhamento fosse perfeito, o posicionamento da câmera precisava ser perfeito.

Recomendo o tutorial para todos que querem aprender um pouco mais sobre composição de vídeo com Blender 3D e a possível integração com o Adobe After Effects.