Script gratuito para gerar animações com texturas no Blender

O desenvolvimento de jogos envolve não só o uso de material oriundo de modelos 3d, mas também de texturas e imagens que possam ao mesmo tempo ajudar no processo criativo do jogo e reduzir a carga computacional da aplicação final. É muito mais eficiente representar algumas coisas usando imagens 2D, que são conhecidas como sprites dentro do contexto de jogos. O Blender permite que seus usuários criem jogos 3d usando ferramentas próprias já incorporadas ao software, mas não existe nada específico para trabalho usando sprites. É possível usar sprites em jogos criados com o Blender? Sim, é perfeitamente possível aproveitar esse recurso no Blender, mas precisamos usar alguns recursos extras ou então Addons.

Um Addon muito interessante para artistas interessados em produzir jogos com o Blender foi divulgado nos fóruns Blenderartists alguns dias atrás chamado de UV Scroll, e o seu funcionamento é muito simples. O objetivo da ferramenta é reproduzir partes de uma grande imagem, que geralmente é composta por partes separadas de sprites, usando uma sequência pré-configurada dentro do próprio script. O resultado é que podemos adicionar pequenas animações baseadas nas partes de uma grande textura.

O download e uso do UV Scroll é totalmente gratuito, e caso você tenha interesse em aprender a usar a ferramenta, o link disponível para download possui um pequeno vídeo que demonstra os ajustes e configurações necessárias para usar o script.

Além desse script é possível usar texturas em várias outras situações dentro da criação de jogos usando o Blender, pois a representação de elementos gráficos usando texturas aplicadas em planos ou outros volumes tridimensionais é uma técnica conhecida e difundida entre artistas para representar elementos como vegetação, veículos e até mesmo pessoas em planos distantes. Nesse tipo de situação o uso de arquivos PNG com canal alpha ajuda muito!

Ainda não sabe usar os recursos próprios do Blender para gerar jogos 3d? Recomendo visitar o EAD – Allan Brito para conferir o curso sobre produção de jogos com Blender, em que ensino a técnica e as ferramentas necessárias para usar os blocos de lógica do software para gerar 3d interativo. É perfeitamente possível usar o Blender para criar jogos comerciais! Se você ainda possui dúvidas sobre o assunto, recomendo ler o artigo em que explico os detalhes relacionados as licenças e detalhes sobre o tema.

É possível comercializar jogos criados no Blender?

Uma dúvida que sempre recebo pelo formulário de contato do Blog está relacionada com o desenvolvimento de jogos usando o Blender. Existem muitas pessoas que gostariam de trabalhar com a criação de jogos usando o Blender, mas possuem uma dúvida fundamental: é possível vender jogos criados com o Blender? A resposta é muito simples! Claro que sim. A confusão entre a possibilidade ou não da comercialização de matéria produzido com o Blender aparece quando a produção de conteúdo com o software se mistura com o próprio Blender, distribuído sob a licença GPL. Como trabalho diariamente com o Blender, e recebo muito esse tipo de questionamento, acho válido abordar o assunto periodicamente.

No que se refere a produção de jogos, a dificuldade inicial na comercialização de jogos produzidos com o Blender está no fato dos arquivos fonte do jogo precisarem necessariamente acompanhar o binário gerado pelo Blender, para que o jogo em si possa ser executado. Esse binário nada mais é do que uma versão simplificada do Blender chamado de Standalone Player, e os arquivos fonte ficam mesclados com o binário. Como o binário do Blender é regido pela licença GPL, o conteúdo do seu jogo acaba sendo enquadrado na categoria de material derivado e também é regido pela GPL. Isso significa distribuir o material de forma aberta.

Existe até mesmo um excelente artigo na Wiki do Blender explicando o problema em detalhes com base em um artigo publicado pelo Dalai Felinto. Entre as opções apresentadas no artigo, e que considero a mais interessante é o uso de player diferentes do Standalone Player. A minha escolha é pelo BPPlayer, que além de permitir executar jogos criados no Blender, também permite criptografar o conteúdo dos arquivos fonte do jogo, impedindo o acesso a qualquer tipo de objeto ou texto dentro do seu jogo.

Só para responder a pergunta título desse artigo. Sim, é possível comercializar jogos produzidos com o Blender. O material produzido com o software pode ser livremente comercializado, assim como fazemos nos casos de imagens e animações renderizadas com o Blender. O único problema está no fato da distribuição dos jogos usando o Standalone Player pois isso exigiria que os arquivos fonte associados ao software fossem oferecidos de maneira aberta, para não entrar em conflito com a GPL. Mas, usando recursos como o BPPlayer é possível contornar esses problemas, e até mesmo criptografar o conteúdo dos jogos para impedir o acesso ao material.

Quer vender um jogo criado com o Blender? Vá em frente e comece seu projeto, pois é perfeitamente possível explorar a plataforma em jogos comerciais.

Aprendendo a criar jogos no Blender

E caso você tenha interesse em conhecer a plataforma de desenvolvimento de jogos do Blender, recomendo visitar o curso sobre produção de jogos com Blender do EAD – Allan Brito. No curso os participantes aprendem a usar a Game Engine para criar 3D interativo e também a usar recursos como animações dentro desse contexto.

Existe até uma aula no curso em que ensino a utilizar o BPPlayer para proteger o conteúdo desenvolvido para jogos usando o Blender. E para complementar o seu conhecimento com o Blender, existem também diversos outros cursos de Blender disponíveis no EAD – Allan Brito que ajudam no processo de criação dos jogos.

Script ajuda na criação de lightmaps com o Blender

A criação de mapas UV é importante dentro do Blender em várias situações diferentes, sendo que o controle sobre o posicionamento das texturas é apenas uma dessas situações. Na maioria das situações é interessante usar mapas UV para conseguir pintar e montar as texturas da maneira como você achar melhor para o seu projeto. Mas, existem outras aplicações bem interessantes para os mapas UV dentro do Blender, sendo uma delas a capacidade de armazenar informações da cena 3d em mapas UV para exportar os arquivos em formatos como o COLLADA para uso em jogos.

A criação de simulações realistas em jogos com o Blender ou outras engines exige o uso de sombras realistas para passar a idéia de uma iluminação mais trabalhada, quando na verdade o efeito está gravado de maneira automática nas texturas dos objetos. Esse processo é conhecido dentro do Blender como Bake Shadows, e exige um pouco de configuração manual para que seja possível configurar o efeito de maneira correta. Se você trabalha com produção de jogos com o Blender, recomendo conferir um script (Add-on) que promete fazer todo o processo de configuração das texturas com sombras de maneira automatizada.

O script é chamado de TextureAtlas e pode ser copiado de maneira gratuita nesse endereço. Hoje a versão mais atualizada é a 0.14 que é a recomendada para download. Mas, como funciona o script? O vídeo abaixo mostra muito bem o funcionamento da ferramenta:

O procedimento para usar o script é realmente simples e exige apenas uma cena configurada e com pontos de luz posicionados de maneira a projetar as sombras. Depois de habilitar o script na janela de preferências do Blender, você encontra as opções da ferramenta no painel de renderização. Ao adicionar os objetos 3d dentro de um grupo que fará parte da criação das sombras, basta selecionar o modo de sombreamento desejado e a resolução da textura. Quando pressionamos o botão “Create Shadow Map” as texturas são criadas já com o efeito da iluminação pronto!

Esse tipo de ferramenta é fantástica para a criação de cenários em ambientes de jogos, inclusive os que são desenvolvidos dentro do próprio Blender.

O script já está na minha lista de assuntos para adicionar as texturas e materiais para jogos, quando gravar essa aula para o curso sobre produção de jogos com Blender.

Curso sobre produção de jogos com Blender

O Blender é uma ferramenta que oferece diversas soluções para artistas 3d interessados em produzir material para as mais variadas áreas. Entre as opções disponíveis no Blender que outras ferramentas 3d não dispõe podemos listar o editor de vídeo, opções de tracking para vídeo e a sua game engine integrada. Entre os recursos que os artistas mais demonstram interesse em aprender no Blender, a criação de jogos está no topo das prioridades para a maioria das pessoas. E foi pensando nesse tipo de demanda que resolvi iniciar mais um curso no EAD – Allan Brito, voltado exatamente para essa área. O curso sobre produção de jogos com Blender já está com as suas inscrições abertas, e duas aulas publicadas no ambiente virtual.

O curso segue o mesmo modelo dos outros cursos já disponíveis no EAD – Allan Brito, em que todo o material é publicado ao longo das próximas semanas e sempre baseado nas aulas em vídeo.

Para ter uma idéia do que você encontra no curso, o vídeo abaixo mostra um trecho da primeira aula.

O foco no curso é na produção de jogos usando os recursos próprios do Blender que são formados pelos blocos de lógica. Portanto, o único pré-requisito para quem gostaria de participar é ter conhecimento básico sobre o Blender. Caso você ainda não saiba trabalhar com o Blender, existe um curso básico gratuito que usa a mesma metodologia e que está disponível no EAD – Allan Brito.

As aulas do curso sobre produção de jogos estão organizadas da seguinte forma:

  • Aula 01 – A Game Engine do Blender: Apresenta as ferramentas gerais na Game Engine do Blender, e os painéis que sofrem modificações com o render do tipo “Blender Game”.
  • Aula 02 – Blocos de lógica: Aqui são apresentados os blocos de lógica e o conceito de sensores, controladores e atuadores.
  • Aula 03 – Sensores: Aborda o funcionamento dos diversos sensores existentes no Blender.
  • Aula 04 – Controladores: Os controladores tomam as decisões com base nas informações enviadas pelos sensores, e nessa aula você aprende como direcionar essas decisões.
  • Aula 05 – Atuadores: Uma das maiores aulas do curso, pois aborda os blocos que executam tarefas no jogo.
  • Aula 06 – Materiais e texturas: Como podemos deixar a aparência do jogo melhor usando iluminação, texturas e materiais? É isso que você aprende na aula 06!
  • Aula 07 – Projeto: Criando um jogo no Blender: Para encerrar o curso, será realizado o projeto de um jogo completo usando apenas o Blender e os seus blocos de lógica.

Se você ficou interessado e quer fazer a sua inscrição, basta visitar a página de detalhes do curso para se inscrever. E as pessoas que já estão inscritas nos outros cursos de Blender que demandam inscrição, podem participar desse curso usando os botões de inscrição internos, que garantem um desconto no valor cheio do curso.

Livro Blender 3D – Jogos e Animações Interativas

Um dos temas mais recorrentes aqui no Blog é o Blender como ferramenta de modelagem e animação 3d, pois essa é a minha ferramenta de trabalho preferida para produzir material em 3d para os mais variados meios. As possibilidades de aplicação do material criado com o Blender são as mais diversas, sendo que a área de jogos digitais em 3d é um desses campos que podem receber grande contribuição do Blender, mas que ainda tem pouco material de apoio. E foi pensando exatamente nessa área de jogos que tive a idéia de escrever um livro sobre o assunto. É com grande satisfação que anuncio que o livro chegou da gráfica! O livro se chama Blender 3D – Jogos e Animações Interativas e pode ser adquirido de imediato diretamente pelo web site da editora. Ainda é possível fazer o download do sumário e de um capítulo do livro de maneira gratuita no site da editora.

Blender3d-Jogos-Animacao-Interativa.jpg

O projeto demorou mais de 1 ano para se concretizar, e teve inicio no final de 2009 e foi inicialmente escrito para o Blender 2.49. Mas, com o lançamento das versões 2.5 do software, acabei revisando o livro por completo e adaptando todo o conteúdo e imagens para as últimas versões do Blender. Essa primeira edição está utilizando o Blender 2.57 como base para o texto e imagens.

Como esse livro se relaciona com o Guia do Usuário? Eu sempre imagine esse livro como sendo uma continuação para o Guia do Usuário, pois aborda exatamente os conteúdos que não estão presentes no guia, como o uso da janela de lógica e as parte de interação baseada em física.

O foco do livro é no uso das ferramentas que a Game Engine do Blender oferece para artistas interessados em criar aplicativos interativos em 3d, e nesse conjunto se encontram os jogos. Boa parte do livro fala sobre o uso dos chamados blocos de lógica do Blender, que permitem criar jogos de maneira visual, apenas ligando os diversos blocos para identificar colisões, interação com o teclado e muito mais!

Outra parte que não é abordada no guia, mas está bem presente nesse novo livro é a de simulações baseadas em física, que são os Rigid Bodies e Soft Bodies. Por exemplo, podemos trabalhar com a simulação de física aplicando massa e colisões em objetos.

No livro você encontrar diversos exemplos da aplicação disso na forma de exercícios como:

  • Criação de um Ragdoll
  • Criação de uma máquina de Rube Goldberg
  • Criação de um jogo estilo labirinto
  • Criação de um jogo de tiro em primeira pessoa

O mais legal é que você não precisa ter lido o Blender 3D – Guia do Usuário para aproveitar o livro, pois um dos primeiros capítulos faz uma introdução geral ao Blender passando todos os conhecimentos necessários para aproveitar o livro.

Esse é o meu quarto livro sobre Blender, e ainda acho que são poucos títulos! Nos próximos meses você ainda vai encontrar outros avisos de lançamentos nesse sentido aqui no blog.

Caso você resolva adquirir o livro, espero que goste!